antigo esse texto

Eu fico calada, pensando, ao longo da noite e da madrugada, o quanto eu perdi tempo da minha vida me preocupando com as pessoas, me preocupando em não machucá-las e sendo machucada por elas, mesmo sabendo que elas não seriam capazes de fazer por mim, nem metade do que eu fiz por elas. Passo noites chorando e pensando de que adianta amar uma pessoa se ela não liga pra você. Pra quê serve o amor? Pra deixar as pessoas mais frias? Pra fazer elas perceberem que nem sempre a gente sente pra ser correspondido da mesma forma? É, não sei, talvez seja por isso. Talvez seja pra criarmos experiência e não deixarmos as lágrimas rolarem no nosso rosto por quem não merece.
—  Mas está faltando amor.
Você não lembra meu nome. Eu realmente não me importo. Eu também não lembro o seu. Eu estava totalmente chapada naquele dia. Me lembro de poucas coisas, mas lembro o suficiente pra saber que a foda foi boa. Um transa qualquer, com um carinha qualquer. Se fosse a uns tempos atras eu ficaria com vergonha de mim. Mas ultimamente eu ando querendo curtir a vida. Cai na real que a vida é curta demais e que não podemos perder tempo. Estou aproveitando a vida ao máximo. Não me considero uma “vadia” por transar com alguns caras que eu conheci em uma noite qualquer. Eu gosto até. Você satisfaz suas necessidades e no outro dia não tem que se preocupar com nada. Juntei o útil ao agradável.
—  vinculoeterno.