anos 2010

Imagina daqui a 15 anos você abre o caderno do seu filho e vê o dever de casa dele: “Recorte e cole no caderno 10 memes da crise política dos anos 2010 no Brasil”
Deixa eu dividir algo com vocês. Tenho tumblr há 5 anos. Desde 2010. Já são 5 anos disso daqui. O primeiro, eu não sabia usar, assumo. Vocês sabem como era o tumblr há 5 anos atrás? Não!? Vou contar. Nenhum theme se editava pelo appearence, tudo só e completamente pelo HTML. Themes chamativos e coloridos, como tudo o que estava no auge na época (bandas coloridas e coisas emo). Sabe a dash? Nada de pop-up quando ia reblogar algo. O tumblr redirecionava pra uma página com a postagem e pronto. A dash atualizava. Não é como hoje, atalhos e "abriu pop-up, fechou pop-up". Eu não sabia trocar de theme, na verdade, não sabia nem o que era HTML, pra mim isso era só uma sigla idiota que vinha antes dos sites nas URLs, nada mais. Sabem esses tumblrs conhecidos de hoje em dia? Não existia nenhum. Naquela época, ser conhecido era ter no máximo 20 mil seguidores e olhe lá. Sabem esses barracos-nossos-de-cada-dia que rolam aqui? Eu juro, isso não existia. Todos eram "reconhecidos" pelo seu conteúdo e pelas postagens. Ninguém passava por cima de ninguém, não existia tumblr de fofoca, pessoas pedindo URL pra xingar quem não conhecem e muito menos isso de 'nudes'. Tumblr era realmente um local de paz. Eu lembro que era apaixonada pelo Sean Wilhelm, talvez vocês só o conheçam por textos, mas ele já teve um tumblr (na verdade, diversos). Também adorava os textos do Allax (que começava a ser conhecido). E quem não lembra dos themes da suf0car que tinham transparência e a gente colocava um BG atrás e se sentia? Porra, eu amava demais. Mas de 2012 em diante, as coisas começaram a mudar. Começou-se algo que até hoje vemos na dashboard: listinhas, networks de tumblrs para autodivulgação, programas para comprar e adquirir seguidores e a partir daí, já se iniciaram as primeiras brigas. Mas não era nada demais, apenas coisas como: "por que parou de ne seguir?". Em 2013 vieram as febres do "todo mundo sabe mexer em HTML", geral disponibilizava theme, era um plágio sem fim, de tudo! Sabe como a galera interagia? Com "TDS", "TDM", "TD" e "FF", respectivamente, tumblr da semana, tumblr do mês, tumblr destaque e follow friday, que as pessoas mandam até hoje nas asks como: "+FF" e não sabem nem o que significa. Follow friday, era o que fazíamos toda a semana, com os 9 tumblrs que mais reblogamos. Ia por ordem de porcentagem. Fazia-se disso um post e disponibilizava pra galera. Eles acessavam e quem curtia o conteúdo, mandava "+FF", avisando que foi de uma lista de recomendo. Voltando, em 2014, o tumblr virou o inferno que é agora. Eu particularmente não sei de onde essas pessoas vieram, mas elas saíram disseminando veneno por onde passavam. O tumblr virou um caos. Era tumblr de fofoca pra todo lado, uma agressão por minuto, um novo tumblr de baixarias por semana. Pessoas pisando em outras para estarem no topo a todo custo, daí nos perguntamos: "a troco de quê?", não me pergunte, eu não faço idéia. Não existe comparações entre o tumblr de 2010-2012 com o tumblr atual, é outra rede social. Já contei sobre quando o Karp (antigo dono e criador do tumblr) vendeu tudo isso aqui pro Yahoo? Foi um desespero. Parecia que as pessoas já estavam adivinhando sobre o que tudo isso aqui ia se tornar. Não reconheço mais tudo isso aqui, esse é meu 3° e último tumblr, não pretendo jamais ter outra conta aqui, não é mais meu ponto de repouso, parece a Faixa de Gaza. É com esse textinho meloso e meia-boca, que eu, Fernanda, aviso que estou me afastando disso daqui. Não do dia pra noite, mas aos poucos. Tudo isso perdeu o sentido, o brilho acabou, desencantou. Mais uma vez, o ser humano conseguiu destruir o que parecia perfeito. Eu amo vocês, cada um, e jamais pensei que algum dia passaria os 50 mil, me sinto muito orgulhosa por isso, nunca precisei criticar ninguém, nem fazer do follow de vocês, um número em site de divulgações. Valorizo cada um de vocês e saibam que sempre estarei aqui. Eu sempre estive. Calada, quieta, na surdina, mas estive por cada um de vocês, porque me ajudaram a crescer como pessoa e se hoje ganho por escrever, foi porque cada reblogue de vocês me serviu de incentivo. Não é um adeus, talvez, um até breve. O "extinta" não vai parar, só vai trabalhar com baixa frequência, quase nenhuma. Amo vocês!
youtube

Wanderlei Silva fala sobre seu filho, Thor, em vídeo gravado por conta de seu 7º aniversário.

youtube

Eduardo Tornaghi e sua filha, Bibi, recitando o poema Boneco.