amorzinho da minha vida

Harry Styles.

N/A: Esse é o primeiro post desse blog, espero que ainda venham muitos por aí. Eu estou muito feliz de ter criado isso aqui, sempre gostei de escrever e sempre amei o Harry Styles (Os outros meninos também, mas Harry é o amorzinho da minha vida.) Espero que gostem, eu fiz com todo carinho. Fiquem a vontade para mandar ask ou mensagens, quero muito conversar com vocês e saber o que vocês acham de tudo.

Seja bem vindo(a)!

Boa leitura!


     Eu estava me sentindo horrível, nos últimos dois dias eu estava tentando ter uma alimentação saudável, dormir na hora certa e tudo o mais, mas ainda era inevitável. Naquela manhã quando eu acordei completamente congestionada, queimando em febre e dor de cabeça, eu simplesmente não estava surpresa. Mesmo assim foi horrível acordar daquele jeito. Contrariando o desejo do meu corpo me virei para o lado de Harry da cama, só pra ter minha segunda decepção do dia, ele não estava mais lá. Ele havia me dito que teria compromissos hoje, e provavelmente iria ficar fora por algumas horas.

     Eu estava tão aborrecida, odiava ficar doente, eu estava um lixo. Decidi finalmente me levantar, precisava de um banho. Pra minha total felicidade, era sábado, então não precisava trabalhar hoje. Só não queria ficar sozinha em casa.

     Assim que sai do banho caminhei em direção ao armário, sentia minha cabeça doendo mais, bem pior que antes. Abri o armário e peguei uma calça de moletom e uma camiseta qualquer de Harry, depois de vestida sai do quarto em direção a cozinha. Estava sem fome então só preparei um chá e fui direto para sala assistir alguma coisa na TV, não tinha energia pra fazer qualquer outra coisa. Tomei um remédio antes de terminar meu chá, me embrulhei em uma coberta quentinha e logo cochilei por causa do remédio, mesmo tendo acabado de acordar de uma longa noite de sono.

     Acordei depois sentindo como se tivesse sido atropelada por um caminhão, logo ouvi o som da porta se abrindo e Harry entrando. Assim que ele me viu, uma expressão preocupada tomou seu rosto. Afinal, me ver jogada em um sofá enrolada em uma coberta e tendo uma crise de espirros não é uma cena tão normal pra ele. Um beicinho se formou em seu rosto em quanto ele caminha em minha direção.

 “Oi, babygirl, você está bem?” Ele me perguntou delicado, se ajoelhando em minha frente, colocando uma de suas enormes mão em minha testa.

 “Eu me sinto horrível” Eu disse, num sussurro quase inaudível.

 “Eu sinto muito, querida. Mmm, sua testa está muito quente. Vou buscar um termômetro.”  Ele disse, antes de deixar um beijinho em minha testa e se pôr de pé para buscar o termômetro.

     Olhei de relance para o relógio e fiquei surpresa ao perceber que estava dormindo há horas naquele sofá. Eu estava tão desorientada, me sentia péssima.

 “Aqui está, amor” ele disse docemente enquanto colocava o termômetro em seu devido lugar. “Você está com fome? Tem dores? Quer que eu vá comprar algum remédio, sopa ou algo assim?” Ele me encheu de perguntas, e sua expressão preocupada voltou.

 “Mmm, só se deite comigo por favor” Eu implorei, fungando um pouco e me sentindo um bebê.

 “Claro meu amor, venha aqui” Ele disse com um sorriso tranquilo nos lábios enquanto tirava sua jaqueta e se espremia comigo no sofá de nossa casa. Suavemente ele me abraçou e eu pousei minha cabeça em seu peito. Ele acariciava meus cabelos e o sono já se fazia presente de novo.

 “Amor?” Chamei, levantei um pouco o olhar pra dar de cara com seus olhos.

 “Oi” Ele respondeu, levando sua mão até minhas costas e fazendo um carinho gostoso ali.

 “Harry, eu me sinto uma porcaria.” Sussurrei, ele deu uma risada baixinha.

 “Eu posso ver, bebê, e eu sinto muito. Tente dormir, você vai acordar melhor.” Tentou me convencer, sem saber que eu já estava cochilando.

 “Harry” sussurrei novamente, queria ficar um pouco mais acordada.

 “Sim amor?”

 “Eu te amo muito” Eu disse, sentindo que os braços que estavam em volta de mim com tanta força iriam me proteger.

 “Eu te amo mais” Ele sussurrou, poderia garantir que em seu rosto estava um sorriso, ele beijou meus cabelos e sussurrou mais uma vez “Eu te amo muito mais”.

Não, eu não quero ser a Summer de 500 dias com ela e eu não quero que você seja o Tom. Eu não quero que a gente seja como Jordana e Oliver de Submarine, mesmo que eu fosse adorar ter a trilha sonora da minha vida tão amorzinho e ainda cantada pelo Alex Turner. Eu não quero ser como a Violet e o Tate ou o Kyle e a Grace de American Horror Story. Eu não quero ser a Jessica Jones, e não quero que você seja o Luke, muito menos o Kevin. Eu não quero que nossa história seja como a de Forrest Gump. Não, eu não quero ser sua estrela, como em Stardust. Não quero ser como Cassie e Sid de Skins, até porque eles não ficam juntos. Não quero ser nenhum personagem. Eu quero que sejamos apenas eu e você. Talvez todos eles lembrem nós dois de alguma forma, uma lembrança vaga aqui ou ali. Mas eu não quero ser como esses casais e também não quero ser como esses casais da vida real, eu apenas quero eu e você. Acho que poderíamos passar o verão todo deitados na cama como aquele casal de Loucamente apaixonados. Eu quero muito fazer isso um dia. Eu apenas quero nós, grudados, assim, bem juntinhos, pra sempre.
—  Bianca Autran