amigo de sempre

É verdade, eu realmente parei de me importar. Porque eu me dei conta de que ninguém jamais iria dar valor ao meu esforço, às horas que eu passava tentando agradar ou dando conselhos gentis que fizessem as pessoas se sentirem bem. Precisei chegar ao fundo do abismo para perceber isso. Foi quando eu precisei de um amigo, uma pessoa só, que me escutasse e fizesse com que a dor fosse embora. Mas, ninguém apareceu. Absolutamente ninguém. Todos fugiram. Não existia nem uma pessoa no mundo capaz de me dar a mão, e simplesmente ficar do meu lado. As dezenas de amigos que sempre me rodearam enquanto eu era uma garota sem problemas, me abandonaram quando passei a ser um enorme complexo. Agora você vem me dizer que eu estou sendo rude? Não, caro amigo. Eu estou devolvendo o desprezo que ganhei. Estou retribuindo a lealdade que me deram. E não, não irei mais correr atrás de ninguém, muito menos demonstrar sentimentos. Se você quiser ficar, que fique. Se por acaso sentir-se incomodado com o meu desprezo, saiba que estará recebendo o que cativou de mim, e está totalmente convidado à sair da minha vida. Agora o meu orgulho vai falar mais alto e, meu amor próprio irá me bastar.
—  Eternue.
Quero meus amigos de verdade sempre perto. Minha família sempre ao lado. Gente boa me rondando. O resto eu não quero. Gente que suga, que só quer, que não sabe ouvir, que tem inveja, que não sabe rir de si mesma. Não quero isso na minha vida. Eu quero claridade, entende? Gente clara, transparente. Que pisa na bola, mas entende, volta atrás, se assume.
—  Clarissa Corrêa.   

Que saudade das nossas loucas conversas, aquelas que sempre terminavam com ataques incontroláveis de risada. Que saudade dos abraços no fim de cada desabafo, no fim de cada choro. Que saudade de quando colocávamos apelidos em cada pessoa que cruzasse nosso caminho, sendo bonito ou feio, chato ou legal, tinha um apelido! Rs. Que saudade das nossas músicas, aquelas que a gente cantava alto e errava a letra, que desafinava no refrão e ria porque tínhamos esquecido do resto da música. Que saudade das nossas danças malucas, daquelas que a gente fingia sensualizar alguém e sempre acabava com alguém estatelada no chão. Que saudade dos seus conselhos, aqueles bem malucos que sempre tinha um “ah manda ele se f* logo", você sempre sabia o que dizer na hora certa, sempre sabia que aquela era a hora em que eu ia chorar e você me abraçava, porque sabia que eu precisava daquilo, das vezes que eu precisei de companhia, mas precisava ficar em silêncio, porque não conseguia simplesmente dizer, e você esperou, esperou até eu respirar fundo inúmeras vezes, até desabar em lágrimas e palavras, mas você entendeu. Saudade de ouvir sua voz e sua risada, aquela que sempre me fazia rir e me sentir a pessoa mais feliz do mundo, porque eu não ligava para o que os outros pensava, só ligava para nós ali. 

Pra mim amizade de verdade é quando você passa meses sem falar com a pessoa e quando se falam é tudo a mesma coisa, nada muda. Você sabe que independente do tempo que se passar ela vai estar ali para te ajudar independente do que aconteça. Sem cobranças, apenas sendo como tudo sempre foi.
Poderia ter sido diferente se eu não fosse uma máquina de erros que tenta concertar os danos que eu mesmo causo. Me pergunto como um ser humano não consegue perceber o que fez de errado quando o culpado é ele. Talvez o amor deixe a gente meio míope, meio exagerado, meio tudo, sabe? Assim mesmo, confuso de entender. Sentir aquela sensação de que poderia ter dito ou feito algo diferente naquele momento me perturba, e só de imaginar que se eu tivesse tomado atitudes mais elevadas estaria tudo bem entre nós, me dói. O que resta é seguir os conselhos de amigos que eu sempre ignorei, seguir em frente e deixar à vida me trazer algo melhor.
—  Alef Santos.
Eu agradeço a Deus por ter te encontrado, talvez meu caminho teria se perdido em tanta dor, mas ele se manteve seguro ao seu lado. A sensação de contar com alguém, de poder se jogar de olhos fechados é quase inexplicável. Nenhum dia da minha vida eu sonhei que eu poderia encontrar alguém tão especial, um amigo que compartilhasse tanta coisa boa comigo, que me fizesse lembrar de como é ser amado, de como é ter uma amizade verdadeira, que me faria acreditar que eu posso continuar a sorrir, que nem sempre tudo está acabado, mas que pode estar meio desajeitado. Quem derá eu conseguisse um dia agradecer tudo o que eu tenho aqui dentro, esse amor enorme que eu carrego como meu combustível que me põe um sorriso quando eu mais preciso e sustenta quando eu estou prestes a cair. Algo que se fixou em mim, que não sai, nem se eu quisesse, eu nunca poderia sonhar que isso tudo seria meu, que isso tudo seria parte da minha realidade, que ainda existia alguém que estava destinado a me ajudar e a me apoiar, que nunca é tarde para achar um amigo, que por mais que todos te decepcionem em algum lugar a sua excessão está te esperando.
—  To Take Her Home
Um dia a maioria de nós irá se separar. Sentiremos saudades de todas as conversas jogadas fora, as descobertas que fizemos, dos sonhos que tivemos, dos tantos risos e momentos que compartilhamos… Saudades até dos momentos de lágrima, da angústia, das vésperas de finais de semana, de finais de ano, enfim… do companheirismo vivido… Sempre pensei que as amizades continuassem para sempre… Hoje não tenho mais tanta certeza disso. Em breve cada um vai pra seu lado, seja pelo destino, ou por algum desentendimento, segue a sua vida, talvez continuemos a nos encontrar, quem sabe… nos e-mails trocados… Podemos nos telefonar… conversar algumas bobagens. Aí os dias vão passar… meses… anos… até este contato tornar-se cada vez mais raro. Vamos nos perder no tempo… Um dia nossos filhos verão aquelas fotografias e perguntarão: Quem são aquelas pessoas? Diremos que eram nossos amigos. E… isso vai doer tanto!!! Foram meus amigos, foi com eles que vivi os melhores anos de minha vida! A saudade vai apertar bem dentro do peito. Vai dar uma vontade de ligar, ouvir aquelas vozes novamente… Quando o nosso grupo estiver incompleto… nos reuniremos para um último adeus de um amigo. E entre lágrima nos abraçaremos… Faremos promessas de nos encontrar mais vezes daquele dia em diante. Por fim, cada um vai para o seu lado para continuar a viver a sua vidinha isolada do passado… E nos perderemos no tempo… Por isso, fica aqui um pedido deste humilde amigo: não deixes que a vida passe em branco, e que pequenas adversidades sejam a causa de grandes tempestades… Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores… mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos!
—  Vinicius de Morais

A Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, é um internato de magia para bruxos e bruxas com idades entre os onze e dezessete anos. 

Hogwarts foi subdividida em 4 casas, sendo elas Grifinória, Corvinal, Lufa-Lufa e Sonserina. Cada estudante é escolhido para a sua respectiva casa de acordo com sua personalidade. 

obs: considerem que todos entraram no mesmo ano.


Nome: Kim Seokjin.

Casa: Sonserina.

Sangue: Puro.

Varinha: Macieira.

Cargo: Monitor da Sonserina.

Matéria destaque: Astronomia.

Curiosidades: 

Deu a ideia de ter um baile de inverno em Hogwarts, assim como nas escolas trouxas, apenas por quê gostou da ideia de ter um rei do baile. Sendo indicado 6 vezes para o cargo e ganhando todas as vezes; 

Passava a maior parte do tempo discutindo com Taehyung sobre a fama de Corvinal ter os alunos mais bonitos da escola, deixando claro que ele era uma evidente contradição;

Tinha um enorme fascínio por piadas Trouxas e não se importava que ninguém mais as achasse engraçadas;

Auto estima extremamente elevada e ambição de ser conhecido por toda a comunidade bruxa, talvez por sua beleza excessiva, foi o que levou Jin até Sonserina

Jin sempre gostou de chamar a atenção para si, de forma sutil e com muita classe. Buscava sempre estar entre os melhores da turma e, dessa forma, participava sempre de eventos especiais como o Clube do Slugue. Não é atoa ter se tornado monitor, já que sempre foi um aluno exemplar. 

Contrariando a fama dos alunos dessa casa, Jin sempre foi muito receptivo com todos, o que acabou fazendo com que se tornasse um dos alunos mais conhecidos de toda Hogwarts logo em seu primeiro ano. Mas, apesar disso, quando se tratava de amizade verdadeira, Jin era extremamente seletivo com quem costumava o rodear. Buscava sempre companheiros leais, independente da casa.

Sua beleza e popularidade em conjunto, faziam dele um dos alunos mais cobiçados de toda a escola em seu tempo, tanto por meninas quanto por meninos. Mas, ainda assim, Jin raramente era visto com algum romance. Não por quê não gostava desse tipo de relação, mas por quê era cobiçado demais para se prender tão facilmente. E como ele tinha o poder de escolher entre diversas opções, gostava de ter várias experiencias antes de decidir qual delas assumir. Assumindo um relacionamento verdadeiramente duradouro apenas em seu sétimo ano.

Apesar de ser um ótimo aluno e ter conseguido boas indicações de trabalho no Ministério da Magia, preferiu seguir carreira como modelo no mundo Trouxa. Fazendo um enorme sucesso também fora da comunidade Bruxa.




Nome: Min Yoongi.

Casa: Sonserina.

Sangue: Mestiço.

Varinha:  Álamo (Aspen).

Cargo: Se encrenqueiro é um cargo…

Matéria destaque: Duelos (consequentemente, muito bom em Feitiços).

Curiosidades: 

Foi o primeiro, em vinte e uma gerações da família Min, a ir para a Sonserina;

Foi o quarto aluno com maior número de detenções de todos os tempos, ficando atrás apenas dos gêmeos Weasley e Sirius Black. A maior parte delas por dormir em horário de aula;

Colocou fogo, acidentalmente, nos estoques de ervas durante uma aula de poções, enquanto fingia duelar com Jeongguk e sua varinha disparou após ter pensado em um feitiço;

No quarto ano, inventou um feitiço que fazia uma canção repleta de insultos tocar toda vez que um garoto da Sonserina que chamou Namjoon de “sangue ruim” entrasse no salão principal;

Tinha o costume de levar suas namoradas para a Sala Precisa depois do horário de dormir;

Cinco segundos foi exatamente o total de tempo que o Chapéu Seletor precisou para decidir que Yoongi deveria ir para Sonserina. Fato que não agradou nem um pouco sua família, que era tradicional da Grifinória.

Não era bem o que se pode chamar de bom aluno. Na verdade, o maior mistério de Hogwarts todos os anos era como Yoongi conseguia passar em todas as matérias, se a maior parte do tempo estava dormindo durante as aulas, ou em detenção, ou simplesmente ocupado demais fazendo piadinhas e ignorando o que os professores falavam. Por outro lado, sempre se mostrou muito inteligente para criar e reproduzir feitiços poderosos, estando sempre em primeiro lugar nos campeonatos de duelo.

Yoongi sempre teve uma grandiosidade desde que chegou a escola e, mesmo calado, o garoto parecia imponente diante dos demais. Apesar de parecer, em sua maioria, indiferente, sua personalidade era um tanto explosiva, tendo sempre uma resposta pronta para comentários que não gostava. Sua língua afiada, somada a sua habilidade com a varinha, fez dele um aluno muito temido e invejado, se tornando uma espécie de “poderoso chefão” de Hogwarts. 

Fazia muito sucesso entre as garotas e estava sempre sendo visto com uma garota diferente já que não tinha paciência para relacionamentos longos e pegajosos. Já em relação a amizades, não era visto com muitos amigos por não gostar de se misturar com todos. Porém, sempre foi muito protetor e fiel aos poucos amigos que tinha.

Apesar de sua conduta irregular nos tempos de escola, Yoongi se formou sem nenhuma dependência. Acabou se tornando um famoso e muito rico duelista de Magia Marcial. Além de ter contribuído com o Ministério da Magia, criando mais de 200 feitiços de uso exclusivo para Aurores.




Nome: Jung Hoseok.

Casa: Lufa-Lufa.

Sangue: Puro.

Varinha: Carvalho-roble.

Cargo: Não tinha cargos oficiais, mas era uma espécie de Professor / Mãe / Líder / Consciência dos seus amigos.

Matéria destaque: Poções e Herbologia.

Curiosidades:

Até o terceiro ano, suas notas em Trato das Criaturas Mágicas eram  deploráveis, pois tinha medo de chegar perto dos animais;

Dizia que o sangue de Jimin era na verdade poção do amor, por que o achava fofo demais;

Demorou quase duas horas para o Chapéu Seletor decidir se ele deveria ficar em Lufa-Lufa ou Grifinória;

Uma vez, disse que deveria criar uma poção para transformar Taehyung em uma garota para que eles pudessem namorar;

Dava vitaminas e poções fortalecedoras para Jeongguk e Jimin todas as semanas, para que os dois não se machucassem demais em treinos e jogos;

Lufa-Lufa preza os que trabalham muito, são pacientes, amigos leais e justos. Com isso não fica difícil saber o motivo de Hoseok ter ido parar nessa casa brilhante. 

Hoseok foi, sem duvida alguma, o sol do grupo de amigos durante o tempo em Hogwarts. E com isso eu quero dizer que ele iluminava a todos e os conduzia ao caminho correto sempre. Apesar de as vezes parecer que Yoongi com toda sua imponência ou Namjoon com toda a sua inteligência fossem os “líderes” do grupo, até mesmo os dois precisavam recorrer a Hoseok quando tinham algum problema, já que ele sempre sabia uma forma para ajudar a todos de maneira mais correta e menos destrutiva.

Era, de todos, o que mais tinha amizades, já que não havia uma alma viva ou morta que não gostasse dele. Mas era muito leal aos seus poucos amigos de verdade, sempre colocando-os em primeiro lugar. Apesar de ter tido muitos amigos, Hoseok não teve muitas namoradas, mas seus relacionamentos foram, sem duvida alguma, os mais duradouros. 

Foi um excelente aluno, sendo sempre muito esforçado e coerente em todas as matérias. Mas sua personalidade enérgica lhe rendeu alguns puxões de orelha por estar sempre fazendo piadinhas e rindo muito muito alto em horas erradas. Também era um ótimo “professor” e sempre ajudava os amigos que tinham dificuldade com as matérias antes da prova, especialmente em poções.

Apesar de sua aptidão para ensinar, quando saiu de Hogwarts, Hoseok trabalhou durante três anos no Hospital St. Mungus para Doenças e Acidentes Mágicos como curandeiro. Saindo depois para uma viagem ao redor do mundo, juntamente com Kim Taehyung, em busca de novas espécies de animais e plantas com propriedades mágicas que pudessem ajudar na criação de poções para a cura de várias doenças ligadas a magia. 




Nome: Kim Namjoon.

Casa: Corvinal.

Sangue: Nascido Trouxa.

Varinha: Faia.

Cargo: Monitor chefe da Corvinal.

Matéria destaque: História da Magia e Estudo dos Trouxas (apesar de ser bom em quase todas as matérias).

Curiosidades:

Foi considerado o nº 1 da nação bruxa, obtendo E.F.B.E (Exames de Feitiçaria Barbaramente Extenuantes) em todas as disciplinas que prestou as N.I.E.M.s (Níveis Incrivelmente Exaustivos de Magia). A maioria das suas notas nos E.F.B.E foram B (brilhante);

No seu sétimo ano em Hogwarts, convidou Seokjin para ser seu par no baile de inverno;

Sua única detenção foi aplicada no seu primeiro ano em Hogwarts, quando foi pego na seção reservada da biblioteca por ter deixado sua lanterna cair;

Falava em Ofidioglossia quando queria assustar Hoseok;

Sem dúvida alguma o que levou Namjoon a Corvinal foi sua mente brilhante e sua vontade de aprender e se tornar cada vez melhor em tudo o que fazia. O Chapéu Seletor inclusive disse a Namjoon na noite de seleção que ele seria o orgulho de Hogwarts daqui alguns anos, fato que realmente aconteceu.

Namjoon foi, com toda a certeza, um dos melhores alunos que passou em Hogwarts. Muito dedicado e com uma facilidade enorme de aprender tudo o que lhe era ensinado, independente do tema. Apesar de ter sido subestimado no início das aulas por ter nascido de pais trouxas e ser completamente alheio ao mundo bruxo até os onze anos, Namjoon acabou se tornando uma referência para os outros alunos, por estar sempre com as melhores notas, o que também acabou lhe rendendo o cargo de queridinho dos professores.

Sua personalidade era muito calma e, ao contrário de todo o destaque recebia, Namjoon não fazia questão de chamar atenção. Costumava ser muito pacífico em todas as situações, mas era comumente visto xingando em diferentes línguas. Namjoon era muito diplomático e tinha uma capacidade gigante de convencer qualquer pessoa a fazer o algo, apenas com seus bons argumentos e leveza nas palavras.

Namjoon não fazia muito sucesso entre as garotas, apenas por que ele não fazia questão de conhecê-las, já que muitas concordavam que ele tinha uma beleza encantadora e diferente. Seu único relacionamento em Hogwarts foi, na verdade, seu único relacionamento, tendo começado no ultimo ano de escola e durado o resto da vida. Apesar disso, sempre teve bons relacionamentos de amizade com qualquer um que estivesse disposto a conhecê-lo. 

Assim que terminou os estudos, Namjoon conseguiu um emprego como estagiário no Ministério da Magia, onde cresceu e acabou se tornando um dos poucos Ministros da Magia nascidos trouxa da história.




Nome: Park Jimin.

Casa: Grifinória.

Sangue: Mestiço.

Varinha: Álamo-branco.

Cargo: Batedor e Capitão do time de Quadribol da Grifinória.

Matéria destaque: Quadribol, quadribol e quadribol (e voo também).

Curiosidades:

Durante o quinto ano, quebrou o braço direito em três lugares diferentes após ser atingido por um Balaço no jogo final do campeonato de Quadribol onde jogava contra a Corvinal;

Tentou convencer Hoseok e Namjoon a deixa-lo fazer um feitiço para ficar mais alto;

Foi, provavelmente, a única pessoa que nunca recebeu uma resposta ruim de Yoongi;

Passou no teste para batedor do time Harpias de Holyhead antes mesmo de terminar seus estudos em Hogwarts;

Tímido, porém extremamente corajoso para enfrentar o que fosse preciso para conquistar o queria, cavalheiro e com um coração altruísta. Essas foram as qualidades que Jimin ouviu antes de ser selecionado para Grifinória.

Jimin era uma enorme e gritante contradição. Sua personalidade meiga e carinhosa era totalmente contrária ao seu espirito esportivo violento, fato que o transformou em um grande batedor. Jimin realmente se transformava durante os jogos e era capaz de mudar sua expressão de criatura mais fofa do mundo mágico para um perigoso dragão matador em questão de segundos. Fora do Quadribol, o garoto não era nada intimidador, na verdade era muito amável e até mesmo sensível.                                

Como aluno, Jimin era realmente esforçado, não por que era muito estudioso, mas por que era exigido que atletas tirassem notas boas para continuar no time oficial de suas respectivas casas. Mas, é claro, sempre se dedicou muito ao esporte. Era muito comum ver Jimin treinando além do horário e deixando até de comer algumas vezes para treinar e aprimorar seus movimentos. Foi exatamente essa sua força de vontade foi o que lhe rendeu o título de capitão do time da Grifinória e também muitos músculos.

Com uma bela aparência, corpo musculoso, personalidade graciosa e tendo o título de melhor jogador de Hogwarts, não é difícil imaginar a quantidade de garotas que corriam atrás de Jimin e até mesmo o mandavam poções do amor. Mas Jimin costumava gostar exatamente das garotas que lhe davam a mínima e faziam seu lado cavalheiro e conquistador aflorar. Tinha poucos, porém verdadeiros, amigos com quem tinha um relacionamento realmente muito próximo, como irmãos, onde Jimin era tratado como o mais novo obviamente.

Exatamente como tudo indicava, assim que se formou, Jimin entrou para o time  Harpias de Holyhead como batedor e ganhou muitas partidas e dinheiro se tornando um dos maiores jogadores de Quadribol da história. Ficou conhecido mundialmente por sua atuação nas Copas Mundiais de Quadribol que participou.




Nome: Kim Taehyung.

Casa: Corvinal.

Sangue: Puro.

Varinha: Carvalho Silvestre.

Cargo: Não tinha cargos oficiais, mas se autointitulava Mestre Encantador de Animais.

Matéria destaque: Trato das Criaturas Mágicas.

Curiosidades:

Foi Taehyung quem ajudou Hoseok a superar seu medo de animais;

Era amigo de praticamente todos os fantasmas de Hogwarts e sempre ia em suas festas de aniversário de morte;

Gostava de gastar dinheiro com seus amigos, sempre lhes comprando presentes realmente caros no natal

Quando Hoseok disse que o transformaria em garota, Taehyung respondeu que talvez Hoseok não precisava de uma garota;

Taehyung era um gênio incompreendido. Extremamente inteligente e muito ligado a pequenos detalhes que quase ninguém mais conseguia enxergar. Tinha uma sensibilidade incomum para enxergar arte em coisas completamente estranhas e uma capacidade de formar teorias inimagináveis. Foi muito questionado sua entrada em Corvinal, mas a verdade é que o garoto tinha um inteligencia única.

Muitas vezes parecia ser um aluno ruim, por estar sempre desligado em horários de aulas ou fazendo comentários aleatórios. Porém, Taehyung se mostrava muito a frente de seus colegas e muitas vezes seus comentários aleatórios se encaixavam brilhantemente na matéria minutos depois. Suas perguntas em sala de aula eram de níveis absurdamente alto para bruxos da sua idade, fazendo com que muitos colegas o encarecem como um completo maluquinho apenas por não conseguirem lidar com sua intelectualidade excêntrica.

Era um garoto enérgico e sempre uma boa companhia. Estava sempre fazendo as pessoas rirem, seja qual fosse o assunto. Por ser de família rica e estar sempre muito bem arrumado, Taehyung era muitas vezes erroneamente visto como um garotinho mimado por as pessoas que não o conheciam bem, mas o garoto tinha, na verdade, um espírito livre e completamente desprendido de bens materiais.

Foi, depois de Yoongi, o que mais teve relacionamentos amorosos. Seus namoros também não duravam muito já que era difícil alguém querer o acompanhar em suas ideias malucas que na maioria das vezes incluía a floresta proibida, então geralmente sobrava para Hoseok o acompanhar em tudo o que fazia. Mas tinha uma facilidade gigante de fazer amigos e com esses era realmente muito carinhoso, principalmente com os mais chegados a quem tratava como realmente uma família.

Depois de Hogwarts, passou três anos se especializando em Criaturas Magicas, pelas quais era fascinado e também tentando convencer Hoseok a seguir uma carreira de pesquisa junto a ele. Saindo depois para uma viagem ao redor do mundo, juntamente com Jung Hoseok, em busca de novas espécies de animais e plantas com propriedades mágicas que pudessem ajudar na criação de poções para a cura de várias doenças ligadas a magia.




Nome: Jeon Jeongguk.

Casa: Grifinória.

Sangue: Mestiço.

Varinha: Cipestre.

Cargo: Artilheiro do time de Quadribol da Grifinória.

Matéria destaque:  Defesa Contra Artes das Trevas.

Curiosidades:

Foi criado por sua mãe (Trouxa) depois que seu pai (Bruxo) os abandonaram quando ainda era recém nascido;

Foi Jeongguk quem contou a Seokjin sobre os bailes de inverno;

Durante o quarto ano, esqueceu o aniversário de Jimin e pegou uma lasca de sua vassoura quebrada para dar ao amigo de presente. Sua desculpa foi que era uma lembrança especial para os dois, pois venceram o jogo mesmo depois de serem atingidos. Jimin nunca soube a verdade;

Jeongguk foi realmente um grande desafio ao Chapéu Seletor, já que se encaixava muito bem em todas as quatro casas. Sua seleção foi uma das mais demoradas e controvérsias, pois de todas, Grifinória parecia ser a que menos se encaixava com o garoto quieto, tímido e com cara de assustado.

 A personalidade de Jeongguk não mudou, mas evoluiu durante seus anos em Hogwarts. A cada dia que passava, o garoto parecia criar ainda mais confiança em si e se tornar cada vez mais capaz de vencer seus obstáculos e conquistar seus objetivos. Sua coragem cresceu cada vez mais. Ainda assim era muito tímido com pessoas que não costumavam estar em sua rotina, mas caso fosse realmente seu amigo, Jeongguk conseguia ser realmente irritante quando queria.

Era um aluno dedicado e parecia ser realmente bom em tudo o que se propunha a fazer, mas tinha um paixão especial pelas matérias mais complicadas e um pouco perigosas até. Também era muito bom em Quadribol e um excelente voador, o que lhe rendeu um lugar no time da Grifinória. Talvez suas notas tenham caído um pouco depois que foi aceito no time, mas nada que tenha realmente interferido em seu desempenho como aluno.

Por ser muito tímido com pessoas desconhecidas, não tinha muitos amigos. Mas isso na verdade não o fazia falta, já que passou todos os anos em Hogwarts com um grupo leal de amigos. Com garotas não era diferente, mas não era como se isso fosse um problema, já que as meninas achavam fofo a forma como ele sorria sem graça cada vez que precisava se aproximar de alguma delas.

Em seu sétimo ano, apesar de todas as insistências de Jimin para fazer testes para times de Quadribol, Jeongguk dedicou seus esforços para conseguir bons E.F.B.E em suas N.I.E.M.s e assim poder seguir carreira de Auror.


Naquele dia ela se despediu de seus amigos como sempre, sorrindo como sempre, caminhou para casa como sempre, comeu a comida de sua mãe como sempre, foi para seu quarto como sempre, ouviu as mesma músicas como sempre, viu os mesmo programas de TV como sempre, e fez o mesmo de sempre. No mesmo dia encontraram-na morta com uma carta na mão, dessa vez não havia mais sempre…
—  Os Paradoxos de Mia

  ¤ “Até que enfim você apareceu em Brubs”

Pois é, me desculpem, mas a escola que eu estou não dá sossego em nenhum dia!

  ¤ Isso é um pedido que já tá ficando bem atingo, aliás, todos estão, me perdoem por isso também!

  ¤ Boa leitura :)

———–

  Os balões coloridos enfeitavam toda sala chegando até uma parte da escada. A festa estava boa, na verdade maravilhosa, mas não para Harry Styles. Aquilo com certeza não  estava sendo tão lindo quanto para as outras pessoas.

  É aniversário de sua irmã, todos estão presentes, até mesmo sua ex mulher com o mais novo namorado, o que fazia daquela festa algo entediante.

  Não que Harry estivesse com ciúme, jamais! Diria ele.

  Mas não é confortável ver uma pessoa que você conviveu durante doze anos em uma relação com outra pessoa bem mais nova que ela. Harry nunca foi o tipo de pessoa preconceituosa, isso passava longe do homem. Mas ver a maneira como aquele rapaz abraçava S/n por trás fazia algo incomodar seu peito.

  Aquela mulher já havia sido dele.

  - Quer mais uma cerveja? - A voz bem familiar de Niall chamou sua atenção fazendo com quê os olhos verdes parassem de encarar como S/n sorria perto do tal Caio.

  - Por favor. - Falou aceitando de bom grado a que o loiro lhe oferecia.

  Os dois ficaram em silêncio examinando tudo aquilo que estava acontecendo ao redor. Os olhos de Niall estavam enterrados em Tiffany, a garota dançava alegremente como se aquela fosse sua última noite e ele ficava feliz com aquilo, ele gostava de saber como ela estava alegre mesmo passando por tantas coisas.

  Enquanto nos lábios do loiro havia um sorriso, na do moreno havia um bico um tanto cômico. No outro lado da enorme sala, S/n estava encostada na parede enquanto os lábios de Caio percorriam seu pescoço.

  Ela sempre fora tímida em relação a carícias em público, nunca gostou muito de se expor, mas algumas coisas haviam mudado desde que embarcou em seu novo relacionamento.

  S/n era ciente do quão mais novo o rapaz era em relação a sua idade, porém, resolveu se arriscar pelo menos uma vez. Apesar de suas cabeça dizer que ela estava apaixonada por Caio, seu coração sempre dizia o contrário, mas de qualquer maneira ela apenas queria experimentar um pouco de como era sentir adrenalina em suas veias novamente.

  - Você acha que ela gosta dele de verdade? - Harry perguntou para Niall que por um momento parou de babar na noiva.

  - Quem? - Perguntou desentendido fazendo Styles revirar os olhos.

  Não é possível que ele esteja tão vidrado nela assim!

  Pensou Harry.

  - S/n, você acha que ela gosta de verdade daquele moleque? - Seu tom não continha raiva nem mesmo desprezo, era como se ele realmente estivesse curioso para saber a opinião do amigo.

  - Ah. - Niall murmurou um pouco indeciso no que falar. Ele sempre foi amigo de Harry, mas também sempre foi amigo de S/n, não queria deixar ninguém por baixo, muito menos causar discórdia, isso seria terrível. - Ele parece ser uma pessoa legal, mas não o tipo de cara que seria o essencial para S/n. - Ele falou meio desconfortável. - Mas ele é legal! - Reforçou fazendo o moreno rir.

  Ao que seus olhos voltaram para a ex, viu que ela agora se encontravá sozinha e um pouco pensativa. Mas sua solidão não durou muito tempo, Caio logo voltou com dois copos e um deles foi oferecido a S/n que sorriu em agradecimento. O rapaz depositou um beijo em seus lábios e Harry constatou que não gostava daquilo.

  A música agitada parou dando início a uma bem lenta, Talking Out Loud de Ed Sheeran. Harry sorriu com aquilo e viu ali uma oportunidade.

  Se levantou deixando um “já voltou” para o loiro que não entendeu muito bem pois estava preocupado vendo sua noiva rebolar. O sorriso nos lábios de Harry, brincavam como se fossem de um adolescente pronto para aprontar alguma. Assim que chegou perto do casal, viu que eles já se posicionavam para começar alguns paços, porém, um toque no ombro de Caio fez tudo parar e os olhos de S/n se arregalaram.

  - Você a me emprestaria por um momento?  - Ele perguntou como se fosse a situação mais normal no mundo.

  O mais jovem engasgou um pouco por simplesmente ter um pouco de medo de Harry. Seus olhos procuraram pelos de S/n procurando um ponto de partida e ali Harry viu o quanto o rapaz era inexperiente, não por querer opinião de S/n, mas sim por não ter o que dizer.

  Babaca.

  - Se você se sentir desconfortável eu posso ficar aqui. - Ela disse ao mais novo que nega com a cabeça dizendo que por ele tudo bem.

  O fato era, aquela não era uma simples música, aquelá era A música. Eles haviam a dançado no lugar da valsa no dia do casamento e nem em um milhão de anos ele deixaria ela dançar com outro.

  As fortes mãos foram para a cintura dela aproximando os corpos, mas não tanto. Harry tinha plena consciência de que S/n estava em um relacionamento sério e não queria causar problemas para os dois.

  Isso era o que ele tentava se convencer.

  - Você é a pessoa mais atrevida que já conheci. - Ela se manifesta assim que a voz de Ed soa pelo local.

  - Era isso que você mais admirava em mim. - Ele diz provocando uma revirada de olhos da parte da moça.

  - Eu não sei como não notava o quão rude isso era. - Falou fingindo lamentação.

  A mão de Harry apertou mais a cintura de S/n, que pareceu não notar e continuou a dançar.

  - Ele não parece tão experiente quanto você.  - Harry diz se referindo ao rapaz que agora parecia totalmente deslocado naquele local.

  - Ele é bem mais do que parece ser. - S/n defendeu mesmo sabendo que aquilo era uma grande mentira.

  - Ah é? - Perguntou com a sobrancelha arqueada.

  - Sim. - Afirmou novamente.

  O rosto de Harry se aproximou um pouco mais do dela o que fez com que ela recuasse um pouco, mas a forma persistente dele fez com que sua boca chegasse ao seu ouvido.

  - Então por que não está dançando com ele?  - Perguntou com falsa inocência fazendo S/n arfar.

  Não ouve uma resposta, S/n apenas continuou dançando.

- Você sente falta de nós dois? - A pergunta agora partiu dela.

- Você sente? - Ele retrucou.

S/n novamente revirou os olhos, ela odiava os joguinhos que Harry fazia, mas também sempre gostou de estar neles. Era algo deles.

- Às vezes. - Falou dando ombros como se aquilo não fosse algo importante, mas era. - E você?

-Sempre. - Respondeu direto.

S/n não podia negar, suas pernas haviam ficado mais moles e seus coração um pouco mais acelerado.

- Sabe o que realmente me interessa? - Ele perguntou agora encarnado S/n de forma profunda, mas por dentro estava em um conflito se deveria realmente perguntar o que estava em sua mente.

S/n negou com a cabeça já sabendo que não viria coisa boa.

- Você beija ele como me beijava? - A pergunta fez S/n ficar totalmente desconcertada, coitada, mal sabia o que viria bela frente. - Vocês fazem amor como nós fazíamos? - Se as pernas dela estavam moles, agora haviam derretido, sua sorte (ou não) era que os fortes braços a seguravam.

Em seus pensamentos ela imaginava o quão particular aquelas respostas eram. Harry era simplesmente um louco, ela queria apenas sair dali e dizer ao seu namorado que foi uma péssima ideia ter saído de casa, entretanto, suas pernas não obedeciam sequer uma ordem, imagina uma sequência delas!

- Por que você quer saber isso? - Perguntou um pouco desacreditada.

Harry mexeu seus fortes ombros de forma descontraída, mas não era assim que ele estava por dentro. Na realidade o seu interior estava tremendo de medo de ela dizer que sim, o novato é bem melhor que ele.

- Ele não parece ser o cara que te satisfaz. - Respondeu como se aquilo fosse normal, mas estava ficando constrangedor.

- Ele se esforça para me agradar…em todos os sentidos. - Completou a última parte dando uma pequena alfinetada em Harry que sorriu torto.

- Eu sempre quis fazer o melhor para você. - Ele disse assim que capitou a indireta.
 
- Não quero discutir sobre o fim de nosso relacionamento agora. Não aqui. - Falou tentando se afastar mas Harry a prendeu mais. - Harry…

- Diga que vai almoçar amanhã comigo às 11h20min naquele nosso restaurante favorito e eu deixo você ir fingir que se importa com o menininho mimado. - Disse fazendo S/n encara-lo incrédula mais uma vez.

- Você é inacreditável.

- E você maravilhosa. - Piscou fazendo charme. - 11h20? - Perguntou soltando S/n que suspirou.

- 11h30. - “ Confirmou” fazendo Harry comemorar intensamente por dentro e logo virou as costas deixando um sorriso bobo saltar por seus lábios.

Seria um recomeço?

Quero te dizer o quanto você é especial para mim e quanto amo você. Você é uma das pessoas mais importantes da minha vida e uma das únicas que não me abandona, então quero te dizer que eu te desejo, toda felicade do mundo. Que eu te desejo tudo de melhor e todo o amor do mundo, e que esse é mais um ano que começa. Que estarei ao seu lado para comemorar as vitórias, enxugar as lágrimas e acalmar as dores. Quero te lembrar que você é melhor que pensa,  e eu vou continuar te lembrando todos os dias. Então feliz aniversário meu amigo, meu amor de sempre e pra sempre.
—  Enquanto meu coração bater o seu bate junto, eu amo você 
I Will Always Love U
  • Categoria:  Sad 
  • 1051 palavras
  • Min Yoongi

Dedido esse Imagine ao meu amigo.

O garoto mais incrível, e o melhor artista que eu conheci. Que me fazia sorrir apenas por existir.

Eu nunca vou me esquecer de você. Eu te amo e espero que você esteja muito feliz, em um lugar maravilhoso agora.  // 1998-2017


As vezes sinto como se não conseguisse mais respirar.

Me sinto de baixo d'Água. Sinto minha cabeça girar e me coração bater tão rápido que parece que vou desmaiar. Eu ainda acho que tudo não passa de mais uma de suas brincadeira sem graças. Por favor, me diga que você não me deixou aqui…

Keep reading

Confiar…A palavra confiar vem se tornando cada vez mais difícil de ser colocada em prática ultimamente; É tão difícil conseguirmos confiar em alguém, não é mesmo? Mais aí quando finalmente conseguimos as atitudes fazem com que aquela confiança conquistada acabe em menos de 5 minutos, o que levou anos para conquistar vai embora em minutos..
Que mundo é esse em que vivemos? Que mundo é esse onde confiar em alguém é uma atitude tão arriscado e podemos dizer que chega a ser até mesmo um ato de coragem…
Lembro de quando eu era pequena, eu pensava que aqueles meus amiguinhos estariam sempre ao meu lado, sabe aquilo de amigos para sempre? Pois é.. Como fui boba, não pelo fato de achar que seríamos amigos para sempre, porque isso existe sim, mais pelo fato de achar que poderia confiar em todos que estavam ali.. mas agora me diga.. quem nunca se magoou com isso, não é mesmo? Confiar Ainda continua sendo arriscado Mais apesar de tudo, Ainda acredito em um mundo melhor, ainda confio em um mundo melhor"
—  Sandy Beatriz