ajoelha

Hoje você pode ter acordado sem saber o rumo que precisa tomar na sua vida, sem saber pra onde ir e o que fazer, pedindo a Deus força e apenas uma direção, para poder sair do fundo desse poço que você se encontra hoje. Ei, se coloque em oração agora, rasga tudo pra Deus, Fale para o Papai da forma mais sincera que você puder, pode ch(orar) pra Ele, se ajoelha, e peça ao Senhor pra derramar sobre a sua vida, uma unção Dobrada. Ele ouvirá o Seu Clamor, pois Ele responde a oração sincera de um Filho dele. Peça que Seja sempre feita a vontade Dele em sua vida, e coloque um sorriso no seu rosto, pois o mundo pode até te fazer chorar, mas DEUS te quer sorrindo. 

FLORESCER

Gabriel ligou e disse pra eu ir com “aquela sainha” curta que ele gosta, com um calcinha bonita e uma blusinha.

- Vamos sair com uns amigos hoje.
- Amigos?
- Sim. Iremos para um bar. Quero que você os conheça.
- Tá bem.

Eu desliguei o telefone já molhada imaginando como seria minha noite.
A calcinha era pequena, de renda e mal fazia seu papel. A saia também. Se me abaixasse, eu estaria descoberta.
A blusa que eu escolhi era leve e pela falta de sutiã, era possível ver meus mamilos e meu piercing.

Eu cheguei no bar e ele já estava bebendo, sentado com outros três caras. Ele bebia uma cerveja e puxou uma cadeira pra perto dele. Após ser apresentada a todos, ele me serviu um copo. Eu sabia como seria a brincadeira daquele dia.

Segurei sua coxa enquanto ele discutia com os amigos sobre o carro que queria comprar. Meus dedos chegaram até perto do seu pau, o que fez ele me olhar sorrindo.
Em uma distração dos outros amigos, eu encostei a boca no seu ouvido.
Mordi levemente seu pescoço, enquanto eu alcançava finalmente seu pau que já estava endurecendo.

- Eu posso brincar com você? - eu sussurrei.

Ele me olhou assustado e respondeu sussurrando.

- Eu te queria assim toda safada pra mim. Aqui vão ver o que você está fazendo.
- E qual é problema?

Ele não me respondeu, só sorriu.
Eu apertava levemente seu pau e não demorou muito para que ele estivesse completamente duro. E que o amigo sentado na sua frente notasse a brincadeira.

Eu estava molhada. O amigo dele acompanhava os movimentos da minha mão e Gabriel tentava agir como se nada disse estivesse acontecendo.
Eu puxei sua mão pra minha coxa e ele sorriu.
Ele apertava minha coxa com força, seus dedos estavam ficando marcados nela.

Eu me levantei da mesa e fui ao banheiro. Tirei a calcinha e voltei a mesma com ela na mão e sorrateiramente coloquei em seu bolso.
Ele me olhou assustado.
Eu encostei a cadeira ainda mais perto dele e puxei sua mão pra minha coxa novamente.
Seus dedos subiram devagarinho pela minha perna e finalmente chegou na minha buceta encharcada.
Seus dedos entraram em mim com força e eu escondi o rosto em seu ombro.

Sem mais delongas, ele tirou os dedos de mim e os colocou na boca. Ele sorria pra mim e me beijou, fazendo com que eu pudesse sentir meu gosto em sua boca.

Antes que eu pudesse reagir, a namorada de um dos amigos dele chegou no lugar. Não havia nenhuma cadeira e eu vi a oportunidade perfeita de continuar a brincar.

- Sente aqui. Gabriel tem espaço de sobra no colo dele pra mim, não é?

Eu me sentei no seu colo e eu podia sentir seu pau duro apertando contra minha bucetinha.
Eu rebolei devagar e Gabriel segurou com força minha cintura para que eu parasse.

- Eu não vou parar.

Ele riu baixo e segurou então meu cabelo, puxando devagar. Eu rebolava com mais força e eu com certeza não estava mais disfarçando.

- Vai pro banheiro masculino agora.

Eu obedeci na hora e ele me seguiu. Ele me empurrou pra dentro da cabine e me beijou com força. Ele subiu minha saia e já colocou seus dedos dentro de mim.

- Você vai me pagar por isso, você sabe né safada?
- Me fode por favor, Gabriel!
- Não, agora não. Você me provocou e agora você vai só chupar meu pau bem gostoso. Ajoelha agora.

Eu me ajoelhei no chão do banheiro e abri sua calça e coloquei seu pau na minha boca. Eu massageava suas bolas e colocava seu pau inteiro na minha boca. Eu deixava ele babado, bem molhado. Eu engasgava em seu pau e ele olhava no meus olhos, gemendo baixo, me deixando cada vez mais molhada.

Ele segurava meu rosto com força e deu um tapa com força na minha cara.
Eu chupava cada vez mais rápido e suas mãos puxavam meu cabelo. Eu estava com seu pau inteiro em minha boca quando ele gozou.

Eu engoli toda sua porra e limpei todo seu pau.
Ele riu baixo e me puxou pelo cabelo.

- Isso não é nem o começo do que você vai ter que fazer hoje.

Eu voltei pra mesa com a cara vermelha, com cara de quem havia chupava maravilhosamente aquele pau gostoso mas sem comentar com ninguém.

Com os pés descalço, sentindo aquele perfeito frio passando das cerâmicas para meus pés ouço a campainha do apartamento tocar, lavo as mãos, pois preparava uma breve refeição a base de morangos… Vou em direção à porta para ver quem é, passo pela sala e pego uma camisa que eu havia jogado lá depois que saí do banho. Quando olho pelo buraquinho da porta, vejo aqueles olhos castanhos escuros com uma dose de lápis de olho bem passado, e um sorriso encantador. Respiro fundo, desperto um sorriso e abro a porta.
— Boa noite meu amor, como que você está ?
Em um piscar de olhos e sem menos esperar, ela pula em meus braços, me abraçando e beijando meus lábios e pescoço… Então ela sussurra em meu ouvido esquerdo, dizendo: “Agora em seus braços estou bem melhor meu amor”.
Com ela em meus braços e me beijando, a levo para dentro do meu apartamento. Empurro a porta com um dos pés, jogo-a no sofá, ela solta um grito em estilo de sorriso de prazer e satisfação pelo o que viria pela frente. Ela com aquele estilo de bandida, pega a mão direita e a coloca sobre as pernas e começa a levantar seu vestido. O vestido chega até a lingerie, não resisto e respiro bem profundamente e vou em direção à ela. Ela faz biquinho e em gestos feitos com a cabeça, diz que não. Recuo então, observo as mãos dela indo em direção dos lábios, ela coloca o dedo indicador dentro da boca, e vai o tirando bem lentamente enquanto faz caras de prazer, faço cara de safado e com minha mão direita seguro meu pau por cima da bermuda. Ela deitada no sofá com a cabeça sobre uma almofada abre as pernas até onde o vestido deixa, termina de tirar o dedo da boca, e me chama apenas com o dedo indicador, mas agora é minha vez de fazer marra, vou em direção a ela fazendo caras e bocas. Começo então a desabotoar minha camisa bem lentamente enquanto faço jogo de ombro meio que dançando sensualmente, ela não resiste a tentação, levanta do sofá e puxa minha camisa com tanta força que arranca os dois últimos botões que faltavam desabotoar, então, ela já dominada em meus braços novamente, e me beijando de forma bem calma e delicada, vou acariciando suas costas, desabotoo seu sutiã, ele cai entre nossos pés, mordo os lábios dela, e falo sussurrando em seu ouvido “Let’s go, babe! Vamos nos divertir!”. Beijo seu pescoço e o mordo bem lentamente, ela se ajoelha, desabotoa minha bermuda jeans desbotada e a retira, então a única peça que cobria certa parte do meu corpo ainda era minha cueca box, ela a desce um pouco, pega meu pau com as mãos, vai batendo em seu rosto e começa a sorrir. Ela beija a cabeça do meu pau, ele que já estava todo duro. Ela começa a chupa-lo. Enquanto ela vai chupando, vou puxando seus cabelos e arranhando suas costas, o prazer nos puxões de cabelos e arranhões eram tão grandes, que ela ia mamando intensamente, até que chegou o momento em que não aguentei mais segurar e gozei em sua boca. Após sugar toda a minha porra, ela então ergue um pouco e morde minha barriga, logo em seguida, ela deita sobre o carpete e me puxa para cima dela. Coloco minha cabeça dentro do vestido dela, e vou mordendo sua coxa esquerda até chegar à sua buceta, passo a língua sobre ela, ela que estava toda depilada, bem lisinha e cheirosa. Continuo subindo e vou beijando sua barriga, ela sorri. Ainda continuo subindo em direção aos seus seios, deixando um rastro de beijo molhado pelo seu corpo, mas o tecido do vestido, impede com que tal ato aconteça. Com as mãos vou subindo o vestido da mesma velocidade que vou subindo beijando seu corpo, chego até os seios, mordo os mamilos, ela se arrepia toda, e os mamilos parecem que vão saltar, de tão durinhos que ficaram. Termino de retirar o vestido dela passando pela cabeça, mordo seus lábios e desço minha cabeça até sua buceta, começo fazer um oral nela, a buceta já estava toda molhadinha de tesão, enquanto vou a chupando e apertando sua cintura com minhas mãos com força ela ia me arranhando, quanto mais chegava próximo do orgasmo ela arranhava mais forte. Parei com o oral e retirei uma das mãos de sua cintura, com a mão direita coloquei a pontinha do dedo do meio em sua buceta, encurvei a ponta do dedo e ia o empurrando, não muito, apenas na profundidade certa, em seguida ia o retirando bem lentamente, mas na medida que o tempo ia passando o movimento do vai e vem ficou bem rápido, enquanto eu fazia isso com o dedo, ia apertando seus seios com a outra mão, ela gemia cada vez mais, a cada segundo a intensidade do seu gemido aumentava, sem a interrupção do que fazia com o dedo, voltei a fazer o oral. Não demorou muito e ela me arranhou com muita força, meu rosto se molhou por completo, ela me puxou pra cima dela, mordeu meu peito direito com muita força, e subiu sobre mim, olhando para meus olhos. Com a sua mão esquerda sobre o meu peitoral ela guiava com a direita meu pau para dentro de sua buceta, ela ia mordendo seus lábios e sentando lentamente (estava tão gostoso sentindo aquela buceta toda molhadinha) ela termina de sentar e coloca ambas as mãos sobre meu peitoral, enquanto vou apertando sua bunda com bastante força, ela vai galopando e gemendo, dou tapas em sua bunda, ela para de galopar e começa a rebolar, coloco uma das mãos em sua cintura, e com a outra aperto seus seios, puxo ela para baixo, encostando peitos com peitos e começo a foder com mais intensidade, ela solta um gemido bem alta e breve, se contorce toda e goza novamente em cima do meu pau, não paro com a transa. Ela agora bem mais eufórica começa a galopar novamente, e dessa vez mais rápido, vou me inclinando e ela para de galopar, e começa a rebolar, quando estou praticamente quase sentado levanto com ela no meu colo, vou com ela até a parede e à pressiono com força, beijo seus lábios, pescoço, mordo a orelha, continuamos nossa foda ali mesmo, em pé, não se passa muito tempo e minhas pernas vão querendo tremer, era o orgasmo que já estava perto de vir, vou até o sofá e a coloco sobre o braço dele, ela com as costas apoiadas no sofá, abro suas pernas, e pego a sua perna direita e vou a erguendo, deixado um rastro de beijos nela, mordo seu pé, coloco meu pé direito em cima do sofá e segurando sua perna direita com minha mão esquerda, penetro meu pênis em sua vagina, mas dessa vez, de um estilo mais caliente. Vou sentindo que o orgasmo está próximo de vir, vou aumentando a velocidade da foda, não aguento segurar mais e gozo. Ela me prende entre suas pernas, e me puxa pra cima dela, juntos caímos no chão, nos beijamos. Lembro dos morangos que eu estava picando, e falei “espera aqui um pouquinho amor”, fui até a cozinha, peguei a vasilha de morangos picados e uma vasilha com leite condensado, voltei para os braços dela, e juntos largados no chão nos deliciamos com aqueles morangos e leite condensado, ali pegamos no sono.
—  Contos do Pedricovick - Parte I.
Imagine com Niall Horan

Originally posted by niallhgifs

“Anônimo disse: Faz um q a S/N é modelo da Victoria Secret’s,e ela vai desfilar e o Niall vai lá ver ela junto com os meninos,e os meninos ficam zoando ele pq ele fica bem excitado qndo ela desfila(e ela vê da passarela)aí depois rola uma festa e eles ficam se provocando,aí vão pra casa e rola um hot pesado ahsuahsuahs obrigada amore♥”

Ficou um pouco curto e sem graça, boa leitura safadinhxs, me digam o que acharam! Beijos. 


​– ‘Tá de parabéns hein. – Liam me deu um tapa no ombro. – Vi a S/n no camarim agora, caralho. – Sentou-se ao meu lado.

– Gostosa pa… – Louis começou e eu apenas o olhei bravo. – Foi mal. – Jogou as mãos para o alto em sinal de rendição.

Harry entrou com aquele seus ternos loucos e começou cantando sua música.

I saw this angel 

I really saw an angel

S/n, minha namorada foi a primeira a entrar, estava com um conjunto da Pink, com asas enorme. E puta que pariu, que corpo.

Eu estava ficando duro.

S/n desfilava com as mãos na cintura, olhou pra o Harry e sorriu para o mesmo, hm. Ela estava tão feliz.

E eu tão duro.

Chegou no final da passarela e fez várias e várias poses, mando beijos para as câmeras, olhou para mim e deu o melhor sorriso que conseguiu. Passou a mão sobre seu corpo todo e virou, desfilando de volta, mostrando sua bunda durinha e empinadinha. Porra. 

Depois de mais dois cantores se apresentarem, S/n entrou de novo ao som de Look What You Made Me Do, com a Taylor. Ela estava com um conjunto um pouco menor que o anterior, ela esbanjava felicidade por onde passava. Sorria o tempo todo, chegou no final da passarela e novamente me olhou, dessa vez deu um tapinha no seu bumbum, vadia.

– Niall? De boa? Acho que você tá meio tenso ai. – Liam disse tentando segurar o riso.

– Meio? – Louis falou olhando para mim. – Já está ficando todo vermelhinho, own. – Apertou minha bochecha.

– Respeitem o cara, eu também ficaria assim se ela fosse minha namorada. – Harry pronunciou.

– Vão se foder, idiotas. – Tirei o paletó e tampei o volume das minhas calças.

– Entendo você, ela é muito linda. – Louis disse e eu dei um soco fraco em seu peito. 

– Porra, bro. – Harry deu uma gargalhada alta, atraindo atenção de algumas pessoas. – ‘Tá feio o negócio aí. – E apontou para o meio das minhas pernas.

– Sai fora. – Resmunguei já ficando vermelho.


Eu estava com uma mão apoiada na cintura de S/n, enquanto ela mantinha a sua agarrada na minha, minha garota sorria para as câmeras lindamente, me fazendo ver o quanto eu sou sortuda por ter-lá.

– Você está tão linda. – Sussurrei em seu ouvido e ela me olhou sorrindo.

– Obrigada, meu amor. – Sussurrou de volta e beijou meus lábios.

– Já chega, vamos. – Puxei ela pelo braço, saindo do Pink Carpet.

– Arrasou, amiga. – Kendall Jenner chegou abraçando minha garota. – Vem, vamos. As meninas estão ali. 

– Agora não, vou ficar com o Niall agora. – Kendall me olhou sem disfarçar a cara de nojo.

– Oi Kendall. – Sorri falso e ela apenas me olhou e saiu. – Crianças… – Ri, negando com a cabeça.

– Ela apenas não superou o Harry. – Virou-se para mim, me abraçando pelo pescoço.

– Você não tem noção do quanto eu fiquei duro. – Rodiei sua cintura com os meus braços.

– Você sempre fica. – Deu um beijo de leve no meu pescoço. – E eu adoro isso. – Arranhou meus ombros por cima da camisa.

– Você é uma putinha. – Passei minha mão para o seu pescoço, trazendo sua boca para perto da minha. – Minha putinha. – E ataquei sua boca, S/n levou suas mãos para o meu cabelo, dando leves puxadas. Nosso beijo era rápido e quente, eu passava a mão pelo corpo de S/n todo, deixando-a arrepiada. 

Passei a mão pelo seus seios cobertos apenas pelo vestido rosé de seda, fazendo o bico do peito endurecer.

– Ei, calma ai. – Se afastou. – Aqui não, bebê.

– Vamos beber. – Puxei ela para o bar.A noite toda foi um sacrifício, S/n me provocou o tempo todo. Se esfregava em mim descaradamente, descia e subia, rebolando a bunda para mim. Merda.

– Quero ir embora. – Sussurrei em seu ouvido e ela apenas me puxou para saída.Tirei o paletó, deixando na frente do meu membro duro enquanto S/n me guiava até a Limusine, assim que entramos, ela disse alguma coisa para o motorista e voltou a sentar-se do meu lado.

– Está desconfortável? – S/n perguntou passando a mão pelo meu peito.

– Pra caralho. – Remexi no banco, tentando arrumar um jeito que a calça não apertasse tanto meu membro duro. - o que parecia impossível. -

– Eu te ajudo com isso. – S/n fechou a divisora e se posicionar entre minhas pernas. – Eu vou cuidar de você direitinho. – Sorri animado enquanto ela tinha um olhar malicioso.

Com um pouco de dificuldade, S/n tirou minha calça junto com a cueca. Pegou meu pau cuidadosamente, massageando ele lentamente.

– Sem brincadeiras, babygirl. – Acariciei seu rosto com o polegar.

S/n passou a língua rapidamente pelo meu membro e eu urrei em resposta. Ela passou a língua pelo meu pau inteiro e quando chegou na cabecinha, sugou fortemente e eu urrei novamente. 

Ela lambia meu pau como se fosse seu picolé favorito, até que enfiou por completo na boca.

– Me chupa bem gostoso. – Segurei seu cabelo mas ela me deu um tapinha, fazendo-me afastar a mão dali. – Vadia.

Ora apertava minhas bolas, ora sugava meu pau com força, eu estava enlouquecendo. Tirou o membro da sua boca pegando-o pela base, me encarou e começou a passar a língua rapidamente pela cabecinha, enquanto masturbava o resto com a mão, ficou assim por uns dois minutos e até que ela socou o meu pau na sua boca, forçando mais a entrada. Joguei a cabeça para trás gemendo alto seu nome, assim que senti que ia gozar, apertei ainda mais sua cabeça contra meu membro, fazendo-a engasgar e por fim gozei em sua boca.S/n insatisfeita, subiu rapidamente para o meu colo, colocou a calcinha de lado e sentou no meu pau ainda duro.

– Está parecendo uma cadela no cio, louca para me dar. – Dei um leve tapa em seu rosto e ela sorriu.– Hoje vamos a noite inteira. – Disse e começou a rebolar lentamente. 

– Só uma rapidinha, agora.Segurei sua cintura, fazendo ela pular rapidamente em meu pau.

– Pula em mim, pula. – Deixei que ela comandasse e levei minha mão até sua intimidade, masturbando a mesma.

– Me fode, filho da puta. – Ela pulava igual uma necessitada por sexo, parecia estar desesperada.

E em segundos, nós gozamos juntos.S/n saiu do meu colo, arrumando seu vestido e seu cabelo enquanto eu tratava de subir minha calça e disfarçar minha cara pós-sexo.

O carro parou e a porta se abriu rapidamente, descemos e fomos em direção do hotel, entrando direto no elevador. - que por pura sorte estava vazio. -

– Estava com saudades. – S/n encostou sua bunda no meu membro.

– Estava é? – Perguntei segurando em sua cintura.

– Uhum. – Respondeu e empinou mais a bunda, se esfregando no meu pau.

– Sentiu mais falta do que? Do meu pau na sua boceta ou na sua boca. – Encostei ela na parede do elevador, fazendo ficar de bruços para mim.

– De ambos. – Me olhou com aquela cara de puta inocente.

– Eu vou foder você a noite inteira, amor. – Sussurrei em seu ouvido e fui deixando chupões pelo seu tronco todo. – A semana inteira. – Dei um tapa na sua bunda. – De manhã. – Mais um. – De tarde. – Outro. – E de noite. – Agarrei seus cabelos. – Você vai ser minha cadelinha, e não adianta reclamar. Eu sei que você adora quando eu te trato assim na hora do sexo. – Mordi o lóbulo da sua orelha.

– Eu amo, confesso. – Dei mais um puxão forte em seu cabelo.A porta se abriu e saímos do elevador, entramos no quarto de hotel e já tratei de tirar minhas roupas, ficando nu.

S/n deitou-se na cama ainda com o vestido e abriu as pernas, deixando sua calcinha amostra.

– Ajoelha-se. – Digo com a voz grossa e ela nega com a cabeça. – Agora.

– Não. – Sorriu debochada.

– Então vai ser do modo difícil. – Fui até ela, rasguei seu vestido com brutalidade, deixando-a apenas de calcinha.

Peguei seus braços, fazendo ela se ajoelhar ficando frente a frente com o meu pau duro.

– Eu amo sua boquinha. – Peguei meu membro e dei algumas batidinhas com ele na cara dela. – Agora eu vou fode-la.

S/n olhou para mim e abriu a boca, colocando a língua para fora.Sem pensar duas vezes, enfiei meu pau em sua boca, fudendo-a com rapidez. 

S/n levou suas mãos até minhas bolas e massageou lentamente, assim como fez no carro. Assim que meu pênis entrou mais uma vez em sua boca, S/n passou os dentes de leve e eu urrei, gozando na boca dela.

– Fica de quatro na ponta da cama. – Dito e feito, ela ficou de quatro e eu me agachei ficando na altura da sua vagina coberta pela calcinha molhada.Rasguei sua calcinha e assoprei e ela gemeu baixo. 

Minha língua entrou em contato com a vagina de S/n, eu lambia e chupava sem pressa, enquanto ela gemia alto segurando os lençóis. Dei uma leve penetrada com a língua na sua boceta e logo enfiei três dedos.

Meti um pouco com os dedos mas logo tirei, ficando apenas com a língua. S/n apertou meu cabelo, forçando meu rosto ainda mais com a sua boceta.

– Amor… Eu… PORRA NIALL. – Gritou e logo em seguida se despejou em minha boca.

Levantei ela, deixando-a encostada em um sofá que tinha no quarto, peguei meu pau passando em sua boceta e indo direto em seu ânus para lubrificar.

– Porra. – Gemeu baixo.

– Posso? – Perguntei quase enfiando. – Vou devagarzinho. – Ela assentiu e apertou mais o sofá. – Se doer, me fala. – Sussurrei em seu ouvido e dei um chupão em seu pescoço.

Enfiei devagar meu pau em seu ânus, fazendo nós dois gemermos. Comecei os movimentos calmamente, mas com um prazer enorme. Dei um tapa estalado em sua bunda e ela gemeu alto.

– Mais… Mais rápido. – Falou com a voz falha.

Fiz o que ela pediu e aumentei os movimentos, fazendo minha garota gritar meu nome, uma mão foi em direção ao seu cabelo, puxando-o e a outra continuou em sua bunda, dando apertos e tapas estalados.

Eu já estava urrando de tanto prazer, faltava pouco para eu gozar. Tirei meu membro de dentro dela e joguei-a na cama de bruços.

– Você adora apanhar, não é? – Dei mais um tapa na sua bunda, que já estava vermelha. – Responde. – Outro.

– Sim senhor. – Gemeu baixo.Subi em cima dela e sem aviso penetrei com força e ela gritou. – Mete assim, porra. – Segurei sua cabeça, afundando mais ela no colchão, enquanto tinha o apoio para aumentar a força dos movimentos.

– Geme, cadela. Não era isso o que você queria? – Já estava ofegante. – Então toma. – Continuei metendo com força. – Eu nunca vou cansar de comer sua bocetinha. – Gemi jogando a cabeça para trás. – Gostosa da caralho. – Dei um tapa em sua bunda.

Me joguei para o lado, trazendo ela comigo. Levantei sua perna direita colocando em cima da minha, levei minha mão para sua intimidade enquanto eu fodia ela com rapidez.

– Eu te amo. – Ela falou olhando para mim.

– Eu te amo mais. – Dei uma mordida em seu lábio inferior.– Me fode com força, eu estou sempre aberta para você. – Encostou sua testa suada na minha.

Aumentei o ritmo mas não diminui a força e S/n gozou no meu pau.

– Isso piranha, goza gostoso no pau do seu dono. – Apertei suas bochechas. – Fica de quatro, agora.

S/n se levantou ainda grogue e ficou de quatro, me levantei também, ficando da altura dela e a penetrei lentamente, segurando sua bunda.

– Rebola sua bunda para mim, babygirl. – S/n começou a rebolar lentamente e logo depois começou a se movimentar rapidamente. Segurei sua cintura, ajudando-a com os movimentos bruscos.– Eu estou quase, continua. – Gemi alto. – ISSO REBOLA GOSTOSO NO MEU PAU, VADIA.

S/n acelerou o movimento das reboladas, parecia que estava desesperada e gozou novamente em meu pau. Segurei seus cabelos e comecei foder ela e em segundos gozei.

Me joguei ao seu lado e ela subiu em cima de mim, sentando no meu pau ainda duro.

– Eu estou sensível, mas não cansada. – Falou ofegante.Beijou meus lábios e deixou um chupão em meu pescoço e começou rebolar no meu pau, de novo. 

We be all night
Love, love

  1. One shot Zayn Malik



Já não basta te ver bem, tenho que escutar das pessoas que você já me esqueceu. Quando elas me perguntam se eu estou bem com isso, dou um sorriso e digo que sim. Sei que soa meio falso, até eu não acredito, mas é irrelevante insistir, porque nada vai me fazer admitir que ainda tenho sentimentos por você. Não importa qual assunto seja, podem estar falando do lanche das quatro ou do jogo de ontem, sempre vai ter alguém para coloca-la no assunto. E quando o assunto é você eu me calo. Pode ser por medo de falar de mais ou de falar de menos. Por medo de falar o que não devo ou o que não quero que saibam. Por isso não falo nada, até o próximo assunto, até pararem de me lembrar que você, me faz falta. x Z

Leio mais uma vez a mensagem que me foi entregue há alguns dias, no primeiro momento eu quis responder com todos os palavrões existentes para que ele soubesse que eu não me importo, depois de alguns minutos quis chorar e mostrar pro mesmo o quão forte é minha mágoa dele, horas depois eu simplesmente chorei. A mensagem de Zayn fez com que mil lembranças viessem até mim e eu senti saudade daquele tempo que a gente era feliz. Não senti saudade dele, nem um pouco, senti saudade de nós e de como eu me sentia bem, quando a gente estava junto. Mas passa, eu sei que passa. Saudade vem, te deixa triste e passa. É como um machucado que arde na hora do banho. Saudade não é pra sempre, com o tempo, a gente até esquece de sentir saudade.

- Vamos perder a sessão S/n! -Alec grita pela terceira vez e bate na minha porta.

- Só um minuto, estou secando o cabelo -respondo e apago o começo de mensagem que eu enviaria antes do meu atual namorado bater na porta.

- Nossa, que demora -Alec reclama e eu dou um sorriso fraco.

- Por que seus olhos estão inchados?

- O rímel me causou alergia, eu acho -digo depressa e ele faz careta.

- Você é linda de qualquer jeito amor, não precisa dessas bobeiras. -ele diz carinhosamente.

Deveria me sentir feliz ao lado de Alec, ele é ótimo e me faz bem mas toda vez que escuto o nome do Zayn é como se todas as borboletas até então adormecidas, acordassem em meu estomago. Já tive excessos de amores errados, a gente se engana muito com definições românticas e mesmo sabendo que com ele tudo foi real, eu sai ferida.

- Vou comprar pipoca -anuncio e solto a mão dele.

- Não demora!

- Eu não vou.

Enquanto caminhava até a barraca de pipoca jurei ter visto minha amiga Marina, comprei duas uma doce e a outra salgada e caminhei até o grupinho conhecido por mim.

- Oi -disse cumprimentando todos presentes.

- Amiga, te liguei a manhã toda por que não me atendeu?

- Estava um pouco ocupada!

- Tenho que te contar uma coisa -ela diz olhando para os lados e eu olho também.

- Pode falar.

- Zayn, vai ser pai!

A noticia cai como uma pedra em meu estomago e por alguns segundos eu fico com a boca aberta olhando para Marina.

- Espero que ele seja um bom pai -digo depressa e gaguejo ao pronunciar a última palavra.

Me despeço dos meus amigos assim que sinto meus olhos arderem, caminho devagar pelo parque e paro perto do lago, fico observando um pequeno menino alimentando os gansos e me pergunto como seria meu filho com Zayn, sei que parece loucura mas é algo que poderia ter acontecido e eu gosto de pensar nas possibilidades.

Sinto a presença de alguém do meu lado mas não olho, continuo com a atenção voltada para o pequeno garotinho.

- Você está bonita. -uma voz rouca diz e logo a fumaça do cigarro vem até meu rosto.

Fecho os olhos ao reconhecer a voz familiar, meu corpo todo começa a tremer e eu tento me concentrar no garoto mas na minha mente passam mil momentos de nós dois há dois anos atrás.

- Não vai falar comigo?

Ele pergunta e eu não respondo.

- Qual é  S/n, sei que você é melhor do que isso!

- O que quer de mim? -pergunto e finalmente viro, meu olho arde ainda mais assim que o vejo.

- Quero saber como você está! -ele diz após tragar o cigarro.

- Estou ótima! Não está vendo? -pergunto tentando não chorar.

- Essas lágrimas em seus olhos estão ótimas também! -ele diz e eu reviro os olhos.

- Zayn você não pode aparecer aqui depois de meses e querer que tudo seja como antes?

- Por que não?

- Não lembra do que fez?

- S/n aquilo foi uma coisa boba!

- Não, não foi uma coisa pouca , Zayn. Você simplesmente decidiu em uma noite de festa que queria acabar com nosso relacionamento de três anos. -respondo e percebo que a fala saiu com mais magoa do que deveria sair.

Zayn olha em meus olhos e então joga o cigarro no chão, com a maior calma do mundo ele amassa o mesmo e volta a me olhar.

- Eu fiz aquilo porque achava que você não me amava mais e provei minha tese quando esperei você me procurar e nada aconteceu!

- Não haja como se eu não tivesse lutado por você -respondo com raiva.

- Então você lutou? -pergunta com ironia- Desculpa eu não percebi!

- Suas amigas falavam que eu não era suficiente para você e ver você falando assim, só prova que acha o mesmo que elas.

- Sabe que não é verdade, você é -ele gagueja- era tudo que eu tinha.

- Bom você esqueceu o seu ‘tudo’ bem rápido, não acha? -digo com ironia.

- O que queria que eu fizesse, porra, você mal esperou algumas semanas e já começou a ficar com o meu amigo! meu amigo, caralho!

- Você transou com a minha prima, Zayn, seu filho da puta -grito e ele cerra os punhos.

- Eu só estava tentando..

- Tentando o que porra?

- Te esquecer S/n! Eu via você toda feliz com o merda do Alec e só queria fazer você sentir o que eu estava sentindo!

- Então é esse tipo de amor que sentia por mim? queria me ver sofrer só por causa da porra do seu ego ferido? Mais um ponto para você Zayn -digo e me viro para ir embora.

[…]

Com o Zayn na cidade novamente comecei a me questionar sobre os meus sentimentos. Eu realmente gosto do Alec ou só gosto de não estar sozinha? Se eu conseguisse responder essa pergunta rápido estaria tudo bem mas para meu azar fiquei meia hora pensando e cheguei a conclusão que eu gosto de não estar sozinha.

Meu celular apita tirando me dos meus devaneios.

Desculpa por hoje, eu agi como um idiota! Posso ir ai na sua casa conversar?

Você sempre age como um idiota, essa é sua personalidade Zayn!

Qual é S/n, estou tentando ser uma boa pessoa.

Tente novamente.

S/n quer vir aqui em casa? para que eu me ajoelhe em seus pés e peça perdão por ser um merda :)

Sorrio ao ler a última mensagem e me levanto, pego a toalha que estava em cima da cama.

Visto um vestido de manga longa preto e calço meu vans, quando chego na frente do espelho me pergunto se quero realmente fazer isso e a resposta sim ecoa em minha mente.

Visto meu casaco sobretudo e pego meu celular, já são onze da noite por isso terei que sair escondida se quiser ir. Saio pela janela do meu quarto e corro até o jardim como já era de se esperar o portão estava trancado, pulo o mesmo deixando minha calcinha a mostra e agradeço mentalmente por não ter ninguém na rua.

[…]

Bato na porta do Loft no centro da cidade e logo ela é aberta revelando a imagem do Zayn com sua bermuda favorita e sem camisa. O mesmo me olha de cima abaixo e sorri.

- Não vai me convidar para entrar? -pergunto e ele assente com o rosto corado.

- Pensei que não viria!

- E eu não deveria. -respondo e largo meu celular no sofá.

- Então por que venho?

- Quero ouvir o que tem a dizer!

Ele começou a falar, falou que quando estávamos juntos no começo ele tentou ser alguém melhor mas depois começou a sair com uns novos amigos e voltou a usar drogas, fiquei chateada afinal minha maior luta foi deixar ele longe disso que já causou tanta dor de cabeça para ele e sua família.

- Minha mãe me colocou pra fora e eu fui morar com um amigo que fornecia drogas, no começo eu tentei não me envolver mas eu já estava envolvido.

-  Nada disso precisava ter acontecido! -digo ao ver que seus olhos estavam mais vermelhos.

- Eu sei que não mas basicamente é isso que eu faço, me afundo no meu eu mais sombrio!

- Zayn.. eu sei como é se sentir sozinha -ele me interrompe.

- Não, você não sabe como é, quando nada parece certo. Você não sabe como é, ser como eu. Ser machucado, sentir-se perdido, ser deixado na escuridão, ser chutado quando você está mal, sentir como se você estivesse sido empurrado para fora. Estar no limite da razão, de quase explodir, e não ter ninguém lá para te salvar.

Me sinto um pedaço de merda ao escutar ele falando, enquanto eu estava transando com seu amigo e ele estava lutando contra seu vicio.

- Você tem razão eu não sei como é mas eu tentei saber, eu tentei te ajudar!

- Sei disso, eu mandei aquelas mensagens porque não me sentia bom o suficiente para você e naquela época eu realmente não era.

- E agora você se sente? -pergunto sem pensar e anseio por sua resposta.

Zayn tira o gorro e limpa seu rosto, ele está sentado de frente para mim, ele em um sofá e eu no outro. O mesmo não fala nada apenas se ajoelha em minha frente e enfia sua mão entre meu cabelo, Zayn acaricia minha nuca e eu sinto minha respiração ofegar.

- Sim!

Ele sussurra e então me beija. Foi um beijo onde não importava a boca

só suas mãos quentes me apertando pelas costas, nada estava acontecendo na minha frente
e a ansiedade que havia não era pouca. Seus dedos perguntavam pra minha blusa
se meu corpo o acolheria mais uma vez e eu respondia que sim mesmo sem ele notar.

- Você não está namorando? -pergunto e minha voz sai rouca.

- Terminamos hoje ela é uma vadia! -responde eu dou um sorriso voltando ao beijo.

[…]

- Vamos começar do 0?

Tiro minha cabeça do seu peito e olho para seus olhos cheios de expectativas.

- Vamos!

- Prazer, Zayn Malik -diz e estende a mão para eu apertar.

- É um enorme prazer conhece-lo -respondo sorrindo e digo meu nome.

Zayn propõe que fizéssemos um jogo, que consistia basicamente em responder quatro perguntas de forma rápida. Seu livro favorito, filme, vicio e musica.

- A Guerra de Troia, Kingsman, Supernatural, a música que você fez para mim.

- O Pequeno Príncipe, Scarface, cigarros, sua voz e sua respiração são meus sons favoritos!

Responde me fazendo sorrir e eu beijo seus lábios novamente.

Me acordo as seis da manhã com a leve brisa batendo contra janela, olho para o lado e vejo ele dormindo com cabelo nos olhos. Seu corpo descoberto e ainda sim coberto de tatuagens me encantam. Assim que meu pés tocam o chão gelado sinto um arrepio na nuca, tiro a blusa do Zayn e guardo no seu armário depois de pegar um blusão dele, visto o mesmo e amarro meu cabelo. Dou-lhe um leve beijo na testa e escrevo um bilhete antes de ir para casa.

Tudo o que sonhamos juntos, todas as nossas promessas jogadas no chão…Acredite, nada terminou.. Porque a cada dia que passa eu tenho mais absoluta certeza de que eu ainda estou em você, assim como você está em mim.

volto depois da aula babe!  x S/n

anonymous asked:

Você acha que quando agnt se ajoelha pra orar, e começamos a chorar é por que Deus ta tocando nosso coração?

Isso acontece, quando você se coloca com um coração totalmente humilde e deixa acontecer aquilo que tu realmente quer. E é nessas horas que tu vê o quão pequeno é, perto da grandeza d’Ele. Sim, e isso acontece quando sentimentos a presença d’Ele bem forte em nós. [] Deus é perfeito.

Variados💙

Nunca fui fã de segundas, sejam ela feiras, chances ou intenções.🎈

Eu não te esqueci nem te substitui, a verdade é que eu me acostumei a ficar sem voce.💤

Quem se ajoelha diante de Deus, fica em pé diante de qualquer coisa.🙏

É pelo sorriso que os invejosos se atacam.😉

Aumente o som do teu sorriso, e deixe surda a tua dor.❤

Sim, estava escrito nas estrelas, mas meu céu estava nublado.☁

Porque sem cuidar nada floresce.🌸

É que somos feitos de fases, e nem todas elas são boas.🌓

*Segue pra não perder nada❤

Anônimo: Amoooo seus imagines,então vc poderia fazer um imagine com o harry hot em q ele é ciumento e eles acabam brigando e tals bjs e amo seus imagines dnv kkk

— Harry, espera aí — eu andava pelo estacionamento gritando atras de Harry 

— Você acha que eu tenho cara de palhaço, S/n — ele continuava andando até que chegou próximo ao carro dele

— Já chega — parei na frente dele e coloquei minhas mãos nos braços dele — Já deu, Harry, para com esse teatrinho

— Teatrinho ? O cara estava te comendo com os olhos nesse mini vestido e você diz que é teatrinho ? 

— Me comendo com os olhos ? — franzi o cenho — Para de falar assim, olha o jeito que você está me tratando…

Harry suspirou e passou a mão pelos cabelos aparentemente arrependido do que disse. 

— Está bem — disse com o tom de voz baixo — Me desculpe mas eu não suporto ver outros homens olhando para você.

— Eu sou só sua, meu bem — sussurrei no ouvido dele o fazendo arrepiar 

— Você sabe o que me causa quando você fala assim baixinho, né ? 

— Não — disse provocativa — O que ? 

— Isso!

Harry levou minha mão até o meio das suas pernas e me fez apertar seu membro, que aparentemente já estava ereto. 

— Harry — arregalei os olhos — Mas já está assim ? 

— Você não precisa de muito para me deixar duro — admitiu 

— Isso é bom — disse maliciosa 

— Você não pode me excitar e não terminar o serviço.

— Estamos em um estacionamento — me fiz de difícil 

— Não estou nem aí — ele disse desabotoando a calça — Ajoelha — ordenou 

Fiz como Harry pediu e me ajoelhei na frente dele. Era loucura transar ali mas minha sede por sexo estava tão aguçada quanto a dele. 

O carro estava parado em um canto meio isolado mas ainda assim era perigoso. 

Harry colocou seu pau ereto para fora e eu coloquei minhas mãos, sentindo o quanto ele estava quente. 

— Uau — eu disse começando a masturba-lo 

— Eu posso me masturbar sozinho S/n, eu quero sentir sua boquinha. Anda 

Coloquei o membro de Harry na minha boca e ouvi ele arfar. 

Eu fazia movimentos lentos que era exatamente o jeito que ele gostava. Vez ou outra passava a língua na cabecinha e o via se contorcer de prazer. 

— Porra, S/n, seu boquete é tão bom… Caralho — ele dizia entre os gemidos 

Continuei chupando e comecei a masturba-lo novamente, mas dessa vez com a cabeça do membro dele em minha boca. 

Harry fez um rabo de cavalo com meus cabelos e começou a comandar os movimentos, me fazendo engasgar por diversas vezes. 

— Para — ele ordenou — Não quero gozar agora, ainda quero sentir sua boceta apertada… 

Me levantei e rapidamente Harry me pegou no colo e me colocou sobre o capô de seu carro. 

Ele ergueu meu vestido e rasgou minha calcinha branca de renda com certa brutalidade.

— Harry — reclamei — Era nova 

— Nós compramos outra depois. Fica quietinha agora. 

Harry se agachou na minha frente e começou a me chupar. A habilidade que aquele homem tinha com a língua era fora do normal. 

Ele passava ela por toda extensão da minha intimidade úmida e dava fortes chupões no clitóris que me fazia contorcer. 

Minhas mãos foram parar nos cabelos dele. 

— Você tá encharcada, meu amor — ele disse colocando dois dedos em mim 

Ele continuou me penetrando por longos minutos com seus dedos. Eu sentia os primeiros espasmos do orgasmo chegando, quando ele parou o que estava fazendo e se posicionou no meio das minhas pernas.

— Harry — eu disse ofegante com as mãos no peito tatuado dele 

— Você só não pode gemer. — sorriu de canto

Harry colocou o membro dele em mim com certa brutalidade fazendo meus olhos se encherem de lágrimas. Mesmo transando com ele quase todos os dias, era impossível me acostumar com o tamanho dele. 

— Desculpa — ele disse e depositou um beijo no meu rosto vendo meus olhos cheios de lágrimas 

Ele ficou parado por alguns minutos até eu me acostumar com ele. 

— Continua.. — minha voz saiu quase inaudível 

Ele começou a se movimentar mais devagar dentro de mim. Suas enormes mãos estavam na minha cintura enquanto eu cravava meus dentes no ombro dele para não gemer.

— Você está estourando meu ombro  —  ele disse se referindo as mordias — Mas como é bom foder você, gatinha!

Eu sentia o membro dele me rasgando por dentro. Os movimentos dele foram ficando mais rápidos e sua respiração mais ofegante, avisando que ele iria gozar. 

Senti o líquido quente dele me preencher por dentro. Como era bom. 

— Espero que você esteja tomando seus remédio regularmente — sussurrou no meu ouvido 

— Não gemer com você dentro de mim é tortura…

— Você acabou com meus ombros — ele disse rindo  

— Você acabou comigo — retruquei 

— Eu sei que você gosta.

Harry me desceu do capô de seu carro e abaixou meu vestido de forma cuidadosa. 

Ele subiu sua calça e abotoou a mesma. Entramos no carro como se nada estivesse acontecido. 

— Espero que ninguém tenha visto isso — disse colocando o cinto de segurança

— Se alguém viu — ele disse dando partida no carro — Provavelmente aprendeu como foder uma mulher de verdade. 

— Você não existe — depositei um beijo no rosto dele. 

Tudo que acontece em nossas vidas, Deus tem um propósito. Acontece que esquecemos disso e reclamamos o tempo todo ao invés de pedir discernimento para o Senhor. O objetivo principal de todos os problemas é firmar nossa fé em Deus, nos aproximarmos cada vez mais dEle, pois Ele é o único capaz de mudar e resolver os obstáculos. Então, amados, quando algo acontecer e você querer reclamar no mesmo instante, ajoelha e ora, pede pra Deus te ajudar e mostrar qual o propósito do acontecimento, renovar sua fé e dar força para vencer!
Status: Wesley Safadão.

Modéstia à parte, eu estou feliz. 😌✨

Você já fez a mesma coisa sempre te aceitei de volta, mais bem que eu podia ter lhe fechado as portas. 😒👍🏻

Perdeu a chance que a vida lhe deu, cuspiu no prato que você comeu, e agora vem dizer que mudou? 👌🏻

O sentimento nasce, cresce e acaba. 🤔💫

Alguém curou as feridas que você deixou. 😌❤️

Viver dividido não estava em meus planos. 😟💔

Quantas vezes voltamos, sem acharmos uma saída. 😳✨

Eu sei que você não está feliz, basta ver dentro do seu olhar. 😔🎶

Esse lance de amar por enquanto eu não quero. 🙅🏼✨

Só estou dando um tempo que é pra não errar outra vez. 😝🙌🏻

A gente se encontra pra depois amar. 👍🏻💘

Você apareceu e fez tudo mudar. 🙈💕

Dizem que o proibido é mais gostoso… 😏😈

Mas eu não vivo sem você e você não vive sem mim. 💟👫

Nessa história ela é a dama e eu sou o vagabundo. 😂🎶

De inveja eu não morro, mas mato muita gente! 😜🙌🏻

Eu não falo grego, pegue o beco e vá simbora. 😌👋🏻

Eu não tenho ninguém. Eu só quero você. ❤️💏

Você não me cobra, eu não cobro você, esse é o nosso jeito, a gente se entende. 💟👫

Você merece o título de pior mulher do mundo. 🙈😝

Amor incondicional, faço o impossível se preciso for. ❤️

O mundo dá voltas e olha eu por cima. Continuo apaixonado, mas agora pela vida. 😜✨

Pede pra voltar, faz ceninha até implora, ajoelha e chora neném. 😎✨

Se gostar ou pegar dê LIKE/REBLOG no post.

Pedido de anna-luisa11: Vc pode fazer um do Louis em que ele namoram desde adolescentes e ele se torna um grande empresário e um monte de mulheres ficam dando em cima dele aí eles brigam mais depois ele perde ela em casamento?


Louis: Amor, pode me ajudar aqui? - disse tentando dar um nó em sua gravata 

S/N: 24 anos nas costas e não sabe dar um nó na própria gravata! - digo enquanto levanto da cama e vou até ele, que está perto do espelho.

Louis: É algo difícil de se fazer ok? - disse eu rio

S/N: Prontinho! - dou os últimos toques em sua gravata e ele se vira para o espelho e se olha. Fico o observando de cima pra baixo e sorriu.

Louis: Que foi? - ele ri, provavelmente pela cara que eu estava.

S/N: Estava te observando! 

Louis: Estou bonito? - ele se vira para mim e sorri

S/N: Como sempre! - envolvo meus braços em seu pescoço e trago ele pra perto de mim, lhe dando um beijo.

Louis: Queria tanto ficar com você.. - falou baixinho, enquato beijava meu pescoço.

S/N: Você tem uma reunião importante!

Louis: Hoje é sábado! - ele revirou os olhos.

S/N: Vamos Louis! Você vai se atrasar! 

Louis: Chata!- E assim ele se despediu de mim e foi para a reunião. Eu fiquei em casa e como não tinha nada para fazer, abri a gaveta da estante e peguei um álbum. Abri o mesmo e lá havia diversas fotos minha e do Louis, ao longo do nosso relacionamento. Enquanto via cada uma das fotos, uma lembrança vinha á cabeça. 

Flashback em: 

Lottie: Mais bordo !! 

Louis: Lottie, tira logo a foto! - Louis passou a mão pela minha cintura e ele começou a fazer cócegas em mim 

S / N: Para Bobao! 

Louis: Te amo sabia? - me deu um selinho 

Lottie: Anww, que fofos! - a irmã de Louis nos mostrou a foto e foi bem no momento que nos beijamos. 

S/N: Ficou ótima! 

Louis: Agora vamos, senão vamos nos atrasar pro baile!

Lottie: Divirtam-se! 

Louis: Nunca pensei que iria ter minha primeira casa com 19 anos! 

S/N: Nem eu.. Ainda mais em ter encontrado o amor da minha vida aos 19 anos! 

Louis: Você é a coisa mais maravilhosa deste mundo sabia? - colou nossos corpos e me deu um selinho demorado 

S/N: Agora tira uma foto minha na nossa casa! - ri e ele sorriu, pegando seu celular e tirando uma foto minha 

Louis: Tira uma minha também! - Louis pulou bem na hora que tirei a foto, ficando muito legal


Fiquei por muito tempo vendo todas as fotos. Nós éramos tão felizes! 

Louis me pediu em namoro quando tinhámos 15 anos. Namoramos escondido por mais ou menos 3 anos, quando finalmente apresentei ele aos meus pais.

Depois de todo esse tempo juntos, eu sonho com nosso casamento! Quase 10 anos de puro amor e idiotices! 

Tenho que admitir que de uns anos pra cá, todas as mulheres do planeta estão em cima do MEU namorado! 

Tá, isso é algo que eu não posso evitar, porque Louis é extremamente lindo e eu tenho muita de sorte de ter ele como noivo, mas depois que ele começou a exercer a profissão de empresário, parece que a beleza dele aumentou e isso vem dificultando a nossa relação. 

Eu não sou tão ciumenta, só um pouquinho e isso irrita um pouco o Lou, mas é meu dever cuidar do que é meu não é? 

Louis havia chego da reunião quase 21h e foi direto para cama.

Quando acordei, no dia seguinte, Louis logo me chamou para passarmos o dia fora. Adorei a ideia e fomos ao parque, almoçamos em um lugar super legal e á tarde fomos ao shopping. Neste período, muitas mulheres ficavam o encarando e ainda por cima, algumas davam em cima dele, como se eu não estivesse do lado dele. E sim, aquilo me chateou bastante, e quando estávamos indo para outro lugar, no carro, a situação veio a piorar.

Louis: Por que está quieta? 

S/N: Não tô queita

Louis: Eu te conheço! Por que está assim?

S/N: Não é nada! 

Louis: S/N! Não me diga que é por causa de..- o interrompi

S/N: É Louis! É por causa de ciúmes sim!! 

Louis: Ridículo da sua parte ficar “bravinha” por causa disso!

S/N: AHHH!! Você acha muito legal eu ficar observando mulheres dando em cima de você na minha frente não é? Você deve gostar disso! Ridículo é você, dando moral pra elas! 

Louis: Quando eu dei moral pra elas?? 

S/N: Eu já estou brava! Não piora a situação!

Louis: O dia estava perfeito, mas você tinha que estragar! 

S / N: Quem estragou foi você! Pra começar, eu nem deveria ter vindo, pra aguentar esse tipo de coisa! 

Louis: ÓTIMO! Então vamos pra casa! Tinha planejado algo pra nós dois, mas parece que você nem queria ter vindo! - ele falou em um tom totalmente agressivo e depois desta pequena discussão, fomos pra casa em completo silêncio. 

Assim que chegamos em casa, fui para o quarto, coloquei meu pijama e me deitei. Odeio ficar brigada com ele mas sempre quando isso acontece, sou eu quem vou pedir desculpas. Mas hoje vai ser diferente!

Dia seguinte..

Eu acordei e como havia imaginado, Louis dormiu na sala. pois ele não estava na cama. 

Quando me levanto, vejo um caminho de pétalas de rosas azuis. Sorri ao ver e sigo o caminho. Desço as esacadas e quando chego até á sala, ele está me esperando, sentando na poltrona. 

Louis: Gostou do caminho? - assenti- Que bom! - no mesmo instante, ele tira de trás dele um lindíssimo buquê de rosas azuis.

S/N: Que lindas!! - digo enquanto aprecioso as flores. 

Louis: São lindas como você! O jeito como aprecia elas, é o jeito de como eu aprecio a mulher mais linda do planeta! Você foi com certeza, um dos melhores presentes que eu já recebi! Lá no terceiro ano do ensino fundamental, já te achava a gorota mais linda do colégio, e quando começamos a namorar, vi que você seria a mulher da minha vida! Por isso..- ele se ajoelha e naqule instante eu já não consigo segurar a emoção - Quer se casar comigo? - Louis abre aquela famosa caixinha e meu sorriso estampado em minha face, juntamente com meus olhos marejados, representam o quanto estou feliz.

S/N: Com toda certeza! - ele se levanta e eu lhe dou um beijo com extrema paixão e logo depois dei um abraço bem apertado - Me perdoa por ontem! 

Louis: Já perdoei meu amor! Tá tudo bem! Eu só tenho olhos pra você, ainda mais agora que você é minha noiva! Não se preocupe, você é e vai ser a única na minha vida! 

S/N: Por essas e outras trilhões de razões que eu te amo! 


Ju

*.

NIALL HORAN


  • anna-luisa11 :Faz um do Niall em que a mãe dela não aprova ter filho antes do casamento mas ai ela descobre que tá grávida e se afasta do niall e da família dela mas no final ele pede ela em casamento e ela conta na festa que está grávida? Amo os seus imagines 💓💓💓 
  • Esse tá grande, espero muito que vocês gostem!
  • Boa leitura!



Minha mãe sempre foi aquelas mulheres religiosas, desde que eu era um bebê ela sempre me levava pra igreja, ela até me batizou e tudo mais e quando fiz meus 15 anos ela começou a me prender em casa com medo de eu encontrar um menino, ela sempre diz que sexo e filhos só depois do casamento, no meu  último ano do colégio eu conheci um menino, ele era 3 anos mais velho que eu, o que fez a gente namorar escondido , sempre tinha aqueles momentos que eram quentes entre nós e eu sempre me esquivava lembrando do que minha mãe dizia, é bobagem, mas se eu fizer sexo ou ficar grávida minha mãe me expulsa de casa, eu estou a sete meses com Niall e quando menos esperei aconteceu, nós tivemos nossa primeira vez e foi maravilhoso. O que eu não esperava era que junto com isso iria vim um bebê, eu descobri a uma semana que estou grávida e se minha mãe souber ela me mata, e claro eu não tive coragem de falar para Niall o que fez eu evita-lo por uma semana, ele já veio na minha casa, na minha escola e eu sempre fugia, talvez o certo era não falar mesmo, por mais que ele ficaria muito feliz, mas não quero estragar sua juventude assim como estou estragando a minha.

Tive que tomar uma decisão difícil, mas era necessário, peguei minhas mesadas na minha poupança e peguei uma mala e coloquei algumas roupas dentro, eu iria para casa do meu pai em Boston, sim meus pais são separados desde que eu tinha três anos. Depois de arrumar minha mala eu comprei uma passagem de ônibus para Boston que sairia aquela noite mesmo, eu saio pela janela, já que meu quarto não ficava em cima e sim embaixo. Meu pai nunca foi daquele muito religioso então eu tenho certeza que ele ficaria muito feliz. Cheguei na rodoviária e logo vi meu celular vibrar com um monte de mensagem do Niall do tipo:

“(seu nome)  cadê você? Estou chegando na sua casa”, não respondi apenas ignorei, assim que ele chegasse lá na minha janela eu já vou estar dentro de um ônibus indo para Boston.

Ligue pro meu pai e disse que estava chegando, e ele disse que iria me buscar, ele me perguntou o que aconteceu e eu disse que contaria só quando eu chegasse, assim que cheguei eu vi meu pai com uma das minha irmã mais nova e fui correndo abraça-lo.

­- Oi papai! – dou um sorriso

- Oi minha princesa, você está abatida o que houve?

- Em casa eu te conto, acho que aqui não é uma boa hora – digo e ele assentiu me levando até o carro.

O caminho até sua casa é silencioso e quando eu chego, entro naquela casa onde passei a metade da minha infância e que agora meu pai morava com minha irmã e minha madrasta que me amava. Meu pai me mostra a casa e o quarto de hospedes.

- Então (seu nome) pode começar falar o que aconteceu – ele senta na cama me puxando

- Bom pai, tenho certeza que só você vai me ajudar mesmo, eu conheci um menino e estamos namorando a seis meses e você sabe que a mamãe sempre foi daquelas que dizia que filhos antes do casamento e blá blá blá, e bom eu e Niall a gente vai ter um bebê.

- Mais que legal filha, mas a sua mãe sabe?

- Pai se ela soubesse você acha que eu estaria aqui?

- É verdade, e seu namorado sabe?

- Não  – digo e ele me olha surpreso

- Ele precisa saber (seu nome)

- Eu sei eu sei, mas estou com medo

- Está tudo bem (seu nome), vou respeitar sua decisão e pode ficar aqui o tempo que precisar – ele diz e me abraça

- Obrigado Pai – sorrio

- Jantar vai ser servido daqui a meia hora – ele sai

Passou uma semana desde que cheguei, Niall tem me ligado constantemente e eu apenas recusava, aquilo doía, mas eu não estava pronta ainda. Minha mãe também estava preocupada e eu apenas não atendia. Eu estava tentando achar um emprego mas era difícil aqui em Boston, meu pai disse que não era pra eu me preocupar então eu só ajudava minha madrasta e minha irmã com as tarefas.

[No andar de cima] 

narrador em 3° pessoa

O pai de (seu nome) estava em seu escritório com aquele papel na mão se perguntando se ligava ou não já que ele estava passando por cima da palavra da sua filha então, ele respirou fundo, tomou coragem e discou o numero com ddd de los angeles. Não demorou muito e logo atenderam.

- Alô? – a pessoa do outro lado da linha pergunta

- Alô, é o Niall?

- Sim ele mesmo, quem fala?

- Aqui é o pai da (seu nome) – ele diz

- (seu nome)? Meu Deus o que aconteceu? Ela esta ai? Me diga o que aconteceu com a minha menina – o pai da (seu nome) dá um risinho

- Calma garoto, ela está bem, quer dizer, só se você vim a Boston para conversar com ela, ela tem um assunto muito sério para falar com você.

- O que é?

- É melhor ela te falar, não quero estragar isso.

- Tudo bem, me manda o endereço que estou a caminho – Niall diz e o pai da menina desliga o telefone convicto de que fez a coisa certa.

Narrador em 3°pessoa off

No dia seguinte acordo, tomo meu café e fico um pouco no jardim lendo meu livro preferido, logo sinto uma ânsia de vomito e saio correndo pro banheiro vomitando tudo o que eu comi no café da manhã. Escovo meus dentes e escuto a campainha, abro e meu coração dispara, minhas pernas ficam bambas e eu não tenho reação nenhuma.

- (seu nome), graças a Deus. Porque fugiu de mim? – ele entra e me abraça e eu não consigo retribuir.

- Niall, o que faz aqui? Como sabe que estou aqui? – pergunto

- Seu pai me ligou, mas não fica brava com ele, ele só quer seu bem e estava preocupado – ele sorri e me abraça de novo, puxo ele pro sofá e sento – agora pode me dizer o que aconteceu

- Eu não sei se devo – abaixo a cabeça

- Eu não sai de Los Angeles em vão (seu nome)

- Tudo bem! Eu estou grávida, pronto falei – ele sorrio e fica boquiaberto

- Sério? Eu estou tão feliz meu amor – ele me abraça de novo e beija meu pescoço – Mas porque você escondeu isso de mim?

- Minha mãe na verdade, se ela souber ela vai me matar e matar você – digo

- Sua mãe vai ter que entender (seu nome), a gente se ama e ela não pode fazer nada com você – ele diz

- Eu estou com medo Niall

- Meu amor, eu estou com você e seu pai também que te apoiou todo esse tempo

- Ela vai nos obrigar a casar, e não sei se você vai querer – digo

- Ah, falando nisso – ele mexe no bolso da sua jaqueta e tira uma caixinha de veludo e se ajoelha a minha frente – Você quer se casar comigo?

- Sim meu amor, sim – sorrio e ele me pega no colo

- Agora vamos para Los Angeles e dizer tudo para sua mãe.

- Eu vou, só que não quero deixar meu pai – digo – ele me acolheu esse tempo e fazia muito tempo que não o via

- A gente vai voltar (seu nome), a gente vem visitar eles de vez em quando – sorrio

- Tudo bem, vou só arrumar minhas coisas.

Arrumei minhas malas, arrumei o quarto que fiquei e me despedi do meu pai, agradeci a ele por ter falado com Niall e que estava noiva, ele ficou muito feliz e disse que eu merecia ser feliz.

Chegando em Los Angeles fui para minha casa com Niall, e estava me preparando pra falar tudo pra ela. Quando cheguei e ela me viu, ela veio me abraçar e dizer que estava muito preocupada comigo e perguntou quem era o menino do meu lado, já que namorávamos escondido, expliquei tudo a ela e ela entendeu, eu só não disse da gravidez, eu não tive coragem ainda e decidi contar na festa de noivado que minha mãe insistiu em querer fazer.

Chegando no dia do noivado eu estava apreensiva, mas muito feliz, quando cheguei a festa vi meu pai e fui direto abraça-lo, mas logo chegou a hora do discurso e de eu dar meu anuncio. Subi ao palco segurando a barra do vestido e peguei o microfone.

- Bom, primeiro quero agradecer a todos por terem vindo nesse dia tão especial que é pra mim e pra Niall, e que estou muito feliz de ver minha família e a família do meu noivo aqui – respirei fundo – Bom, agora tenho um anuncio para todos….. Mãe, Pai, Maura e Bob, vocês vão ser vovôs e vovós – disse e logo vi Maura e Bob alegres e meu pai que já sabia piscando pra mim e sorrindo e minha mãe, claro, séria sem sorrir, ela saiu do seu lugar e veio andando até mim.

- (seu nome) – ela respira fundo – Parabéns meu amor – ela sobe e me abraça e depois abraça Niall

- Você não está brava?

- Claro que não, estou feliz que vou ser vovó e parabéns Niall e cuida da minha filha e do meu neto viu – ela diz abraçando meu noivo.

- Pode deixar que vou cuidar da minha menina e do meu menino – ele diz me abraçando por trás e logo veio todo mundo me dar parabéns e para Niall também.

A noite foi longa e foi maravilhosa, como fizemos nosso noivado em um sitio nossas familias estavam todas lá, quando todo mundo foi dormir eu fui para fora, me sentei na piscina e coloquei meus pés na água aquecida, logo sinto Niall sentando do meu lado e ele me abraça

- Eu estou muito feliz sabia? – ele diz

- Eu também meu amor, eu também – digo e lhe dou um selinho demorado.

- Obrigado por tudo (seu nome), por ser essa pessoa maravilhosa, pode deixar que vou cuidar muito bem de vocês – ele alisa minha barriga.

- Eu te amo – sorrio e encosto nossos lábios.

- Eu também – ele me abraça forte e ficamos ali até sentimos sono.

LEMBRE-SE: PLÁGIO É CRIME!

VOLTE NA ASK PARA DIZER O QUE ACHOU POR FAVOR!