ailaoliveira4

Carta esquecida e conjuntamente encharcada de lágrimas, para alguém considerado demais pelos limites do coração, e que não é de mesma forma entendido.

E num caminho longo, cansativo e indiferente, inúmeras vezes pensei em desistir. Desistir da alegria da vida, da tristeza que se transformava repentinamente em felicidade, das esperanças que se armariam em meu peito … simplesmente decidi desistir. Costumam dizem que os sofrimentos das pessoas lá fora são maiores que os nossos, mas não há motivos para comparar, pois aquelas que choram em meio ao breu são as mesmas que riem e compartilham uma forçada delicadeza a todo instante. Havia desistido de encontrar alguém que me entendesse, que me completasse afinal e que acima de tudo não me julgasse por atos incertos. Acostumei-me com o segundo lugar com uma força abalavelmente estridente, algo imposto pela vida, sem objeção sequer definida ou qualquer questionamento prévio. Havia desistido de ser única, de ser feliz desde então, pois nada pesava mais do que a dor de não ser o suficiente para meus amados. Assentada na estrada que dava para solidão, cheia de lágrimas aos olhos, cheia de raiva de minha imagem, notei uma aproximação iminente, um delicado e agridoce mistério, uma flor que de tão clichê conseguiu tirar-me da sujeira, das traças. Ela foi capaz de me levantar com sua alegria e disse-me que estaria sempre ao meu lado, para as maiores bobeiras existentes. Tornou-se amiga, confidente, companheira, “amante das desvantagens” e todo um conjunto de beleza e harmonia que nunca havia sequer imaginado. Me mostrou lugares, montes, barreiras, belezas num lugar existente dentro de mim, que nunca havia enxergado, trouxe-me uma paz e uma confiança tão grande que de tão forte me faz chorar e lamentar por não tê-la descoberto antes. Só de pensar em magoar ou perdê-la, meu coração se enche de uma agonia tão grande, e as lágrimas escorrem por sobre minha face de maneira involuntária, incomum. Querendo ou não, sou dependente de sua alegria, de sua infantilidade, não posso vê-la chorar, meu coração vaza de tanto desespero, tanto horror. Sim, ela me reergueu, e agora, com lágrimas aos olhos, posso dizer que quero seguir até o final dessa estrada ao seu lado, segura em tuas mãos minha confidente mais fiel, para todo o sempre, ou até quando o infinito durar.


Aíla❈Oliveira   para a pessoa mais linda do mundo.

Só não suporto mais carregar um fardo que já não pertence a mim de fato. Não aguento mais sofrer por uma herança de teimas e desalinhamento, dor e sofrimento. Quero me sentir liberta, liberta para o que há de melhor que tenho absoluta certeza que está por vir, e que se abram as portas para a felicidade, é hoje que vou deixá-la adentrar em uma imensidão de lágrimas chamada coração. Aíla❈Oliveira

Não há mais força, não existem mais concretas esperanças para alguém assim como eu, calejado pelo passado, sofrendo nas mãos de um presente doloroso, temendo um futuro devastador. As marcas deixadas pelo orgulho ferido são bem mais fortes que tatuagens ou qualquer outro tipo de fixação visível a olho nu, minhas dores são iminentes e ardem com uma frequência que me assusta a cada segundo com mais força. O atingimento é em cheio, é certeiro em meu peito, a dor do farfalhar da mesma tecla, os aborrecimentos posteriores e o conjunto do nada me faz uma pessoa mais amargurada, quem sabe até ruída, mas que ninguém sequer desconfia de tais defeitos Aíla❈Oliveira

Se a precisão de meu olhar penetrasse a intensidade de teus olhos eu destingiria cada relutância, cada palavra e cada besteira com um sentimento diferente. Não sei bem, o diferente apenas se atrai, isso é certo. Acho que finalmente encontrei motivos para lutar, para finalmente enxergar melhor o que está a minha volta e estou seguindo para o caminho da felicidade plena, da pura estabilidade, do prazer de saber que se está perfeitamente em seu lugar. A partir do momento em que nos encontramos, nos darmos sobre nós mesmos e derrubamos barreiras que antes aparentavam ser inabalavelmente insanas. Uma boa chopada, conselhos amigáveis e a percepção de que tens ao teu lado pessoas que te amam e zelam por teu calento, nada melhor para desapegar e enfim ser feliz por completo, sem dúvidas de nada, apenas com a certeza de estar entregue nas mãos de quem te ama. recitandoproezas

Pegue toda a sua honra desperdiçada menina, todas as pequenas frustrações passadas, pegue todos os seus chamados problemas, melhor colocá-los entre aspas, em evidência para que alguém te experiência contida possa decifrar. Estamos todos quebrados, isso é fato jovem moça, apenas devemos saber reciclar os papéis, inverter as jogadas, cada um faz de sua existência o que bem entende, o que bem concede, eu tento fazer do passado, um futuro presente, e que ele só me traga nostalgias, nostalgias do que já vivi e alegrias não momentânea que durem por muito e muito tempo sobre efeito de minha felicidade. Aíla❈Oliveira

Mesmo que em meu inconsciente, eu idealizei ramos e mais ramos de reciprocidade brotando emfim em uma vida tão amargurada e sem chamativos especiais. Por favor, alguém venha agora, eu acho que estou caindo eu estou me segurando em tudo que acho ser seguro, em tudo que me parece de garantia válida” … parece que eu achei a estrada para lugar nenhum e estou tentando escapar de um fim nada apaixonante, nada momentaneamente feliz. Tenho plena consciência de que para onde esta estrada for e independentemente de onde ela parar, parará ali também minha estadia nesta imensidão de contragostos e gotas derramadas. Eu gritei quando ouvi o trovão, mas o que me restou foi um último suspiro que seria de alívio ou simplesmente de desespero? E com ele deixe-lhe dizer, deixe-me dizer, que o que esperavam de mim o tempo todo era mesmo a perfeição. Assusto-me com minha imperfeição, que chega a ser usada de maneira uniforme, inútil e destracejada. Procuro a relutância para reavivar em mim todo um conjunto de conjunções esquecidas, palavras corrompidas e desamores iminentes, sem olhar para trás. Aíla❈Oliveira

Pedem sempre para ser quente. Um amor, uma xícara de café, um romance secreto, uma imensidão de infinidades e o infinito por assim dizer. Que deixem tudo passar em branco, só que não deixem a vida de forma pálida, de forma petrificada. Que façam uma exata moldura com cenas da rotina, cenas meramente clássicas da vida, e que entendam que nem tudo é sofrimento, que aprendam a apreciar a essência de cada dia com uma sutileza de absurdo tamanho. Repare só na claridade de teus olhos enquanto se encontram felizes, repare na leveza de teus atos só por rir de bobeiras e detalhes que fazem toda a diferença em uma única manhã, faça a pós-sincronização de teus momentos e acredite, nada vale mais do que essa alegria impertinente que sentes, nada obtém mais valor que tua liberdade. Aíla❈Oliveira

E é essa simplicidade que me faz ser assim, leve, sem esperar nada de pesado do futuro, apenas deixando ser guiada pela vivência, pela convivência com um mundo cercado de surpresas e majestosos milagres. Encontro beleza em cada toque, cada ponto, cada conto, cada sutileza deixada por uma existência única e de qualidade inquestionável, recito proezas para a lua, para cada fenômeno perfeitamente honrado de admiração e destreza, que me faz inspiração, me transmite sentimento, de maneira uniformeAíla❈Oliveira

Melancolia detectada, sorriso ligeiramente fútil iminente. Carência em decorrência da pressa, dor apertada, surpresas nunca sequer imaginadas, palavras me descrevendo melhor do que qualquer outra ação ou emoção. Sou o frio, o frio necessitado de calor para se transformar, a dor presa em uma jaula de mágoa que se misturam e se fundem e se tornam cada vez mais fortes, formando um escudo de sofrimento e discórdia. Breu em meio a luz, escuridão que sonda, que devasta sem dó nem piedade. Dá-me terapia querido interessador, dá-me cura para tamanha decorrência, imensa deficiência, dá-me justiça em ação, ofereça-me compaixão querido justiceiro, afaste de mim o tão doloroso adeus, sem ele, conseguirei seguir um pouco mais passiva. Aíla❥ Oliveira

Os lençóis não são mais os mesmos sem você, e o mais engraçado de toda essa tristeza é que até na forma da arrumação do nosso quarto eu reparei, ele fica opaco, obscuro sem você. É como se fosses a tocha que ilumina não só minha vida, mas como também todos que o cercam, sou dependente da tua luz, não sei viver em meio ao breu, a invirilidade dos fatos. Somos umdois-perfeito, ou pelo menos éramos, até você me abandonar, me deixar incrédula e tão petrificada dessa forma. Volta para o nosso canto, continua seguindo junto a mim, segura minha mão, me guia em meio aos medos onipresentes e nunca, jamais me deixe perecer novamente. Aíla❈Oliveira

O que lidera tudo é o medo, a surrealidade. O que é normal se torna inanimado, o que se tem valor se torna tosco. É como se você estivesse ligeiramente louca, e apenas mantendo contato com a insanidade, sem espaço no mundo, sem espaço em si mesma, sufocada pela angústia e pelo desprezo de não ter com quem contar. É como se não sobrasse tempo para viver, para se viver, se libertar, se reinventar, como se tudo fosse exatamente crono-logado e você não pudesse se salvar da rotina, da monotonia. É como viver num senatório, sedada de vida, privada de amor, injetada por loucura e obsessão, sem poder decidir as tuas atitudes, fazer as tuas medidas. Na beira do abismo provocado pela crise, confusa sem saber o que fazer, continuo a caminhar com “fiapos” de esperança gravados ao coração, quem sabe essa sorte muda, ou ficarei presa num mundo imaginário para sempre. Aíla❥ Oliveira

Nós somos um uníssono amontoado de consequências e terminações não concretizadas. Somos um beijo ainda não fechado com um elo de intensidade e proteção, somos o redescobrimento um do outro em forma de trocas de olhares, apertos de mãos e carinhos dissolutamente aceitos. Eu te chamo, você levanta, eu te beijo, você me desperta. Você diz que eu blefo nas cartas do amor, você me acusa de não pertencer-te por inteiro, mesmo embora mores em minhas mais remotas alucinações. Você pousa suas mãos muito perto de meu peito e diz que não provoca, ri de besteiras mil e afirma que nem achou nem sequer o mínimo de graça, sabe me fazer feliz da maneira mais impertinente possível sem nem se dar conta que dependo de teu sorriso para sorrir também. Engraçado querido amor, eu ainda não consigo ler seus olhos, mesmo embora tente descobrir o que ronda teus pensamentos, mesmo estando ciente de teus fracassos, tuas vitórias ainda não sou capaz de lhe redescobrir. O que será que ronda esse sorriso tão levemente aceitos? Qual será tua arma contra a solidão? O que não te aflige, o que se passa finalmente? Eu confesso, é solitário longe de você. Mesmo quando você está ao meu lado, mesmo quando estamos conectados, sinto um vínculo de vazio adentrando meu lado meio feliz, queria fazer inteiramente parte de ti, imaginar o que se passa, o que te move, o que te faz ser assim. Só por isso que espero que você segure minha mão, e que tuas secretas informações flutuem e fluam de teu interior para meu exterior meu queria desejo. recitando❈proezas

E tenho lados bons também. Estão meio escondidos, meio inacabados, mas servem para algo apresentável, creio eu. Sou tão majestosa quanto um babu que aceita se curvar perante a brisa ou tão humilde quanto alguém que errou, e que assume sua falha. São lados ocultos, que só quem tem a atenção e um pouco de amor voltado para mim consegue obter, com palavras, gestos e detalhes que me encantam dia após dia, e que me fazem ser mais doce, ou quem sabe até um pessoa melhor. Aíla❈Oliveira

E eu renasceria quantas vezes fossem necessárias só para rever teu sorriso, reavivar teu abraço. Brotaria de tua fonte e aceitaria milhões de vezes as suas inquietantes submissões e desacertos. Sou tua de forma transversal, de maneira descomunal, incomum, de abstinência duvidosa. Sou entregue a ti sem esforço, sem medo, sem receio pois sei que faço parte de ti, assim como o escuro faz parte das trevas ou o claro faz parte da luz, assim como essa misericordiosa contradição que define a mim e a ti também, já que fazemos parte um do outro. Jamais me deixe partir, jamais me deixe para trás meu querido desejo, eu quero andar lado a lado  numa estrada sem rumo certo, num caminho estreito aonde só se sabe que a finalidade é incerta, pode ser tanto um bem quanto somente um amargo e doloroso mal. Pouco me importam as estratégias do destino, só diga que posso permanecer bem e aconchegante ao seu lado, sem medo de tropeçar ou de ser largada pelo seu não amor, só lhe peço a certeza de um passo feliz, ao teu lado. recitando❈proezas

E eu parei de andar. Parei simplesmente de me importar com a jornada querido amor, desde que fostes, levastes meu coração em conjunto com minha felicidade, parecendo brincadeira, assim, como a leveza do vento, ou um mero e circunscrito pensamento. Cortei sorrisos, repuxei lábios e fiz da tão judiada e impecável tristeza um ódio imprescindivelmente maldito, fazendo-me desejar qualquer opção que não fosse longe de você. É tudo tão contraditório, tão estupefato não achas? Quanto mais me afasto, mais sinto saudades de momentos certeiros, de risos espontâneos, de cenas nem bem vividas, tornando-me um chavão infortúnio, uma doença incurável que se alastre por minha pele rompendo com as barreiras do coração. Desisti da vida que vem de dentro, daquela que a gente cria, que agente inventa. Desisti de sonhos, da surrealidade, da hipocrisia gerada por calúnias momentâneas e inaudíveis por seres normais. O sonho não correspondido, uma canção que ninguém canta ou simplesmente o inalcançável é o incompleto círculo invencível cravado em minhas frágeis partes letais, toda a rejeição se encaixa com facilidade em minhas feridas, como um atordoado quebra cabeças, ou alguma espécie de jogo sem lógica, que tem como objetivo deixar marcas profundas em sentimentos abstratos. Aíla❈Oliveira

Quero libertinagem, quer não me sentir presa, não me manter presa pela mente e por sentimentos impróprios e ensurdecedores. Todos libertos, todos podendo escolher o rumo de suas vidas, e eu sempre agarrada pelo amor, pela compaixão, pela incomplexa contradição. Dizem que eu também posso, mas o mais importante ainda não me alertaram, como irei por um vida para trás? Como esquecer? Como não relembrar? Se preocupam em afastar, mas não te dão nem o princípio para aprender a esquecer. Aíla❥ Oliveira

Levo a minha vida assim, não olhando apenas para quem me quer algum bem, e sim para os que persistem em se manter de costas. Quero agradar o indesejado aos olhos de todos, quero causar, impactar, ser um eu que talvez por tanto tempo permaneceu aqui, oculto, inteiramente interno esperando uma chance de vir a tona. Sim, tudo muda, tudo se decodifica e tudo se demonstra. Para ser honesto, na maioria das vezes isso ocorre de maneira temporana, de maneira amena, lado a lado com as estações, com as mudanças que nos envolvem, nos guardam. Ultimamente o número de pessoas que se importam, demonstram ou realmente querem te ouvir, te fazer bem são de significantemente zero talvez? Ou seria muito, comparado ao desmazelo que carrego? Habita aqui um vazio tão grande, um breu tão imenso que fica até mesmo difícil para mim distinguir o que é bom e me proporciona companhia, ou o que é ruim e me proporciona solidão. Aonde estão as luzes? Foram todos embora por agora ou mais cedo e não me dei conta? Coração anda vazio de habitação, vazio de carinho, pede, chora por exercimento de moradia a quem saiba cuidar e tratar bem, a quem queira bem do fundo de sua alma, sentimento aflora pedindo para ir embora, não deseja mais viver em um corpo revestido de ira, incapacidade e petrificação. Só espero que essa ajuda não tarde realmente a chegar, ou senão as flores murcharão e o amanhã parecerá mais longe a cada dia que passar, sem uma solução iminente.  recitando❈proezas