ah ri gif

IMAGINE ZAYN MALIK

*Esse é um pedido um pouco antigo, mas espero que gostem dele do mesmo jeito. Aguardo opiniões, boas ou ruins! Boa leitura! Ps: desculpem-me pelos erros.

[…]

-Droga!- praguejei um pouco alto demais quando derrubei pela terceira vez meu celular, atraindo o olhar assustado de Alexa, minha amiga e enfermeira que trabalhava comigo no hospital.

-Nada?- perguntou já sabendo o que eu procurava em minha caixa de mensagem. Minha paz de espírito.

-Não. A luta já deve ter terminado, mas nada dele mandar uma merda de uma mensagem para avisar que está vivo!- expliquei com os dentes cerrados nervosa pela falta de consideração de Zayn, meu noivo, que devia estar comemorando a vitória de sua luta de boxe contra um importante lutador e sequer se deu ao trabalho de me avisar, mesmo sabendo o quão nervosa eu fico quando ele luta.

-A bateria do celular dele deve ter acabado- balancei a cabeça negando ao me lembrar do seu celular sendo carregado enquanto ele se arrumava e ignorava meus apelos para que ele ficasse em casa. Maldito!

Porém, mal tive tempo de explicar a situação desesperadora a Alexa, já que Zayn não lutava com qualquer um, e sim, com um dos melhores, o campeão atual que por pura ironia, era seu melhor amigo, pois a porta do meu consultório foi aberta em um estrondo e Sven, um profissional da área de emergência, entrou com aquele olhar que eu conhecia muito bem devido às vezes em que eu era encarada daquela forma. Aquele era o olhar “Adivinha quem acabou de entrar na emergência todo quebrado?”

Com o coração apertado, e os punhos também, levantei-me da mesa em que eu atendia meus pacientes que buscavam uma das mais conceituadas neurocirurgias de Londres, e o segui pelo caminho que já conhecia tão bem. Droga, eu sabia que isso ia acontecer!

Mas nem toda a experiência que eu tinha nesses casos me preparou para ver meu noivo todo ensanguentado em cima de uma maca com o nariz visivelmente quebrado e o olho roxo sem poder abrir. Como se sentisse minha presença, ele virou sua cabeça em minha direção olhando meu corpo petrificado no corredor, fazendo uma careta ao ver na dimensão da encrenca em que ele estava metido.

Não tive muito tempo para esboçar qualquer reação, pois ele foi levado para algum lugar que não percebi qual era, apenas consegui me mexer quando Sven tocou levemente meu braço, acordando-me do meu transe.

-Ele foi levado para o consultório, onde irá ser avaliado e tratado, mas avaliando sem qualquer exame posso te dar a certeza de que seu nariz foi quebrado, ele tem um corte profundo em seu supercílio que irá precisar dar pontos e outros mais superficiais- respirei fundo ao ouvir sua opinião e contei até dez para não buscá-lo e terminar de quebrar o resto de seu corpo. Filho da mãe!

-Obrigada, querido!- sorri calma em sua direção e ele me olhou assustado com minha reação, já que na maioria das vezes eu ficava muito nervosa e preocupada quando isso acontecia.

-Disponha, Dra.

-(Sn)?- minhas unhas quase perfuraram a palma da minha mão ao escutar aquela voz soar preocupada a meros centímetros de mim. Era Luke, o homem que lutou com Zayn hoje a noite. Olhei para cima pedindo calma aos céus e me virei, o olhando calmamente com um sorriso amigável- vim assim que pude. Como o Zayn está?

-Como você acha que ele está?- perguntei ainda no mesmo tom e com o mesmo sorriso psicopata no rosto, inclinando-o levemente para dar uma impressão mais doentia. -Ele quebrou o nariz, terá que levar pontos e cuidar de outros cortes. E olha que isso era perceptível a olho nu para qualquer leigo que o encarasse.

-Droga!- praguejou fechando os olhos- eu realmente sinto muito, (Sn), eu..- não deixando ele terminar, toquei seu braço suavemente e o encarei da maneira mais doce que consegui.

-Eu que irei sentir muito quando tiver que quebrar o seu nariz se descobrir que um fio de cabelo do Zayn foi realmente danificado com essa merda de luta. Eu que irei sentir muito quando um carro, acidentalmente, passar em cima de sua perna, triturando-a - acariciei seu ombro dando a impressão de que eu estava consolando-o - então, meu querido, reze para que ele esteja bem e que nada de muito grave tenha acontecido com ele, porque se tiver…ah, se tiver…- ri irônica - você será o próximo a precisar de um hospital.

-(Sn), você não está sendo racional!

-Eu não preciso ser racional, meu querido- bati em seu ombro rindo como se ele tivesse me contado a melhor piada de todos os tempos. - Eu preciso que ele esteja bem- parei de rir, ficando séria.- E, vai por mim, você também precisa!

-É o nosso trabalho. Essas são as consequências dele.- tentou me acalmar, falhando miseravelmente. Sorri mais uma vez e me afastei, parando apenas para sussurrar por cima do ombro.

-Cirurgias em cérebros também é meu trabalho, e eu sou a melhor nisso. Agora, ajoelha e reza para não precisar saber das consequências dele.

-Dra?- Alexa me chamou assim que me viu chegar no andar em que ficava os quartos.

-Como ele está?

-Bem, já foi examinado e já receitaram remédios para dor, o Dr. Lucas já colocou o nariz dele de volta no lugar, já fizemos a limpeza e os pontos já foram dados. Estamos esperando seu rosto desinchar para fazer mais exames, mas por enquanto ele está descansando no quarto.

-Graças a Deus!- soltei um suspiro de alívio, liberando toda minha preocupação com seu estado. Ele está bem, (Sn), ele está bem.

Por enquanto…

-Perdoe-me pela ousadia, mas você parecia tão calma enquanto falava com aquele homem, e eu descobri que era com ele que Zayn lutava…

-É que eu finalmente aprendi uma grande lição com todas as vezes que ele veio parar aqui-olhou-me curiosa- gritar e espernear não adianta nada, ele vai continuar ignorando o que eu digo. Avisos sussurrados ao pé do ouvido tem um efeito melhor. Assustam mais!- sorri diabolicamente arrancando uma gargalhada sua- agora que eu já assegurei que ele terá a pior comida que um hospital já ofereceu, vou ter uma conversinha com o meu bebê teimoso. Ele precisa aprender uma lição.

[…]

-Droga! Caralho! Porra! Ah, que merda!- praguejei balançando minha cabeça ainda incrédulo. Com tantos hospitais em Londres esses filhos da mãe tinham que me trazer justo no que a (Sn) trabalha? Merda, eu pedi tanto para que fosse outro, mesmo sabendo que seria inutil tentar esconder isso dela. Ah, ela vai me matar!

-Zayn, você não pode se mexer muito, tem que descansar!- Peter, meu treinador, aconselhou-me com um olhar de pena. Ele sabia o que me esperava.

-Descansar? A minha assassina pode estar vindo na direção desse quarto agora mesmo e você quer que eu descanse? Só pode estar brincando.

-Droga!- olhei em sua direção- Luke acabou de me mandar uma mensagem, avisando que está na sala de espera aguardando receber notícias suas e perguntou-me como você está- fechei os olhos não acreditando em como tudo pode piorar em segundos.

-Diz por favor que a (Sn) não viu ele!-pedi inutilmente, lembrando-me de como ela reagiu quando viu Joseph, um amigo que tinha me vencido em uma luta (e quebrado meu braço, acidentalmente), no nosso almoço de domingo. Ela simplesmente virou o pote de pimenta no suco dele quando briguei com ela por ela não o querer na nossa casa. Tive que levá-lo às pressas para o hospital. E isso não tinha sido nem a pior coisa que ela já tinha feito para se vingar de alguém que tivesse me batido. Quanto aos que eu vencia, ela já reagia melhor, um pouco nervosa, mas nada muito grave.

Desde quando começamos a namorar, ela nunca teve uma relação muito boa com minha profissão, sempre ficava apavorada no dia das minhas lutas achando que algo de ruim iria acontecer, não conseguindo aceitar quando eu era atingido. Meus amigos entendiam esse lado dela e a evitavam uma semana antes da luta e uma semana depois como medida de prevenção. Apesar de essa não ser a atitude mais compreensiva por parte dela, eu gostava dessa “proteção” exagerada dela, sentia-me cuidado e defendido, mesmo que não fosse necessário. O problema era quando eu ia para o hospital…

-Sinto muito!

Porém, não tive tempo de xingar mais, pois a porta foi aberta lentamente mostrando uma (Sn) calma e sorridente para mim.

-Meu amor!- Saudou-me carinhosa vindo em direção a minha cama e acariciando minha perna- Olá, Peter. Como vai?

-Er.. Eu não sei, mas…acho que estou bem.- gaguejou tão surpreso quanto eu com a reação dela.

-Oh, que bom! Se importaria se eu lhe pedisse para que nos deixasse a sós por um momento?- pediu docemente. Mas que porra estava acontecendo?

-Não! Bem.. Eu.. Eu já vou!- pegou suas coisas e quase correu em direção à porta, deixando-me sozinha com aquela que se dizia minha noiva.

-Oh, ele não é adorável?

-(Sn), meu amor, eu juro que posso explicar. Não foi nada grave e…- não pude terminar de explicar, pois (Sn) veio com tudo para cima de mim, batendo em meus braços e barriga- Ai! ai, (Sn)! para!

-Um nariz quebrado! Oito pontos no supercílio! Esfoliações por todo o rosto!- a cada palavra era um tapa em meu corpo- e você vem me dizer que não foi nada grave?

-Você..ai.. Está me machucando!- reclamei e ela parou por um instante respirando fundo, mas com os olhos ainda em brasa pura.

-Ah, eu estou te machucando? Eu vou te machucar realmente quando eu quebrar esse seu nariz recém consertado. E então eu vou consertá-lo e quebrar de novo para você aprender a não fazer mais isso! Seu idiota!- mais um tapa em meu braço- mas não foi isso que eu vim fazer aqui!

-(Sn), eu já te falei que não vou parar de lutar- em um ato de coragem, ou insanidade, informei-a.

-Eu sei. Sei que você gosta de lutar e eu não vou pedir para que pare. Não mais!- arregalei os olhos com sua notícia- vim apenas lhe informar que daqui uma semana, quando você receber a alta do hospital, nós iremos viajar para um hotel fazenda onde você irá descansar…- interrompi-a bruscamente.

-Não! Eu tenho uma luta daqui uma semana e meia e está fora de cogitação falta-la!- calei a boca quando senti mais um tapa, dessa vez em meu ombro.

-Interrompa-me novamente e estará em uma cadeira de rodas- avisou-me- não pedi seu consentimento em momento nenhum. Estou informando que iremos fazer essa viagem, e ela durará duas semanas. - arregalou os olhos quando fiz menção de falar algo- Você não está em condição de lutar mesmo não estando mais no hospital e eu não estou em condição psicológica para passar por isso de novo. Pelo menos não por agora. Você precisa se recuperar totalmente para voltar a treinar e pedir uma revanche contra Luke, e eu quero uma vitória dessa vez. Entendido?

-Você quer que eu volte a lutar com Luke?- não pude esconder meu sorriso.

-Eu quero que você acabe com ele!- vi um brilho de vingança em seu olhar- Vou casar-me com um campeão, não com um perdedor. E, para isso acontecer, você precisa descansar.

-Mas…-tentei protestar

-Shiiiiu!- colocou o indicador em meus lábios- já está decidido. Eu que mando aqui, bebe.- sorriu carinhosa, acariciando meus cabelos.

-Mas você vai cuidar de mim, não vai?- pedi fazendo um bico que acreditava ser fofo.

-E quando é que eu não cuido?