aguentou

Com auxílio de vários lenços de papel, ela me falou que estava me deixando. Não entendi muito bem a razão, e também não perguntei. Se você não quer saber a verdade, faça como eu, não pergunte. Apenas abra caminho, sorria e aguente o tranco
—  Gabito Nunes.
Ficar velho é muito estranho. A coisa principal é que você tem que ficar constantemente dizendo a si mesmo “estou velho, estou velho’’. Você se vê no espelho quando desce no elevador, mas não olha diretamente para o espelho, dá uma olhada de lado, um sorriso amarelo. Você não está tão mal, você parece algo como uma vela empoeirada. Azar, fodam-se os deuses, foda-se o jogo. Você já deveria estar morto há trinca e cinco anos. Isto é uma cena a mais, mais uma olhada no show de horror. Quanto mais velho o escritor fica, melhor ele deve escrever, ele já viu mais coisas, já aguentou mais, já perdeu mais, está mais perto da morte. Esta última é a maior vantagem. E há sempre a nova página, a página em branco.
—  Charles Bukowski.
Às vezes, eu mesmo tenho alguns problemas comigo. Sempre acho que ninguém me quer, que vou morrer sozinho, mas na verdade, eu não quero ninguém e quase sempre prefiro a solidão. Pertenço a alguém, mas não me pertenço ao todo. E tudo que eu queria, de verdade era alguém que não se importasse se eu faço chuva, ou se faço sol. Se sou muito quente, ou frio demais. Só quero que aguente minhas estações, mesmo que meu inverno dure mais que todas as outras. Que não se importe em esperar do lado de fora, enquanto eu tranco a porta do meu quarto e finjo que não tem ninguém lá fora, na chuva e com frio, me esperando. E quando enfim eu decidir sair, que não implique com meu sorriso forçado, simplesmente pode dizer que sentiu minha falta, ou algo assim, e fazer tudo ficar bem. Sentir-se bem com minha bagunça, sem tentar arruma-la. Porque eu sou assim, sou aquele calor de matar em meio ao inverno e a chuva que teima em cair enquanto o sol brilha forte. Sou as folhas que caem na primavera, e as flores que nascem no outono.
—  A culpa é mesmo das estrelas? 
Realmente o amor é para sempre. Mas essa teoria só é válida, quando esse amor é recíproco. Pois quando não é, meu amigo… Não há coração que aguente tanta dor. Então esse amor se desgasta, se desfaz. O que era “para sempre” virou nada, virou fim.
—  Phelipe Matheus.
"Mãe, tô doente"

Mães Normais:

“Meu bebê tá doente? Mamãe vai te dar um remedinho. Se você quiser pode ficar em casa hoje. Você quer alguma coisa, meu anjo?”

Minha Mãe:

“BEM FEITO, SÓ ANDA DESCALÇA, FICA PEGANDO FRIAGEM NESSE FRIO, NÃO COLOCA UMA BLUSA DE FRIO QUANDO EU MANDO, NÃO COME DIREITO. SÓ PODIA DAR NISSO! AGORA AGUENTE ÁS CONSEQUÊNCIAS SOZINHA! E VOCÊ NÃO VAI FALTAR NA ESCOLA!!!”

(manola-das-dorgas)

Seu tempo acabou, o relógio da vida não tem mais bateria para lhe indicar as horas. Não há mais o que fazer para evoluir, o mundo não quer mais carregar suas dores e nem acalentar suas mãos que não sabem o que fazer. Você perdeu o tempo de viver, sua vivência se perdeu no tempo. Sua energia se esgotou, não é possível correr para outro lugar, não existe mais sapato com sola que aguente seus pés pesados rastejando em busca de ser melhor. Você não existe mais, se olhe no espelho e admita a sua inexistência, porque ninguém mais nesse mundo se importa com o que você significa.
—  Junior Lima.
Chorar não é pecado, é uma necessidade humana, você chora quando está sobrecarregado, quando aguentou a barra muitas vezes, quando está por um triz, então, não sinta vergonha das suas lágrimas, pois elas são as provas do quanto você suportou, do quanto suportas.
—  Sobre a vida? Não sei muito. 
E de repente o palhaço desata a chorar no meio da piada. O público em choque a observar o desespero do coitado. Nunca pensei que um palhaço tivesse motivos para chorar. A maquiagem molhada foi dando espaço a um rosto humano, a final é isso que ele é, um humano, com problemas, sentimentos, com uma vida. Quantos espetáculos ele aguentou firme para não chorar? Fazendo todos rirem quando por dentro ele só queria que as cortinas se fechassem. Eu sempre me perguntei se alguém como ele, que faz todos rirem com uma simples piada é realmente feliz. Mas nesse meio tempo eu pude exerga-lo por dentro, uma alma tão triste e um sorriso tão belo, gostaria de saber se algum dia ele foi sincero.
—  Um palhaço triste, Amoriei and. Agridociei.
Poderia ter sido tanta, mas tanta coisa. Poderia ter sido aquele abraço pra me proteger, o assunto na mesa de bar com as amigas. Poderia ter sido o nome, pra quando todos perguntassem quem era o canalha que eu mais amei na vida. Poderia ter sido aquele que não aguentou a minha dor existencial, e chorou comigo. Poderia ter sido a minha vontade de voltar à igreja, a minha felicidade em comprar um livro novo, a cura pra minhas agorafobias. Poderia ter sido o despertador adiado todas as trinta vezes seguidas, aquela tatuagem idiota no antebraço esquerdo, aquela pisada no pé quando insistisse que arriscasse alguns passos de dança. Poderia ter sido aquela pessoa que me ensinou a gostar mais de cachorros do que das próprias pessoas. Poderia ter sido o motivo de voltar a ouvi Caetano, de escrever versos em agendas já rabiscadas, de voltar a desenhar meus horrorosos cavalos-marinhos. Poderia ter sido as minhas horas perdidas em frente ao espelho, tentando vomitar do interior, alguma beleza que chegasse à beleza dos teus pés. Poderia ter sido as minhas buscas ao chão, de tentativas de sobrevida. Poderia ter sido o colo que ninguém soube dar, e que você como ninguém, soube entender que precisava tanto. Poderia ter sido o motivo da minha insônia na madrugada, o motivo de não levantar da cama num dia frio. Poderia ter sido minha companhia quando não existisse posição no mundo confortável pra mim. Poderia ter sido minha vontade de aplaudir o sol, de contemplar a mudez das estrelas, de continuar a ouvir os ecos de nossas vozes pela cozinha. Poderia ter sido minha vontade de parar de fumar, e não meus dois maços de cigarros baratos por dia. Poderia ter sido as risadas que sobraram pelo tapete, a vontade de pegar o telefone só pra ouvir aquela sua voz meio gasguita. Poderia ter sido inimigo da minha mãe, amigo dos meus inimigos, parente dos meus irmãos, pai dos nossos filhos. Poderia ter sido um porta-retrato empoeirado na estante antiga. A falta de espaço na gaveta de meias. Poderia ter sido a única chance que sempre tive e precisei de tentar a cada dia ser uma pessoa melhor. Por mim. Por nós. Poderia ter sido você. Todas as saudades grifadas nos meus livros do John Green. Todas as flores que reguei no canteiro da esquina. Todo o amor que sonhei na vida. Poderia ter sido tanta, mas tanta coisa. Poderia ter sido tão leve, tão sereno, tão démodé. Poderia ter sido tudo, mas não foi. Preferiu ser mais um.
—  Michael Letto