advertiement

Ten Best Practices for Creating Winning Mobile App Marketing Campaigns

Travis Beauchesne: Today, mobile apps have beaten desktop apps to the background, but mobile apps can still be a disastrous failure if not marketed properly. The success of a mobile app is determined by its technical finesse, but at the same time, it is also decided by how powerful and relevant its marketing campaign is. In order to make the biggest impact through your app marketing campaign, understanding what customers are drawn to before launch makes or breaks your success.

Ora, as obras da carne são manifestas: imoralidade sexual, impureza e libertinagem; idolatria e feitiçaria; ódio, discórdia, ciúmes, ira, egoísmo, dissensões, facções e inveja; embriaguez, orgias e coisas semelhantes. Eu os advirto, como antes já os adverti: Aqueles que praticam essas coisas não herdarão o Reino de Deus. Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Contra essas coisas não há lei. Os que pertencem a Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e os seus desejos.
—  Gálatas 5:19-24.

“Tenia miedo de amar pero no lo sabias te lo dije o bueno te lo mande en señales, te lo adverti miles de veces pero al final fui yo la que acabo cediendo a mi corazón y rechace lo que creía que era correcto, deje todo atrás por ti, me abandone a mi misma, y ¿que me diste a cambio?
Lo único que puedo decir es que cada momento valió la pena, valió cada lágrima aunque al final lo haya perdido todo, luche por ello y por eso no me arrepiento, me alegro de haberte conocido y haberte dado todo de mi ,estoy orgullosa de mi decisión, a diferencia tuya lo hice o al menos lo intente, me duele cada dia menos y a cambio queda un vacío, pero no me arrepiento no me arrepiento de haber amado.

Al final las advertencias no eran para ti eran para mi…”

-theproblemismykokoro. Espero les guste… -Hope
Animals - Part V

Read previous chapters here

A/N: So, not gonna lie, not entirely pleased with how I’m ending this. I don’t want it to end.  Maybe there will be another chapter. Who knows?  Writer’s block really got the best of me on this one. I hope you guys enjoy it all the same.


warnings: angst, fluff (kinda?), and smut…wow, you guys get all 3 this time!


Keep reading

One Shot Liam Payne

Parte I | Parte II | Parte III (Bônus)

Um mês de espera foi mais do que o suficiente para que Isabelle se acostumasse com a ideia, depois da nossa pequena reunião para colocar tudo em pratos limpos e de pai eu ser nomeado tio, está mais que na hora de eu poder levá-la a minha casa para ter algum contato com seus irmãos. Cheryl não é muito a favor da ideia, mas eu não me importo realmente, se dependesse dela eu daria Izzy a Zayn sem ao menos tentar tê-la para mim.

E agora eu estou aqui, na casa do meu amigo que mentiu para mim durante anos, mesmo que ele diga que não sabia sobre estar tomando como dele a minha filha, eu não acredito realmente. A menina é a minha cara, tem até uma pinta em seu pescoço que é idêntica a minha que também fica no mesmo lugar. Se colocassem Izzy e Bear lado a lado todos diriam antes de qualquer coisa que Izzy é a minha filha, Bear se parece comigo um pouco - a maioria dos traços são herdados de Cheryl - mas a Izzy sim é minha cópia.

Como eu disse antes, estou na sala do meu amigo enquanto (seu nome) está de pé um pouco atrás do corpo de Izzy e Zayn está ajoelhado para ficar na mesma altura que a minha filha enquanto tenta convencê-la ir comigo.

Tudo tão errado.

— Princesa, não vai demorar para você voltar, são só duas noites longe de casa e logo você estará aqui outra vez. — Zayn mantém seu braço em torno da pequena cintura protetoramente enquanto ela faz um biquinho que eu diria ser fofo.

— Mas papai, eu não quero ir sozinha… Vem comigo? Você e a mamãe. — ela olhou para (seu nome) que também se abaixou para ficar da sua altura.

Com a cena eu não consegui não me sentir um intruso, uma presença indesejada e um destruidor de contos de fadas. Zayn sempre falou tão bem de sua família, ele sempre se empolgou ao falar de Isabelle que eu me sentia muito feliz por vê-lo brilhar ao falar da filha, mas isso foi antes de eu descobrir que na verdade ele não tem filha nenhuma, ele apenas esfregou na minha cara os momentos que eu não pude ter com a minha filha.

— A mamãe e o papai não podem ir com você, mas eu tenho certeza que vai ser legal, você vai conhecer novos amiguinhos- — fui obrigado a interromper (seu nome) para corrigi-la a tempo.

— Irmãos… Você vai conhecer seus irmãos, Izzy. — o olhar que me foi direcionado da parte de (seu nome) foi quase cortante.

— Izzy, o número do papai é o número um da discagem rápida. Você só precisa apertá-lo um pouco e conseguirá falar comigo, se quiser vir embora, eu vou te buscar no mesmo minuto. Eu prometo, princesa.

Eu estava pronto para intervir sobre Zayn ir buscá-la na minha casa antes de meu tempo acabar, mas Izzy concordou com a cabeça e passou os braços ao redor do pescoço dele. Foi uma longa despedida, até parecia que ela não voltaria mais para casa depois que fosse comigo, tenho que admitir que eu fiquei com uma certa inveja da ligação dos dois.

~o~

Uma hora desde que cheguei em casa e nada de Cheryl e Bear chegarem, eu não sabia que iam sair antes que eu chegasse, isso acabou com todos os meus planos. Izzy não falou nada por livre espontânea vontade desde de que saiu de sua casa, tudo que ela falou comigo precisou que eu fizesse uma pergunta antes. Respostas curtas e tímidas.

A porta da frente abriu de uma vez assustando Isabelle que assistia a um desenho sentada no sofá e eu olhei em direção a porta vendo o Bear entrar com uma cara de poucos amigos, Cheryl vinha logo atrás com mesma cara de desgosto segurando em seu colo Sammy que provavelmente dormia.

— Então você trouxe mesmo ela? — jogando a bolsa sobre o sofá, Cheryl parou de frente a Izzy a olhando com certa repulsa — O maior símbolo de traição da face da terra e está sentada bem no meu sofá.

— Cheryl, por favor, as crianças. — a adverti não querendo assustar os meus filhos, principalmente a Izzy que ainda não confiava muito no local.

— Você não pensou em crianças quando estava me traindo, tanto que não estava que fez uma. — ela se voltou a mim — Eu perdoei você porque descobri depois de anos, mas você trazer essa bastarda para a nossa casa é quase como uma afronta.

— Cheryl, por favor se controle. Não a chame assim!

— Eu quero meu pai Zayn. — ouvi a Izzy dizer baixinho e olhei para ela a vendo brincar com seus dedinhos.

— Oh que lindinha… — Cheryl usou todo o sarcasmo que eu não sabia que existia nela para dizer a frase — Além do trouxa aqui, a vagabunda da mãe arranjou outro para completar a renda.

— Bear, leve a Izzy para brincar no quintal só um pouquinho, por favor? — sem nem ao menos responder ele saiu da sala sem esperar a Izzy e depois que eu assentir quando a mesma me olhou, ela pulou do sofá e seguiu o irmão — Você perdeu o juízo? Como você pode fazer uma cena dessa na frente das crianças, Cheryl?

— Eu sinceramente não acreditei que você fosse trazê-la, Liam. É humilhante ter que conviver com o fantasma de uma traição que me fez virar piada no mundo inteiro. — ela disse mais calma como a pessoa civilizada que eu sei que ela é.

— Não se importe com o que as pessoas dizem, você nunca se importou. — olhei em seus olhos.

— Não me importava até saber que eu não posso confiar totalmente em você, sempre que alguém dizer algo, mesmo que você não tenha feito, eu vou acreditar.

Antes que eu pudesse falar alguma coisa para confortá-la, Izzy passou como um trem bala pela sala subindo as escadas o mais rápido que conseguiu provavelmente indo em direção ao quarto que apresentei como dela quando chegamos.

— Izzy? — sem respostas deixei Cheryl onde ela estava e subi atrás da garotinha indo para seu quarto quando a vi passar pela porta.

~o~

Narradora On

— Papai? Papai, eu quero ir para casa! — a voz chorosa da Izzy fez o coração de Zayn acelerar e ele pular da cama onde estava com (seu nome) assistindo uma comédia romântica.

— Filha, o que aconteceu? O que fizeram com você, princesa? — o desespero de Zayn colocou (seu nome) em alerta e ela pulou rapidamente na cama se sentando também.

— Papai, eu não quero ficar aqui, eu não gosto de ficar longe de você e da mamãe. Por favor, papai! — Liam estava escutando atrás da porta esperando a hora de intervir.

— Fala para o papai, amor. O que aconteceu para deixá-la tão triste? — Zayn perguntou fazendo um sinal para que (seu nome) esperasse quando ela tentou pegar o telefone.

— O Bear, papai… Ele não gosta de mim, me empurrou e falou que eu sou feia. — a garotinha fungou — A tia com o nome estranho não gosta de mim também, ela brigou com tio Liam e eu não quero mais ficar aqui.

— Meu amor fique calma, o papai vai te buscar agora mesmo. — Zayn pulou da cama a procura de uma cueca primeiramente — Você pode esperar o papai, princesa?

— Vou esperar você, papai. Eu te amo! — Izzy sorriu ao saber que logo estaria em casa.

Liam, notando que Zayn viria pegar Izzy e provavelmente tentar impedir que ela volte outro dia, entrou no quarto chamando a atenção da garotinha que ainda estava com o celular sobre a orelha ouvindo Zayn falar que a ama também.

— Posso falar com o Zayn? — Liam perguntou já perto o suficiente da cama onde a garota está sentada e esperou até que ela o entregou o telefone depois de pensar um pouco o que fazer.

— Zayn, é o Liam!

— Onde você estava quando o seu filho agrediu a minha filha? Eu não quero nem pensar o que eu vou fazer com você caso ela esteja machucada e-

— Ei, Zayn! Não precisa disso tudo, se trata de crianças e entre elas tem esse tipo de brincadeira. — Liam tentou acalmá-lo.

— Eu não vou permitir que você tire a minha filha da minha casa para deixar ela sofrer bullying do seu filho. — (seu nome) pedia Zayn para se acalmar, mas não é fácil e ela sabe. Quando se trata de Isabelle, Zayn se mostra um verdadeiro leão.

— Ela é a minha filha! Minha! — Liam também estava começando a perder a paciência — Você apenas a pegou como sua e acha que tem algum direito de proibir ela de ficar comigo. O Bear é uma criança, ele não sabe as consequências do que faz e eu conversarei com ele.

— Você fala da minha filha como se ela fosse um objeto, você claramente não olha para ela como um pai. — Zayn levantou da cama andando pelo quarto quando estava ficando ainda mais irritado com as tentativas de (seu nome) ao tentar acalmá-lo. Ele não quer se acalmar. — Ela é uma criança e eu não a peguei como você está dizendo, eu a conquistei, eu cuidei, mimei, beijei e a protegi quando tinha um pesadelo durante a noite. Eu estou no lugar que eu conquistei e você não está onde eu estou hoje porque não teve interesse, porque foi um idiota com uma mulher maravilhosa.

Liam sabia que tudo aquilo era verdade, ele não queria admitir mas ele sabe que Zayn não tem culpa, (seu nome) não tem culpa, Cheryl não tem culpa, ninguém tem culpa a não ser ele mesmo. Ele se arrepende amargamente do dia que traiu Cheryl, se arrepender ainda mais por ter abandonado uma mulher que ele fez questão de fazer perder o emprego. Talvez Isabelle seja melhor cuidada pelo seu melhor amigo, ele cuida dela como se fosse filha dele. E de fato ela é.

— Ela pode ficar aqui essa noite? Para tentar consertar as coisas. Eu prometo que nada de errado vai acontecer, eu realmente quero que meus filhos sejam no mínimo amigos. — Liam passou a mão em seu rosto deixando visível seu abatimento. Ele quer muito chorar.

— Você é meu melhor amigo, droga… — Zayn suspira — Eu confio em você, irmão. Cuida bem da minha garota.

— Eu vou cuidar. — Liam sorriu levemente — Vou devolver para ela.

Depois de se despedir de Zayn, Liam devolveu o celular para a Izzy que ouvia com atenção o que Zayn a dizia sobre dar uma chance ao lugar, ela sempre o quer orgulhoso dela então aceitou ficar e ser forte como uma menina super poderosa até o dia de voltar para casa.

Conversando com Isabelle depois que ela encerrou a ligação e aprendendo - com um pouco de dor - que só Zayn a chama de princesa, Liam decidiu que faria tudo dar certo. Naquele mesmo dia conversou com Bear e o explicou que tudo que sua mãe lhe disse estava errado, que Izzy não iria roubá-lo dele porque ela já tinha um pai bem legal - ele quase mordeu a língua para falar essa parte, não é fácil dizer isso - o garoto concordou animado em ser amigo da irmã e fazê-la feliz enquanto estivesse ali com eles.

Liam também se acertou com Cheryl, ela não fez mais tempestade em copo d'água, mas também não ficou na casa, ela disse que ficaria na casa de sua mãe com Sammy até que o final de semana acabasse e sua casa estivesse “limpa” novamente. Isso foi cruel de se dizer, mas Liam apenas não queria mais brigar.




Eu quis focar um pouco mais no Liam, afinal, o one shot é dele e na última parte foi mais sobre o Zayn.

Espero que tenham gostado e entendido um pouco mais sobre o Liam :)

- Tay

CARTA AO VESTIBULANDO DE MEDICINA

Nesse ano de 2015 completo 23 anos como professor de física. Sempre tive o privilégio de trabalhar nos melhores prevestibulares. Já vi de tudo: triunfos e tragédias. Mais um ano letivo se inicia, e junto com ele florescem esperanças, expectativas e, por que nao, o desânimo de começar tudo de novo.

Mas acredito que muitos possuem uma perspectiva errada, ou talvez, nem sequer sabem do desafio que é ser um vestibulando de medicina. Me perdoe a franqueza, a acidez e o azedume desta carta, mas o que tenho a dizer é apenas a realidade. Um conselho: aceite a dor da verdade e pare de tomar o xarope da ilusão e do autoengano.
Se você quer ser um médico, entao comece a encarar isso como um projeto. As chances de passar de primeira são mínimas. Observa-se que, em média, o estudante leva 3 anos pra conquistar uma vaga. Vou repetir, três longos anos. Temos uma margem de erro de 1 ano nesses dados. Existem aqueles que se mantém perseverantes, mesmo depois de 5 anos de batalha e existem aqueles afortunados que conseguem em 1 ano. Ahhh, diria você, mas meu amigo passou de primeira!!! Respondo: ele é gênio, você não. Ele encarou os três anos do ensino médio como um verdadeiro estudante, você não. Ele é a exceção, você é a regra.
A maturidade se adquire com o sofrimento, infelizmente. Ela vem junto com experiências ruins. Se você fez um ensino médio porco e só agora que acordou ou só agora decidiu pela medicina, entao meu caro, vai levar uns 3 anos pra você recuperar o tempo perdido. Para aqueles que estudaram em escola pública, infelizmente você acabou sendo vítima de um sistema educacional perverso, de uma sociedade perversa, de uma vida que está longe de ser justa. Para aqueles que estudaram em escolas particulares, só lhe resta corar o rosto de vergonha e você, (está me entendendo?), VOCÊ sabe disso.
Tenha postura de estudante!! Nos cursinhos temos muito alunos e poucos estudantes. Não se estuda deitado numa cama. Nao se estuda sem fazer resumo. Não se aprende sem fazer dezenas e dezenas de exercícios. Não se estuda sem LIVROS!!! Nao se aprende só assistindo aulas. Enquanto sua bunda não for paquidérmica, não há muitas chances para você.
Se desligue de redes sociais, ou entao, utilize-a a seu favor. Cansei de ver alunos em sala de aula que monitoram de 10 em 10 minutos seu smartphone para saber as ultimas atualizações do facebook ou do whatsapp. Nao seja tão idiota!!! Isso revela falta de discernimento, de autoconhecimento ou quem sabe, falta de QI !!! Use a internet para tirar dúvidas. É indesculpável não aprender um exercício de qualquer disciplina. Há toneladas de material na internet com exercícios resolvidos. Fóruns de discussão com sugestão de solução. Videoaulas aos montes.
Seja disciplinado. Não dá pra discorrer sobre esse assunto aqui. Cada um terá que encontrar seu método. Desligue tudo quando estiver estudando. Se for o caso, quebre seu celular!! Elimine tudo aquilo que é fonte de distração. Estudar exige um atitude solitária. A águia voa alto, mas esse voo tem um preço: ela voa sozinha.
Seja equilibrado. Não só de estudo vive o homem. Pratique esporte, faça academia ou, entao, um coito responsável.
Durma. Se entupir de cafeína e guaraná é típico de quem acha que vai passar no primeiro ou segundo ano. Você realmente acha que consegue estudar todo o conteúdo em um semestre de cursinho? Meu jovem, nem em um ano isso é possivel. Entao, estude para aprender e não para cumprir o conteúdo. Você está entendendo porque eu disse que isso aqui é um projeto de médio prazo?
Não se dê o luxo de nao estudar certos assuntos. Costumo ouvir com frequência: “tal assunto eu já desisti….eu nao vou estudar hidrostática….eu nao vou estudar logaritmo, nunca entendi mesmo….eu nao vou estudar botânica, esse negócio cai muito pouco” . Pare de evacuar pela boca cara!! Quer ser médico ou não?? Vestibular, infelizmente é sorte também. Vai que cai só aquilo que você mais estudou!! Mas aí eu te pergunto: vai ficar contando com a sorte?? A vida é uma grande incógnita, ela sorri mais pra uns do que pra outros, mas eu ainda acredito na meritocracia. Ela tá longe de ser perfeita, mas é o melhor que temos à nossa disposição, entao, faça por merecer. Pague o preço e estude de tudo. É extremamente frustrante nao passar por décimos ou por uma questão. Acontece que esse décimo ou essa questão possui um valor que pode ser de dois ou mais capítulos do seu livro. Pense sobre isso.
Sonhe, sonhe alto. Não se esqueça, porém, que existe um teto sobre sua cabeça. Seja um pouco, mas um pouquinho só realista nos seus sonhos. Você tá achando que vai se tornar um Dr. House?? Realmente acha que vai ficar rico sendo um médico?? Já adverti antes, e vou repetir, não se atenha apenas às exceções. Ser comum é a norma. Estar dentro do “normal” é a regra.
A profissão que você almeja é tão nobre quanto a minha ou quanto ao de um gari. Mas existe uma diferença: um erro custa caro. Um erro pode custar uma vida, pode invalidar pessoas. Lamento informar, mas você irá errar. Mas que seu erro seja por inexperiência e não por incompetência.
Estude matemática. Quem aprende a raciocinar aprende qualquer coisa. Não me refiro a números complexos ou a trigonometria. Saiba o básico e busque os fundamentos. Aritmética mesmo…porcentagem…regra de três composta…matematica comercial…problemas do primeiro grau. Isso é básico, mas eu nao disse que é banal. No brain, no gain !!
Está desanimando? O obstáculo é muito grande? Então, faço das palavras do Capitão Nascimento (Tropa de Elite 1) as minhas palavras: “desiste!! Pede pra sair….pede pra sair… (aos tapas) ”. Existe mais nobreza em sair ou desistir do que se autoenganar e enganar aqueles ques estão à sua volta. Tempo e dinheiro estão sendo investidos em você. Honre cada centavo e cada segundo!!
Ninguém disse que seria fácil. Você ainda não passou, está triste, está frustrado. Então chore, grite, lamente. Xingar é bom também. Agora, levante a cabeça. Você tem um alvo, tem um objetivo. Vai chorar por quanto tempo? Lembra daquela aula de darwinismo? Sobrevive quem se adapta mais rápido. Reaja e modifique suas posturas e corrija os erros. Busque conselhos.
Desculpe-me se fui prolixo. Ser conciso exige tempo e habilidade.
E se eu um dia eu cair nas suas mãos, espero poder te dizer: valeu a pena, não é mesmo?“
J. Jacques Legatti (19/01/2015)

(TEXTO COPIADO DA PÁGINA FUTURO MÉDICO)

IMAGINE HOT COM ZAYN MALIK

  • Finalmente um hot né? hfiuesrhgierhg Bom, apesar da minha fama(que eu mesma formei) de não fazer bom momentos ‘hots’, esse eu prometo que está bem aceitavel..
  • Bom, essa é a junção de 2 pedidos, um que era da Kamis, mas ela acabou me passando, como vcs já devem saber. E outro que fizeram a pouco tempo.. Enfim os pedidos são: [o da kamis que passou pra mim]: O Zayn vai na casa da S/n pela primeira vez pra conhecer os pais dela e tem um hot no final.. | [o que a menina me pediu]: Um hot do Zayn com esse novo ‘’penteado’’
  • É isso tudo, desculpe-me qualquer erro, e espero que gostem.. [e falem comigo sobre ele claro :))]


Eu subia as escadas em direção ao meu quarto enquanto Zayn vinha atrás de mim com as mãos em minha cintura e o rosto em meu pescoço

-Zayn..-Disse num quase gemido enquanto ele mordia e chupava meu pescoço me fazendo revirar os olhos

-hum.. -ele disse ainda fazendo a mesma coisa, e o calor que saiu de sua boca me fez arrepiar da cabeça aos pés, sentindo um sorriso abrir em seus lábios continuei com a tentativa, frustrada, de distanciá-lo daquela região.

-hm.. Zayn.. -eu tentava falar normalmente, sem qualquer sucesso- para.. Zayn.. meus pais es-estão aqui em-em baixo - um meio sorriso ainda estava em seus lábios quando ele prensou mais seu corpo contra o meu na parede atrás de mim, me fazendo controlar o gemido, eu queria gritar, mas por sorte consegui dar apenas um suspiro alto.

-Não vejo problema em irmos pro seu quarto enquanto eles ficam aqui..

-Você me disse que estava com sono, e que queria dormir, você disse isso ali na sala.. -disse ainda com a respiração levemente descompassada pelo pequeno susto que tivera levado quando Zayn der repente mudou de menininho com sono pra homem necessitado de sexo.

-Ok, talvez eu tenha mentido sobre isso.. -ele disse sorrindo olhando pra cima- talvez eu queira algo antes -Zayn repousou o olhar sobre mim fazendo-me sorrir junto da mesma forma

-Sério? - fiz a maior cara de sonsa, o imitando, enquanto Zayn ainda me imprensava na parede- E o que seria? - disse mexendo meus quadris de leve fazendo-o arfar.

-O mesmo que você -Zayn disse rápido ao pé de meu ouvido, me imprensando ainda mais contra a parede, e podia ser loucura da minha parte, mas aparentemente ele já estava digamos, preparado.

Suspirei alto mais uma vez, e Zayn logo me beijou com uma das mãos em minha nuca, aprofundando o beijo sem dificuldade alguma.

-Filha? Zayn? - ouvi a voz de minha mãe vindo até a escada fazendo-me partir o beijo empurrando Zayn pra longe. -Querida..- apesar de ficar um pouco desnorteado no inicio, logo Zayn entendeu e subiu o resto dos degraus, de dois em dois, indo em direção ao meu quarto rápido.

-Sim mãe.. - apareci para ela ao descer alguns degraus, com a cara mais sonsa possível, e ajeitando o cabelo, cobrindo a parte de meu pescoço que eu já sabia que se não estivesse roxa logo ficaria.

-Ele já foi dormir? - ela disse calma

-Uhum - confirmei com a cabeça

-Ah.. -ela disse quase decepcionada, sabe querida, ele é um bom rapaz -sorri pra ela que continuou -Não deu tempo de conversar muito com ele mas, acho que ele poderia viajar conosco nesse próximo feriado.. - ela disse sorrindo enquanto eu estava paralisada, não que eu sempre apresentasse meus namorados aos meus pais, mas normalmente minha mãe acabava descobrindo com quem eu estivesse, de qualquer forma, ela sempre os odiava, e não gostava se eu ao menos falasse sobre o menino. Mas dessa vez ela não só estava falando bem de Zayn, mas estava convidado-o para viajar conosco para a casa da minha avó..

-eu sei s/n, é louco, mas eu realmente gostei dele, e apesar de acabar de conhecer-lo não me incomodaria de o ver-lo durante os almoços de domingo..

-Isso é serio? - perguntei desacreditada

-Sim -ela sorriu pra mim- agora boa noite filha.. E ah! Oferece a ele de almoçar aqui amanhã..

-Ok.. -sorri pra ela e assim que ela saiu continuei a subir a escada olhando para trás ainda perplexa com a cena

Meu corpo se chocou contra o de Zayn assim que subi o ultimo degrau, me fazendo dar um leve gritinho de susto que logo foi abafado pela mão de Zayn em minha boca, o mesmo sorria com uma sobrancelha arqueada, ele puxou minha cintura fazendo nossos corpos se chocarem e em seguida tirou a mão de minha boca

-Parece que teremos uma viajem pra fazer -seus lábios encontrarem meu pescoço, fazendo-me suspirar mais uma vez- gosto de viagens -um leve beijo molhado foi depositado ali, enquanto Zayn me puxava pra si cada vez mais - Mas sabe, não posso esperar algo, até  feriado

-Zayn.. -disse em sussurro, mesmo tom usado por ele- Estamos na minha casa.. com meus pais aqui em baixo, e com você… tecnicamente dormindo -eu parava a cada vez que ele me dava uma leve mordiscada

-Tecnicamente isso, na pratica tanto eu quanto você queremos outra coisa -Zayn me imprensou contra a parede atrás de mim com força fazendo um barulho que fez minha mãe gritar do andar de baixo

-Querida? O que aconteceu?

-Nada mãe! -disse quase assustada enquanto Zayn prendia a risada- Só bati aqui num móvel -gritei de volta sabendo que ela se conformaria com isso.

Dei um leve tapa nos braços de Zayn e disse ainda sussurrando

-Vamos logo para a merda do quarto Malik!

-Seu pedido é uma ordem -ele disse ao pé de meu ouvido fazendo-me arrepiar novamente.

Zayn me puxou rápido pela mão como se soubesse aonde é o quarto, e ele quase abriu o quarto de meus pais, o que seria um desastre.

-Não! É por aqui.. -disse o puxando para dentro de meu quarto, e assim que entramos senti Zayn me empurrar para a porta, fazendo minha bunda chocar-se com a mesma.

-Sabe s/n, esse vestido é muito bonito-ele disse acariciando minhas coxas- mas eu acho, que ele não deveria estar aqui agora- ele mordia os lábios enquanto ia subindo as mãos, levando o vestido junto, e ao chegar ao quadril simplesmente o puxou totalmente para cima. Ele jogou o vestido pra trás ignorando qualquer coisa.

Me afastei um pouco da parede o empurrando pra trás, fazendo-o se sentar na cama de solteiro do quarto, Zayn puxou meu rosto para um beijo o qual não me dei o trabalho de controlar, o beijo simplesmente era conduzido por Zayn que mantinha uma das mãos em minha cintura e a outra em minha nuca. Meus braços se direcionaram ao final da blusa que ele usava, puxando-a pra cima, o beijo foi interrompido por um segundo, logo voltando com Zayn me puxando para deitar na cama, virando-me de costas, fazendo com que ele ficasse sobre mim. Direcionei minha mãos para o feixe da bermuda que ele usava, com a intenção de abrir, mas sem qualquer sucesso.

Desviei meu rosto pra cima, cortando o beijo fazendo ele se voltar para meus seios instantaneamente

-Seria mais fácil de você tirasse logo isso não acha? -disse um tanto irritada, fazendo-o sorrir, entre os chupões depositados em meu busto. Ele se levantou um pouco para fazer o que eu pedirá e logo se voltou para meus seios.

Suas mãos foram para as minhas costas a procura do feixe que logo foi localizado e aberto, ele puxou o sutiã com calma dos meus braços, fazendo os pelos dali se arrepiarem com o toque lento. Ele ainda sorria. Zayn jogou meu sutiã para algum lugar do quarto que não fiz questão de identificar, ele pegou em minha cintura me colocando mais pra cima na cama, ficando com a cara em meus seios, sua mão direita começou a massagear meu mamilo direito enquanto sua boca foi para meu seio esquerdo me pegando desprevenida logo na primeira vez que sua língua passou fazendo um movimento circular, me fazendo arfar. Minhas mãos foram para aonde deveria estar seu cabelo, mas o fato dele ter raspado não me impediu de passar as mãos por ali, mas agora ali também era um ponto um pouco mais sensível, fazendo ele se arrepiar com meu toque.  Ele olhou pra mim, e lambeu mais uma vez, e depois mais uma, me fazendo xingá-lo mentalmente por isso

-Za-Zayn! -o adverti em tom de gemido, fazendo ele repetir o movimento da língua, e minhas costas se contorciam em efeito ao prazer que inundava meu corpo naquele momento.

Seus movimentos continuaram no lado esquerdo, e depois de mais alguns suspiros, ele se voltou para meus lábios. Durante o beijo levantei uma de minhas pernas o puxando pra mais perto, chocando nossas intimidades o que fez ele soltar um leve gemido, me virei , com certa dificuldade pelo fato da cama ser de solteiro, mas ficando por cima dele. O beijo foi partido no meio da confusão, me fazendo ficar levemente sentada sobre seu membro. Zayn já respirava fundo enquanto em direção ao próprio membro, que já estava consideravelmente excitado

Me abaixei deitando sobre ele sussurrando em seu ouvido em seguida

-Lembra que você está dormindo meu amor… -rebolei meu quadril e ele suspirou forte, rebolei novamente e ele praticamente gemeu meu nome

-S/n, não me torture

-Pedido negado. -disse me retirando  da posição, não sem antes rebolar mais uma vez, tendo como resposta sua mordida de lábio enquanto os olhos permaneciam fechados.

fui quase engatinhando de costas horizontalmente para a pontada cama, tirei sua cueca com calma, fazendo seu membro quase pular da mesma, sorri para ele e voltei para seu membro dando uma leve lambida antes de posicionar minhas mãos masturbando-o enquanto o olhava, ele mordia as próprias mãos se impedindo de gemer alto, o que era um bom sinal. Voltei minha língua mais uma vez para a cabeça de seu membro, e um gemido acabou saindo, fazendo ele pegar meu vestido que não sei como foi parar na cama, mordendo-o em seguida. Continuei masturbando até que finalmente o coloquei na boca, parte de seu membro eu chupava, parte eu masturbava, sentia que ele iria gozar a qualquer momento, e o olhei novamente, o que fez ele não segurar mais um gemido. Ele gozou, e eu engoli, logo voltando totalmente pra cima dele e o beijando. Suas mãos passeava em minha cintura, quadris e bunda, apertando cada parte que passava, minhas mãos voltaram a seu cabelo e nuca. Nossos suspiros eram abafados pelo beijo.Comecei a rebolar sobre ele novamente, o instigando mais, eu ainda estava com a calcinha, mas seu pano fino já estava completamente molhado.

Zayn virou-se pra cima, com menos dificuldade que eu, o beijo se partiu mais uma vez e ele arrancou minha calcinha forte pelo lado, a fazendo rasgar ali mesmo pelo fato do pano ser fino, o que fez além do barulho do pano se rasgando, ter  um gemido saindo de minha boca. Zayn tapou a mesma com uma das mãos. Ele abriu a primeira gaveta a procura do preservativo, não o encontrando

-Terceira -disse abafada por sua mão em minha boca, e ele logo abriu a mesma, tirando o preservativo de lá.

Depois de devidamente colocado por ele, suas mãos voltaram a minha boca, e com calma começou a entrar em mim com seu membro, ele entrava até a metade, e logo tirava, enquanto isso eu arfava em suas mãos.

De repente ele entrou com força total fazendo meu corpo  se contorceu,  e um gemido foi solto por ele

-Você é tão.. -ele quase tirou seu membro, logo dando outra investida- apertadinha -dessa vez a palavra veio acompanhada de um gemido.

Tirei a sua mão de minha boca

-Você precisa calar a boca! -disse o puxando pra mais um beijo impedindo os futuros gemidos, tanto meus como dele.

Ele entrou e saiu mais algumas vezes antes de eu trocar de posição mais uma vez, surpreendentemente rápido. Comecei a movimentos mais fortes com meu quadril, já sem os beijos, eu chupava seu pescoço, fazendo com que suas mãos que estavam sobre meu quadril e bunda, as apertassem.

Me desvencilhei de seu pescoço me sentando, e basicamente quicando sobre seu membro.

Em alguns segundos ele chegou ao ápice. Mais algumas reboladas com a ajuda das mãos de Zayn, meu orgasmo chegou.

Me deitei sobre Zayn alinda com ele dentro de mim, e de repente três batidas vieram da porta

-Filha está tudo bem? -era meu pai

-S/n?? -minha mãe disse ainda do outro lado da porta

Olhei pra Zayn que estava com os olhos arregalados assim como eu, nós não tínhamos trancado a porta. Ele  saiu de mim, e tudo foi tão rápido que quando me deu conta, caímos no colchonete que minha mãe tinha posicionado ao lado de minha cama para que Zayn dormisse lá, a camisinha, usada, estava debaixo de minha cama, e Zayn terminava de nos cobrir com o lençol. O ajudei puxando o lençol sobre todo meu corpo, assim não daria pra saber se eu estava ou não vestida, Zayn aparentemente estava só sem camisa. Passei minha perna por cima de sua para que seu membro não fosse identificado pelo tecido fino do lençol que por sorte era vermelho sem transparência.

A porta foi aberta e a única coisa que consegui fazer foi fechar os olhos, sendo acompanhada por Zayn

-QUE PORRA É ESSA?- meu pai praticamente gritou fazendo o corpo de Zayn estremecer com isso

-Fala baixo! -minha mãe disse o advertindo- Para de pensar besteira de sua filha, ela está visivelmente dormindo!

-Não seja inocente.. -ele disse visivelmente com zero paciência

-Você que não seja maldoso! Eles estão só dormindo juntos, no colchonete, não há nenhum problema nisso! Ou há? -ela dizia autoritária

-Não.. -ele disse como uma ferra domada

-Então pronto, vamos voltar para o quarto e deixar eles em paz..

A porta se fechou novamente.

Olhei pra Zayn que sorria pra mim, segurando o riso, eu fazia o mesmo, quando a porta novamente foi aberta nos pegando de surpresa. Era minha mãe.

-Só quero deixar claro que eu não sou trouxa, apenas gostei muito de você garoto -sussurrando ela apontou pra Zayn  que assim como eu relaxou minimamente- mas da próxima vez, controlem os gritos, ou ao menos tranquem a porta -ela dizia séria logo soltando um sorrido. -Boa noite meninos.

-Boa noite- dissemos juntos e ela fechou a porta com calma, sem fazer qualquer barulho

Olhei pra Zayn que já ria baixo, colocando a cabeça na curva de meu pescoço enquanto me puxava mais pra perto pela cintura.

-Sua mãe é minha heroína! -Ele disse ainda rindo baixo junto a mim

Imagine Louis Tomlinson
  • Bom galera demorou mais saiu.
  • Ficou um pouco pequeno, me desculpem

Pedido-Anonymous - Faz um do Louis que eles só ficam e ele provoca ela com outras mulheres e ela surta! Final feliz.

》》》》

A música tocava alta e as pessoas se agarravam como se não houvesse amanhã, o cheiro de álcool e de maconha pairava no ar.Eu me sentia completamente desconfortável na que lugar, Louis tinha me obrigado a ir com ele em um aniversário de um amigo em comum e isso acabou em uma boate cheia de gente se pegando.

Enquanto Louis devia está aproveitando a vadia que estava em seu colo, eu não podia falar nada porque não tínhamos nada. Só estávamos ficando.

No meu dia normal, eu estaria deitada no meu sofá assistindo séries e me empanturrando de chocolate, mas eu estou aqui vendo o meu ficante quase comendo uma na minha frente.

Me irritei e fui a procura de Harry. Encontrei ele se agarrando com uma qualquer e quando me viu a soltou.

-Será que você pode me levar pra casa? - perguntei

-Cadê o Louis? - perguntou confuso.

-Isso responde a sua pergunta?- Aponto para o Louis que se pegava com uma loira.

-Tá bom,eu te levo!

Conseguimos chegar em seu carro depois de muito tempo já que a saída da boate estava entupida de paparazzi.

O caminho foi silencioso e deu até pra mim tirar um cochilo.

-Bom vou indo Harry e obrigado pela carona. - desço do carro e dou um beijo de gratidão na bochecha dele - ah! E se você ver o Louis fala que eu mandei um “Vai se fuder” pra ele!

-Pode deixar! - gargalhou e logo foi embora.

Entrei no meu apartamento completamente exausta, meus pés doíam e minha cabeça mais ainda. Eu só queria me jogar na cama, pois o dia de amanhã seria muito longo.

Cheguei no meu quarto e a única coisa que fiz foi jogar o sapato no chão e me deitar.

——-

Marcava 3 horas em ponto quando Louis entrou dentro da minha casa igual a um furacão, fazendo que eu me assustasse.

-Como assim “Vai se fuder”? - Gritou

-O que? Não sabe mais o que significa? - Falei olhando para o programa que passava na tv, que por acaso estava mais interessante que essa conversa.

-Ah sim, sei o que significa. O que eu ainda não entendi foi o porque você me deixou sozinho naquela festa. Você é tão ingrata que….

- O porquê? Porque você tava se pegando com aquela loira seca e eu lá a pessoa que você convidou a ingrata vendo a pessoa que eu tô/tava “pegando” se agarrando com uma na minha frente.Olha aqui Louis - fiquei de frente pra ele- eu fui bem criada não sou vadia pra tá toda hora estar com uma cara, então você se decidi, nós ficamos sério ou você nunca mais vai me ver na sua frente.

-Me desculpa.

Sussurrou

-Tá legal eu errei,mas eu não quero te perder.

Segurou meu rosto entre suas mãos

-Você foi a única mulher que me entendeu em toda minha vida e eu sou completamente apaixonado por você. Mesmo não demonstrando e ontem eu fiz aquilo pra só pra tentar te tirar da minha cabeça eu queria aceitar.

Sua testa foi contra a minha.

-Eu também sou completamente apaixonada por você, mesmo com esse seu jeito orgulho de ser.

O seu sorriso aumentou.

-Mas essa é a última chance que eu te dou. - o adverti

-E pode deixar que a próxima não vai precisar.

Seus lábios macios foram contra os meus fazendo me esquecer completamente o que tava ao meu redor.

Eu acho que realmente eu estou completamente apaixonada por esse homem.

》》》》

^ANNA^

Mun: Claro. :3

Raito: -Apareció de pronto, cruzado de brazos y recargado en la pared, soltándo una de sus clásicas risillas por lo bajo, mirando a Kou que estaba solo en un aula guardando sus cosas para irse.- Asi que~,el gran idol Mukami Kou ha estado coqueteando con mi Bitch-chan~, nfu.

Kou: -Su reacción fue inmediata, soltó una risa burlona ante lo que Raito le decía y se giró para mirarlo, colocando una mano en su cintura de forma algo prepotente.- ¿Te refieres a M-Neko-chaaan~? ¡Vaya, a ella le encaaaanta~ estar conmigo, fufu!

Raito: Hmmm~. Creo que puedes estar muuuy~ equivocado. Solo venía a decirte que ella es MI Bitch-chan, y que sería muuuy~ bueno que dejaras de meter tu rubia cabeza donde no te llaman, huh.

Kou: ¿Perdón? Jaja, creo que se te olvida uuuuna~ cosa. -Y de golpe, su voz se volvió oscura y brusca.- Te olvidas de con quién estás hablando. ¡El fabuloso idol Mukami Kou! Y  yo puedo hacer lo que me venga en gana.

Raito: Nfufu~, creo que no tienes ni ideaaa~ de con quién te estás metiendo. -Sonrió de forma juguetona mientras se acercaba al idol de forma despreocupada hasta que quedó muy cerca y con sus ojos brillando intensamente en verde, sonrió.- Soy capaz de hacer cosas muy horribles…. -Susurró.- … todo por mi Bitch-chan.

Kou: ¿¡Me estás amenazando a mi, Sakamaki!? ¿¡Quién crees que eres!?

Raito: Soy un vampiro que es mejor que tu en toooodo~, nfu. Y no tengo problema en demostrártelo cuando quieeeras.

Kou: ¡Pues demuéstramelo ahora mismo! ¡Voy a acabarte si tan solo te dignas a ponerme una mano encima! ¡Nadie me va a decir cuando y cuando no puedo estar con M-Neko-chan!

Raito: Jaja, conste que te lo adverti~. No te volverás a acercar a Bitch-chan y de eso me encargaré yo.

Doble sentido. WIGETTA ONE SHOT LEMMON HARD

Bueeeno. Como hemos llegado a 100 seguidores he escrito este one shot lemmon hars wigetta. Es el primero que escribo, no seais malos… como siempre hemos dicho las Willylovers… a Willy le van los latigos. A nosotras las fustas. Enjoy ^^
—————————
*-Dame mas Willy, dame mas joder.
Gemí mientras las esposas de metal se clavaban fuertemente en mis muñecas. No podia creer todo lo que estaba sintiendo, y mucho menos como habia acabado asi.*

Horas antes. Narra Willy.
Sali de mi habitacion despues de haber grabado un par de videos con Staxx de nuestra nueva serie “Diminutos” y me dirigi a la cocina. Alli estaba Samuel, mi pareja, o Vegetta, mi compañero de piso y amigo de Youtube, depende de como lo mires, comiendose una manzana. Como no, jamas lo veria con un dulce. El y su ejercicio… ¿No le servia con las palizas que me daba por las noches? Y no me refiero a que discutieramos, precisamente… ya me entendeis. La verdad es que el chico lo daba todo en la cama. Y cuando digo todo, es todo.
-Hola Chiqui, ¿ya terminaste? Me preguntó con su sonrisa mas dulce.
-Si, por fin. He muerto nosecuantas veces hoy. Eso de ser Diminuto en un mundo tan grande…. es horrible.
Samuel rio muy fuerte y me miro con unos ojos picaros.
-Ay Willy…. yo me se una cosa que es enorme y que no es tan horrible.
-VEGETTA TIO, PORQUE LE SACAS DOBLE SENTIDO A ABSOLUTAMENTE TODO LO QUE DIGO. exclame rojo hasta las orejas.
El se acerco a mi y me rodeo la cintura con las manos.
-Chiqui, que es broma. Solo lo hago para que te enfades.
-Algun dia me vengare. Ya lo veras. Respondi haciendo pucheros. El sonrio y fuimos a ver la tele.
Y si que lo iba a hacer. Si que me iba a vengar. Iba a castigarle. Pero… mejor por la noche.
Prepare la cena y comimos juntos. Era una noche como cualquier otra, tomando un cafe despues de cenar y hablando de los videos.
-Casi lo olvido.- exclame- he grabado un video y quiero que mires si te gusta. Voy a ponerlo y te llamo a mi cuarto, ¿vale?
-Claro, yo limpio esto y voy.
Me escabulli a mi habitacion. Puse el video y llame a Samuel.

Narra Samuel.
Recogi los platos morados y limpie la cocina. Oi como Willy me llamo desde su cuarto y fui a ver ese dichoso video. Seguro que era un remake de Aprovecha el bug o algo asi.
Fui a su cuarto y le vi toqueteando el portatil.
-Ven ven, corre, sientate. Me dijo entusiasmado como un bebe. Me sente en la cama, apoyado en el cabecero, dejando a willy a mi derecha y yo junto a la pared. Puso el portatil en mi regazo y le dio al play.
Era un video de minecraft en el que se le veia a el discutiendo con una vaca. Al parecer queria llevarla a un corral y esta no hacia mas que soltarse. Despues de 7 intentos, desistio y la mato con una espada de diamante. Yo cerre la computadora riendo y dije.
-Willy, la proxima vez intenta atarla, asi no se escapara.
Acto seguido Note algo frio en mi muñeca que tiraba hacia atras de mi brazo y oi un ruido de metal. Sorprendido, intente mover la mano y vi que no podia. Tenia unas esposas sujetandome al cabecero de la cama.
-¿Asi que si la ato no se va a escapar? Gracias por el consejo. Dijo Willy con una sonrisa pervertida.
Rapidamente aparto el ordenador y se sento sobre mis caderas.
-Willy, ¿Que mierdas haces? Sueltame.
-Tssss. Te dije que te iba a castigar si seguias sacando mis comentarios hacia un contexto sexual. Te lo adverti. Ahora he sacado yo los tuyos.
Contesto, haciendo un veloz movimiento con el que ato mi otra mano con otra esposa.
-Dime que tienes las llaves al menos.
-si, las tengo. Y tengo muchas mas cosas nene.
Dijo pasandose la lengua por los labios de una manera muy sensual. Se agacho y comenzo a besarme profundamente y a morderme fuerte los labios. Sabia que me estaba haciendo sangre, pero el beso era tan apasionado que no le di importancia. Era una situacion muy nueva. Yo era el seme de la relacion.
Sin darme cuenta, willy bajo su mano hasta mi entrepierna y presiono, haciendo que se me escapara un gemido y que mis manos tiraran de las esposas.
-Esas manitas quietas.
Dijo, y continuo besandome mientras desataba mi pantalon con una gran habilidad.
Comenzo a descender sin apartar sus ojos de los mios hasta llegar a mi cintura. Tomo la goma de mis boxers y paso sus pulgares por dentro de ella, haciendo que un escalofrio recorriera mi espalda y volviera a tirar de las esposas. Tenso y solto la goma, dandome un pequeño latigazo con ella. Lentamente me quito los pantalones y los boxers, dejandome unicamente con la camisa. El se quito toda la ropa excepto los boxers, cosa que me molesto mucho ya que veia de pleno su prominente ereccion.
Volvio a atacar mi cuello, haciendo que soltara pequeños suspiros mientras que el movia la cadera haciendo que apenas rozara mi pene con su ropa interior, lo cual hacia todo mucho mas intenso. Continuo con sus movimientos un rato mas, hasta que mi miembro estaba cubierto de fluidos preseminales y yo no hacia mas que gemir. El puso su dedo en mi boca y comenzo a pasar su uña haciendo.presion desde alli hasta la parte baja de mi cintura, dejando un fino camino rojo que atravesaba mi pecho.
Paso su uña por mi pene erecto, haciendo que un grito gutural saliera de mi boca. Como siguiera asi no tardaria en correrme. El hecho de que cada dos por tres mi cuerpo se contrajera ante las oleadas de placer que me daba el chico habia hecho que mis muñecas estuvieran muy marcadas a causa de las esposas.
Entonces willy comenzo a masturbarme rapidamente durante un segundo, pero se detuvo.
-Estas tan caliente asi Vegetta…
- Si, sigue porfavor. Suplique.
-ah no… esto es un castigo.
El se apoyo en sus rodillas y se puso justo encima de mi falo. Descendio un poco y roce su entrada a traves de la tela de su boxer. Comenzo a mover las caderas en circulos, provocandome mucho, haciendo que tirara de las esposas.
-Salen cosas muy sucias de tu boca ultimamente Samuel… que tal si ahora entran? Pregunto.
Se quito los boxers y acerco su pene a mi boca. Yo no dude ni un instante y comence a lamerlo, succionarlo y morderlo como si me fuera la vida en ello. Podia oir sus gemidos fuertes y graves saliendo de su boca. Tomo mi cabello y marco el ritmo de la felacion con sus manos, haciendo que casi me atragantara con su miembro, mas yo continue con mi tarea, hasta que, tras un fuerte grito, note como se corria en mi boca. Yo trague su dulce esencia y limpie los restos. El me miro con la respiracion entrecortada y me beso salvajemente, saboreandose a si mismo, tomando mi falo y masturbandome rapidamente. Se alejo de mi boca y se coloco entre mis piernas. Yo pensaba que iba a penetrarme, pero en su lugar busco con una mano debajo de la cama hasta sacar un largo palo. No sabia lo que era, pero el lo acerco a mi pene y lo rodeo con el. Entoces me di cuenta de que era una fusta. Delineo con ella mi pene, haciendo que se mojara. Levanto mis caderas y jugeteo con ella en mi entrada. Entonces, de repente me dio un golpe con ella en las nalgas. Picaba un poco, pero ese dolor me encendio.
-Dame mas Willy, dame mas joder.
El situo su pene en mi entrada y me penetro de una estocada, levantando mis caderas y dandome con la fusta un par de veces algo mas fuerte. Yo gemia mientras las esposas se me clavaban en las muñecas y la fusta golpeaba mi trasero.
Pero no duro mucho, ya que yo comence a gemir muy fuerte y willy la arrojo lejos, dejando sus dos manos libres para sujetar mis caderas y penetrarme fuerte y rapido.
Yo no me contuve y me corri en su abdomen.gritando su nombre en una nube de placer.
Todavia algo ido, note como willy desataba mis muñecas y las masajeaba con cuidado. Besando ambas marcas. Me beso suavemente y me dijo al oido.
-Tu tendras una boca sucia. Pero no menosprecies una mente sucia aunque no hable.

-Primera y creo que ultima foto de los 2 :(-

Ya paso una semana de que todo se acabo y que no se nada de ti, dos semana que no te veo la cara, ayer tuve la oportunidad de verte pero me fui, arranque de ese lugar donde tu me dijiste que te podía hallar. Lo único que quería era abrazarte cuando estaba allí, pero arranque… todas las noches se me hacen largas pensando en ti, en todo los momentos bonitos, recuerdos hermosos, conversaciones largas que nunca a cavaban.

Todo el puto día pensando en ti, pero cuando me hablan de ti hago creer que no me importa, que ya pasaste.. pero solo yo se lo que siento por ti… No, no era mi pololo.. Era alguien mas especial que eso, mi MEJOR AMIGO, el mejor que nunca en vida volveré a tener y todo por que? por “pendeja”, pero yo adverti que aveces las cagaba con las personas que mas quiero, no soy de tener muchaaaaaaaaaaas amistades y mucho menos en tan poco tiempo denominar a alguien como MEJOR AMIGO/A, pero contigo fue todo tan diferente, tan especial, tan bacan… 

Te pedí perdón como ochocientas mil veces, lo único que quería era no perder tu amistad y tu ultimo mensaje fue: “Que DIOS te bendiga. Suerte en tu vida”. Con eso me derrumbe, aun lo estoy. Recai en lo que me prometí nunca mas recaer:/:/
Me siento tan sola, no creo que mucha gente entienda este sufrimiento… Solo yo se todo lo que duele. Pero lo mas terrible de todo es que alomejor entre los dos, yo sea la única que esta sufriendo día y noche.. mucho mas noche, por que en el día tengo que actuar “normal”, por la hermosa amistad que teníamos…

SIEMPRE TE VOY A QUERER♡♡♡ Y HASTA VIEJITA TE VOY A RECORDAR COMO EL MEJOR AMIGO QUE JAMAS VOLVERÉ A TENER…

Um amor com cheiro à Jasmim

Outro dia estava com minha amiga e eu disse para ela que as flores são como nós e ela achou estranho. Estava noite e a lua estava linda, imaculada. Virei-me para ela e disse: as flores dormem durante a noite, por isso elas estão com as pétalas para baixo. Logo em seguida ela ripostou: eu não creio nisso, isso é um fato ignóbil. Continuei a insistir porque eu sempre tenho plena convicção naquilo que digo. Sou muito diferente dela, eu vejo o abstrato, o irreal, o inimaginável, ela vê o óbvio, o que está em sua frente, não atrás. Disse para ela que as flores são como a gente, elas têm cheiro, dor, tristeza e como  nós também dormem. Por descuido ou maquiavelice ela arrancou uma pétala e todas as outras murcharam, adverti-a e disse que as flores também tem sentimentos e até coração: o seu miolo. Sim. As flores são como a gente ou melhor que nós. Ela arrancou uma pétala e as outras murcharam, elas também sentem assim como nós. Ela são unidas e libertam cheiro, elas querem salvar o mundo com o seu perfume. Ah flores do meu viver, quem dera que todos e todas acreditassem no seu poder. Poder de cura, alegria e principalmente o poder do amor. Sim. Flores são amores plantados em terrenos baldios e muitas das vezes remotos. Sim, as flores são amores e elas sentem amores por nós. Ah se elas pudessem falar, exalaria perfume ao sibilar. Minha amiga resgatou a pétala, colocou sobre o seu regaço e fitou a pétala por uns instantes. Passado um tempo ela vira-se e diz: as flores não morrem, as flores apenas dão lugares à outros amores. Apaixonei-me por flores por causa desta flor, não porque eu matei-a ou cortei-a pela raiz, mas sim porque eu vi que as coisas mais simples da vida estão diante de um palmo do nosso nariz e aprendi hoje, com ela e com você que as flores são imortais e que elas, apenas elas, escondem o verdadeiro sentido da vida, aprendi que flores também respiram, aprendi que flores também choram e também comem. Fiquei surpreso por ver que minha amiga compreendeu algo tão belo apenas por olhar aquela flor.Um olhar demorado que fez perceber a grandeza de um amor em uma pétala. O mundo está carenciado de pessoas assim: apaixonáveis, pessoas que estejam suscetíveis a novos amores, pessoas que amam e distribuem amor. Aquela flor murchou, morreu, mas morreu com a certeza que transmitiu amor e foi amada. A hora passou  e estávamos atrasados, segui em frente e ela ficou mais um pouco. Virei-me e fiquei surpreso com um gesto mais belo que alguma vez vi. Ela, em questão de segundos cercou com alguns galhos secos e folhas aquelas pobres florzinhas. Fiquei atónito, voltei e perguntei à ela o que tinha acontecido, ela apenas disse: Foi amor, é amor e eu estava apenas cega. Hoje aprendi a ver por dentro e não só por fora. Hoje, nesse dia tão belo de lua cheia aprendi o que é amar. E amor é isso: é proteger quem a gente ama, e começarei a proteger quem me ensinou isso. Você está correto, há vida em tudo que é inanimado. As flores amam e hoje eu também. Saímos de lá e depois de alguns passos, olhamos por cima de nossos ombros e vimos um casal parar por lá, olhei para minha amiga e fiz uma expressão estranha. No entanto, o rapaz de olhos castanhos e cabelos encaracolados arranca uma das flores e oferece à sua namorada. Mais uma flor que morreu, pensei, mas não, disse minha amiga. Ela apenas morreu para dar vida o que estava morto. Eu conheço aqueles dois… A relação deles está por um fio. Meu Deus! As flores são muito mais do que eu pensava, são solidárias e nunca serão egoístas. Preferiu morrer para salvar um amor. É isso. É disso que eu falo e continuo a falar: enquanto houver flores, haverá amor. Um amor puro, omisso, que apenas o vemos com os olhos da alma. Foi isso que minha amiga fez, ela disponibilizou sua alma para poder receber e desfrutar desse amor. Um amor puro, lindo, imaculado e como brinde, ainda têm cheiro de jasmim.

Túlio Santos.