adiantos

As minhas cicatrizes são demais para você, e desde já, lhe adianto: não seja ousado e não entre nesse barco! Tudo aqui é demais para você e não digo de beleza, ou algo relacionado a isso, e sim de fraquezas e decepções. Você não aguentaria um mês no meu mar de rosas, pois tem mais espinhos que o peixe que você comeu no domingo passado, você iria se engasgar. Não ouse entrar na minha vida, pois já é demais sentir minhas mágoas, e ser uma pra alguém seria doloroso, e talvez, eu não aguentaria! Você tem seu barco de decepções, eu sei, mas aqui não é competição de quem sofre mais e sim, simples gestos de compreensão, você compreende? Você não precisa de alguém cheia de incertezas, defeitos e fraturas. Não precisa de alguém que num dia tá bem, no outro não mais. Não precisa de mim e minhas inúmeras decepções domesticadas que insistem em ficar. Posso até confessar que sinto uma coisinha aqui dentro por ti, mas não vale a pena insistir em tudo isso, sabe? Eu já cansei de colecionar de tantas decepções e acho melhor vivermos em lugares separados, bem distantes um do outro. Você com as suas mágoas e eu com as minhas. Deixo claro que você não vai perder nada, afinal, não precisa dos meus dramas e acredito que a sua vida será muito melhor se eu não fizer parte dela. Ah… e fala pro teu coração não insistir no meu, pois do amor, já desisti faz tempo. Eu tenho andado meio cansada de apostar em toda essa coisa de amar, é uma burocracia e tanto. O amor é resposta, mas também é aposta. Quem inventou o amor, esqueceu de deixar o manual de instruções. Então, optei por desistir. Você não aguentaria conviver com as ondas de humor que me cercam, meu bem. Eu sou um eterno mar de complicações, não aposte em mim. Vamos ficar assim, eu aqui, você ai, e a saudade no nosso meio, ardendo no peito.
—  Escrito por Beatriz, Juliana, Ane e Anelise em Julietário.
A melhor parte do meu dia, sem dúvidas, era o finalzinho da tarde. Nós nos sentávamos na calçada em frente a minha casa, e eu a escutava falar com empolgação sobre os acontecimentos do seu dia. Ela sempre contava as melhores histórias, desconfio que exagerava
um pouquinho, só para me fazer rir. Confesso que de vez em quando me distraía enquanto ela falava, mas que culpa eu tenho se tudo nela
é tão interessante? É difícil me concentrar em outra coisa que não seja aqueles olhos cor de chocolate amargo, que são tão doces aos mesmo tempo. Ou naquela risada que faz meu estômago se contorcer de tanta felicidade. Mas essa é só a melhor parte do meu dia, a melhor parte da minha vida eu conto depois. E já adianto, começou no momento em que eu a conheci.
—  Jardim de Açucenas.
Tu despertas em mim emoções e sentimentos que nunca ousei experimentar, que nunca me fizeram sentir, e caso me perguntem o porquê de ter sido você, já adianto que não sei, talvez se encaixe no Maktub, ou tenha sido pelo teu sorriso, teu jeito, teus afagos, pode ser também aquele tipo de sentimento que não tem explicações, que você só sabe que está sentindo, seria você o meu amor?
—  É sobre você
lugar

Você precisa saber de 3 coisas quando entra na vida de alguém. O lugar que você já tem, o lugar que você quer ter, o lugar que você merece. Quando eu digolugar” eu to querendo dizer o espaço que eu ocupo na vida do outro. E eu sei que esse espaço vai ser relativo, porque as pessoas dão o que querem dar.  Uma vez eu ouvi de uma amiga uma coisa que me deixou pensativa. “As pessoas mentem olhando nos olhos da gente.’’ E depois eu comecei a ligar os pontos. Sabe as vezes você escuta uma coisa que você até sabe, mas quando você ouve aquilo, você para pra analisar toda uma vida. Eu não sou de implorar um lugar na vida das pessoas. Eu não sou de insistir por uma vaga, como quem procura uma, num dia de domingo, numa praia lotada. Eu não o tipo de pessoa que me iludo com palavras, porque chega uma hora na vida da gente, que fica claro, que palavras o vento leva a qualquer momento. Que você pode dizer aqui, e amanhã nem lembrar do que disse, acontece. Pessoas que não sabem qual lugar que devem ocupar na vida de alguém aceitam qualquer coisa. Mas eu sei muito bem aonde queria está na sua vida. E te juro, se não aconteceu, e nem vai acontecer, já te adianto, não vou insistir. Aprendi que o que não nos é dado por livre e espontânea vontade, não é bom ter. É muito melhor ganhar um presente, do que pedir por um. E quem sabe quando você me enxergar e perceber que deixou uma chance boa ir embora, eu já tenha ido embora. Com a minha mochilinha nas costas, com a saudade apertada no peito, desacreditada e cansada. não ter você da maneira que eu quero dói, e por isso eu vou embora. Perder nunca foi meu forte, mas se eu perder, é de cabeça levantada sempre. Eu desisto muito rápido de coisas que eu tenho que insistir. Perder você pode até doer, mas ter que insistir pra você ficar, dói muito mais.

Sinto amor

Sabe… Às vezes dói lá no fundo. Em uma parte do meu coração que eu insisto em esconder de todo mundo. Hoje, sonhei com você de novo.
Chego a me perguntar quando não sonho com você, li em algum lugar que os sonhos são projeções dos nossos desejos reprimidos.
Ta aí, você é meu desejo e eu to cansada de reprimir, quero abrir a janela do meu quarto e gritar aos sete ventos que eu sinto sua falta, mas algo sempre me impede de abrir meu coração. Eu que demorei tanto tempo pra deixar você desvendar meus mistérios não consigo ter coragem para que qualquer um saiba que depois que cê se foi eu já não sou mais a mesma. Cê se foi sem ao menos deixar eu me explicar, cê se foi e não me levou pra ver o pôr do sol em seu apartamento, cê me deixou quando eu mais precisei de você, cê se foi sem dó nem piedade, cê fez meu batimentos cardíacos irem até 150 bpm e me deixou. Deixou. Justo você que tinha medo de me perder, soltou minha mão quando eu mais precisei que você segurasse. Queria ter tido forças o suficiente para ter tentado segurar seus braços, queria ter tido a oportunidade de um último abraço talvez. Queria ter saúde o suficiente para dizer que eu sinto sua falta, mas sabe vai doer demais não ter uma resposta. Eu sei. Eu sei que você não vai me responder, eu só queria saber se você ta bem, se ta feliz e se no final do dia você realmente não sente minha falta. Me falaram que com o tempo minha saudade diminui, mas eu te pergunto quanto tempo meu amor? Ta doendo tanto aqui. E quando a dor aumenta ela tenta sair do meu corpo de alguma forma e ela sai, em forma de lágrimas e então me vejo soluçando as 01:07 da matina. Sinto sua falta e isso não é novidade pra mais ninguém. Só você não vê isso, só v o c ê. E ainda perguntam de você pra mim e eu tento dizer que você deve estar bem, você não podia ter me esquecido assim, tão fácil. Era pra você ter me ligado na semana seguinte dizendo que nada iria separar a gente, era pra você der me dado a oportunidade de te dar todas as nossas fotos que eu revelei e o presente que eu havia comprado na loja que você tanto gosta, eu nem pude contar o como eu economizei pra comprar seu presente. Era pra você ter vindo comer fundue que minha mãe fez e ter se sentado ao meu lado na mesa. Era pra você ter me dito a verdade por mais que ela doesse. Era pra você estar aqui ao meu lado na cama. Era e me dói ao dizer que “era” e não foi, me dói e dói lá no fundo porque ninguém mais elogiou meu sorriso depois que cê se foi, é que ele já não é o mesmo sem você. A verdade que o motivo pelo meu sorriso não é mais você e isso faz ele perder o encanto. É que tudo que eu penso parece ser você e eu só queria te mostrar as fotos que eu tirei e revelei e nem você sabia. Queria que soubesse que passe o tempo que for, não adianta! Vou continuar sentindo sua falta, vou continuar me importando e se em algum momento eu falar que nem me importo, é mentira! Eu me importo sim, e muito! Mas não adianta eu acreditar tanto em você e você não acreditar em mim quando o nosso amor exigir de nós confiança. Você sabe meus pontos fracos, e se um dia você tentar descobrir um dos meus pontos fortes, eu já te adianto que, meu ponto forte é sentir. Eu sinto tudo intensamente. Sinto sua falta. Sinto amor. Sinto dor. Sinto. Eu simplesmente sinto. Sinto pelo o que a gente podia ter sido, e sinto mais ainda por você não ter acreditado em mim, sinto porque a gente tinha tudo pra ter dado certo mas você preferiu acreditar nos outros. Eu sinto e sinto muito por tudo meu amor.

deixo um pouco de mim por onde passo
transmito energia através de um abraço
absorvo ideias, aprendo, me encaixo
puxo a ponta do cadarço embaraçado
tentando captar outras realidades
por detrás da complexidade
eu me sinto mais humana
e mais completa

nada me pertence fora o que emano
dizem que por aqui todos são humanos
nada que não possa compartilhar
eu chamo de meu
a dor do outro te toca?
o que te afeta?
passo o que tenho, dou o que posso 
sou a bagagem que carrego
sinto que completei a meta
sei que a reta é mais longa
de forma lenta mas direta
eu me adianto

a vida é mais que portar pano de marca
ser patriarca ou uma mulher respeitada
nasci pelada e assim estarei
daqui a menos que uma eternidade
à sete palmos da terra
quando os insetos e os vermes
me despirem da dignidade
que ainda me veste
o que me resta?

em meio à essa sociedade atrasada
é pala na arquibancada política
cidade caótica e subdesenvolvida
crente que nunca leu a bíblia 
crítica de quem reclama mas não faz nada 
desonra vinda da própria polícia
periferia invadida, famílias destruídas
autoridades fazendo vista grossa
pro que realmente necessita
encarcerando quem usa droga

sustento que vem do crime
alguém que te aponta um rifle 
estupro, falta de estudo
assalto, atentado ao pudor
desmerecimento com o professor
maioridade penal 
facada por crise de casal
gente sofrida implorando
por um prato de comida
gente se esquecendo de viver a vida
gente com a essência escondida
gente que não representa
sendo aplaudida

o amor sendo ofuscado
a rotina estagnada
suicídio, fuga do tédio existencial
assassinato à cultura indígena
overdose, pílulas, alcoolismo

qual a peça que falta?
ritmo e poesia
democracia
consciência livre fluindo
sem fins lucrativos
você não é um número
você não é estatística
notícia televisionada pela mídia
você não é artista, você é arte
especialmente aos que não tem moradia

—  brisa, 06-11
♔ Sophie Turner gif hunt.

Você encontrará 682 gifs sobre a linha do read more da atriz Sophie Turner. Devo dizer que sou uma pessoa bem esquecida e provavelmente terá alguns gifs repetidos em outros tamanhos e edições ou até o mesmo, então logo me adianto em pedir desculpas por isso. Peço que se usar ou salvá-los, dê like ou/e reblog essa postagem, e o mais importante: espero que gostem. 

Keep reading

4

44 Days of Witchery: Day Two

A myth or story for folklore.

Hekate and her Plants

Hekate is the goddess of witches, mother of the witch Circe and aunt of the witch Medea. Many witches work with Hekate, and while I don’t personally, I do find her to be an amazing source of inspiration when it comes to plants. You could say plants are a passion of mine, especially the poisonous ones that Hekate herself is so fond of. Truly, her garden would have been quite a sight to behold!

Concerning her garden, the Orphic Songs of the Argonauts says:

There is a grove in the innermost room of the enclosure,
Where lush green wood ascends with shadowy tips,
Laurel trees and cornelian cherry and slender platanos aloft.
There are also many herbs in this place, arching over the deep roots;
Klymenos, complete with the noble asfoldelos, and adiantos,
Aristereon, most tender of plants, and kypeiros with thyron,
Kyklaminos, like the violet, and erysimon, complete with hormion,
Stoichas, then paionia, surrounded by thickets of polyknemon.
Then polion, mandragoras also, and pale diktamnon,
Krokoa with sweet scent, and kardamom, next to kemos,
Smilax, dark poppy, and low chamaemelon,
Panakes and alkeja, with karpason and akoniton …
And many others more poisonous rose up from the ground.

According to translations in Rätsch’s sections of the book Witchcraft Medicine, these historical plants of the Witch Goddess included Aconite (Monkshood), Mandrakes, Belladonna, Black Nightshade, Juniper, Dittany of Crete, and Lavender, to name a few. A garden filled both with healing herbs and deadly poisons (which of course in trained hands and at low enough doses can still be used as powerful healing herbs). He also makes the connection of Henbane being connected with her. I highly recommend this book for anyone interested in working with plants, by the way.

I began growing a lot of these historical witching plants (especially the deadly ones and the Solanaceae family plants) a year ago, so when I bought this book a few months back and read about Hekate’s garden I was instantly a fan her for her wortcunning and brilliantly wide selection of plants.

One Shot ~ Liam Payne

- Alguém em casa? - Liam gritou.

- Não grita! - Sussurrei aparecendo na sala. - Cleo acabou de dormir e você não quer acordá-la, não é?

- Não! Longe de mim. - Riu puxando-me pela cintura e me dando um beijo.

- Mãe. - Stefan aproximou-se de nós correndo.

- Oi, meu amor. - Soltei-me de Liam para abaixar-me ao seu lado.

- Quero comer.

- Ah legal, quando eu acho que você vem dizer que me ama ou que estava com saudades, você me surpreende. - Digo puxando-o para meus braços e pegando-o no colo. Liam beijou sua bochecha.

- Sua mãe é que é muito carente.

- O que é carente, pai?

- Não é nada! - Respondi olhando feio pra Liam e saindo da sala. - Não estraga a visão que o meu filho tem de mim, Payne.

- Pai, vamos brincar? - Jeremy perguntou com uma bola em mãos.

- Agora?

- É. - O menino revirou os olhos fazendo-me rir. Jeremy era o mais velho e herdou a minha falta de paciência.

- Vai lá, amor. - Beijei a bochecha de Liam. - Bom jogo pra vocês. - Ri o ver a cara de Liam, ele estava exausto e não podia descansar. - Esse é o preço que tem que se pagar por querer tantos filhos. - Sussurrei e segui para a cozinha ainda com Stefan no colo. - Aliás. - Gritei fazendo Liam parar de caminhar para fora de casa. - Você tem que pegar a Jenny no ballet daqui há vinte minutos.

- Sério?

- Sério.

- Eu deveria ter ficado no estúdio.

- E me deixar enlouquecendo com quatro crianças? - Perguntei enquanto preparava o sanduíche de Stefan. - Nem nos seus sonhos.

- Posso doar algum pra adoção? - Liam perguntou me fazendo rir.

- Fique à vontade. - Pisquei o olho pra ele e virei-me para entregar o lanche para Stefan que já esperava ansioso. - Isso tudo é fome? - Me assustei quando ele deu uma mordida grande. Ele assentiu. - Nossa filho, deveria ter avisado antes. - Fiz carinho em seu cabelo e beijei sua testa.

(…)

Os quatro estavam em casa e eu me via em um fogo cruzado. Cleo era a mais nova, ou seja, ainda era um bebezinho. Stefan tinha 2 anos, Jenny tinha 4 e Jeremy tinha 5. Todos juntos em um mesmo local se resumia em apenas uma palavra: briga.

- Mãe, o Stefan jogou o celular do papai da escada. - Jenny denunciou o irmão.

- Da escada? E onde está ele?

- Lá em cima. - A menina apontou para o lugar onde o irmão estava e por pouco eu não fui vítima de um infarto. Stefan estava pendurado no corrimão sorrindo pra nós.

- Jesus! Desce daí, Stefan. - Eu não conseguia me mover. Parecia que se eu me mexesse ele cairia. - Liam! - Gritei e logo ele apareceu com Jeremy nas costas.

Nem precisei falar nada, Liam correu até o menino e o puxou pela perna. Stefan ria achando tudo engraçado, nem adiantou falar muita coisa com ele, pois entrava em um ouvido e saía em outro. Não adiantava, afinal, ele era criança. Tive que beber muita água pra me acalmar. Logo após foi a vez de Jeremy e Jenny brigarem pela posse do controle.

- Mas eu quero ver o Gru. - Jenny argumentava gritando. Ela era apaixonada pelos Minions, principalmente pelo Gru. Foi-se o tempo da Barbie.

- E eu quero ver o Groot! - Jeremy gritou de volta. Guardiões da Galáxia era a paixão do meu filho e eu também gostava, confesso.

- O que está havendo aqui? - Perguntei já exausta. Liam cuidava da Cleo, na verdade só estava perto dela porque às vezes eu olhava e via a menina tentando morder o dedo dele que mexia no celular com a outra mão, apesar de que ela não tinha dentes ainda.

- Eu quero ver os Minions.

- E eu quero ver Guardiões da Galáxia.

- Liam, resolve isso aqui. - Eu já não tinha paciência. - Cadê o Stefan?

- Achou! - Ele estava com uma camisa, um chapéu e os tênis do Liam.

- Vai fazer um show, Stefan? - Jenny perguntou rindo do irmão.

- Sim. Como o papai. - Nem preciso dizer que o pai ficou totalmente orgulhoso, não é? O sonho de Liam era que algum dos filhos virasse cantor.

- Mas eu quero ver o Gru, pai. - Jenny interrompeu os pensamentos de Liam.

- Certo… - Coçou a nuca. - O que acham de irmos para o cinema todos juntos?

- Todos? - Praticamente gritei. Liam assentiu. - Isso é loucura.

- Por quê?

- Olha quantas crianças nós temos!

- Tudo bem, podemos deixar a Cleo com alguma de nossas mães.

- Vamos, mãe. - Jenny juntou as duas mãos piscando os olhos docemente.

- Por favor. - Jeremy pediu pulando no sofá.

- Certo. Vocês se comportam?

- Sim. - Os dois responderam.

- Stefan?

- Sim. - Sorriu de um jeito que não me convenceu nada. Com essa criança eu pago todos os meus pecados e ainda adianto os próximos.

(..)

- E agora? - Perguntei aflita quando voltamos para o carro. Minha mãe estava viajando, o que eu descobri apenas quando liguei pra ela, e a mãe de Liam não estava em casa. Resumindo, não havia ninguém pra ficar com a Cleo.

- Vamos levá-la.

- O quê? Não, vamos voltar pra casa.

- Então eu vou ver o Gru. - Jenny disse batendo palmas.

- Não, eu que vou ver o Groot, sua gorda.

- Mãe! - Jenny jogou um urso de pelúcia no Jeremy.

- Onde fica o cinema mais próximo? - Liam riu e acelerou para o shopping mais próximo. Algumas pessoas nos olhavam e riam, acho que pensavam que éramos funcionários de alguma creche e estávamos fazendo um passeio, só pode.

- Vou com os meninos comprar algo pra comermos.

- Só não vamos trazer nada pra você. - Jeremy implicou com a irmã.

- Eu estou com fome! - Jenny reclamou.

- Você sempre está com fome! - O irmão rebateu novamente.

- Pare! - Olhei feio pra ele. - Liam, vá logo pelo amor de Deus. Não quero surtar no meio das pessoas.

- Volto logo. - Me deu um selinho e correu com os meninos até a pequena loja do cinema.

- Você quer ver o quê, Jenny? - Perguntei.

- Qualquer coisa, menos o que o Jeremy quer.

- Filha, não pode ser assim.

- Mas ele briga comigo, eu só devolvo.

- Eu sei, mas ele também vai parar com isso, ok?

- Okay. Mas só paro se ele parar. - Cruzou os braços e fez bico. Eu ri.

- Pronto. Tudo certo. O que vamos assistir? - Liam perguntou.

- Exterminador do Futuro. - Jeremy disse.

- Jurassic Park. - Sugeriu Jenny e Liam abriu um sorriso.

- Não, esse filme é ruim.

- Quem disse, filho? - Liam perguntou. É, ele queria ver esse filme.

- Eu estou dizendo. Vamos ver Exterminador do Futuro e pronto.

- Nada disso! - Jenny se irritou.

- Riley! - Stefan gritou apontando para o pôster do filme que ele viu na TV.

- Pronto! Resolvido. Vamos ver Divertida Mente. - Falei puxando a menina pelo braço sendo seguida por um Liam com cara de tacho.

Dentro da sala estavam diversas crianças, uma verdadeira loucura. Jeremy logo puxou papo com uns meninos e Jenny com umas meninas. Cleo babava tentando se comunicar com outro bebê que estava ao nosso lado.

- Mãe, quero ir no banheiro. - Stefan pediu. Deixei Cleo com Liam e fui ao banheiro com Stefan.

- Pronto?

- Era brincadeira. - Riu e saiu correndo do banheiro. Ah filho de uma… Eu sou a mãe, calma (s/n).

- Seu filho vai ficar de castigo. - Falei irritada quando sentei ao lado de Liam.

- Por quê?

- Me fez de boba. - Ele riu. - Vai rir mesmo?

- Desculpe. - Olhou para Stefan. - Que feio, rapaz.

- Pai, isso se soltou aqui. - Jeremy disse assustado.

- Liam, ele quebrou a cadeira. Eu não acredito! - Falei e Liam não parava de rir da cara de nós dois.

- Deixa, amor. Coloque de volta, filho.

- Mãe, caiu refrigerante na minha roupa. - Jenny chegou perto de mim com o vestido branco todo sujo. Isso tudo enquanto o filme rolava… As crianças não paravam de falar.

- Droga. - Tentei enxugar um pouco, mas não adiantou. Cleo começou a chorar e todos olharam feio pra gente. - Péssima ideia ter vindo. Vamos embora, pelo amor de Deus! - Levantei pegando as coisas e puxando Jenny e Stefan pelo braço.

- Até parece que essa merda estava um silêncio. - Liam disse um pouco alto e eu só fiquei com mais vergonha, porém acabei rindo. Ele estava bravo.

- Mamãe, quero fazer xixi. - Stefan disse enquanto eu o puxava.

- Mentira. - Rebati.

- Deixa, eu já fiz mesmo. - Parei de andar e olhei pra ele. Stefan andava deixando um rastro amarelado por onde passava.

- Liam, pega seu filho agora e vamos pra casa.

(…)

- Nunca mais me faça fazer isso. - Comentei enquanto arrumávamos a cama pra dormir.

- Foi divertido. A sua cara estava ótima!

- Ah, é? Quero ver só a sua quando isso estiver nos programas de fofoca amanhã. - Deitei na cama sendo seguida por ele.

- Ih, eu esqueci. - Colocou a mão na testa. - Mas também não há problema, afinal, é a descendência Payne.

- Grande coisa. - Revirei os olhos.

- Gosto de números ímpares, sabe?

- E…? Nossa, super a ver o que você disse com o assunto que estamos falando.

- Tem a ver sim.

- Em que parte?

- Temos quatro filhos, eu gosto de números ímpares…

- Não Liam, nem vem. - Virei-me de costas pra ele. - Cinco nem pensar.

- Mas amor…

- Quer dormir no sofá? - Cortei-o.

- Vou me lembrar dessa chantagem quando você pedir pra eu segurar a sua mão no parto. - Disse e me abraçou. Não me querido Liam, de maneira alguma eu vou querer mais um filho. Quatro já é o bastante!

Jess

Alguns anos atrás eu fui a menina mais idiota de todas que você deve ter conhecido, simplesmente me entreguei inteiramente à você, e a única coisa que fizestes foi rir da minha cara. Hoje eu que tive o gostinho de te fazer de acessório, de apenas brincar com você e com os seus sentimentos. Mas o que mais me surpreende é pode dizer que te superei. Chego a sorri espontaneamente ao saber que não sou mais depende de você, que consegui seguir minha vida sem a sua presença. E quer saber de mais outra coisa? Estou muito mais feliz sem você aqui. Sou muito melhor hoje do que era quando estava te esperando, sou mais eu agora. Eu não tinha amor próprio, viva apenas por você como se eu fosse seu cachorrinho. Realmente eu era e fui por muito tempo, mas acordei, percebi que amar só é doentio, é doloroso. Não escolhi mais a dor, escolhi a liberdade, escolhi tirar você da minha cabeça e do meu coração. Você quis brincar comigo e não gostou quando aprendi a jogar conforme minhas vontades. Pra dizer a verdade, eu já nem sinto mais falta do que a gente tinha, não é algo que eu lembre como uma coisa boa. Nunca vi você tão tenso quanto no dia que eu te disse que você não me enganava mais, que você tinha uma adversária a sua altura… Eu espero que quando você veja meu sorriso você se sinta no inferno por ter feito tudo o que fez comigo. Você nunca viu o potencial que tínhamos pra dar certo e agora eu que não penso em te dar outra chance. Você me fez de boba, mas eu aprendi e vou fazer você se arrepender todas as vezes que me ver na rua com outro. Pois agora o jogo virou, as regras são minhas, e o otário da vez é você. Não, não estou sendo má, estou apenas devolvendo as doses de indiferença, de traições, de tudo que fez comigo, de tudo que tive que aturar só por achar que eu te merecia. Mas a verdade é que você nunca me mereceu, não deu conta do recado. E eu achando que era só fazer um esforço, deixar sangrar mais o meu peito, e as coisas iriam se acertar. Mas não, não mesmo. Escolhi viver ao meu agrado, e quando estou com alguém eu lembro o que vivemos e me prometi que farei o possível e o impossível para que nada seja parecido ao que vivemos, ou melhor, ao que eu me sujeitei. Agora só lhe desejo uma garota que te faça passar por tudo que passei ao teu lado, quero que prove do próprio veneno, e já lhe adianto que dói. Realmente estou muito mais eu, estou disposta a encarar o mundo de um jeito fervoroso em nome de um amor verdadeiro, e ele se chama: próprio.
—  Escrito por Marcela, Mayara e Paula em Julieta-s.
Acho graça quando você fala aquelas coisas. Você me vê de um jeito que não consigo entender. Me acha mais bonita do que realmente sou. Me acha mais inteligente do que sou. Me acha mais forte do que sou. Me acha mais incrível do que sou. Desculpa, não quero te decepcionar, mas não sou tudo isso. Sei que você conhece meus defeitos, minhas falhas. Mas não entendo como essas coisas não te abandonaram com o passar dos anos. Fico rindo quando você fala que tenho cara de boneca, que meu nariz é perfeito, que minha boca é perfeita, que meus olhos são perfeitos, que meu rosto é todo belo. Não acho tudo isso, falo sério. Não sou essa belezura toda, não sei da onde você tira essas ideias malucas. E, pelo amor de Deus, não sei de tudo, eu tenho minhas limitações, não sou essa inteligência e esperteza toda. Eu conto nos dedos e uso calculadora. Não sei onde fica a Guiana Francesa. Não entendo nada de política. Sempre me embanano no horário de verão, nunca sei se adianto ou atraso o relógio. Também fico pensando “ih, agora nem são 22:31, são 21:31”, penso com o horário antigo. Não sou forte o tempo inteiro e não gosto de admitir isso, então não espalha. Eu sou fraca às vezes. Muitas vezes. Sou frágil e estou frágil agora. Tenho passado momentos não tão incríveis, não tão legais. Sei que vou superar, mas nem sempre acho força, então me fecho. Não quero ajuda de ninguém, sou uma filha da puta orgulhosa que não sabe pedir colo, quero que adivinhem. E eu preciso muito agora de alguma ajuda, uma mão na cabeça, alguém que esteja ao meu lado. Luto contra um ego chato, que muitas vezes me passa a perna. Tem dias que me acho o máximo, em outros me acho um lixo. Mas sei que mulheres são assim.
—  Clarissa Corrêa. 
Ok, admito, talvez eu realmente seja um pouco instável. É um hobbie, eu diria. Quando aparece alguém disposto a entender e amar minhas loucuras, trato de boicotar toda e qualquer chance de dar certo. Acredite, ninguém consegue me suportar por muito tempo, eu apenas adianto o fim, poupo sofrimentos. E, depois de tudo, ainda repito a mim mesma, como um mantra: “viu, guria, você estava certa, sempre acaba”. 
Mas sempre há um sussurro que grita dentro de mim, repetindo que, pelo menos uma vez, eu gostaria que alguém insistisse e dissesse que ficar ao meu lado não é uma opção, é uma necessidade.
—  I’m crazy? Josiele.
Qual era a relação de Ali e Ezra?

Primeiramente essa teoria é baseada em uma hipótese visto que ainda não foi confirmada a relação deles. Segundo, mil perdões pela demora dessa teoria (anunciada uma vida atrás), mas realmente foi dificil escrever, espero que tenha ficado decente. Dito isso, vamos lá.

_________________________________________________

Desde que vimos Ezra entrando no covil repleto de fotos, cartas e álbuns de Alison, estamos assumindo que os dois se conheciam, afinal…vamos encarar que já no pilot foi muito estranho ele ter ido ao funeral dela. E temos que deixar (principalmente os coraçõeszinhos de Ezria shipper) de lado e perceber que ela deve ter feito uma filha da putagem muito grande para ele colocar tanto esforço e dinheiro nessa vingança ou seja lá o que for.

External image

Bom…o negócio é que existem muitas possibilidades e nós vamos descobrir cedo ou tarde que Ezra conheceu sim Ali, pelo menos pra mim isso ta bem na cara.

Nós sabemos que Alison teve um “caso” com um cara mais velho, e que segundo a Spencer tinha namorada, e desde então, até por todos os acontecimentos da primeira temporada, assumimos que fosse Ian.

External image

Mas pensem bem, todas as cenas de Ali e Ian são dela “provocando” ele.

External image

Nunca vimos nada além disso, nada sólido…apenas essas insinuações. E por outro lado,nós já vimos Spencer o beijando.

External image

E é fácil ver atitudes “ciumentas” da Ali, como por exemplo nesse beijo da Spencer,

External image

A rivalidade dela com Melissa e tudo mais.

External image

Mas eu não acho que aconteceu alguma coisa entre eles, pelo menos não até ‘aquela noite’…e ainda assim, nem sabemos o que aconteceu entre eles direito, até porque (pode ser que não tenha sido um erro) e tenham duas cenas diferentes, talvez uma com o Ian….uma com o Ezra? Bom, pelo que parece teremos que esperar até a finale para descobrir.

  • “Se as garotas soubessem que estou vendo você, elas não iriam parar de falar sobre isso”
  • “Se as garotas soubessem que estou vendo você, elas não iriam calar a boca sobre isso”

Tem também ela com a blusa do Toby quando nunca apareceu com ela em nenhum vídeo, a roupa do Ian muda, enfim…várias coisas, cliquem aqui pra verem todas as diferenças, é um videozinho de 7 minutos mas vale a pena. Com tantos erros assim, eu não dúvido que ainda exista mais uma gravação dessa noite, Ian foi embora e Alison ficou com a câmera. O que mais ela filmou? Ezra?

Então nós temos sim que parar pra pensar na hipótese de que talvez EZRA fosse o cara mais velho com namorada, afinal, Jackie apareceu por um motivo.

E até acho que já repararam que bato muito nessa tecla de Ezra e Noel - Ali e Aria. Se Noel seria bom pra Aria, Ezra seria bom para Ali, afinal segundo ela, Noel só faltava um “tempero”. E a semelhança entre Ian (Ezra) e Brant (Noel) é enorme.

Ambos ricos, inteligentes e lindos! (Sim, o Noel é inteligente, lembra do flashback das meninas com a Ali onde falam que Noel é lindo, rico e inteligente, ou seja, o pacote completo?)

SÓ QUE tem uma coisinha que não bate nessa história de “Alizra”. Todo o rolo da Jackie foi na primeira temporada, então Alison teria desaparecido no ano anterior, contabilizando dois verões. Ezra e Jackie estavam juntos na Hollis, e em um verão foram para a Itália. Então como ele teria ido a Cape May com Ali?

External image

External image

Ok, talvez minha matemática dos verões esteja errada, não me crucifiquem por isso, mas isso não é a parte importante. O negócio é que, volto a dizer, Alison deve ter feito uma filha da putagem muito grande pra que ele colocasse tanto esforço nessa 'vingança’. Porque quando terminou com Jackie, não correu atrás. Nem com Aria, bom…até correu, mas nada comparado. Ele é realmente, ao que parece, obcecado em achá-la.

Então o que me faz pensar em várias teorias, por exemplo…

EZRA QUER AJUDAR AS LIARS.

Ezra é o cara perfeito. Sempre foi mostrado como o namorado perfeito, um ótimo amigo para as meninas, afinal, quantas vezes não vimos ele ajudando Hanna, Spencer e acho que principalmente Emily, não é? Vimos ele pressionando Aria sobre -A algumas vezes. Não seria nada surpreendente que ele de fato criasse algo assim pra proteger as meninas.

External image

E se Ezra quer é ajudar as liars a colocar um ponto final nessa história? Pensem, no covil tem uma linha do tempo seguindo Alison, talvez ele esteja tentando descobrir qual o plano dela, o que ela realmente quer…e talvez até tentando descobrir quem e se realmente tem alguém atrás dela. Tudo bem, tudo bem, talvez ele também tenha um motivo próprio, mas isso não descarta essa teoria. Porque, cara, eu não sou uma pessoa muito de lógica…mas assim como vocês vão ler mais pra baixo, já adianto aqui, ele a segue, ele a vê…porque não tomar uma atitude? Talvez porque ele esteja a seguindo e descobrindo o que ela quer, apenas…

External image
External image
External image

Talvez ele tenha percebido que algo não estava certo, e resolveu agir por conta própria, assim como Caleb, Paige e Toby já fizeram. 

Eu acredito que ele ama Aria sim, e talvez (calma haters de Ezria que a teoria pra vocês ta aqui embaixo) ele tenha começado tudo isso no intuito de proteger ela…e de se vingar? de Alison talvez…

External image

EZRA QUER AJUDAR ALISON.

Nós vimos que haviam no minimo duas pessoas com a máscara de gás, Ezra e Luke. Será que não haviam mais?

Quer dizer, vimos Ali se mostrando para Hanna e o mascarado a pegando.

External image

Mas mesmo assim…se ela foi pega por ele, como escapou? Desculpa mas se o cara ta há 4 temporadas procurando ela, quando a achar, não vai simplesmente deixá-la ir embora. E ele ainda aparece para Spencer depois, como se nada tivesse acontecido? Ah licença, Marlene.

External image

Acho que Ezra poderia estar lá protegendo ela, ele a tirou de dentro daquela casa, porque gente…por favor, saudade lógica…vamos pensar aqui: Uma adolescente de 15 anos some e finge sua morte, ok beleza…mas passa o que…2 anos? 2 anos…quase 3 morando sozinha e se escondendo…tá, com que dinheiro ela compra essas roupas lindas que aparece? Com que dinheiro compra comida e etc, se não pode ser vista? Sério, literalmente, como ela ainda está viva? Usando salto e andando por Rosewood como quem não quer nada? Filha, você não ta fugindo? “Ok, é uma série”, mas o -A Team tem a roupa ideal para o que fazem, então ela deveria ter também, usar um casaco vermelho como disfarce não é uma coisa exatamente inteligente…Ainda mais pra quem ta com um “plano brilhante” desse.

Será que ela não esta escondida na portinha do covil do Ezra e ele a ajuda a descobrir quem a quer morta? Porque aquela portinha não faz o menor sentido pra mim, e muito menos (o que pensamos ser Ali) aparecer atrás. É como se ela soubesse o que tem lá. E nada a ver, ela não está (pelo menos o que achamos), fugindo do Ezra? Então alguém me explica como ela sabe onde é o covil dele? Tipo, ela sabe o que ele faz, ela entra lá enquanto ele não está? E ele nunca percebeu? Ela nunca tentou contatar alguém? (tipo as liars, vive aparecendo para elas, porque só está pedindo ajuda agora?) Desculpa, mas normalmente quando você foge, você não sabe aonde a pessoa que te persegue está porque você está FUGINDO. No caso da Alison, ela sabe onde ele está, o que faz e continua ficando por lá, literalmente no esconderijo dele, como se nada tivesse errado. Por que?

E ainda há um spoiler (pare de ler se não quiser saber), de que as liars voltarão ao covil de Ezra e surprise: estará vazio! O novo covil será em um tipo de cabana “de um amigo do Ezra”, mais exatamente no porão. Aria irá na cabana mas não chegará a encontrar, obviamente. Então..quer dizer…alguém me explica, porque não faz sentido nenhum pra mim que a Alison saiba onde “quem a persegue” está, saiba o que essa pessoa faz e mesmo assim continue por lá. NÃO FAZ SENTIDO.

E ainda temos a promo que da total suporte ao que eu escrevi aqui em cima. “Alison não tem certeza de quem está atrás dela” Ok. Até porque temos o -A Team, -B Team e seja lá o que o Ezra for. 

MAS, MAS!!! Se ela levou as meninas até o covil, ela SABE quem “frequenta” lá…ela tem que ter visto Ezra por lá. Até pra saber quando ele está ou não. Ou escondida atrás da tal portinha, sei lá. Ou isso é mais um jogo da Ali, ou ela está sendo protegida pelo Ezra ou Marlene que comece a fazer as coisas terem sentido, porque ela não saber quem é que está atrás dela, quando ela frequenta o covil, me parece umaputa idiotice.

E não acabou, durante essa semana, a ABC Family está liberando scripts e fotos, e adivinhem o script que saiu juntinho com um spoiler? Aqui ó…

O spoiler seria de que após Aria descobrir a verdade sobre Ezra, ela iria detonar o apartamento dele. Ok, continuando..
O script que vazou:

“Caramba. —— destruiu tudo?”
“Alison, por favor. Hoje não”
Alison: “Eu posso ficar e ajudar você a limpar.”

[Lembrando que também pode ser flashback de quando Ali e Aria destruíram o escritório de Byron]

Independente de qualquer coisa, eu quero saber porque Alison não conta para suas “melhores amigas” pelo menos um nome.

Alison: “Eu sinto muito, Aria”
Aria: “Pelo que?”
Alison: “Por tudo”

Eu sei que isso anima os coraçõeszinhos de Ezria shipper, mas calma gente, não sei se podemos nos jogar de cabeça na ideia de Ezra estar ajudando elas porque já foi dito, isso NÃO é como foi com o Toby. Ezra é MAU, e TEM um motivo para fazer o que faz.

Só um ps aqui, Marlene, os produtores e spoilers já disseram que Ezra é mau…e ao mesmo tempo não o que parece…e isso me faz pensar se não estamos entendendo tudo errado…Ontem eu encontrei uma entrevista da Marlene, e o que ela diz sobre Ezra na 4B? Que ele pode não ser tão horrível quanto pensamos.

EZRA E ALISON TIVERAM UM 'CASO’.

Ai como dói só imaginar isso, mas eu acho que é inevitável. Acho possível, por mais clichê e óbvio que seja, que eles tenham namorado, ficado ou whatever…eu acho que é esse o rumo que a série vai tomar.

Ezra já estava em Rosewood enquanto Alison estava viva. Não venha com “não estava”, estava sim. Ele conta para Aria que se transferiu para a Hollis para ficar longe da família, e ainda de prova temos ela esbarrando nele no 2x13 (aka quando Alison ainda estava viva)

External image

Marlene twittou que vamos descobrir como eles se conheceram.

Nós sabemos que foi em Rosewood e não em Cape May, porque em uma carta lá no covil está escrito “não acredito que te conheci em Rosewood”…e ela diz que ele é melhor que ela com as palavras, bom…Ezra é um professor de inglês.

Outra coisa que meio que 'prova’ que eles se conheciam, é como se referem um ao outro. Eu nunca vou aceitar Ezra falando “Ali” ao invés de Alison. NUNCA.

External image

E quando digo NUNCA é NUNCA mesmo.

External image

Tem uma coisa que eu acho bem curioso, o fato que ele escondeu da Aria o relacionamento dele com a Jackie

External image

E o relacionamento com a Maggie, dando a mesma desculpa nas duas vezes.

External image

To apostando com vocês que vai vir alguma coisa assim sobre Alison, porque outra coisa que não entra na minha cabeça, é essa cena. Alguém me explica pelo amor de Deus como Alison saberia sobre Ezra e a própria mãe dele, se tecnicamente estava morta? Estava vivinha, e será que não há um passado com esses três?

Mas que história seria essa? Bom, aqui uma mini mini teoria dentro da teoria (?) pra vocês!

Lembram que Alison pensou estar grávida em Cape May?

External image

Mas, peraí…a Cece não disse que elas passaram duas intensas semanas juntas? Como ela estaria grávida do cara de Cape May?

Hmm, a não ser que ela já estivesse “grávida” antes de ir viajar. E quando Cece pergunta se ela contou para o Beach Hottie, ela diz que ele a mataria. Mas, me desculpem, Ezra parece o tipo de cara que mataria alguém por isso? Eu diria que não, e tenho como provar…lembram da reação dele ao descobrir que era papi? Foi sussão chorando um rio pra Delaware conhecer o “filho”, mas não quis matar Maggie.

External image

Ok, calma…aí Emily pergunta o que nós até hoje queremos saber, e Cece (claramente, na minha opinião,mente) não saber.

External image

E durante a volta de Cape May as duas falam como Ali tem que contar a ele sobre a possível gravidez a noite. E a noite elas estariam em Rosewood…ou seja, beach hottie é de Rosewood.

Mas isso não significa que beach hottie e board shorts sejam a mesma pessoa…

O Gostoso da Praia e O Cara da Bermuda são a mesma pessoa?

- Talvez.

E não é curioso para vocês que Ezra tenha descoberto do “filho” no mesmo episódio em que Alison supostamente soube que estava “grávida”?

External image

Emily ainda indaga a possibilidade de Ian estar envolvido, afinal, se segundo Cece, Melissa estava em Cape May…Ian poderia estar também, né? 

External image

E Spencer, sendo Spencer, nos deixou com aquela dúvida (qual a resposta eu acredito ser um gritante sim): será que ela sabe mais da Ali do que as outras?

External image

  • Ezra?
  • Wilden?
  • Wren?
  • Ian?
  • Duncan?
  • Alguém que não conhecemos?
  • Alguém que não imaginamos?

Bom, de qualquer jeito, eu acho que Ezra é o beach hottie ou o board shorts (eu tentando colocar alguma lógica, já que Marlene não o faz). Só acho estranho, porque Ezra realmente não soa como alguém que ameaçaria alguém de morte…mesmo com essa revelação dele…tem algo muito estranho aí. Conhecendo a mãe de Ezra, podemos imaginar que ela faria qualquer coisa para proteger o filho, e se isso envolvesse se livrar de uma adolescente, por que não? Alison estava desesperada por dinheiro mesmo. Mas eu acredito que Ezra tem um motivo, e forte para procurar Alison. Afinal, quando Maggie sumiu do mapa, ele até a procurou por um tempo, mas desistiu. Só que ele não parece, de maneira alguma, determinado a desistir de encontrar Alison. POR QUE?

Bom, eu estive pensando, talvez ele soubesse da possível gravidez e quisesse ajudar. Ai gente, que foda…eu não devo tar fazendo sentido algum, mas é porque não existe conexão. Ele a segue, ele sabe onde ela está. Ele a pegou em Ravenswood. Ela sabe onde ele se esconde e o que faz. Qual o objetivo disso? Não consigo pensar em nada lógico, a única explicação que encontrei está lá em cima, em ele ajudar ela. Ou, ceis sabem, ele quer matar ela. Mas o porque? Isso ainda é um mistério.

Agora lembram do spoiler de que Alison e Ezra teriam um cena em um telhado na season finale? Bom, Sasha postou essa foto, então eu diria que está mais do que confirmado que esses dois tem uma história.

CECE E EZRA TIVEREM UM CASO

Tudo começou de uma brincadeira no twitter, mas elaborei a ideia e agora eu realmente gosto dessa possibilidade. Acho que as pessoas estão tão focadas em Alizra que ignoram o fato de que talvez Cece tenha ficado com ele. Acha bizarro? Pensa comigo.

Alison: “Posso usar seu telefone? O meu, literalmente, escolheu o pior dia para morrer.”
Cece: “O meu morreu também. Não que eu não fosse deixar você usar.”
Alison: “Medo que eu roubasse um dos seus namoradinhos?”
Cece: “Bem que você queria.”

A única pessoa que sabemos Cece ter namorado naquele verão é Jason, e olha…não acho que Ali estava interessada nele.

E quando Ezra estava fora, e Wesley e Aria “estavam se aproximando”? Cece deixou os dois sozinhos, alguma segunda intenção nisso?

Eu até meio que desenvolvi uma teoria nisso, e se aqui no 3x19 não fosse Cece que namorou Ezra e sim a gêmea. Porque o jeito como ela olha e fala com Aria, é muito suspeito!

External image

E nós sabemos que Cece é -A. 

External image

Seria ela e Ezra aqui no final? Ela ter tido um relacionamento com ele ou ter “perdido” ele pra Alison e ter continuado afim, seria um bom motivo para se juntar à ele, em seja lá o que ele está fazendo.

External image

Bom gente, é isso.

Falei, falei e falei e me perdi no meu próprio pensamento. O que vocês acham que Ezra que com Ali? Ajudar ou machucar? Ele é o gostoso do praia? O cara da bermuda? Big -A? Bom, eu não sei, o que sei é que ele não está por trás de tudo, Marlene disse que vamos conhecer essa pessoa no final da série.

“Quando descobriremos quem é o verdadeiro Big -A?”

- “Quando a série acabar”

Eu sei que devo ter esquecido um monte de coisa, e devo ter falado besteira. Vamos torcer para que pelo menos uma coisa aqui esteja certa, não é? Bom, mais uma vez, desculpem pela demora e espero que tenham gostado. E fiquem atentos que antes do que vocês imaginam, outra teoria vai sair.

Talvez, eu sorria quando leia seu nome. Chore quando te veja mal. Adiante quando sei que irei te encontrar. Feche os olhos enquanto pensar em você. Aperte o meu peito ao imaginar você com outro alguem. Tenha esperança quando nos encontramos na escuridão. Olhe sua foto a cada cinco minutos, na tentativa de te trazer pra mais perto de mim. Mas isso meu amor são apenas certezas.
—  Daniele Gomes, Importunarei.

anonymous asked:

Barbie, qual sua historia c tal do Richard q vc sempre fala?

Eu soube quem ele era quando ele ficou com minha irmã, eu tinha uns dez anos e ele onze, ele era muito feio e o apelido dele era Mônica, eu zoava ela demais por isso o tempo passou e eu nunca mais vi o gordinho esquisito que minha irmã havia ficado. Em 2013 o gordinho apareceu na minha porta com alguns amigos meus, eis uma novidade, ele não era mais gordinho e nem esquisito, era o menino mais lindo do meu bairro (na minha opinião, obviamente) eu fiquei encantada de primeira, meu coração acelerou e surgiram borboletas em meu estômago, ele ficava acanhado perto de mim, não dizia quase nada, rolavam algumas trocas de olhares, algumas não, rolavam o tempo todo. Ele começou a vir na minha rua com os meninos todos os santos dias. Eu tenho uma mania infeliz de querer arranhar as pessoas que fico afim, então pedi pra ele deixar eu arranhar o braço dele, ele balançou a cabeça positivamente então eu me sentei do lado dele e comecei a o arranhar bem delicadamente até a hora dele ir embora, o tempo passou tão rapidamente do lado dele, mesmo sem trocar uma palavra sequer. Ao que deu tempo de eu entrar em casa chegou uma mensagem “O seu carinho é o melhor do mundo, nunca havia recebido um carinho tão bom assim, já quero de novo” Eu simplesmente fui ao céu com o que eu havia lido, as borboletas estavam dançando em meu estômago, deu meia noite e ainda estávamos conversando, assim que deu meia noite eu disse “Faz um pedido pra estrela mais brilhante, Rih” e ele disse “Você, seu carinho, aqui, agora” Eu estava absolutamente encantada, eu havia encontrado o menino dos meus sonhos, a minha alma gêmea. No dia seguinte ele me ligou assim que eu havia terminado meu namoro de um ano e quatro meses com alguém que nunca vi na minha vida toda, eu atendi chorando e então ele disse “Sté? Vai me ver hoje né?” Ai eu “Não, estou mal, acabei de terminar com o Dawid” ai ele “Sai na rua agora, estou na frente da sua casa, vem me dar um abraço” eu sai do jeito que eu estava pois me sentia a vontade com ele, eu estava horrível mas mesmo assim fui, ele foi muito atencioso e foi um doce. No dia seguinte eu havia ido na chácara, lá pelas sete e meia da noite chegou uma mensagem “Estou com saudade do seu carinho, eu e os meninos estamos te esperando aqui na rua da sua casa” Na mesma hora pedi para meu avô me trazer pra casa, assim que cheguei aqui avistei ele, o Vitor, o Braulino e o Pedro me esperando, como não havia ninguém em casa e minha mãe estava em uma festa os mandei entrar, cada um se ajeitou em um sofá, eu e o Richard ficamos no mesmo, ele tirou o boné, colocou na mesinha de centro e se deitou no meu colo, eu fiquei fazendo cafuné nele enquanto víamos resident evill 2, ele disse que estava com sono e eu o mandei ir para o meu quarto mas ele me puxou e me levou até o meu quarto, ele fechou a porta e apagou as luzes, deitamos de conchinha mas eu fiquei atrás dele, então ele disse assim “Isso está errado, deixa eu ir atrás de você?” Ele deitou atrás de mim e ficamos abraçados conversando. Eu tinha treze anos e ele quatorze, ele nasceu dia 21 de fevereiro e eu dia 26, eu estava achando aquilo tão fofo e estava me sentindo tão a vontade com ele. Ele disse “Sério isso? Eu, você, sozinhos, aqui” Ele subiu por cima de mim e me beijou, eu vi fogos de artifício (essa parte eu vou pular, mas adianto que perdi minha virgindade com ele) No dia seguinte já estávamos namorando, éramos aquele casal que olham e pensam “quero ser assim com meu namorado” éramos perfeitos e íamos ficar juntos pra sempre ao ver das outras pessoas. Ele vinha pra minha casa as seis da manhã e ia embora meia noite, TODOS OS DIAS POR DOIS MESES. Foram tantas promessas, ficávamos fazendo planos para o futuro, falando o nome dos nossos filhos, imaginávamos um futuro juntos. Teve a vez da gravidez, mas não quero falar disso. Enfim, éramos o casalzinho tumblr do bairro skasksk morta estou. Até que depois de dois meses de namoro ele teve de se mudar pra bem longe e as palavras dele foram “Eu prometo que vou voltar e vou casar com você, é uma promessa Japinha” e sem mais nem menos ele foi, depois de alguns meses ele veio pra cá e ficou dois dias comigo, foi embora de novo. Cada um seguiu sua vida, ele começou namorar e eu também, depois de um ano ele voltou. Um ano sem trocar uma palavra sequer e ainda assim a primeira coisa que ele fez quando chegou em Sorocaba foi me procurar, ele morou comigo por um mês, vivemos tudo aquilo de novo e mais uma vez ele foi embora. E agora está assim, ele lá e eu cá, sem nenhum contato. Não teve “adeus” não teve “acabou” foi só um abraço apertado, coração despedaço e lágrimas nos olhos, só vi ele ir embora de casa com um “vou sentir saudade” simples assim. A qualquer momento ele pode voltar e bater na minha porta, é só mais um caso sem ponto final.

Agora que algumas pessoas conhecem um pouco sobre mim, farei questão de contar a minha própria história. Adianto-lhes já, que, ao som de Yann Tiersen parece fazer mais sentido. E que o nome Vittore é italiano, mas eu não. Eu sou um simples rapaz que nasceu em uma cidade muito pequena. Nasci sozinho, mas tive os cuidados biológicos necessários para crescer forte e saudável. E diferente da minha cidade, desenvolvi rápido. Ao aprender a ler, a idade da razão tomou conta do meu ser. E um forte senso analítico também.

Como fora privado de total liberdade, acabei conhecendo o mundo através dos livros, que trazem na maioria das vezes a sensação de que a vida pode ser ótima; e dos noticiários, que narram os trágicos acontecimentos fazendo com que a realidade se torne temida. Ao cansar de apenas ler, resolvi constatar de próprio peito aberto. Constatei que a maioria dos jovens sofrem pelos fracassos impostos pela sociedade, diminuem-se e trancam-se dentro de quatro paredes com medo de um futuro próximo, e talvez, de seus próprios protetores (os pais). A verdade é que quando você nasce, já começa uma luta incessável pela vida. E com essa luta, tremendas decepções. Os seres humanos estragaram tanto o mundo e culpam-se (alguns se culpam) tanto por isso que esquecem de tentar deixar menos pior. Não que os fatores externos que maltratam o interior íntimo dos adolescentes sejam apenas culpa dos adultos, mas eles podem fazer alguma coisa, já que, em 2020, depressão será a doença mais comum do mundo.

Com minha gravata e alguns livros em mãos, constatando e ganhando experiência, conheci pessoas maravilhosas naquela noite, vi a vida além dos escritos e dos noticiários. Eu conheci pessoas boas e de caráteres firmes, fortes. Mas também conheci pessoas podres. Eu fiz tudo isso para amadurecer, e apodreci numa velocidade amedrontadora. O mundo é cruel! Há pessoas muito más. A vida judia. Ela espanca cada um de seus filhos. Eu não pensei que seria fácil, mas ninguém disse que seria tão difícil. Então eu voltei, voltei e não tinha mais lar. Voltei sem livro, sem gravata e com um cigarro na boca.

—  Vittore é italiano.