acontecia

Status variados

Ela sorriu para disfarçar a dor. Logo depois, se trancou no quarto e desabou. 🍂

É que as vezes, sem querer, a gente esbarra em alguém que vale a pena. 💕

Não crie expectativas, ouvi falar que elas borram sorrisos. 🌸

A vida me ensinou quem sim, quem não e quem nunca. 👏

Que os bons momentos se multipliquem. 💞

Você é aquilo que eu achava que só acontecia com os outros. ❤️

Será que é tão difícil perceber o que eu sinto por você? 🌙

Esquece os outros. Foca em nós. ❣️❤️

Um dia vai passar, mesmo que demore, mesmo que machuque… Vai passar. 💭

Você é minha sorte, aquela sorte que eu sempre duvidei ter. 💭💗

Cada dia é uma chance para ser melhor que ontem. 🍃

A vida muda, quando você muda. 😉

O mundo anda muito pesado, muita gente mesquinha, brigando por nada e fazendo questão de tudo. 💭🍃

 Difícil não é dizer “adeus”, difícil é esquecer tudo, sabe? 😔

Você sempre reclamou que, por mais que eu adorasse escrever e gostasse de colocar no papel tudo que acontecia comigo, eu nunca tinha dito nada sobre você. Sempre me cobrou que demonstrasse em palavras o que tínhamos, mas nada saía. Acho que você nunca interpretou bem meus textos, e por isso queria tanto ter um dedicado à ti. Pois eu poderia ter escrito quando você me beijou pela primeira vez naquela sala de cinema, seria fácil descrever as reações involuntárias que senti e, falar da vontade que tive de eternizar aquele momento. Poderia ter escrito quando lhe dei aquela flor de chocolate com o urso que você grudou, e não quis mais largar. Eu poderia ter escrito quando você me deu aquele perfume, quando comemos sorvete, ou quando fomos dar uma volta só para passar mais tempo juntos. E nestas pequenas ações eu percebi que você realmente queria estar comigo, então eu pensei muito e, quase saiu um texto. Mas ainda não era a hora. Poderia ter escrito também na primeira vez em que você disse que me amava, que eu fiquei tão feliz que até abri uma bebida da geladeira, mesmo odiando cerveja, você sabe. Eu poderia também ter escrito quando você não estava me dando tanta atenção por conta de seus problemas, seria importante lhe dizer que eu permaneceria aqui, mesmo que você desaparecesse por um dia inteiro. Mas apenas fiquei, pois para mim, minhas atitudes somariam mais que qualquer texto, mas mesmo assim não estava bom o bastante pra você. Motivos não me faltaram para escrever, mas eu sempre me contive. E então, você agiu da maneira mais previsível, e resolveu partir, me deixando aqui, sozinho, como todas as outras pessoas que passaram. E foi por isso, por você passar a me ver como apenas mais um ser vivo, quando eu deixei de ser tudo o que você tinha, para virar apenas mais uma pessoa que passou em sua vida. Quando você deixou de ver o meu esforço para lhe manter aqui, comigo. Foi por você ter feito o que eles fizeram, que finalmente, mereceu um texto meu.
—  O Pequeno Bob.
Pai quantas vezes eu já me senti sozinha e tentei preencher esse vazio em tantas coisas fúteis, não gosto de pensar no fato que se alguma variável que existe na minha história fosse diferente talvez não tinha conhecido a ti. Porque quem nunca esteve rodeada de pessoa e se sentia sozinha, isso acontecia comigo, algumas das vezes queria só gritar sabe? Mais ninguém podia me ouvir e me entender. Sabe, quem nunca ficou no seu quarto ouvindo músicas triste pra ter um motivo pra chorar e colocar tudo o que sente de ruim pra fora. Quando eu terminei os estudo, comecei a trabalhar, e com dinheiro meus amigos me chamavam pra ir as festas e eu cansei de sai sexta e sábado, e no domingo só ficava a ressaca e a realidade de que mais uma vez estou sozinha, sozinha e vazia. Até que em um dia de agosto, minha amiga me convidou pra ir a igreja, e vi que não era essa vida de festas, bebidas , solidão, prostituição, que Deus queria pra mim, vi que a minha vida valia muito mais que umas migalhas de diversão que o mundo tinha a me oferecer. Senhor, muito obrigado por preencher o meu vazio, obrigado por me dar motivos pra sorrir não importando se eu estou somente com o Senhor ou com várias pessoas ao meu redor. Obrigado por me dar todo o carinho que eu sempre senti falta, e por me fazer ser seu filho (a), seu amigo (a). Sua eterna criança. Obrigado por preencher as lacunas do meu ser.
—  Leticia Dutra e Jenny Souza
Mas eu tinha um objetivo: eu estava esperando que algo extraordinário acontecesse. Mas enquanto os anos se passavam à deriva nada acontecia a não ser que eu provocasse.
—  Charles Bukowski.
Eu acreditei quando você disse que tinha voltado pra ficar dessa vez. Eu ouvi todas as suas mentiras mal contadas buscando verdades em cada vogal, em cada estrofe rimada e ensaiada. E hoje vejo o ator  que você sempre foi, e tudo que você queria era que eu fizesse parte do seu espetáculo, e quando as cortinas se fechavam você recebia os aplausos pegava o seu cachê e ia embora. Não era a primeira vez que isso acontecia mas sinto que foi a última. Porquê dessa vez foi ainda pior, você se foi e não apenas levou contigo um pedaço meu, você levou contigo minha esperança, assoprou a tocha quase apagada, mas que ainda mantinha acesa a minha ilusão de um dia te ter de verdade.
—  Amoriei e Florejus em: Quando as cortinas se fecham… (Não te tenho mais)
Meu quarto. A melhor coisa que havia ali era a cama. Gostava de ficar ali deitado por horas, mesmo durante o dia, com as cobertas puxadas até o queixo. Era bom ficar ali, nada acontecia por ali, nenhuma pessoa, nada.
—  Charles Bukowski.
Findável

Eu cheguei numa fase em que beijar era a forma mais fácil de se sentir em liberdade própria. Mas na verdade, tudo aquilo era como se fosse uma prisão na qual eu me prendia pra poder esquecer as coisas ruins que me acontecia. Com qualquer tipo de pessoa que me desse pelo menos um pouco de emoção, mesmo que fosse passageira. Mas que tivesse um certo proveito.

Sentenças para Jonas.

Carta para solidão

Por que você se foi? Por que afastou-me tão drasticamente de ti? Por que tu ainda me afasta? Está tão fechado, tão calado, parece que não tens mais sentimentos. Por que seu coração está tão gelado? Tento aquece-lo com o calor do meu corpo, do meu amor, mas você me afasta. Por que tu não me contas mais nada? Te jurei ficar ao seu lado, te ouvir até que meus ouvidos canse de ouvir sua voz e isso nunca acontecia, sua voz sempre tão doce. Mas, cara, você foi embora e me deixou aqui. Não sinto mais o calor do meu corpo, de repente ele se tornou algo momentâneo. Agora, essas perguntas são feitas a mim mesma. Por que eu fui embora? Por que eu afastava meus sentimentos tão drasticamente de mim? Estou tão fechada, tão calada, parece que não tenho mais sentimentos. Por que meu coração está tão gelado? Tento aquece-lo com o calor do meu corpo, do meu amor, mas não há calor para aquecer. Por que eu não falo mais nada? De repente as palavras sumiram e fiquei muda com a minha solidão. Meu coração não reage mais, será que ainda sente algo? Parece que está se acostumando em ser sozinho. Queria poder entender por qual motivo algumas pessoas estão destinadas a solidão. Devo me preocupar com a dor que está crescendo? Essa dor faz com que eu me sinta rejeitada a cada dia mais. Por que estamos tão distante dos outros e mais ainda de nós mesmos? Tentamos fugir da solidão enquanto estamos caminhando em direção a ela, que triste contradição. Ela chegou, e resolveu me tirar pra dançar. Todos sabemos, o quanto a solidão é péssima em conduzir. Mas, por deslize aceitamos. A dança ainda não começou, e meu comportamento já mudou. Meu coração esfriou. O amargo na minha boca, reapareceu. A solidão escolhe a música. É lenta, pra combinar com o mês todo de frustração. Eu enrijeci e ela disse: - Está com medo de mim? - A dança é iniciada. Neste momento, relembro do porquê estou fechada e calada. A solidão veio pra perto de mim, a dança da minha vida conduzir. Sem ao menos, eu pedir. Estamos no meio da dança, e eu já não aguento mais. Deixei de falar com todas as pessoas, me isolei do mundo inteiro. Essa dança parece não ter fim. E eu já causei uma agitação naqueles que gostam de mim. Estão preocupados, o mês todo, estou dentro do quarto. Sem nem ao menos justificar o porquê. Solidão, me dê licença, eu preciso viver. Solto de suas mãos. Mas não é tão fácil assim. Ela me olha e diz - Não vou me retirar, enquanto meu papel não concluir. Quero te excluir da vida e te trazer pra perto de mim. - Já não aguento mais resistir. Me entrego de corpo e alma, para a solidão fazer o que quiser de mim.

Escrito por Ana Letícia, Glória e Anelise em Julietário.

Apesar de ele ter usado armas e treinado com elas a vida toda, Ren não se deleitava com a guerra nem com a luta, como acontecia com Kishan. Ele preferia travar guerras verbais, ao redor de uma mesa de conselheiros. Apreciava jogos de estratégia e táticas de batalha inteligentes, mas, em seu coração, ansiava pela paz.
—  A Viagem Do Tigre
Ofegante. Teimando. Acelerada. Ansiando. Aquele calor, aquele sussurro, aquela sensação, aquele pacote completo do pequeno paraíso. Os toques, os sorrisos, os beijos, os cheiros. O despertar de uma parte morta, de uma alma desesperançosa. O florescer de um cacto. Arrepio, calafrio, nó na garganta. Aquele grito interno no vazio, grito de um prisioneiro de masmorra ao ver a luz do sol, após 40 anos de trabalhos forçados. A leveza, o vento no cabelo, o sorriso de canto e que canto, a cada canto, o maior encanto, mas talvez um espanto, algo que não acontecia mais e que volta a acontecer. A 100ª ressurreição de uma Fênix ainda impressiona, mas talvez não pela volta, mas pelo motivo que a faz voltar. O que te faz voltar, após a sua 99ª morte?
—  Tickets of Cassie.
O engraçado nisso tudo, é que ele me avisou. Ele me avisou que isso ia acontecer. Que acontecia com todas. Ele quis me proteger. Proteger a gente. E eu disse não, nada haver. Temos nós. E é isso o que importa. Mas, o mais engraçado nisso foi, ele não ver que protegeria a gente, se construísse o nosso nós, ao invés de querer acabar com os nós exteriores. E então aconteceu. E não foi mais engraçado. Foi surpreendente. E depois, eu não sabia mais que palavras usar além de nós e a gente. Dizendo a mim mesma que eram duas coisas diferentes.
—  C.
Inconscientemente, parecia querer buscar em autores, filmes e músicas, algum tipo de consolo. Como se alguém precisasse chegar bem perto do sofá, onde estava, colocar um das mãos em seu ombro e dizer que aquilo era normal. Que acontecia também com outras pessoas. E que iria passar.
—  Caio Fernando Abreu.
Tornei-me um bêbado como outro qualquer, pensando em suicídio, me enfurnando por dias a fio em quartinhos minúsculos com as venezianas fechadas, me perguntando o que acontecia lá fora e o que havia de errado com aquilo — sem saber se culpava meu pai ou a mim mesmo ou a eles.
—  Charles Bukowski.
Perdi as contas de quantas vezes fui deixado para trás. Pela pouca memória que ainda insiste em lembrar desse detalhe, foram inúmeras tentativas infalíveis de abandono. E digo Infalíveis porque elas realmente deram certo. Se tem uma coisa que mais presenciei nessa vida, foi pessoas indo embora. Sem direito a despedidas e coisas do tipo, simplesmente viraram as costas e partiram. Nunca entendi o motivo disso. Porque no início de toda relação, era maravilhoso e perfeito como num conto-de-fadas. Não que eu sonhasse com um final feliz e nem nada parecido, mas de repente todo encanto que um dia existiu ia por água a baixo. Sumia, evaporava como se nunca tivesse havido qualquer sentimento ali. Não sei se existe o termo desgostar-de-alguém, mas é assim que definiria o que acontecia com as pessoas logo em seguida, elas passavam por uma mudança radical e nem pareciam alguém legal e interessante com quem eu já havia trocado momentos intensos. E sinceramente, confesso que nunca tive nenhuma parcela de culpa por essas despedidas tão repentinas. No meio dessas situações, eu era um espelho que refletia tudo. Quando as pessoas me davam amor, eu retribuía da mesma forma. Me davam afeto, eu agia sendo carinhoso. Me passavam segurança, eu transmitia que estava protegido. Elas me faziam voar e eu gostava de altura… Apesar de sempre cortarem minhas asas.
—  Pedro Pinheiro.

Pedido: Faz um do Harry que eles são médicos e ele é ginecologista e ela morre de ciúmes das pacientes dele - Anônimo

Obrigada por ter feito o pedido.💜

***

Imagine Harry Styles:

Mais uma paciente sorridente saia do consultório de Harry. Eu queria tanto saber o que acontecia ali dentro, porque elas saiam tão felizes? É uma consulta ginecológica o que tem de bom nisso? Elas deveriam estar com vergonha ou até mesmo desconfortáveis.

-Bom dia Doutora.
A paciente para ao meu lado para conversar com a médica ao meu lado.

-Oi! Como você está? A dor de cabeça passou?
Lidia pergunta para a paciente enquanto eu apenas as observo.

-Passou. Dr.Styles é um Deus! Aquelas mãos fazem um ótimo trabalho, fico até com um pouco de vergonha quando sem querer dou um suspiro pesado no meio da consulta.
A paciente fala soltando um risinho e eu arregalo os olhos.

-Mas o Dr.Styles tem esposa.
Lidia fala tentando amenizar a situação.

-Que isso. Deve ser uma mulher de muita sorte, com um homem desses.
Falou se abanando. Eu estava paralisada ouvindo a conversa.

-Você é quem mesmo? Desculpe eu não lembro se já passei com você.
A mulher sorriu educadamente para mim nem parecendo a mesma de segundos atrás.

-Sou a Dra.Styles, acho que nunca te atendi.
Sorri simpática tentando conter toda a raiva que sentia.

-Dra.Styles? É irmã do Dr.?
Perguntou confusa.

-Não, sou a esposa dele.
Respondi e ela fez uma cara de quem estava envergonhada que foi impagável.

-Oh me-me desculpe. Eu preciso ir.
Falou e saiu do hospital.

-Agora você vê, nem em local de trabalho eu posso ficar tranquila com meu marido.
Falei para Lidia que riu divertida.

Olhei para a porta da sala de Harry e vi o mesmo acenar para mim antes de outra paciente entrar na sala dele.

-Tadinho, ele nem imagina o que as pacientes pensam.
Lidia falou assim que percebeu. Dei um tapa em seu braço e ela caiu na gargalhada novamente.

(…)

Após chegar do trabalho, entrei em casa e tirei os sapatos que massacraram meus pés, joguei minha bolsa no sofá e observei a casa vazia. Harry chega um pouco mais tarde que eu.

Me deitei no sofá e comecei a assistir um programa de TV qualquer enquanto o acontecido de mais cedo ainda vagava por minha mente. Eu preciso conversar com ele.

(…)

A porta da frente foi aberta e um Harry sorridente entrou em casa.

-Boa noite minha linda esposa.
Colocou sua bolsa no sofá e veio me abraçar.

-Tá sorridente assim porque?
Perguntei séria vendo seu sorriso desaparecer aos poucos.

-Como assim?
Se sentou ao meu lado confuso.

-Uma paciente sua veio me contar como você era bom com suas mãos, está feliz por causa disso Styles?
Perguntei brava e ele pensou por um momento logo arregalando os olhos.

-Ela disse isso?
Harry perguntou ainda chocado.

-Sim, e disse que eu era uma mulher de sorte. O que você anda fazendo naquele consultório?!
Perguntei claramente mais irritada.

-Nada eu juro!
Se defendeu.

-Nada?
Cerrei os olhos para ele.

-Quer dizer…eu faço o meu trabalho, você sabe, atender as pacientes.
Consertou sua resposta.

-E como você as atende? Porque se sua mão é tão boa assim ela deve tá fazendo mais do que deveria.

-Não, S/n, você já passou no ginecologista e sabe como é o meu trabalho.

-Você jura que não acontece nada?
Olhei no fundo de seus olhos.

-Juro. Nunca aconteceu e nem nunca vai acontecer.
Falou sincero e eu sorri aliviada.

-Eu só não suporto aquelas mulheres se divertindo com você, até parece que marcam as consultas de propósito.
Falei e ele riu.

-Eu não tenho culpa disso. Mas se serve de consolo, eu não me divirto.
Falou sorrindo e eu ri de leve me aproximando dele.

-Tudo bem, vou confiar em você.
Deitei a cabeça em seu peito e senti sua mão em meus cabelos fazendo um carinho gostoso.

-São cinco anos vendo vaginas, mas a única que ainda me excita é a sua.
Harry falou de repente e eu não me aguentei em rir.

-Isso era para ser romântico?
Perguntei entre risos.

-Era, mas vejo que não deu muito certo.
Falou me acompanhando.

Depois dessa declaração nem tenho mais motivos para sentir ciúmes.

***

Voltei depois de acho que uma semana, criatividade estava em falta, sorry.

Espero que tenha gostado.😘

hopeless romantic

porque eu fui naquela festa
e o mundo parecia uma pintura em que o pintor havia decidido usar o pincel pra produzir borrões coloridos
tudo acontecia tão em câmera lenta
mas meu coração batia tão rápido, amor.
e meus lábios foram de encontro a outros que não eram seus
e eu recebi toques que não eram seus;
era tudo tão vazio e eu pensava se era assim que você sentia quando me tocava
o vazio de compartilhar seu corpo com alguém que você não tem sentimentos fortes por
e não tem nada pior que isso
me desculpa se te fiz sentir assim, amor.
e naquele momento eu não tinha consciência dos meus atos, não queria ter.
eu não fazia ideia de onde eu estava e eu não conseguia parar de pensar em você
e isso é uma porcaria, amor.
porque tocava lana del rey tão alto
e eu dançava como quem nasceu pra morrer mas antes queria experimentar cada pedacinho do viver
e eram cinco da manhã e eu estava deitada na grama como um romântico que procura sua cura
porque naquele dia eu vi escurecer e eu vi o amanhecer
e tinha tanta gente
mas eu desejei que você estivesse lá só pra eu poder observar seu olhar pra aquele céu borrado mas ainda sim tão bonito
e além do meu nome você era a única coisa que eu conseguia lembrar
o quão fodido é isso?
parecia ser impossível fugir de você, amor
e é uma pena
porque
você nem sequer está atrás de mim
eu tento matar algo que já morreu faz tempo
agora esse você só existe na minha mente.

c.s.