acho rs

Agora é assim, primeiro eu. Quem não gosta de regras, não joga . Tô feliz acredita? Olha só a ironia fui buscar o amor e já tinha. Fui tentar ser feliz mais já era. Fui tentar me encontrar e me perdi, e que loucura precisei me perder pra me valorizar. Coração vazio e sorriso cheio, que assim seja. 🎈
i kissed a girl and i like it || o&r

Roman começou a frequentar a casa dos Blackwood desde que ele e Noah ficaram amigos, o que foi logo no primeiro verão após o mais velho dos Blackwood entrar em Hogwarts. E, por isso, não demorou para que, devido a pouca diferença de idade, Olivia acabasse por conhecer e virar amiga de Robin, a irmã mais nova de Roman. Desde que se entende por gente, a Puddlemere é a melhor amiga da Blackwood. E, há praticamente oito anos as duas garotas passam pelo menos uma semana na casa da outra durante as férias de verão. Afinal, depois de todo aquele tempo, as duas famílias, por causa dos filhos, acabaram por se tornar muito próximas; como sempre dizia Lisa Blackwood aos filhos e aos amigos deles “talvez devêssemos mudar o sobrenome de vocês para PuddleWood ou BlackMere, o que tiver uma melhor melodia aos ouvidos”, fala que sempre arranca risadas dos jovens, claro.

O fato de Robin ser um ano mais velha que Olivia nunca impediu que as garotas andassem juntas por Hogwarts. Claro que as aulas e rotinas diferentes impediam que fossem grudadas e que se vissem o tempo todo ou mesmo todos os dias. Mas, isso não impedia que as meninas combinassem de passar o fim de semana, fosse na torre da Corvinal, fosse no porão da Lufa-Lufa, onde assistiam a filmes e séries em suas tvs bruxas, junto da comilança de várias comidas que roubavam das cozinhas. E naquela tarde de sábado não seria diferente. Olivia esperava a amiga sentada no campo de Quadribol, escondida, claro. Se Robin soubesse que estava ali assistindo ao treino lufano, já teria sido expulsa. Não estava ali para aquilo, devo dizer - claro que não perderia a oportunidade de tentar aprender os segredos do time adversário, afinal jogaria contra os lufanos em algumas semanas -, mas pois esperava a morena para chamá-la para fazerem algo. “Ei…Robs!” disse com um sorriso travesso enquanto observava a amiga vir em sua direção. A Blackwood se encontrava encostada contra a parede de pedra do corredor que leva aos vestiários. Em sua cara, uma expressão inocente, como se tivesse acabado de chegar ali. “O que vai fazer agora? Espero que seja tomar um banho, claro. Você fede” implicou torcendo o nariz como se o cheiro fosse existente e a incomodasse. “O que acha de termos um dia de gordas? Podemos ir nas cozinhas pegar uns doces e depois irmos para Lufa-Lufa assistir a um filme.”

Keep reading

BRINQUEI!!!

Vou fazer vocês sofrerem um pouco, rs… Acho que  postar a primeira parte do Imagine com o Zayn e amanhã eu posto a parte final, o que acham? O querem que eu posto ele amanhã completo? 

2

Easter Egg de Yu Yu Hakusho em HunterXHunter =D


Olha ai uma prova de que no final das contas Togashi-Sama ainda ama e muito seus personagens de Yu Yu.


Parece que Yusuke e sua turma foram espiar como andam as coisas  com a galera de HunterXHunter…. E não só a de Yu Yu, parece que a Usagui-Chan nossa eterna Sailor Moon tbm foi fazer uma visita rs…. E acho que tem uma Chun-Li ali tbm XD


~Lunnari

anonymous asked:

Pra iniciar um relacionamento é necessário já sentir algo pela pessoa, ou o sentimento vem com o tempo?

Oi anoni, ê um pouco complicado responder com exatidão sobre isso, eu já comecei a namorar uma pessoa que eu tinha como amigo, era talvez meu melhor amigo. E no início não era aquela amoooor todo, era um sentimento mais calmo, de carinho, o gostar de estar perto, amar a companhia. E depois de um tempo se transformou em um amor que eu não saberia explicar a dimensão rs. Mas acho que pra começar um relacionamento, algum sentimento deve ter, não necessariamente amor, pois a certeza amor mesmo, vem com o tempo. Mas alguma coisa tem que existir, ou não vai muito longe.

Está Escrito (Maktub) - Cap.29

Lucy : Eu juro que não estou preparada pra te ver sair daqui filha…

Mini : Mãe, eu vou vim sempre aqui, relaxa, tá bom ?

Lucy : Mas eu não vou te ver mais sempre, quem eu vou conversar filha?

Mini : Mãe, você vai ver minha cara todo dia ,relaxa, ai, odeio despedidas…

Lucy : Tô com o coração na mão.

Mini : Você vai ver que não é isso tudo, tá bom ?

~Lucy começa a chorar~

Mini : Não chora por favor mãe,vou acabar chorando também, parece que vou pra bem longe, que isso.

Lucy : É que não imaginaria que você iria embora, sei lá filha.

Mini : Um dia todos filhos tem que seguir sua vida mãe, seja lá sozinhos, acompanhados ou sem os pais, a gente cresce, mas nunca deixa de amar vocês.

Lucy : Meu pedacinho de gente, quem diria que iria te ver sair daqui cheia de malas, cheia de coisas, é, eu acho que estou velha, rs, *limpa as lagrimas no olho*. Olha, mamãe tá aqui pra tudo tá ? Eu sei que você tá feliz ,olha tua cara, parece uma criança quando ganha um presentão, ai filha, eu to aqui toda chorosa , mas no fundo estou tão feliz quanto você, ou mais… Te ver realizada, feliz, linda, trabalhando, formada, é meu maio orgulho. Sabe, o que dói mais é que todos seus irmãos adotivos estão cada um em seus lares, mas nunca mais os vi nem tive noticiais, e você é a única , que está comigo, sempre, e olha, to muito feliz mesmo, desculpa as lagrimas, mas não posso as conter.

Mini : Você vai ver que vou está sempre aqui, vou estar tanto que vai enjoar de minha cara,e dizer Gemini volta pra casa ! Hahaha

Lucy : Bom, quer que te leve até la fora ?

Mini : Pode me levar ,me ajuda a por essas coisas no carro?

Lucy : Ah sim, claro !

~Minutos depois~

Lucy : Acho que está tudo certo agora né ?

Mini : Está sim mãe, olha, mais tarde irei te ligar ,tá  bom ?

Lucy : Se esquecer de me ligar eu vou bater lá.

Mini : hahahaha ,eu não vou esquecer, tá, se cuida.

~Gemini prende o choro, mas ao sair dali chora como uma criança quando se perde da mãe.~

~Saindo de lá, não foi direto pra sua casa, mas sim pegar o que tinha feito de surpresa pra Ally~

Várias fotos antigas, e muitas coisas que talvez a Ally nem lembrasse mais, passou em uma floricultura e comprou várias pétalas de rosas vermelhas, chocolate, e outras coisas. Nesse dia a Ally estava na casa dos pais, só chegaria a noite, então, Mini aproveitou para fazer esta enorme surpresa.

~Algumas horas depois~

Mini : Olá, me chamo Gemini Vasconcelos, proprietária também do 112,estarei subindo com algumas coisas.

- Pode me dar sua identidade por favor ?

Mini : Assim, aqui está.

- Pronto, assina só aqui, este é nosso método de segurança para que outras pessoas não tenham acesso ao apartamento de vocês.

Mini : Muito obrigado.

- Por nada.

~Então a Mini subiu, e teve uma surpresa, Ally tinha arrumado o apartamento e estava lindo, tudo perfeito. Ela sorriu ao ver o lugar. Primeiramente arrumou suas roupas, que durou mais ou menos horas, depois espalhou fotos por todo canto da casa. Na mesa, rosas, e na cama as pétalas, champanhe, e duas taças. Tudo ficou tão lindo , que ela só sabia sorrir, e mal esperava a hora de sua amada chegar. Fez uma comida gostosa, e arrumou a mesa.

*Mini liga pra Ally *

Mini : Oiiie !

Ally : Oi amor, como você está ? Esqueci  de encher teu saco hoje, desculpa, vim ver meus pais e esqueci de me comunicar com você.

Mini : Ah, não tem problema.

Ally : Posso passar na casa da tia Lucy quando sair daqui ?

Mini : NÃO !      

Ally : Por que não ?

Mini : Ham… não vou estar lá hoje.

Ally : Pra onde vai ? Sair com a namoradinha ?

Mini : É, vou sair com a minha namorada hoje.

Ally : Hum.. Legal ! Bom passeio então, pra vocês duas.

Mini : Ah, valeu. Como tá tia Beth e tio Junior ?

Ally : Estão bem, ainda tem a novidade de que meu pai quer falar com você, acredita ?

Mini : Pra mim isso é novidade, mas o que ele quer comigo ?

Ally : Não quis me falar, mas pelo visto é algo sério.

Mini : tá né.

Ally : Tô com saudades de você já.

Mini : Eu também, muita.

Ally : Quando vamos se ver ?

Mini : Logo, logo, quero te dar um abraço bem forte !

Ally : Meu beijo ninguém dá, só dá pra aquela estranha la.

Mini : Que fofinha.

Ally : Fofinha é minha mão na cara dela de novo.

Mini : Baixou a Allysson barraqueira ? KKKKKKK

Ally : Cara, engraçado que eu não conhecia esse lado meu , KKKKK, que merda!

Mini : Vou desligar aqui rápido amor, tenho coisas pra fazer, tá bom.

Ally : Tá bom.

Mini : é, que horas vai estar em casa ?

Ally : Umas 20:00, porquê ?

Mini : Por que oque ? KKK nada, não quero você andando tarde na rua mocinha.

Ally : Não se preocupa, tou protegida.

Mini : tá bom né, beijos gatinha.

Ally : Beijos coisa linda.

~ A tarde passou rápido demais, e a Ally chega~

(Ally : Ué, deixei essa luz acesa, quem apagou ? Meu Deus, será que tem um assaltante aqui ? Ai deixa eu acender isso aqui.)

(Ally : Meu Deus, o que é isso, quantas rosas, quantas coisas, quem deixou isso, ai que lindo, mas porque deixaram alguém entrar aqui e …)

(Ally : Minhas fotos e da Mô, cara, o que é isso).

Mini : Por que está com essa cara de surpresa, posso saber ?

Ally : Amor ? Cara, foi… meu Deus, o que você tá fazendo aqui ? Foi você ! Caramba, foi você , caramba, sério ? você veio me ver e fez essa surpresa? ~se emociona e abaixa a cabeça~

Mini : Gostou meu amor?

Ally : Cara , olha essas fotos,olha essas rosas, aquele buquê ali, cara, tu é perfeita, meu Deus, como você faz isso comigo Gemini , você quer me matar do coração, se sua namorada descobre que você fez isso ela te mata !

Mini : Namorada ? Que namorada?

Ally : Sua namorada, a “Biscashley”

Mini : KKKKKKKKKK

Ally : tá rindo de que ?

Mini : Nada não, ué

Ally : Vou tirar uma foto e mandar pra ela.

Mini : Deixa de ser  bobona, vai, me abraça.

~Abraça Mini~

Ally : Que milagre é esse você aqui ? Vai dormir aqui ? Ain, diz que sim, por favor.

Mini :É…. vou

Ally : QUE ? SÉRIO, AI MEU DEUS, DEIXA EU COLOCAR ESSAS COISAS AQUI NO CHÃO ! VOCÊ TÁ FALANDO SÉRIO ? VAMOS DORMIR JUNTAS? MEU, PRECISO FAZER ALGO PRA COMERMOS.

Mini : Já fiz.

Ally : Que ? Já ?

Mini : Já né.

Ally : Aiiiiiiii, minha comida favorita, ai aiaiaiai, to morrendo KKK, é demais para meu coração.

Mini : Mas a comida vai ser as 00:00…

Ally : Acho que com você aqui nem sinto fome.

Mini : Senta .

Ally : Ah, claro, to sentada.

Mini : Agora me olha nos olhos , assim.

Ally : Você tem os olhos mais lindos que eu já vi.

Mini : E você a boca mais linda que eu já vi.

Ally : Não fala isso , vai…

Mini : Por que ?

Ally : Isso é uma provocação, não posso ser provocada, você sabe né.

~ Mini então olha pra Allysson e dá um sorriso de felicidade,tira seu cabelo do rosto,beija sua testa,encosta sua boca na da Allysson, que ao sentir a Mini perto de você, a puxa pra cima dela,e a beija com muito amor, e muito carinho, com enorme suspiro e saudade, a lagrima dos olhos da Allysson caem sem parar,e ao mesmo tempo que a beija, aperta com muita força~

Ally : Eu não acredito que finalmente te beijei depois de 3 anos, que saudade de você.

Mini : Agora você me terá por todo tempo que quiser.

Ally : O que você quer dizer com isso ?

Mini : Ainda nada, só quero que você não me faça perguntas agora, certo ?

~Senta sobre o colo da Allysson~

Ally : Acho que hoje é meu dia de sor… ~Mini põe o dedo na boca da Allysson~

Mini : Ei, eu te amo tá bom ? E não há outra pessoa melhor do que você pra mim. Muitos anos esperei por esse momento, e agora estou aqui, nos seus braços & … me sinto a pessoa mais protegida e feliz desse mundo.

Ally : eu também te amo, e essa surpresa que você me fez foi maravilhosa, jamais iria imaginar você aqui, comigo, e… ainda me beijou.

Mini : Olha Ally, agora eu sou tua, somente tua.

Ally : E a sua namorada ?

Mini : Eu não tenho mais namorada, faz dias…

~Ally desaba nas lagrimas feito criança~

Ally : Você tá dizendo que você tá livre, você voltou pra mim amor ?

Mini : Sim boba, jamais ficaria com outra pessoa se o amor da minha vida é você, dessa vez nem o tempo irá nos separar.

~Ally olha nos olhos da Mini , ela não conseguia se conter, ao mesmo tempo que ria, as lagrimas caiam, e a beijou com todo amor do mundo, suas mãos tremiam, e uma enorme sensação estranha tomava conta de você. Borboletas no estomago, frio na barriga, e suas mãos começaram a suar~

Mini : Gosto quando você me aperta desse jeito.

Ally : Eu to vivendo um sonho.

~Mini rasga blusa da Ally~

Mini : Talvez isso não seja um sonho e sim sua maior realidade. *dá um sorrisinho*

~Suas mãos passeiam pela barriga da Ally. Sua boca beija seu pescoço, arrepiando-lhe dos pés a cabeça~

Ally : Pra que um sofá quando se tem uma cama de casal ?

~Ally beija Mini e a conduz  com a mão sobre sua nuca, e a leva para seu quarto, que estava arrodeado de pétalas sobre sua cama~

Ally : Caramba, olha isso, que perfeição, é demais pra mim, cara você não existe…

Mini : A muitos anos esperei por isso, você merece muito mais que isso.

Ally : Eu ainda não acredito que você está aqui na minha frente, nem que isso tudo é pra mim, ou melhor pra nós.

~Mini empurra Ally na cama, fazendo-a ficar deitada~

Mini : Pois acredite,*tira sua blusa*;

Mini : Demorou mais chegou, não é ? ~pega a mão da Ally e passa por seu corpo*

Mini : Eu sei que você sentiu falta.

Ally : Assim como você também sentiu ~puxa a Mini pra cima dela, fazendo com que seus rostos fiquem colados ~ agora para de falar e  me beija, a muito tempo estou sentindo falta do seu amor, e do seu gosto…

(CONTINUA)

Capitulo 40 – Dias Fáceis

Alguns dias eram mais fáceis do que outros,  aquele finalmente estava sendo o mais fácil, não sei exatamente o que me animou pela manhã. Talvez o céu infinitamente azul, o dia lindo, o sol ? Não sei, a única coisa que sei é que os últimos dias tinham sido muito difíceis, e nem mesmo eu entendi a animação daquele dia, o clima leve e bom, o frio tinha dado uma trégua, 19 graus, o que não era exatamente normal nos dias de julho.

‘’Hoje vou fazer o dia render’’ falei a mim mesma, afastando qualquer sombra de pensamentos negativos que podiam me incomodar naquele dia. ‘’ Vamos lá, recuperar esse sorriso, minha marca, é necessário’’.

Pulei da cama, observei o celular apenas para ver as horas, que marcavam 8:25, qualquer ícone de mensagem no whats foi ignorado por mim naquele dia, sem drama sem decepções. Tomei um banho  e buscava uma roupa no guarda roupa para vestir, acabei com uma calça jeans preta rasgada de cima a baixo, e uma camiseta que estampava a foto de Chorão da banda Charlie Brown Jr. E a frase ‘’ Hoje ninguém vai estragar meu dia’’, sorri pois era exatamente o que eu queria para aquele dia, quase perdi o foco quando vesti a camisa e senti o perfume de Vanessa, a camiseta era dela,  botei o pano mais uma vez contra o rosto, tentando sentir todo perfume nela, mas antes que qualquer filme passasse na minha cabeça parei de bobagem, calcei uma bota e peguei a bolsa, saindo de casa.

Estava dirigindo quando visualizei aquela criatura desengonçada alta com cabelos pretos longos andando na calçada, não mão esquerda carregava uma garrafa de Martini, já tinha quase certeza de quem era, até ler o nome da banda na camisa The Misfits , encostei o carro e baixei o vidro.

- E aí gata, quanto cê cobra o programa? –falei tentando parecer séria, mas prendendo o riso.

- Pra você o cu é bem barato. – Edu falou se virando e rindo pra mim.

- Entra aí.

Ele abriu a porta e me deu um beijo no rosto cumprimentando. – Sua ruiva sabe que você ta vendendo o cu ai na esquina por garrafa de Martini?

- Não, é meu mais profundo segredo, não conte a ela, já falei que pra você é mais barato. – falou zoando.

Rimos juntos.

- Aonde tá indo ? – perguntei pra ele.

- Na casa da sua mãe. – falou pegando um espelho que encontrou ali e arrumando o cabelo.

- Ah eu também, você é uma puta de sorte. – falei, ele deu um sorriso largo.

Edu sempre me fazia rir, era difícil não rir quando estava com ele, ele tem sido meu amigo a anos, talvez por que estávamos juntos na época mais louca da nossas vida, nossa adolescência foi foda, nunca aproveitamos tanto, até hoje aproveitávamos. O clima com ele era sempre descontraído, sei que ele fazia muita merda também, mas sua namorada atual andou controlando certas atitudes dele, o tornando uma pessoa mais sensata, mais…calma.

- Você tá diferente, ruivinha fazendo efeito na sua vida. Julgando por estar com um Martini na mão é sóbrio. – falei olhando pra ele por um momento, ele passou a mão nos cabelos, parecia nervoso.

- Olha, ela tá, isso é para nossa comemoração hoje, estou prestes a fazer uma das maiores cagadas.

- Haha, cagadas, você tá sempre fazendo, qual a próxima? – perguntei curiosa.

- Vou pedir ela em namoro. – falou e esperou minha reação.

- Não é uma cagada se você realmente gosta dela, e se vai fazer isso. Você que é você – dei uma risada no meio da frase, e ele concordou com a cabeça - … vai pedir, é por que ela realmente é especial pra você.

- Mano, acho que nunca vou encontrar alguém como ela. – falou meio bobo.

Edu era o tipo de pessoa que era ‘’durão’’ aqueles rockeiros quem mais não se importam com as coisas e faz loucuras, mas ele sempre foi aberto ao amor, a única fragilidade dele, ele odiava isso, mas não tinha alternativa, por mais hardcore que fosse, ele sempre estava se apaixonando, o lado positivo é que se dava problema se desapegava fácil, já eu era ao contrario, difícil de me apegar, e depois difícil de esquecer.

- Então tá fazendo a coisa certa.  – falei

- Você e a Vanessa estão convidadas para o pedido hoje, vai acontecer na minha casa mesmo, uma social, farei lá com os amigos mais próximos.

Suspirei, não sabia o que falar, contar ou não sobre a briga com Van? A pergunta após me deixou sem alternativa.

- E como tá a loira ancuda? – ele riu

- Mais ou menos, a tia dela faleceu, mas não andamos se falando pouco esses últimos 3 dias.

- Aham sei, garanto que tá na sua cama esse momento, aproveitando que o pequeno tá com o pai. – falou me dando um leve soco no ombro.

- Não ta. Rs. – acho que ele percebeu minha resposta desanimada.

- Vish, o que tá pegando?

- Aí-ai, tá complicado. – foi o mais próximo de uma explicação que cheguei.

- Brigas? Ciúmes? – ele palpitou.

- Nenhum… o maldito rótulo, e a sua mania de querer se fechar e não se entregar. – falei séria.

- Você se gostam, as coisas vão melhorar. – concluiu, e logo chegamos na minha mãe.

Ela estava completamente curada da pneumonia, sorridente, acho que todas as pessoas tinham acordado mais animadas aquele dia. Ele convidou  ela também para o noivado, mas minha mãe agradeceu negando.

- Isso é mais para amigos e familiares Edu, mas boa sorte, que você seja muito feliz.  – Abraçou ele forte, Edu e minha mãe se gostavam demais.

- A senhora que sabe. – falou finalizando o abraço, mas ainda sorrindo.

- E eu hein, que pensei que no final das contas depois de todos esses anos de amizade vocês iam terminar juntos. – falou olhando para mim e para ele.

Rimos muito daquilo, e ela nos observou com olhar assustado. – Eu e o Edu?! Haha, sério mãe?

- Não tia, ela minha melhor amiga. – ele passou a mão por cima dos meus ombros e enfiou o dedo no meu nariz.

- Ai Edu! Para de ser porco! – minha mãe balançou a cabeça rindo e foi para cozinha.

- Olha só, vou indo e te vejo mais tarde. – Ele me deu um beijo na testa, e correu para apertar minha mãe em um abraço de urso, que protestou quando seus braços se fecharam ao redor dela, e então foi embora.

 Caminhei até a cozinha, minha mãe se encontrava concentrada batendo um pão caseiro. Me apoiei no balcão cruzando os braços ali. Ela sorriu amigável para mim, então vi que estava de boa com todos os assuntos. Acho que finalmente aceitando melhor as coisas.

- Quando vai convidar sua amiga aqui para um jantar? Eu andei pensando. – Bom, essa pergunta confirmou meus pensamentos sobre a aceitação, o pelo menos a tentativa pela tal.

- Assim que possível. – falei dando um beijo no seu rosto, não entrei em detalhes, nem contei nada da briga. Achei que aquela era a melhor resposta para o momento.

Não demorei muito lá, foi uma visita rápida, ela me atualizou sobre os acontecimentos da família, e horas depois deixei sua casa, indo para minha me arrumar para ir na casa de Edu para sua ‘’cerimonia’’. 

No teu caminho, silencioso
Sentindo a dor do amor desfeito,
Tão calada e tão sofrida 
Amarga essa dor dentro do peito.
Dentro de ti o coração pede
Chore, é preciso desabafar,
Mas tua força maior que a dor
Secou teu pranto pra não chorar.
Seu sentimento guardado oculto
Desse teu peito não vai sair.
Meu corpo insiste em te querer,
Eu só preciso ter um cantinho
Em tua vida, em teu viver.
—  Teto de folhas.