a-arte-da-palavra

você é do tipo de pessoa que transcende a arte e qualquer palavra que esvai da tua boca é uma poesia marcada em tinta azul no universo.

Ao infinito e além...

Poetas nascem da dor, nascem do amor, de um pôr do sol e do seu nascer também, nascem da chuva, de uma noite de verão, nascem das cores, das flores, de uma doce inocência, e também da ausência dela, são como​ as batidas do coração.
Suas palavras ecoam pelo vento, através do horizonte, e nunca morrem, essa é a melhor parte, o maior encanto das palavras, é o dom que elas tem de nos marcar para sempre.
Penso eu, que um poeta é um ser humano disposto a descrever sua forma de ver o mundo, desde a mais lúdica, a mais realista. O importante é que as batidas do seu coração possam estar em harmonia com a de seus caros leitores e apreciadores da arte imensurável e infinita de possibilidades na qual as palavras nos fazem mergulhar.

-AC

A Arte Pela Arte

Dizem e mantêm uns que a arte tem o seu fim em si mesma e que deve achar a sua justificação na sua própria existência. Assim, não será já necessário falar da utilidade da arte, no verdadeiro sentido da palavra, no momento atual. A criação… princípio fundamental de toda arte, é uma propriedade integra, orgânica, da natureza humana, e desenvolve-se unicamente devido ao fato de ser uma faculdade indispensável do espírito humano. É tão legítima no homem como a inteligência, como todas as faculdades morais, e pode até dizer-se que como as duas mãos, os dois pés ou o estômago. É inseparável do homem, formando um todo com ele. É certo que a “razão”, por exemplo, é útil, pois nós mal passaríamos sem ela. Também as mãos e os pés são úteis ao homem. Neste sentido também a criação é útil ao homem.
Mas, como algo completo, orgânico, a criação desenvolve-se por si, independente, e exige desenvolvimento pleno; sobretudo… exige plena liberdade no seu desenvolvimento. Por isso todo freio, toda coação, toda missão subalterna, todo fim exclusivo que lhe imponham serão ilegítimos e absurdos. Se limitamos a criação e se proibimos aos anelos criadores e artísticos dos homem que se consagram… a quê, diremos? Pois ao exprimir certas sensações: se vedamos ao homem toda atividade criadora que nele se suscitam certas manifestações da natureza: o nascer do sol, as tempestades marítimas, etc, etc, isso equivalerá a restringir de uma maneira estúpida e ilegítima o espírito humano na sua atuação e desenvolvimento.

—   Fiódor Dostoiévski, em “Excertos do Diário de um Escritor”.
Uso do dicionário

O dicionário registra os vários sentidos que uma palavra pode ter. A este conjunto de sentidos dá-se o nome de verbete.

Veja, por exemplo, o verbete da palavra volta:

Volta: S.f. 1. Regresso, retorno. 2. Pequeno passeio. 3. Curva de uma estrada ou rua.

Ao procurar no dicionário um sinônimo para uma palavra, você deve verificar qual sentido do verbete é mais adequado à frase em que se encontra essa palavra.

Vamos ver se você compreendeu bem. Consultando o verbete acima, dê o sentido mais adequado da palavra volta nestas frases:

  • João foi dar uma volta com Maria.
  • O professor Júlio entrou na sala e esperou a volta dos alunos.

(respostas nos comentários)

Além dos sinônimos, um verbete de dicionário pode nos dar outras informações sobre as palavras. Veja, por exemplo, o verbete da palavra gato:

Gato: S.m. 1. Animal mamífero, carnívoro, da família dos felídeos. 2. Indivíduo ligeiro, esperto. 3. Bras. Gír. Homem bonito e elegante.

S.m. Indica a classe gramatical da palavra. No caso, substantivo masculino. Os dicionários apresentam, no início, uma explicação das abreviaturas usadas.

Bras. Gír. Informação de que o sentido 3 é típico do Brasil, é um brasileirismo (que se abrevia Bras.) e é gíria (que se abrevia Gír.).

Leia agora este outro verbete:

Fera: S.f. 1. Animal bravio e carnívoro. 2. Fig. Pessoa cruel e sanguinária: Aquele guerreiro era uma fera.

Neste verbete, vemos que a palavra fera, além de seu sentido próprio, de animal bravio, pode ter um sentido figurado (que se abrevia Fig.), isto é, um sentido especial, que geralmente nasce de uma comparação (o guerreiro agiu como se fosse uma fera, um animal bravio). Só percebemos o sentido figurado de uma palavra quando lemos a frase em que ela está sendo usada.

Além disso, o verbete apresenta uma abonação, isto é, uma frase que exemplifica o uso da palavra no sentido indicado (no caso, o sentido 2): “Aquele guerreiro era uma fera.

Viu quanta coisa você aprendeu? Mas isso não é tudo. Com o tempo, à medida que for consultando com atenção o dicionário, você perceberá que os verbetes dão muitas outras informações sobre as palavras, o que nos ajuda a conhecer cada vez mais a nossa língua.

Vamos ver se você entendeu bem?

A. Explique se as palavras em negrito nestas frases estão sendo usadas em sentido próprio ou figurado:

  1. Guilherme foi um leão durante a partida de futebol.
  2. O leão vive na África.
  3. Mariana comprou um brinco novo.
  4. A casa da vizinha foi inteirinha pintada e ficou um brinco!
  5. O espinho da flor feriu a mão de Florisbela.
  6. O espinho do ciúme feriu o coração do namorado.

(respostas nos comentários)

Por enquanto é isso. Abraço e até a próxima!

Alinhamento Planetário

Não sou terráqueo, não sou normal e muito menos humano no sentido da palavra. Derivo da fração que é a arte. Residente no espaço que paira em meio à gravidade, em sua obesidade a colidir com asteroides e traçar o curso desta galáxia. Tudo aqui parece ser feito para ti enquanto direcionam-se para o vulcão solar. Os franzinos-sóis juntamente dos obesos astros num (des) alinhamento, com causa maior e por você contemplam tua beleza que chega a anos luz.

Eis que eles se pronunciam de uma forma pitoresca, de uma forma individual expressando teus efeitos sob a atmosfera.

Mercúrio é onde a arte toma fôlego e a extensão cinza muda para um tom abóbora sem tempero.

Vênus, uma fração mostarda-avermelhada que parece explodir e mimetizar o sol. Como se a atmosfera fosse proposital para chamar a tua atenção, numa espécie de cortejo que permanece pelas eras.

Terra, um conglomerado azul e marrom que se esconde em densas porções de chantilly. Brilha com um azul precioso e audaz para refletir tua proporção. Pois, a Terra e as estrelas nasceram para ti.

Marte, a parte da astronomia que completa a alma. Com um rubor tão vivo, pois tuas cavernas negras penetram deixando hematomas de vergonha. Então, essa atmosfera que nos leva a uma dimensão quase particular na ausência de água, pois tu fizeste toda umidez evaporar.

Júpiter, um planeta que de tão grande e curioso sai do eixo solar para te observar assim tão nua e tímida com esse sorriso bobo. “Eu amei as estrelas tão afetuosamente que é impossível ter medo da noite. E cada parcela pequenina e brilhante é de certa forma um traço de ti”.

Saturno, mesmo com 5 sentidos (anéis solares) para examinar teus rastros em torno da galáxia, tão vão que implode em ventos fortes, das cores marmóreas ao ouro. Ainda sim, com auroras e atrações mil nada é suficiente para presentear você que de tão esquiva, prefere fazer shopping no sol.

Urano, arado o pó das estrelas e direcionado, tu sopras sobre a atmosfera que se mistura com o vento e dança num carnaval gélido e azulante que expulsa gotículas d’água. Reluzindo lentamente num modesto brilho gelo e nuvens esparsas.

Netuno, navegar num oceano azul, o qual tão carmesim quando encontra a luz, além do sol num banho oeste de estrelas desconhecidas. Rompendo o vácuo estelar para conquistar tua atenção.

Plutão, um planeta verme-nanico que por não respirar oxigênio acompanha uma tristeza solene vestida de prata. Por não ter tua presença, então excluído e vitimizado com tanto amor resguardado. Mas com certeza, há algo em algum lugar incrível esperando para ser exibido.

E eu um mero mortal em traje. Visualizando você… A minha lua. Emitindo sinais fracos que não perpassam o que realmente reside no peito. Projeto de foguete rompendo a ionosfera para na tua extensão derivar como um lixo espacial, a rodear na tua orbita, rompendo a velocidade da luz e até o vácuo. Mas sem sucesso de aterrissar sobre ti, os teus cílios negros e os teus sons que me guiam, porém não saciam o que somente teus beijos fariam. Sem ar antes da hora como o teu afago, ou sem forças suficientes para não soltar a mão tua. Então, eu só posso observar você desalinhar da minha orbita e partir cravando um sentimento em mim.  

-GREGO