Treinador

HARRY STYLES

  • Anônimo:Oi, eu gostaria de um em que ela fosse toda delicada (não ingenua e sem graça) e ele todo grosso, mas ele tenta de todas as formas ser a melhor pessoa pra ela aí um dia ele tem uma crise de ciúmes (ele é bem possessivo) e ela termina com ele, daí ela pega chuva quando estava indo pra casa depois da briga e no outro dia ele encontra ela voltando da faculdade e toda doentinha, ele obriga ela a entrar no carro ele leva ela pra casa dele e cuida dela (essa parte bem fofa por favor) com o Harry 
  • To meio enferrujada mas espero que gostem!
  • Boa leitura!

Os opostos se atraem literalmente, posso dizer que sou muito diferente do meu namorado, ele é capitão do time de basquete e não eu não sou líder de torcida, eu sou muito na minha sou muito ligada aos estudos, Harry se dedica bastante nos seus estudos também e às vezes pede minha ajuda! Ele é ciumento, na frente dos amigos ele é todo rude mas comigo ele é super fofo, vou dizer que amo esse jeito dele mas às vezes os ciúmes é demais.

— (seu nome), o que está pensando? — Harry me tira do meu devaneio — aposto que não está estudando biologia — ele vê o livro na minha mão

— Tava pensando em como meu namorado é lindo — digo e lhe puxo para um selinho

— Eu queria você aqui e agora - ele aprofunda o beijo

— Aqui no campo de treinamento onde todos os seus amigos estão?

— Não vejo problema - ele segura na minha coxa

— Harry volte já para o treino - O treinador fala

— Vá Harry! - empurro ele que me dá um selinho e volta para o campo

Volto para o meu livro de biologia e coloco meus fones de ouvido. Logo vejo alguém sentar do meu lado e me cutucar, retiro meus fones e vejo o melhor amigo de Harry me olhando e sorrindo

— Oi Charles, posso te ajudar? - digo

— É.. Estou com umas dúvidas em matemática e preciso que você me ajude

— Ah, eu e o Harry estudamos de sábado na casa dele, se quiser pode ir lá que ajudo você também

— Não (seu nome) quero estudar só com você - ele diz

— Desculpa mas acho que Harry não iria gostar de nós dois estudando juntos

— Ah qual é (seu nome) o Harry manda em você agora? - ele diz

— Não, mas ele é meu namorado e seu melhor amigo e não custa nada estudarmos juntos

— Tudo bem (seu nome), bom que pena que eu não vou poder fazer uma coisa

— O quê? - digo confusa - ele me puxa e me beija, eu tento me soltar mas ele me segura forte.

— Que porra é essa? - Vejo um Harry furioso nos olhando

— Ele… - ele me interrompe
— Ele nada, você vem aqui agora - ele pega no meu braço e sai comigo campo a fora, mas antes ele vira para seu amigo e diz — você eu me resolvo depois

— Harry me solta - ele me leva para o nosso esconderijo e me solta

— Nunca achei que você faria isso (seu nome)

— Eu não fiz nada, ele que me beijou - tento me explicar mas ele me prende na parede

— Você é só minha, entendeu? - ele diz perto do meu rosto

— Para de ser possessivo, eu sou sua namorada e não sua propriedade - digo

— Aé? Então volta lá e fica com aquele filho da puta de novo - ele sai de perto de mim

— Eu não te entendo, você viu que estava tentando me soltar dele, eu te amo e não te trairia e ainda mais com seu melhor amigo - digo com uma lágrima caindo - Olha eu cansei dessa sua possessividade e desse seu ciúmes

— O que você quer dizer? - ele pergunta

— Eu quero terminar, dar um tempo pra mim! - digo e saio da sala do zelador e deixo ele sozinho sem ouvir uma palavra da sua boca.

O resto do dia na escola eu evitei olhar para Harry. Na hora de ir embora tive que ir apè porque sempre ia com ele, mas no meio do caminho veio uma chuva forte que me renderia uma gripe mais tarde! Cheguei em casa toda molhada e fui direto tomar um banho quente, recebi várias mensagens de Harry mas recusei todas.

[…]

Dois dias depois eu ainda evitava Harry, ele tentava falar comigo mas sempre tentava me esconder dele, do jeito que eu o conheço ele ia fazer de tudo para que eu volte com ele e ainda to em dúvida quanto a isso! Peguei uma gripe horrível e naquele dia eu estava com dor de cabeça, na hora de ir pra casa eu ande devagar pois cada passo que eu dava era uma dor, logo vejo um carro parando do meu lado, e eu conhecia muito bem esse carro!

— (seu nome) meu amor, entra que eu te levo - paro e reviro os olhos

— Harry, eu pedi um tempo e eu estou doente e não muito a fim de discutir - digo com a voz meio rouca e vejo ele saindo do carro

— Então entra, não gosto de te ver assim - ele me segura e eu me solto

— Harry.. - ele para - Por favor (seu nome)

— Mas sem nenhuma palavra e você só me deixa em casa e vai embora- digo e entrando no carro

No caminho acabei dormindo e quando acordei eu não estava na minha casa e sim na casa de Harry, vejo ele com um termômetro e uma bandeja com uma sopa.

— Harry, eu disse minha casa - sento na cama

— Você começou a tossir muito, então te trouxe pra cá

— Eu vou embora - ia me levantando e ele me segura

— Deixa eu cuidar de você, por favor! - sorrio e faço sim com a cabeça

Ele me dá a sopa e eu tomo tudo, estava deliciosa, Harry não saiu do meu lado.

— (seu nome) eu quero te pedir desculpas pelo que eu fiz - ele segura minha mão

— Você pedindo desculpas? Acho que quem está doente é você - digo

— Eu só quero ser melhor pra você, melhorar meu ciúmes e te fazer feliz

— Você é o melhor pra mim, desse jeito que você é. Eu te amo - sorrio e te dou um selinho — agora fica aqui comigo e deita comigo e me abraça por favor - digo e ele me abraça

— Eu… Eu te amo - ele diz e eu sorrio, ele nunca me disse que me amava

— Repete - peço

— Eu te amo muito - ele fica por cima de mim e começa a me beijar, eu não sei se ele merece essa chance mas vou confiar nele por mais que ele não mereça às vezes.


LEMBRE-SE: PLÁGIO É CRIME!

SEU LIKE É MUITO IMPORTANTE! VOLTE NA ASK PARA DIZER O QUE ACHOU!

Cristiano wins Portugal’s player of the year at the FPF Quinas de Ouro Awards (20.03.17) 

(src: @FCPortoGlobal on twitter)

PT: ”Falar mais um bocadinho… Bom, como disse anteriormente, 2016 foi um ano de sonho - a nível pessoal, a nível coletivo… Aquilo que conquistei no Real Madrid foi super importante - a Liga dos Campeões. Mas acho que a cereja no topo do bolo foi o Europeu, sem dúvida alguma. Foi a primeira vez na história de Portugal e, de certa forma, é especial. Para mim foi especial porque era o último troféu que me faltava e, por isso, fiquei super contente.

Agradecer, uma vez mais, aos meus companheiros do Real Madrid e, obviamente, aos meus companheiros da Seleção, ao mister, todo o staff que esteve connosco, que nos acompanhou e a todos os portugueses - tenho de frisar uma vez mais, porque acho que eles foram super importantes na nossa conquista do Europeu, porque nos deram confiança e fizeram-nos acreditar que, realmente, as equipas favoritas também podem ganhar, e foi isso que aconteceu. As coisas correram… no principio, lembro-me, foi muito difícil, mas a crença sempre esteve presente: no nosso treinador em primeiro lugar, e em todos nós jogadores. 

Por isso, foi um ano de excelência - a nível pessoal e a nível coletivo - e, como digo, foi um ano de sonho. Por isso, estou muito contente. Obrigado a todos e… [em espanhol] Pasadlo bien!”


ENG: “Talking some more… Well, as I said before, 2016 was a dream year - at a personal and collective levels… What I achieved in Real Madrid was super important - the Champions League. But I think the icing on the cake was the Euro, without any doubt. It was the first time in the history of Portugal and, in a way, it’s special. To me it was special because it was the last trophy that I was missing and, so, I’m super happy. 

Thank you, once again, to my team mates in Real Madrid and, obviously, to my team mates in the National Team, to the mister, to the entire staff that was with us, that accompanied us and to all the portuguese - I’ve got to emphasize this once again, because I think they were super important in our conquest of the Euro, because they gave us confidence and made us believe that, really, the favorite teams can win as well [note: I can’t speak for Cristiano but I think he meant to say the ‘non favorites’ here] and that was what happened. Things were… in the start, I remember, it was really hard, but the belief was always present: in our coach firstly, and in all of us players.

So, it was a year of excellence - at a personal and collective levels - and, as I say, it was a dream year. So, I’m very happy. Thank you to everyone and.. [in spanish] Pasadlo bien!”

  • pedido


Sempre amei fazer aniversário mas isso mudou durante minha festa de cinco anos. Tudo estava normal para ser sincero, meus pais estavam radiantes e meus avós felizes por nossa família agora completa com a volta da pequena Jayne. Havia algumas pessoas que eu não conhecia no pátio, dois homens fortes e tatuados na porta dos fundos e uma mulher com olhar obscuro falando com meu pai. Assim que os viu minha mãe me chamou e me entregou uma mochila e um bilhete, ela me deu um beijo e pediu para que eu corresse até o metro onde um amigo da família me pegaria.

Precisou de dez anos para eu conseguir entender o que aconteceu, minha mãe e meu pai eram fundadores de uma gangue e as pessoas que foram na minha festa eram seus rivais, eles queriam o quarteirão e minha família não os deu.

Naquela noite toda minha família foi morta inclusive meus avós, a noticia saiu em vários jornais e por causa disso tive que mudar meu nome e viver escondido em uma gangue do Brooklyn.    Me criei no meio deles porém eles nunca me deixaram se envolver com os negócios da família. June o dono da gangue sempre apostou em mim como um grande jogador de basquete, eu era realmente bom por isso ganhei uma bolsa e fui morar em Londres onde estou agora com minha família. S/n é minha mulher e Brandon meu filho que está prestes a nascer.

- Liam -minha mulher gritou do banheiro e eu sai correndo.

- Eu esqueci a toalha -ela diz calmamente e eu coloco a mão no peito.

- Você vai me matar antes do nosso filho nascer -suspiro- é serio!

- Desculpa, meu bem! -diz sorrindo e em seguida beija meus lábios.

[…]

O dia estava nublado em Londres mas isso nunca me impediu de ir correr pela manhã, o frio está realmente castigando a todos mas não há nada que me deixe longe da minha rotina. O parque não estava com muitos visitantes o que facilitou o circuito que o treinador montou, terminei dez minutos antes.

- Está dispensado, Liam.

- Foi um ótimo treino -digo após pegar a mochila.

- Também achei, como está o pequeno Brandon?

- Quase saindo da mãe! -digo e ele arregala os olhos-

- Espero que esteja preparado para o melhor dia da sua vida!

- É.. eu também -digo e coço a cabeça.

Enquanto converso com o treinador vejo que uma mulher encostada na árvore me olha. Eu reconheceria aquele olhar sombrio mesmo que em uma multidão, era ela, a mulher que assassinou minha família.

- Onde você vai, Liam?

Assim que vê eu indo até ela a mesma começa a caminhar mais rápido, atravesso a rua e logo fico presso em um manifesto de estudantes, peço licença empurrando algumas pessoas  mas mesmo assim a perco de vista.

June me disse que eles viriam atrás de mim, e assim que eles chegassem era para eu ligar, e por mais que eu não quero atrapalhar agora existem mais pessoas em jogo, minha família.

- Você tem certeza que era ela?

- Eu reconheceria aquela, vadia, em qualquer lugar!

- Droga, ela nunca viaja sozinha. Liam me escuta.. você tem que tirar S/n dai.

- E para onde eu levaria ela, June?

- Vem para o Brooklyn!

- Não.. eu não posso largar minha vida aqui! Amanhã mesmo tenho um jogo.

- Então você prefere jogar a salvar sua família?

- Sabe o que eu prefiro? Não me meter nisso!

- Sinto em te dizer mas você nasceu no meio disso, pegue as passagens e venha, Liam. Você não suportaria perder mais uma família!

Desligo o celular e sinto meu estomago revirar, exatamente do mesmo jeito que ficou enquanto corria até a estação como minha mãe mandou. Durante a caminhada até minha casa vejo uma forte fumaça no ar, na hora me vem uma estalo na mente eu corro como jamais corri. Assim que dobro na esquina que dá de frente para minha casa vejo uma multidão com baldes e mangueiras tentando apagar o fogo que já estava mais do que alastrado.

- NÃO!! NÃO… -coloco as mãos na cabeça- S/N!!! -grito-

- LIAM VOCÊ PRECISA SE ACALMAR. -meu vizinho pede com lágrias nos olhos.

-  CADE MINHA MULHER? CADE MEU FILHO?

- UM CARRO.. UM CARRO PRETO ENCOSTOU AQUI E A LEVOU, E EM SEGUIDA O FOGO COMEÇOU!

- DE NOVO NÃO -digo e sinto as lágrimas em meu rosto.

- A POLICIA ESTÁ A CAMINHO VOCÊ PRECISA SE ACALMAR!

- Me empresta seu carro -peço-

- Eu.. você tem que dar depoimento!

- Me da a chave -peço entredentes e ele entrega.

[…]

Por mais que eu não quisesse eu sabia que eram eles que estavam com S/n, incendiar casas era um código “Quando o fogo cessar a pessoa morrerá”, odeio admitir mas June tinha razão eu devia ter levado ela para o Brooklyn dentro do quartel ela estaria protegida. Minha família fez coisas ruins no passado e por mais triste que isso seja estou pagando por isso.

Após oito horas de voo chego em Nova York, empurro algumas pessoas no desembarque e recebo um olhar de reprovação do June que me espera em frente a seu carro.

- Eles pegaram ela! -digo com os punhos cerrados.

- E agora nós vamos pegar eles -ele diz e me entrega a arma da sua cintura.

- Vou matar aquela vadia -digo entrando no carro.

- Ei gafanhoto, não quero que jogue sua vida fora!

- Eles queimaram qualquer vestígio de vida que eu tinha.

- Os Gonzales não vão fazer nada com sua mulher, eles querem a mim e sabiam que se mexessem com você, uma guerra estaria armada!

- E agora?

- É agora que a guerra começa!

[…]

- Liam, eu sei que você é melhor do que isso, eu sou inocente, juro!

- Eu também sou inocente porra -grito. E olha para mim, veja o que acontece com pessoas inocentes como nós!

- EU NÃO SEI ONDE SUA MULHER ESTÁ!

- ESTÁ MENTINDO -grito perto do seu rosto e ela se esquiva.

Lauren é a filha do Robbie o chefe da máfia, nós sequestramos ela ontem a noite durante uma festa de adolescente. Eu deveria me sentir mal mas tudo que sinto é medo, pois a cada minuto que passa é um minuto sem saber como estão as duas pessoas que eu mais amo no mundo. Ela é uma menina jovem mas já se meteu em muitas encrencas, quando mais nova ela que atraia as iscas para seu pai matar, por isso eu sei que ela sabe onde é o esconderijo.

- Se você não falar eu juro, que vou cortar um dedo do seu pé, agora mesmo!

- Acha mesmo que eu tenho medo de você? És uma piada!

Cerro os punhos e minha mão acerta em cheio seu rosto, sua cabeça acaba virando com a força e quando se desvira vejo que seu lábio esta rasgado.

- Olha, você sabe bater.. -ela gargalha- eu sei fazer melhor.

- Já chega dessa brincadeira -June diz e engatilha a arma- onde ele está?

- EU NÃO..

E antes mesmo que ela acabasse a frase June atira no pé dela, me assusto com o ato e a menina se contorce de dor na cadeira.

- Não vou perguntar de novo.

- EU FALO, EU FALO!

- Então fala, porra!!!

- Assim que ela chegou, Marcos, o enfermeiro induziu o parto e tirou a criança dela.. -ela para de falar e urra de dor- ela ficou fraca e eles jogaram ela no porão, eu tentei intervir e até levei comida para ela mas tinha muito sangue..

- Onde fica isso? - June pergunta com os cabelos dela nas mãos.

- No cassino, no CASSINO GONZALES!

- Desgraçados! -ele grita e atira no peito da menina três vezes.

Fecho os olhos pois o barulho do tiro me assusta, prefiro não olhar e sigo June até a garagem onde ele pega seu maior carro, observo o mesmo colocar algumas armas no banco de trás e logo dois de seus parceiros entram no carro.

- Você não vem? -Maison pergunta-

Entro no carro e não demora muito para que o mesmo arranque, o caminho até o Cassino é torturante e quando chegamos no mesmo par nossa surpresa o lugar está completamente vazio. Maison arromba a porta e então entramos, vejo a porta do porão exatamente como a garota descreveu e então corro até a porta.

- S/N.. -a chamo mas não tenho nenhuma resposta-

Empurro a velha porta e assim que abro sinto um forte cheiro de ferrugem, desço as escadas com a arma apontada e não demora muito para que eu veja ela atirada no chão. Jogo a arma e corro até ela, seu longo cabelo negro está cobrindo seu rosto e eu receio o tirar. Assim que tiro percebo que a mesma está pálida e seus lábios que antes tinham um tom vermelho sangue agora estão roxos. Me agarro em seu corpo já desfalecido e choro, choro por mim, pelo meu filho e por todos aqueles que a amam.

- Liam..

- Ela está morta, June! MORTA -abraço seu corpo.

- Achamos o Brandon..

Viro para trás e então vejo June com um pequeno embrulho nos braços, o mesmo se abaixa e então vejo o lindo do rosto do Brandon, a dor no meu peito é tanta que chega a ser sufocante é como se eu tivesse sido esfaqueado e não ela. Estico meus braços e aconchego meu pequeno filho, June me abraça e choramos abraçados no que parecia ser minha família. Brandon estica seus pequenos braços e dá um lindo sorriso, no seu rosto existem pequenos vestígios de sangue exatamente como na camisola de sua mãe.

Olho pela última vez nos olhos daquela que eu mais amei  e então os fecho.. Para sempre.  

[…]

Nunca consegui entender o porque de quando os bebês nascerem, eles chorarem como se não houvesse amanhã. É alto, é chocante, e é completamente injusto. Agora eu entendo! Aquele adorável pequeno bebê foi forçado a sair do ventre materno, e forçado a respirar o ar externo com seus pulmões novos em folha. É a natureza humana. Ninguém que ser deixado no frio, rejeitado e sozinho. Afeição, aceitação, e amor incondicional. Todos o queremos. Todos o procuramos. Mas quando o encontramos, é muito aterrorizante. Porque com a mesma rapidez que o encontramos, ele pode desaparecer. E voltamos à estaca zero, sozinhos.

- Eu te amo para sempre, babe! -digo e jogo a primeira pá de terra no caixão.

The Portugal NT Euro 2016 Squad is awarded the FPF Merit Award at the Quinas de Ouro ceremony (20.03.17)

(src: @fcportoglobal on twitter)

PT:

Apresentador: Estão todos, todos que poderam vir - uma salva de palmas, então, para os Campeões Europeus! E, Cristiano, agora temos de escolher outra vez…

Apresentadora: E és tu que vais escolher! Quem é que é a vítima?

Cristiano: Ah vou escolher? Eles já devem estar fartos de me ouvir… Eu gostava… Eu gostava que o Quaresma falasse. Eu gostava… Ainda por cima tem um dentinho novo! Mas ele não vai falar… 

Apresentadora: Quem é que está com muita vontade de agradecer?

Cristiano: Fala um, para não ser sempre o mesmo…

Apresentadora: E dedicar este prémio a alguém… Não?

Cristiano: Ah, vou ter que assumir eu outra vez?

Quaresma: És o capitão, mano… [o Cristiano avança para falar] Isso!

Cristiano: [começa o discurso] O que é que eu vou dizer agora…? Não, é agradecer uma vez mais à Seleção por proporcionar estes prémios prestígio. Acho que foi um bom detalhe prestigiar todos os jogadores. Obrigado, presidente, acho que foi muito bonito. Ao nosso treinador também, que devia estar aqui, mister! Foi o líder deste grupo. 

Agradecer, uma vez mais, a todos os portugueses, a todas as pessoas que estiveram envolvidas na nossa conquista que foi, como vocês todos sabem, muito difícil. E estamos todos de parabéns. Agradecer, uma vez mais, a toda a gente que acreditou em nós, no nosso sacrifício, na nossa confiança e nosso espírito de sacrifício. Obrigado! 

Apresentadora: Portanto, mais ninguém ter coragem para dizer umas palavras, é isso?

Cristiano: [dirigindo-se ao resto dos jogadores] Vá lá, digam alguma coisa! Agradecer, mano…

Apresentadora: Ninguém… Ninguém quer… Ninguém tem coragem. Então resta-me agradecer a vossa presença: obrigada! Ora…

Pepe: [aproxima-se para falar já a música está a tocar]

Cristiano: EEEHHH PAAAAH!

Apresentador: Calma, calma, calma que ainda temos o Pepe!

Pepe: Calma, calma! 

Acho que nós temos de frisar também a importância que foi, ao nosso presidente, porque, as vezes que nós chegávamos às 4 da manhã de viagem, ele estava presente com a gente. Juntamente também com… [é interrompido pelos outros a rirem-se atrás dele e dirige-se para o Quaresma] Não ias (nota: ou rias ????), mano! [continua] Porque acho que foi importante. Há que realçar isso porque tudo o que ele tinha passado em termos de saúde - poder estar com a gente, poder apoiar a gente nesse momento tão importante da nossa carreira e também da história da Federação e também da história de Portugal. Porque, para a gente foi um campeonato bastante importante e que acho que todos estão de parabéns!

Apresentadora: Muito bem, muito obrigada, Pepe!

Apresentador: Muito obrigado, Pepe!

Apresentadora: Agora sim, muito obrigado a todos que mereceram este prémio!


ENG:

Male presenter: Everyone’s here, everyone that could come - a round of applause, then, for the European Champions! And, Cristiano, now we’ll have to choose one more time…

Female presenter: You’re going to choose! Who’s the victim?

Cristiano: Oh, I’m choosing? They’re probably already sick of listening to me… I’d like… I’d like Quaresma to talk. I’d like it… On top of that he’s got a new tooth [note: he’s either got like a new gold tooth or something like that or it’s an inside joke I don’t get] But he won’t talk…

FP: Who really feels like giving thanks?

C: Someone talk, so it won’t always be the same one…

FP: And dedicating this award to someone… No? 

C: Ah, I’m going to have to step up again? 

Quaresma: You’re the captain, bro… [Cris steps up to speak] That’s it!

C: [starts the speech] What am I going to say now…? Thank you, once again, to the National Team for providing these merit awards. I think it was a nice detail to honor the players. Thank you, president, I think it was lovely. To our coach, too, who should be up here, mister! He was the leader of this group.

I want to thank, once again, all the Portuguese, everyone that was involved in our conquest which was, as you all know, very hard. And we’re all to be congratulated! Thank you, once again, to everyone who believed in us, in our sacrifice, our trust and our spirit of sacrifice. Thank you!

FP: So, no one else has the courage to say a few words, is that it?

C: [to the rest of the players] Come one, say something! Give thanks, bro…

FP: No one… No one wants to.. No one is brave enough. So, lastly, I want to thank you for being here: Thank you! Well…

Pepe: [steps up to speak while the music is already playing]

C: EEEEEHHH PAAAAH!

MP: Easy, easy, easy because we still have Pepe!

P: Easy, easy!

I think we also have to emphasize the importance that was - to our president-because we’d arrive from the trip at 4 am and he was there with us. Alongside… [gets interrupted by the others laughing behind him and turns to Quaresma] You didn’t come (note: or ‘Don’t laugh’???), bro! 

[keeps goings] Because I think that was important. We should highlight that because of everything he had gone through in terms of health - to be able to be with us, to be able to support us in that moment that was so important in our career and in the history of the Federation and in Portuguese history as well. Because, to us it was a very important competition and I think everyone is to be congratulated!

FP: Very well, thank you very much, Pepe!

MP: Thank you very much, Pepe!

FP: Now finally, thank you very much to everyone that deserved this award!

Substantivos/ nouns 

o futebol – football
o jogo – game, match
o time
– team
a seleção 
– the national team
o jogador  – player
o(a) treinador(a) – the coach
o(a) arbitro(a)– the referee
o(a) capitão(ã)
– the team captain
o(a) goleiro(a)
– the goalkeeper
o(a) atacante – the striker
o(a) meia – the midfielder
o(a) zagueiro(a)
– the defender
a camisa
– the jersey
a bola de futebol – the football
o campo
– the field
o estádio
– the stadium
o gol
– the goal
o intervalo – halftime
o placar
– the score
o resultado
– the final score
o empate
– the draw
a falta
– the foul
o cartão amarelo – the yellow card
o cartão vermelho – the red card
o tiro livre
– the free kick
o escanteio
– the corner kick
o pênalti
– the penalty shootout
a prorrogação
extra time
a arquibancada
stand
o gol contra
own goal
a lesão
injury
o(a) locutor(a)
commentator
a trave – post
goalpost
o zero a zero
nil nil
a convocação
Call-up
o cruzamento
cross
o impedimento
offside
o(a) líbero(a)
sweeper
o(a) reserva
substitute
as oitavas de final
– the round of the last sixteen
as quartas de final
– the quarterfinal
a semi final  –  the semifinal
a final  – the final
a copa do mundo  –
the World Cup

Verbos / Verbs

Expulsar – to send off
Vencer – to win
Chutar – to shoot
Perder – to lose
Torcer – to support, to root for

eu tenho muito o que te dizer, mas as frases são soltas e eu não sei organizar.
eu tenho am
quero tomar um café com você e poder
a sua voz
você tá bem?
me explica aquela coisa sobre o fêmur deslocar e
qual foi seu último trabalho?
você é ótima nisso, nã
dia 17 de setembro era
me perdoa pelo que deveria ter dado certo
eu te ouvi chorar
a primeira vez - tati bernardi
você cortou o cabelo
não minta outra vez sobre estar aqui
eu menti pra você
tenho saudade de nós dois
frio
chá
sono
vem
para
você entende que eu não lembro a receita de tosse
eu entendo que você não queira me entender mais
março de 2013
julho de 2014
janeiro de 2015
eu não des
eu sei que se caso eu apareça, você pode ter outro, mas não vai
eu guardo os nossos e-mails
o primeiro
dossiê, vinho tinto, guarda-chuva
19 de abril eu não te liguei
curió e marreco
oizinho, oizão
eu te amo ou eu amo você
você é linda
sua voz me traz calma
seu cabelo era na bunda…
seus pés uma graça, seu vans azul
o aeroporto
seu uno
dywc e aquela outra
suas gravações de voz
aquele vídeo do seu sorriso
aquela foto dos seus olhos
os morangos
a gaivota
o show do one direction
todas as vezes que a gente não se viu
todas vezes que você chorou
quando você se machucou e eu chorei
todas as vezes que eu chorei
todas as vezes que você me ajudou
a policlínica
vários soros
o seu treinador
a academia
os camarões
as noites frias
seus hematomas
o vôlei
Joinville
Montevideo
aquele clipe
aquela maquiagem
aquela blusa e as suas pernas
aquela foto e a sua barriga
sua tatuagem
suas unhas pintadas de preto ou não
seu adesivo na webcam
o notebook quentinho
você dormindo
você bêbada de sono e tentando falar comigo
01:57 da manhã
aquela chamada sem fim e nós dois dormimos juntos
suas saídas para a universidade
seu despertador 10h00 ou 09h00
20h00 no skype
23h00 no skype
um sol no seu status do whatsapp
o seu número na minha cabeça
eu me contorcendo na cama para conversarmos
tim x vivo
tim x sinal
você me entendia ou tentava
você me amou e eu não sei se eu aparecer o que vai acontecer
quero tomar um café com você e poder te dizer tudo, porque mesmo bagunçado, eu sei que você gosta.
eu tenho amor por você e tudo mais o que for bom.
eu ainda tenho muito o que te dizer, mas as frases são soltas e eu nunca vou saber organizar. d

FANFIC #26 - BOA SORTE! (1/1)

Título: Boa Sorte!

Plot-#: #72

Couple(s): KaiSoo

Classificação: +18

Contagem de Palavras: 7.399

Avisos: Linguagem imprópria, homossexualidade, heterossexualidade, insinuação ao sexo, nudez, sexo, yaoi, lemon.

Sinopse: Kyungsoo se orgulha em ser o melhor aluno da escola. Um matleta com sonhos de engenharia mecatrônica que é obrigado a procurar ajuda quando sua nota em educação física fica entre ele e a realização de seu sonho.

Keep reading

Esses dias ouvi você dizer que “NÃO EXISTE PAI PERFEITO” e eu tenho que realmente concordar com isso (você pensou que eu ia descordar né bonitinho? rs) Mas é verdade não existe pai perfeito, mas você com certeza chega o mais perto disso possível. Eu e minhas irmãs somos muito abençoadas por ter você como nosso herói, nossa inspiração, nossa rocha. Você é dedicado em tudo que faz, é um verdadeiro homem, que luta por tudo que almeja e conquista tudo o que tem no foco. Você me diz que sou sua campeã, mas só sou sua campeã porque você é o meu treinador, como não ganhar? Você é maravilhoso. Obrigada por sempre dar o seu melhor em tudo que faz, principalmente quando se trata da gente, você sempre faz o possível e o impossível pra ser coerente. Eu sou muito agradecida por você ser “moderninho” e ter a mente aberta pra muita coisa que muitos pais por ai não entenderiam, mas você entende e eu sou muito feliz por isso. Tenho que te agradecer também por sempre nós incentivar a dar o nosso melhor SEMPRE e que se isso ocorrer com certeza teremos o melhor da vida, e sei que com você ao meu lado sempre terei o melhor pois você me faz melhor. Já disse que você me ensinou muitas coisas pelos meus dezenove anos, mas nunca é demais repetir. Você me ensinou a dar valor a vida, a dar o meu melhor sempre, a conquistar minhas coisas, a respeitar o próximo e amar mesmo não merecendo, me ensinou a trabalhar e ser educada e eu nunca vou poder agradecer por tudo ou pelo menos retribuir, mas pode ter certeza que sempre vou tentar retribuir tudo que já fez por mim. Seu coração de pai, sempre me mostrou compreensão e carinho, sempre foi meu amigo antes mesmo de ser meu pai. Homem alegre e brincalhão, mas também, às vezes silencioso e pensativo, homem de fé e grande luta, sensível e generoso que tem o abraço aconchegante que me acolhe. Não vou dizer pra você ser sempre esse homem ou que nunca mude porque eu sei que você se supera a cada dia, todo dia você melhora um pouco mais, vou dizer pra você mudar sempre pois com suas mudanças você ganha mais experiencias e são essas experiencias que você passa pra mim que me torna alguém melhor, você aprende com a vida e eu aprendo com você, porque você é o homem da minha vida, o pai que eu nunca pedi, pois não poderia pedir alguém tão IM(PERFEITO) pra mim.
—  Larissa Freschi - Feliz dia dos pais
Indiretas pra cá, e pra lá!

Diga que você precisa de mim. Diga que você sentiu a minha falta. Implore para eu voltar. Ou, me diga que você já me superou. Diga que eu não signifiquei nada para você. Implora para eu te deixar em paz.

Eu sei que eu fui embora por um longo tempo mas eu estou de volta e quero o que é meu.

Mostre, não diga.

Querida, me deixe suspirar assim você vai entender.

Você não pode pedir para ser entendida se você não tenta entender.

  • Indiretas de maio de 2014

Nada dói mais do que indiferença.

Para quem ela tweetou? Aparentemente foi para Camila. Por que pensamos isso? Bem, no show se notava uma certa tensão entre elas. E algo mudou…

Lembram o que acontece quando elas cantam Anything Could Happen? Bem, acontecem coisas como essas:

Mas no concerto no Peru, isso aconteceu:

Veja como a Lauren vai até Camila para dançar com ela como sempre fazem, Camila olha mas vai brincar com o guitarrista. Lauren olha para ela e vai para perto sem saber o que aconteceu. Camila a ignora.

No Tumblr oficial do Fifth Harmony, deram like nisso:

E descobrimos que ambas choraram em Who Are You. Uma música que eu acho que elas se indentificam. 

E logo no Tumblr de Lauren, acontece:

Honestamente, me ignorar é a pior coisa que você pode fazer comigo.

Nota para mim: “Eu te amo” não significa “Eu não vou deixar você”.

Não é estranho como as pessoas mudam e crescem separadas e param de se falar e então um dia você vê essa pessoa que você jurava que iriam ser amigas para sempre e você mal pensa em uma coisa para dizer e quando isso finalmente te atinge, que em algum lugar a sua amizade não tem mais brilho e você provavelmente não vai mais ser próxima daquela pessoa de novo. Eu acho que isso é uma das coisas mais tristes que eu tenho ultimamente.

Deixe ela saber agora.

Eu estou sentindo sua falta.

  • Mais indiretas…

O treinador do X Factor, chama a Camila de Ms. Squearepants, ao desejá-la feliz aniversário.

Um dia depois Lauren tweeta:

Indiretas são divertidas. Eu amo o Bob Esponja.

Oh, sim, as indiretas são divertidas Lauren.

E sabemos a quem você se referia com esse “eu amo o bob esponja”. E a Camila, bem, eu acho que a Camila também se diverte com as indiretas.

Eu amo tanto o Panda!

IMAGINE ZAYN MALIK

*Esse é um pedido um pouco antigo, mas espero que gostem dele do mesmo jeito. Aguardo opiniões, boas ou ruins! Boa leitura! Ps: desculpem-me pelos erros.

[…]

-Droga!- praguejei um pouco alto demais quando derrubei pela terceira vez meu celular, atraindo o olhar assustado de Alexa, minha amiga e enfermeira que trabalhava comigo no hospital.

-Nada?- perguntou já sabendo o que eu procurava em minha caixa de mensagem. Minha paz de espírito.

-Não. A luta já deve ter terminado, mas nada dele mandar uma merda de uma mensagem para avisar que está vivo!- expliquei com os dentes cerrados nervosa pela falta de consideração de Zayn, meu noivo, que devia estar comemorando a vitória de sua luta de boxe contra um importante lutador e sequer se deu ao trabalho de me avisar, mesmo sabendo o quão nervosa eu fico quando ele luta.

-A bateria do celular dele deve ter acabado- balancei a cabeça negando ao me lembrar do seu celular sendo carregado enquanto ele se arrumava e ignorava meus apelos para que ele ficasse em casa. Maldito!

Porém, mal tive tempo de explicar a situação desesperadora a Alexa, já que Zayn não lutava com qualquer um, e sim, com um dos melhores, o campeão atual que por pura ironia, era seu melhor amigo, pois a porta do meu consultório foi aberta em um estrondo e Sven, um profissional da área de emergência, entrou com aquele olhar que eu conhecia muito bem devido às vezes em que eu era encarada daquela forma. Aquele era o olhar “Adivinha quem acabou de entrar na emergência todo quebrado?”

Com o coração apertado, e os punhos também, levantei-me da mesa em que eu atendia meus pacientes que buscavam uma das mais conceituadas neurocirurgias de Londres, e o segui pelo caminho que já conhecia tão bem. Droga, eu sabia que isso ia acontecer!

Mas nem toda a experiência que eu tinha nesses casos me preparou para ver meu noivo todo ensanguentado em cima de uma maca com o nariz visivelmente quebrado e o olho roxo sem poder abrir. Como se sentisse minha presença, ele virou sua cabeça em minha direção olhando meu corpo petrificado no corredor, fazendo uma careta ao ver na dimensão da encrenca em que ele estava metido.

Não tive muito tempo para esboçar qualquer reação, pois ele foi levado para algum lugar que não percebi qual era, apenas consegui me mexer quando Sven tocou levemente meu braço, acordando-me do meu transe.

-Ele foi levado para o consultório, onde irá ser avaliado e tratado, mas avaliando sem qualquer exame posso te dar a certeza de que seu nariz foi quebrado, ele tem um corte profundo em seu supercílio que irá precisar dar pontos e outros mais superficiais- respirei fundo ao ouvir sua opinião e contei até dez para não buscá-lo e terminar de quebrar o resto de seu corpo. Filho da mãe!

-Obrigada, querido!- sorri calma em sua direção e ele me olhou assustado com minha reação, já que na maioria das vezes eu ficava muito nervosa e preocupada quando isso acontecia.

-Disponha, Dra.

-(Sn)?- minhas unhas quase perfuraram a palma da minha mão ao escutar aquela voz soar preocupada a meros centímetros de mim. Era Luke, o homem que lutou com Zayn hoje a noite. Olhei para cima pedindo calma aos céus e me virei, o olhando calmamente com um sorriso amigável- vim assim que pude. Como o Zayn está?

-Como você acha que ele está?- perguntei ainda no mesmo tom e com o mesmo sorriso psicopata no rosto, inclinando-o levemente para dar uma impressão mais doentia. -Ele quebrou o nariz, terá que levar pontos e cuidar de outros cortes. E olha que isso era perceptível a olho nu para qualquer leigo que o encarasse.

-Droga!- praguejou fechando os olhos- eu realmente sinto muito, (Sn), eu..- não deixando ele terminar, toquei seu braço suavemente e o encarei da maneira mais doce que consegui.

-Eu que irei sentir muito quando tiver que quebrar o seu nariz se descobrir que um fio de cabelo do Zayn foi realmente danificado com essa merda de luta. Eu que irei sentir muito quando um carro, acidentalmente, passar em cima de sua perna, triturando-a - acariciei seu ombro dando a impressão de que eu estava consolando-o - então, meu querido, reze para que ele esteja bem e que nada de muito grave tenha acontecido com ele, porque se tiver…ah, se tiver…- ri irônica - você será o próximo a precisar de um hospital.

-(Sn), você não está sendo racional!

-Eu não preciso ser racional, meu querido- bati em seu ombro rindo como se ele tivesse me contado a melhor piada de todos os tempos. - Eu preciso que ele esteja bem- parei de rir, ficando séria.- E, vai por mim, você também precisa!

-É o nosso trabalho. Essas são as consequências dele.- tentou me acalmar, falhando miseravelmente. Sorri mais uma vez e me afastei, parando apenas para sussurrar por cima do ombro.

-Cirurgias em cérebros também é meu trabalho, e eu sou a melhor nisso. Agora, ajoelha e reza para não precisar saber das consequências dele.

-Dra?- Alexa me chamou assim que me viu chegar no andar em que ficava os quartos.

-Como ele está?

-Bem, já foi examinado e já receitaram remédios para dor, o Dr. Lucas já colocou o nariz dele de volta no lugar, já fizemos a limpeza e os pontos já foram dados. Estamos esperando seu rosto desinchar para fazer mais exames, mas por enquanto ele está descansando no quarto.

-Graças a Deus!- soltei um suspiro de alívio, liberando toda minha preocupação com seu estado. Ele está bem, (Sn), ele está bem.

Por enquanto…

-Perdoe-me pela ousadia, mas você parecia tão calma enquanto falava com aquele homem, e eu descobri que era com ele que Zayn lutava…

-É que eu finalmente aprendi uma grande lição com todas as vezes que ele veio parar aqui-olhou-me curiosa- gritar e espernear não adianta nada, ele vai continuar ignorando o que eu digo. Avisos sussurrados ao pé do ouvido tem um efeito melhor. Assustam mais!- sorri diabolicamente arrancando uma gargalhada sua- agora que eu já assegurei que ele terá a pior comida que um hospital já ofereceu, vou ter uma conversinha com o meu bebê teimoso. Ele precisa aprender uma lição.

[…]

-Droga! Caralho! Porra! Ah, que merda!- praguejei balançando minha cabeça ainda incrédulo. Com tantos hospitais em Londres esses filhos da mãe tinham que me trazer justo no que a (Sn) trabalha? Merda, eu pedi tanto para que fosse outro, mesmo sabendo que seria inutil tentar esconder isso dela. Ah, ela vai me matar!

-Zayn, você não pode se mexer muito, tem que descansar!- Peter, meu treinador, aconselhou-me com um olhar de pena. Ele sabia o que me esperava.

-Descansar? A minha assassina pode estar vindo na direção desse quarto agora mesmo e você quer que eu descanse? Só pode estar brincando.

-Droga!- olhei em sua direção- Luke acabou de me mandar uma mensagem, avisando que está na sala de espera aguardando receber notícias suas e perguntou-me como você está- fechei os olhos não acreditando em como tudo pode piorar em segundos.

-Diz por favor que a (Sn) não viu ele!-pedi inutilmente, lembrando-me de como ela reagiu quando viu Joseph, um amigo que tinha me vencido em uma luta (e quebrado meu braço, acidentalmente), no nosso almoço de domingo. Ela simplesmente virou o pote de pimenta no suco dele quando briguei com ela por ela não o querer na nossa casa. Tive que levá-lo às pressas para o hospital. E isso não tinha sido nem a pior coisa que ela já tinha feito para se vingar de alguém que tivesse me batido. Quanto aos que eu vencia, ela já reagia melhor, um pouco nervosa, mas nada muito grave.

Desde quando começamos a namorar, ela nunca teve uma relação muito boa com minha profissão, sempre ficava apavorada no dia das minhas lutas achando que algo de ruim iria acontecer, não conseguindo aceitar quando eu era atingido. Meus amigos entendiam esse lado dela e a evitavam uma semana antes da luta e uma semana depois como medida de prevenção. Apesar de essa não ser a atitude mais compreensiva por parte dela, eu gostava dessa “proteção” exagerada dela, sentia-me cuidado e defendido, mesmo que não fosse necessário. O problema era quando eu ia para o hospital…

-Sinto muito!

Porém, não tive tempo de xingar mais, pois a porta foi aberta lentamente mostrando uma (Sn) calma e sorridente para mim.

-Meu amor!- Saudou-me carinhosa vindo em direção a minha cama e acariciando minha perna- Olá, Peter. Como vai?

-Er.. Eu não sei, mas…acho que estou bem.- gaguejou tão surpreso quanto eu com a reação dela.

-Oh, que bom! Se importaria se eu lhe pedisse para que nos deixasse a sós por um momento?- pediu docemente. Mas que porra estava acontecendo?

-Não! Bem.. Eu.. Eu já vou!- pegou suas coisas e quase correu em direção à porta, deixando-me sozinha com aquela que se dizia minha noiva.

-Oh, ele não é adorável?

-(Sn), meu amor, eu juro que posso explicar. Não foi nada grave e…- não pude terminar de explicar, pois (Sn) veio com tudo para cima de mim, batendo em meus braços e barriga- Ai! ai, (Sn)! para!

-Um nariz quebrado! Oito pontos no supercílio! Esfoliações por todo o rosto!- a cada palavra era um tapa em meu corpo- e você vem me dizer que não foi nada grave?

-Você..ai.. Está me machucando!- reclamei e ela parou por um instante respirando fundo, mas com os olhos ainda em brasa pura.

-Ah, eu estou te machucando? Eu vou te machucar realmente quando eu quebrar esse seu nariz recém consertado. E então eu vou consertá-lo e quebrar de novo para você aprender a não fazer mais isso! Seu idiota!- mais um tapa em meu braço- mas não foi isso que eu vim fazer aqui!

-(Sn), eu já te falei que não vou parar de lutar- em um ato de coragem, ou insanidade, informei-a.

-Eu sei. Sei que você gosta de lutar e eu não vou pedir para que pare. Não mais!- arregalei os olhos com sua notícia- vim apenas lhe informar que daqui uma semana, quando você receber a alta do hospital, nós iremos viajar para um hotel fazenda onde você irá descansar…- interrompi-a bruscamente.

-Não! Eu tenho uma luta daqui uma semana e meia e está fora de cogitação falta-la!- calei a boca quando senti mais um tapa, dessa vez em meu ombro.

-Interrompa-me novamente e estará em uma cadeira de rodas- avisou-me- não pedi seu consentimento em momento nenhum. Estou informando que iremos fazer essa viagem, e ela durará duas semanas. - arregalou os olhos quando fiz menção de falar algo- Você não está em condição de lutar mesmo não estando mais no hospital e eu não estou em condição psicológica para passar por isso de novo. Pelo menos não por agora. Você precisa se recuperar totalmente para voltar a treinar e pedir uma revanche contra Luke, e eu quero uma vitória dessa vez. Entendido?

-Você quer que eu volte a lutar com Luke?- não pude esconder meu sorriso.

-Eu quero que você acabe com ele!- vi um brilho de vingança em seu olhar- Vou casar-me com um campeão, não com um perdedor. E, para isso acontecer, você precisa descansar.

-Mas…-tentei protestar

-Shiiiiu!- colocou o indicador em meus lábios- já está decidido. Eu que mando aqui, bebe.- sorriu carinhosa, acariciando meus cabelos.

-Mas você vai cuidar de mim, não vai?- pedi fazendo um bico que acreditava ser fofo.

-E quando é que eu não cuido?

anonymous asked:

faz uns icons do justin na hora que ele ta no mercado com a jessica e o treinador dele aparecer pfvr EU TO AMANDO ESSE TUMBLR MEU DEUS 13reasonswhyicons EU TE VENERO D+

Tem como você esperar mais um pouco? Tipo, eu consegui tirar uns screencaps mas eles não ficaram bons por causa da qualidade horrível. Então seria melhor se você esperasse sair os screencaps em hd, não deve demorar muito. E….. AAAAAA muito obrigada amore!!! de verdade!!! dkkdkd

A verdade era que Jae já estava a caminho da academia, quase na entrada, mais especificamente. Pouco se importava se Kiho iria ou não, não era problema dele; mas bem, sabia dos seus horários de treino e do quanto precisava manter a forma. Chegou mais cedo do que o horário usual, tudo isso por causa do birrento que teria que monitorar. Enviou as mensagens que precisava, inclusive, estava digitando enquanto andava. Odiava fazer aquilo, mas o fez por dois motivos: precisava se resolver logo com o outro porque não queria perder tempo e cá entre nós, aquela conversa divertia Jae em vários níveis diferentes. Sung adorava saber que afetava outras pessoas, sendo de forma positiva ou não. 

De primeira, não confiou muito que o outro viria, mas novamente, não era problema seu. Apenas acendeu as luzes, encheu sua garrafa de água, arrumou o que teria que arrumar e deu uma olhada nas sessões que o treinador havia preparado para o outro. Ai. Aquilo nem era pra ele, mas sentia seus músculos sendo puxados só de se imaginar fazendo tanto esforço. Nunca foi muito de reparar nos outros treinando, porém, sabia que Kiho não aguentaria fazer tudo aquilo no primeiro dia. Encostou-se no balcão e ficou batendo o papel contra sua mão. Analisou as possibilidades e pensou em modificar um pouco, considerando o fato de que o mais novo provavelmente precisaria de bolsas de gelo por todo o corpo pra amenizar a dor no dia seguinte.

Então sua mente o repreendeu. Ele estava ali somente como um apoio temporário, logo Kiho teria que realmente fazer aquilo com o treinador o supervisionando. E se ele não conseguisse? Quem se ferraria seria Jae. E por alguém que não merecia, ainda por cima. Mas como sempre, seu coração venceu. Kiho era um pé-no-saco, isso não era novidade pra ninguém, mas ele não deixava de ser um jogador do seu time. Um time que de agora em diante, era sua responsabilidade. 

Já se arrependendo por tomar essa decisão, pegou um outro papel dentro de sua mochila e refez o treino, modificando alguns aparelhos e sequências por outros semelhantes, porém mais leves. Não era o cara mais experiente pra fazer tais mudanças, mas acreditava ter frequentado a academia tempo o suficiente pra saber o que funcionaria. Tentaria fazer o treino original e veria o quão longe Kiho conseguiria chegar sem problemas, caso não desse certo, partiria para o plano B. Sentou-se em um banco e mal teve tempo de sentir-se confortável, pois logo viu uma figura loira entrando pela porta da frente. Sua primeira reação foi sorrir para Kiho, tanto para tentar ser amigável e porque também estava de muito bom-humor. “Espero que você esteja preparado pra sofrer um pouco. O treinador pegou bem pesado no seu treino.