Sofrer-faz-parte-;]

De uns tempos pra cá, aconteceram coisas em minha vida que talvez não devessem ter acontecido, digo, eu não gostaria que tivessem acontecido, porque acredito que tudo na vida tem um propósito, se aconteceu é porque é necessário acontecer, às vezes somos egoístas de esperar sempre o nosso bem, na verdade nós devemos esperar sempre o nosso bem, devemos ter fé de que tudo vai dar certo, que tudo vai ficar bem, mas nem tudo o que queremos que aconteça é o que realmente vai acontecer e deve acontecer, porque o que vai acontecer foi escrito muito antes de você nascer, tudo o que tem que acontecer na sua vida é questão de merecimento e do que foi escrito já, a única coisa que podemos fazer é correr atrás e colher nossos frutos lá na frente, esperando que sejam coisas boas, mas devemos estar preparados para que sejam coisas ruins, afinal, isso é totalmente normal de acontecer, a vida é assim, essa caixinha de surpresas, onde tudo pode mudar de uma hora pra outra e te surpreender. A vida não é feita apenas de momentos alegres ou de momentos ruins, os alegres são necessários para que possamos desfrutar de tudo o que conseguimos alcançar, nos divertir, sorrir, rir, viver e ser feliz, assim como o triste é necessário para muitas vezes aprendermos a dar valor as coisas, principalmente as mais simples que são as que menos ligamos, por ser “simples”, mas também é um meio de aprendizagem, aprender a não repetir os mesmos erros e nem se deixar passar pelas mesmas situações e ficar triste novamente. Meus últimos meses foram muito difíceis de lidar, foram os piores em minha vida sem sombra de dúvida e olha que já passei por tanta, mas tanta coisa ruim para estar aqui, para poder chegar aqui, se fosse listar cada coisa eu faria milhões de livros e ainda sim não conseguiria falar sobre tudo, mas eu sei o quanto eu sofri e o quanto fiquei mal nesses últimos meses principalmente, foram manhãs, tardes, noites e madrugadas de muito choro, foram dias doentes com muita falta de ar, muita vontade de desistir de tudo, muita vontade de fazer muitas loucuras, morrer, me machucar, besteiras e por ai vai, foram muitos textos escritos para desabafar tudo aquilo de ruim que estava sentindo, muitas horas escutando músicas tristes, meses trancados no quarto sem querer mais nada pra minha vida, porque pra mim a minha vida tinha acabado naquele momento em que eu perdi a pessoa que era mais importante na minha vida desde sempre, realmente não foi fácil, mas ninguém me disse que seria e também não teria a menor graça se fosse, até hoje tento me recompor, é difícil, mas é necessário, porque sofrer faz parte.
Eu gostaria de poder dizer que não amo mais você. Mas, embora tentado muito, não houve êxito. Todas as vezes que te vejo, meu coração se desespera querendo pular para fora de meu peito e saltar diretamente para suas mãos, mesmo tendo a certeza que irá esmagá-lo como tantas vezes o fez. Frio na barriga, mãos suadas, minhas bochechas avermelhadas, sintomas que não consigo esconder quando o vejo passar, mesmo que por segundos, imagino uma vida ao seu lado e você nem pensa em nós, só um passe de mágica curaria esse vício de te ter. Você tem um coração vagabundo e o meu é mais frágil que pétalas de rosas. Sei que sofrer faz parte quando se está apaixonada por alguém do mundo, mas faça-me seu mundo, pois você já é o meu. Quero reciprocidade, e se isso é crime estarei condenada a prisão perpétua.
—  @hibisco em companhia de @escritorragia.
Eu tinha medo de quebrar meu coração, de ter mais ilusões. Mas cheguei em uma fase que não se pode ter medo pra sempre daquilo que pode te machucar pois, faz parte da gente quebrar a cara, faz parte da gente se magooar, faz parte da gente sofrer, faz parte da gente chorar por amor. Isso é algo humano, não tem como fugir disso e você pode muito bem tentar viajando, indo pra balada, indo pro bar da esquina, conhecendo pessoas e lugares novos mas vai chegar a hora que é a linha final e você vai precisar encarar e passar por tudo isso. Se não como você vai contar para seus filhos o modo em que você conheceu o pai deles ou a mãe deles ? Nada nessa vida é tempo perdido, tudo que você passa ou passou virou conhecimento adiquirido pelo o tempo mesmo que ainda seja pouco.
—  Impares.
Desculpa, não tinha o direito de exigir um sentimento que não existe. Eu sinto e sofrer faz parte quando não é recíproco. Sei que sentimento não se mendiga a ninguém, mas é que as vezes bate um desespero e acho que minha vontade poderia valer por nós dois, só que não vale.
—  Relator
Um belo dia.

Um dia você vai acordar e pela primeira vez não vai buscar o corpo dele enroscado no seu, você vai levantar e perceber que o dia está lindo e tem muita coisa para ser vivida ainda. Você não vai esquecer porque, na verdade, você não vai nem lembrar que um dia vocês acordaram juntos.
Numa tarde qualquer você vai entrar em algum lugar que vocês iam juntos e não vai se sentir sozinha. Você vai fazer seu pedido onde costumavam comer e o garçom não vai perguntar mais dele. E aquele lugar vai ser seu agora. E não mais de vocês dois.
Você, depois de um tempo (e não se sabe quanto tempo, porque cada um supera como -e quando- pode), vai ver um filme em cartaz e vai desejar muito assistir. E você vai. Sozinha mesmo, ou com algum amigo. Você vai comprar a sua pipoca e seu ingresso e vai admirar aquele filme que tanto quis ver. Nesse dia você não vai lembrar de quando vocês iam no cinema juntos e como era. Você vai se esquecendo aos poucos.
Você esquece porque percebe que a sua vida vai bem. Vai ótima até. Você fez mais coisas desde que ele se foi, você conheceu mais gente, você deixou de ter medo, por que qual dor pode ser maior do que aquela? Não é? Você vive. Você viveu depois dele. Você percebe que ele não era tudo aquilo. E tudo bem.
Aos poucos a dor da partida vai sumindo e vai dando lugar a alegria de quem fica. Vai dando lugar a gargalhadas com amigos, ou ao livro que você leu e se apaixonou pelas palavras. Vai dando lugar para as pessoas que você já conhecia, mas não conversava muito. O espaço que ele deixou de repente se tornou pequeno perante todas as coisas que vieram depois dele. Isso é normal.
É normal sofrer, faz parte. É normal achar que você não vai superar jamais, e que ele era o grande amor da sua vida. Todos nós já passamos por isso, e daí choramos e devoramos um pote de sorvete na frente da tv. Isso daí já é clichê, mas é sempre necessário. E também é normal sua vida seguir em frente. É normal você beijar outros, apesar de achar que ninguém vai beijar tão bem quanto ele. Também é normal você transar com outros, e pensar que ele era bem melhor em tudo. E é mais do que normal você querer ficar sozinha por um tempo.
Todas essas etapas devem ser passadas. Você deve viver e desfrutá-las da maneira que der. Porque um belo dia você acorda e ele não vem mais na sua cabeça, às vezes você passa dias, semanas sem pensar nele. E quando lembra você não se importa mais. De repente ele já não é mais tudo aquilo. Ele é só mais um cara que se foi, e tudo bem.

Esse ano foi, além do ano mais agitado da minha vida, o ano em que mais aprendi. Aprendi não só matemática e inglês: aprendi que confiança poucos merecem, que gostar não é o suficiente pra duas pessoas ficarem juntas, que arrependimento tira todas nossas forças e que falsidade está em todo lugar. Aprendi que erros trazem consequências devastadoras, que vingança machuca e que críticas podem ser construtivas. Aprendi que diferença de idade não importa, que maturidade poucos têm e que o mundo dá voltas. Aprendi que amores acabam, que mágoas corroem e que o tempo passa rápido demais. Aprendi a pedir desculpas, a aceitar meus sentimentos e a brigar. Aprendi que fofocas voam, que pessoas mudam e que amigos de verdade são poucos. Aprendi que sofrer faz parte, que amar dói e que nada pode te destruir além de você mesmo. Aprendi a dar valor, a sentir saudade e a não confiar em qualquer um. Aprendi a ter paciência, a mentir, a fazer escolhas erradas e a pensar mais. Aprendi que tudo tem consequência e que não adianta reclamar. Aprendi que orgulho só nos ferra e o ego nos impede de sermos felizes. Aprendi que nossa mente nos engana, que nosso coração é besta e que a carne é extremamente fraca. Aprendi que amigo de verdade está a favor, não contra; que o silêncio pode acalmar ou enlouquecer qualquer um e que não vale a pena ligar para o que os outros falam. Aprendi que uma noite pode estragar um romance de meses, que talaricos existem e que escolhas devem ser bem pensadas. Aprendi a recusar amores, a chorar horrores, a admirar as flores e a cuidar das dores. Mas, acima de tudo, aprendi a amar…
—  Giovanna Leonetti
Todos passamos por fases difíceis, momentos incompletos, relacionamentos sem sal nem açúcar, sonhos impossíveis. Fases passam, momentos passam, relacionamentos acabam, sonhos impossíveis devem ser feitos possíveis. A luta pode ser grande, feia, com sangue, com choradeira, mas devemos usar unhas e dentes, traçar metas. Não podemos ficar parados vendo tudo que queremos passar pela janela. Se queremos mesmo que algo dê certo, precisamos correr atrás, não dá pra ficar sentada esperando algo chegar até você, é o que dizem por aí, “tudo passa”, machuca, demora, mas passa, e se demorar muito de passar o certo é ir atrás do que te faz bem, se reinventar, descobrir novos sonhos, novos objetivos, nada é impossível aos olhos de quem realmente quer algo. De que valeria as vitórias sem as dificuldades para consegui-las? De que valeria um momento de felicidade sem uma tristeza anterior? Li em um livro que a dor precisa ser sentida e isso é a mais pura verdade. Pode parecer que você nunca vai conseguir seguir em frente ou que nunca irá se levantar, mas isso é tudo necessário, tudo faz parte do processo de autoconhecimento. Se fossem só os dias de glória como conseguiríamos viver durante um único dia de luta? Sofrer faz parte da vida, isso pode parecer negativo, mas depois que tomamos conhecimentos disso passamos a ver como uma motivação para ser melhor.  É de todo o mal que passamos, que tiramos o nosso melhor. Cada aprendizado vem daí. Se não fossem os dias ruins, não saberíamos dar valor ao bom. Em cada tropeço, parece que chegamos no fim do mundo, que pulamos de um abismo. E quando você percebe, tudo está bem novamente. Até melhor do que antes. Esse é o ciclo da vida. Temos que cair, para que levantemos bem mais forte para continuar seguindo.
—  Escrito por Paula, Grazi, Kelly e Isadora em Julieta-s.
E quem disse que é vergonhoso chorar? Chora, menina. Eles não sabem o que você sente aí dentro do teu peito. Libera, de vez, a tua dor. Quase todo mundo já sofreu de amor. E quem não sofreu, ainda vai sofrer. Faz parte da vida. Por isso, chora por aquela paixão não vivida, pelo compromisso rompido, pelo amor que não aconteceu. Chora e coloca pra tudo que sente. Sabe por que te digo isso? Porque só assim você vai se sentir mais leve. E de modo leve é como desejo que siga sua vida. Sem arrependimentos, sem dúvidas sufocantes e um passado mal resolvido. Curta e abrace sua dor. Sei que pode parecer estranho falar isso, mas é assim que devemos fazer. Lembra que semana passada você riu tanto com seus amigos que sua barriga chegou a doer? E hoje parece que o mundo está desmoronando. Percebe? Tudo passa, acredite. Eu entendo caso não queira minha companhia e prefira chorar sozinha, trancada em seu mundo com sua música favorita. Mas, meu colo sempre estará a disposição. Dizem que um colo amigo faz a dor ir embora mais rápido e o peito ficar mais leve. No entanto, de verdade, eu entendo se não me quiser por aqui te aconselhando sobre sua dor. Eu só desejo, lá do fundo do meu coração, que você despeje todas suas lágrimas até espantar a dor pra bem longe de você. Não era amor de verdade já que te causa tanto sofrimento. Eu sei que vai doer por alguns dias ou talvez algumas semanas, mas vai passar. Seu sorriso vai voltar de maneira natural e verdadeiro. Hoje, pode borrar a maquiagem e se esconder do mundo. Afinal, você precisa arrumar a bagunça que está aí dentro de você e nem precisa fingir para os outros que está bem. Deixem que eles pensem o que quiserem. Procure cuidar de você para que essas lágrimas sejam uma forma de regar as flores que ainda brotarão no jardim que há dentro de si.
—  Mikaele Tavares. (via pazdlua)

desculpa, mas eu prefiro ser intensa. doa a quem e o que doer. prefiro quebrar meu coração e ter do que lembrar do que a calmaria. calmaria que deixa o sentimento morrer com o tempo. eu sou aquela que prefere dizer: oi, eu senti, me entreguei o máximo que pude, dei o meu melhor e eu sofri porque também sou humana e sofrer faz parte do aprendizado. aquele “e se” não faz parte do meu vocabulário. o amor se entranhou até nas viceras. eu chorei até ficar com pena de mim, mas estou viva, não estou? a vida é isso: a gente corre cai e rala o joelho, chora o necessário depois volta a correr.

a gente morre de amor pra reviver.

Porque sofremos tanto por amor?! O que é mais difícil que ver aquele alguém que é tudo pra nós, amando outro alguém, ou simplesmente dizendo não aos nossos sentimentos? Seria mais fácil se tudo estivesse prescrito não é?! Fulano, você vai amar sicrano, assim como sicrano vai te amar. Mas aí, o que seria fácil, perderia a simplicidade, a sutileza, a liberdade. Passaria a ser algo robotizado e mercantilizado. O amor é bem mais que isso, e sofrer por ele infelizmente faz parte. E somente no momento em que alcançamos a fórmula certa do amor - que muitas vezes é única pra cada ser vivo do planeta -, percebemos o quanto sofrer foi necessário. A dor te faz mais forte e experiente, para que ao encontrar o amor certo, você não erre como as pessoas que ignoraram o seu amor, por simples e pura burrice. E o amor é isso, é sofrer, se entregar e esperar, paciente, o momento certo.
—  O horizonte está mais perto do que imagina.
O tempo passou. Eu continuo a mesma, talvez eu não seja tão evoluida para evoluir tão rápido. Sofro lentamente, as dores são sentidas em cada parte do meu corpo. Eu já quis muito não sentir nada, mas esse nada inclui tudo, inclusive o amor. Já pensou viver uma vida sem amor? Como seria? Você realmente viveria sem ele? Claro que viveria, mas não seria a mesma coisa. O amor é lindo e te faz sorrir atoa, bom, chorar também, mas faz parte. Sofrer faz parte, perde o amor que você dizia ser para sempre, faz parte… Agora, deixar de amar? Isso nunca vai fazer parte de nada.
—  Andressa Molina
Acho que precisamos aprender a nos ouvir. A nos respeitar acima de tudo. Porque no fundo a gente sabe o que quer e com quem quer, mas sempre tem aquela dúvida, o medo o receio de não dá certo e de sofrer depois. Bem, sofrer faz parte da vida, não tem como escapar disso. O que não pode é resumir a sua vida a sentir vontades e não fazer nada.
—  Na farmácia não vende coragem, tome um chá