As pessoas arranjam formas muito eficazes de se esconder. Seja atrás de muros, sorrisos, personalidades ou dinheiro. Cada um escolhe um jeito de fazê-lo quando cresce, e então começa a viver. Talvez seja por isso que todo mundo é tão desconfiado hoje em dia. No fundo, eles sabem que estão sozinhos e, por mais que queiram, não conhecem ninguém de verdade. Nem os vizinhos, nem os parentes, nem os filhos e nem eles mesmos.
—  Salvador, Outubro - 1997
Já fazem seis meses, mas parece que foi ontem. Por mais que tudo tenha mudado, lembrar de você ainda me faz pensar que nada mudou. Me faz desejar que nada tivesse mudado.
—  Salvador, 1997
Ele é a minha paz quando tudo está um caos. Ele é a minha verdade quando me confundo com as mentiras. Ele é o meu consolo quando não posso suportar as dores. Ele é a minha luz na escuridão. Ele é o meu abrigo quando não tenho pra onde ir. Ele é o meu descanso quando minha rotina me consome. Ele é a minha esperança quando eu acho que não tem mais solução. Ele é a graça que eu nunca mereci, e só agora eu entendi que Ele me basta.
—  (garotade-fe)