Rio-Quente

Coraçandanças

Caminhando
sobre partituras inscritas
ali na calçada dos bombeiros
penso nas andanças
que tens feito
De Copacabana a Realengo
nesse Rio
ora quente ora frio
Quantas vezes
te busquei à força
onde não era bem-vindo?
Laranjeiras e Santa
te calejaram os pés
Perdeu-se pelas ladeiras
e uma vez mais
Ora pelo sopro fresco da manhã
Ora pelas curvas sinuosas
deixou-se seduzir
Ora o elevador subiu
até o mais alto quarto
Ora desceu escadas
para o aconchego
do quarto de vassouras
Satisfeito sorriu
sem se dar conta
de nós
que precisaria desatar
Onde vais sossegar?
E aprender, finalmente
Andar desatento
em lugares incertos
é pedir para ser furtado
do próprio peito