Na Natureza Selvagem

4

Into The Wild (2007) - Sean Penn

5 bullets on this film:

  • No, sweetheart, this film is not for “dirty hippies”. I hate it when people are like ‘oh it’s a movie for people who don’t want to pay their taxes’. Like, no. A big no. It’s based on a true story and it’s really beautiful, ok? And I think people who pay their taxes would like it. 
  • I cried watching it. oh, what a surprise. me, crying! But really, it’s a very moving movie and it causes different feelings. Like, ‘I want to run away from society! But I want to sleep in my bed and have a toaster! but I want to explore nature and  find myself! But I want to shower everyday and open the fridge whenever I like!’ 
  • Sean Penn did a great work and I’m impressed. I know the story is based on a book, but I think it couldn’t have been better directed. The protagonist’s journey doesn’t get boring at any point of the story and you end up relating to the characters that are presented during the film. 
  •  The scenes showing nature are really beautiful. You will want to hug a tree or run away to Alaska or something after watching it. 
  • The soundtrack <3 Eddie Vedder is in my heart
Gostaria de repetir o conselho que lhe dei antes: acho que você deveria promover uma mudança radical em seu estilo de vida e começar a fazer corajosamente coisas em que talvez nunca tenha pensado, ou que fosse hesitante demais para tentar. Tanta gente vive em circunstâncias infelizes e, contudo, não toma a iniciativa de mudar sua situação porque está condicionada a uma vida de segurança, conformismo e conservadorismo, tudo isso que parece dar paz de espírito, mas na realidade nada é mais maléfico para o espírito aventureiro do homem que um futuro seguro. A coisa mais essencial do espírito vivo de um homem é sua paixão pela aventura. A alegria da vida vem de nossos encontros com novas experiências.
—  Chris McCandless, Na natureza selvagem.
Você sabe, falo de livrar-se desta sociedade doente… Sabe o que eu não entendo? Porque as pessoas, todas as pessoas, são sempre tão más umas com as outras. Não faz sentido. Julgamento. Controle. Todas estas coisas… De que pessoas estamos falando? Você sabe, pais, hipócritas, políticos, canalhas.
—  - Alexander Supertramp (Into The Wild)
Os únicos presentes do mar são golpes duros e, às vezes, a chance de sentir-se forte. Eu não compreendo muito o mar, mas sei que as coisas são assim por aqui. E também sei como é importante na vida não necessariamente ser forte, mas sentir-se forte, confrontar-se ao menos uma vez, achar-se ao menos uma vez na mais antiga condição humana, enfrentar a pedra surda e cega a sós sem outra ajuda além das próprias mãos e da cabeça.
— 

Na Natureza Selvagem