Meireles

O mundo vai acabar, e certamente saberemos qual era o seu verdadeiro sentido. Se valeu a pena que uns trabalhassem tanto e outros tão pouco. Por que fomos tão sinceros ou tão hipócritas, tão falsos e tão leais. Por que pensamos só em nós mesmos ou só nos outros.
—  Cecília Meireles.
Tu tens um medo:
Acabar.
Não vês que acabas todo o dia.
Que morres no amor.
Na tristeza.
Na dúvida.
No desejo.
Que te renovas todo o dia.
No amor.
Na tristeza.
Na dúvida.
No desejo.
Que és sempre outro.
Que és sempre o mesmo.
Que morrerás por idades imensas.
Até não teres medo de morrer.
E então serás eterno.
—  Cecília Meireles.
Eu não tinha este rosto de hoje, assim calmo, assim triste, assim magro, nem estes olhos tão vazios, nem o lábio amargo. Eu não tinha estas mãos sem força, tão paradas e frias e mortas, eu não tinha este coração que nem se mostra. Eu não dei por esta mudança, tão simples, tão certa, tão fácil: Em que espelho ficou perdida a minha face?
—  Cecília Meireles.
Há pessoas que nos falam e nem as escutamos, há pessoas que nos ferem e nem cicatrizes deixam, mas há pessoas que simplesmente aparecem em nossas vidas e nos marcam para sempre.
—  Cecília Meireles.
Não vou deixar a porta entre aberta. Vou escancará-la ou fechá-la de vez. Porque pelos vãos, brechas e fendas… passam semiventos, meias verdades e muita insensatez.
—  Cecília Meireles.
Retrato

 Eu não tinha este rosto de hoje,

 assim calmo, assim triste, assim magro

 nem estes olhos tão vazios,

 nem o lábio amargo.


 Eu não tinha estas mãos sem força,

 tão paradas e frias e mortas;

 eu não tinha este coração 

 que nem se mostra.


 Eu não por esta mudança,

 tão simples, tão certa, tão fácil:

 -Em que espelho ficou perdida a minha face?

. Cecília Meireles.

Serás possível um peito, comportar mais saudade que seu próprio tamanho? Pois eu lhe juro, logo já, meu coração arrebenta minhas costelas e vai correndo ao encontro do teu de tanto não suportar mais você tão longe.
—  Cecília Meireles