Mega-da-Virada

Gus, eu queria começar te contando que agora eu consigo passar todos meus dias sem nem ao menos cogitar a possibilidade de voltar a escrever pra você. A última vez que te escrevi eu cuspi o quanto você não servia nem pra ser o vilão da minha história. Eu resolvi te escrever mais uma vez porque hoje, Gus, é dia onze. De agosto. Eu descobri que ainda fico abalada com datas mesmo que elas já não tenham importância nenhuma. Sei que você não acredita que as pessoas podem mudar de uma hora pra outra mas você mudou tanto e eu mudei mais ainda. Eu ainda sou sua mas não pertenço mais à você. Um desses filósofos que você tanto odeia uma vez disse que somos por tradição sagrada tão miseráveis de sentimentos amorosos que, em havendo um, já nos sentimos mais do que milionários e renunciamos com demasiada facilidade a qualquer outro prêmio lotérico (de amor). E eu Gus, renunciei aos 200 milhões da Mega da Virada por você. Enquanto o que você mais queria era pegar o prêmio e nunca mais olhar pra trás. Me transformar em referência em papel de pão. Agosto começou quase agora e o calor que faz la fora ainda não tomou conta de mim. Porque eu achava que você merecia mais alguma coisa. Mas o seu ego é enorme enquanto o meu não consegue nem atingir a distância física entre nós dois. Eu nunca quis admitir o quão miserável eu era sozinha mas agora eu admito meu fracasso perante à você. Sua ausência, de fato, me afeta. Sua indiferença me deixa com insônia. A falta de notícias suas me dá calafrios. Eu não te culpo por nada do que aconteceu e nem me culpo por não ser quem você gostaria que eu fosse. Nenhum de nós é o vilão. Nenhum de nós é vítima. E ainda assim eu continuo sendo sua maior decepção e você meu maior monstro. Por último, são 3:40 da madrugada e eu te escrevo enquanto assisto mais um episódio de Supernatural. E isso, é só mais uma das referências que já não tem importância nenhuma. Nem pra você, e por incrível que pareça, muito menos pra mim.
—  Não acredito em para sempre ainda. Mas você é meu eterno 11 de agosto.

Leia agora http://revistabarramagazine.com.br/blog/2014/12/31/mega-sena-da-virada-o-premio-foi-de-263-milhoes-de-reais-confira-os-numeros-aqui/?utm_source=TR&utm_medium=RevistaBarraMagazineTumblr&utm_campaign=SNAP%2Bfrom%2BRevista+Barra+MAGAZINE

Mega Sena da Virada - O prêmio foi de 263 milhões de reais… Confira os números aqui !

Números sorteados:

20 – 11- 16 – 01 – 56 – 05

O premio será o maior da historia das loterias da Caixa

O rateio das apostas ainda não foi divulgado.

Por Juan Felix

Loterias – Mega da Virada paga prêmio recorde de R$ 263,2 milhões

Loterias – Mega da Virada paga prêmio recorde de R$ 263,2 milhões

Foram sorteadas agora há pouco às dezenas da tão esperada ‘Mega da Virada’, que vai pagar ao sortudo o prêmio recorde de R$ 263.295.552,66.

Veja as dezenas: 01 – 05 – 11 – 16 – 20 – 56.

De acordo com a Caixa, foram realizadas mais de 348 milhões de apostas em todo país, numa arrecadação total de R$ 871,3 milhões.

O prêmio supera em quase R$ 40 milhões o valor pago em 2013 e quebra o recorde da…

View On WordPress

Curitiba - 'Mega-Sena da Virada': Amigos fazem bolão de R$ 100 mil

Curitiba – ‘Mega-Sena da Virada’: Amigos fazem bolão de R$ 100 mil

Dez amigos se reuniram em Curitiba e juntaram R$ 100 mil para um bolão da Mega-Sena da Virada. Cada um participou com R$ 10 mil ampliando as chances, já que com o dinheiro foram feitas 40 mil apostas.

O registro dos cartões demorou e exigiu trabalho dos atendentes – começou na segunda-feira (29) e terminou apenas na manhã desta terça-feira (30).

De acordo com o dono da lotérica Auxílio Suguimoto,…

View On WordPress

Mega-Sena da virada pode pagar R$ 240 milhões

Mega-Sena da virada pode pagar R$ 240 milhões

As apostas exclusivas para a Mega-Sena da virada já estão valendo, o prêmio deste ano está estimado em R$ 240 milhões. As informações da Caixa Econômica Federal é de que neste sábado não vai haver sorteio.

Na noite do dia 31 de dezembro será feito o concurso da mega da virada, todas as apostas feitas desde a última quinta-feira, vão concorrer ao grande prêmio, até mesmo as que foram feitas em…

View On WordPress

DA VIDA SÓ SE LEVA, A VIDA QUE SE TEM

“E na vida a gente tem que entender, que um nasce pra sofrer enquanto o outro ri…”
(Tim Maia)

Família reunida enter um drinque e outro saboreando quitutes que a gente só vê nesta época do ano,o branco reina e em termo de simpatia, você querendo fazer todas!.Isso pra quem esta em casa ou junto da família,já quem esta trabalhando resta os especiais da tv (gravados a meses),agora se você resolveu começar o ano em um destes shows preparado pela prefeitura e outras grandes marcas,provavelmente você começara o ano com muita diversão.

Quer felicidade mesmo?,faça suas apostas na “MEGA DA VIRADA” e talvez (só talvez) você passe este Réveillon milionário,por que como diz a “CAIXA” “para sorte todo mundo é igual” ,(Este ano foram três vencedores).

É chegada a grande hora,uns já de porre,outros não,mas, todos unidos na mesma corrente, ou seja, agradecendo pelas conquista e renovando os votos para o próximo ano.Os dez segundos mais importantes do ano,todos com os olhos para o céu, um coral sem prévio ensaio (nem precisa,já é rotina) e cada segundo que se passa é como se fosse o acontecimento do século, finalmente o ultimo segundo e você em êxtase embalado pelos rojões e com muitos planos para o novo ano, que já começou.

No outro dia, você acorda tarde, com uma baita enxaqueca e vai tentar por em ordem a bagunça que fez a noite,se você passou em casa,caso contrário você deve estar em baixo de uma marquise arrodeado de latinha de cerveja.

Ao contrário do ano anterior, passei o natal e Réveillon em casa,por que ?,falta de ânimo ou mesmo, um motivo mair pra comemorar.Fui na casa de um “AMIGO” e logo depois resolvi fazer um tour por “S. Paulo”,suas ruas vazias (sem trânsito),shoppings e supermercados como é de praxe não abrem suas portas,deixando seus órfãos se contentarem apenas com as poucas padarias,botecos e carrinhos de calçada que resistem ao 1º de janeiro.

O parque do Ibirapuera com sua imponência (imponente mesmo só a árvore de natal),estava quase vazio,o mesmo acontecia na Av Brasil,9 de Julho, Oscar freira e Augusta,no espigão da paulista o palco do show “Réveillon na paulista” estava sendo desmontado e a ciclofaixa a todo vapor (esta e a avenida com a cara de cidade - nunca para).

Não tão longe dali (Rua Augusta ente a Av Paulista e o Centro), Um homem e uma mulher catando comida no lixo,um senho dormindo em frente ao Banco Itau (não sei quem estava mais sujo,o homem ou a agencia bancária),desci mais um pouco e me deparei com uma mulher tentando acordar um homem sem sucesso,desci pelas escadarias do Viaduto Martinho Prado (enter caco de vidro e urina) cheguei na 9 de Julho novamente,esta parte da nove de julho depois do túnel por se aproximar ao centro tem um ar de abandono (Terminal e estação Bandeira quase vazios).

Estou eu caminhando na Rua Formosa,(shopping light) contemplando as edificações quando me distraio com vozes de criança e lá estava especificamente em baixo do viaduto do chá,tinha pra mais de dez pessoas (crianças e adultos) discutindo não sei por que,em péssimas condições de higiene ,alguma coisa amontoado, (não sei dizer o que) em cima do viaduto estava a imprensa de um lado a população do outro e no centro uma tenda com um tapete vermelho,estava acontecendo nada mais nada menos que a posse do mais novo prefeito da maior cidade da América Latina,na praça do patriarca a entrada do metrô estava com grade e um caminhão esta se preparando ou já tinha acabado de lavar a calçada quando mais uma vez me deparo com uma correria de mendigos,(não entendi o porque),

No meu caminho nas ruas vazias de um feriado,sou abordado por uma senhora (aparentava uns 70 anos)

__ Você viu se já estão desatribuindo o sopão ai?

Eu sem entender direito a pergunta falei que “não”!

Na Sé,a praça quase cheia,mendigos sentados ou deitados por toda parte,uns vendedores de muambas exercendo sua profissão,pessoas entrando e saindo a todo momento da igreja e no “MARCO ZERO” um presépio!

Estou eu tirando fotos da Catedral da sé quando desce da praça João Mendes um carro carregado com caixas,rapidamente a uma correria e o borborinho reina no local,desce do automóvel um pessoal e logo se forma uma fila para a distribuição de marmitex, quem sabe que para aquelas pessoas essa era a primeira refeição do dia,dava pra vê no rosto de cada um a felicidade (posso estar falando asneira,mas foi o que senti),todos comeram?,acho que não,quando fui pegar o Metrô percebi que tinha muito mais que aqueles que receberam a marmitex,em baixo de arvores,sentados no corrimão e que seria impossível vê o ocorrido (deveria ser anunciado por auto falante).

Estes neste dia comeram, e aquele pessoal da Augusta,aquelas pessoas do viaduto do chá,a senhora que me parou na rua e todos os moradores de rua de “SÃO PAULO” ,não sei,só sei que chegamos ao ponto de passar por cimas de quem dorme na calçada,ignorar pedido de criança ,chamar de vagabundo que dorme em baixo de viaduto.Por que se não é comigo,não me importa!

É tudo ilusão ou somos todos hipócritas…

_____________________________________///
_____________________________________

Ficamos Assim:
(Twitter) https://twitter.com/15inze_minutos