Felicidade-concreta

Sinestesia

s. f.

  1. 1.psic relação que se verifica espontaneamente entre sensações de caráter diverso mais intimamente ligadas na aparência (p.ex., determinado ruído ou som pode evocar uma imagem particular, um cheiro pode evocar uma certa cor etc.).
  2. 2.estl cruzamento de sensações; associação de palavras ou expressões em que ocorre combinação de sensações diferentes numa só impressão.
  3. 3.nós quando a felicidade se torna concreta e todo e qualquer ser vivo compreende só de olhar o que muitos até hoje não conseguiram explicar. É esse sentimento misto que explode em meus cinco sentidos e corrompem meu coração, me causando a sinestesia mais longa que já tive. O que é amor? Só pra saber quando você está aqui enlouquecendo meus sentidos e acalmando meu ávido coração.
Cara, não espere ela se tornar um mulherão para perceber que você perdeu. Aliás, nem precisa perceber nada, o fato já é concretizado, tanto faz se você sentir ou não. Você não a verá nos bares, enchendo a cara, agarrando caras, porque ela nunca foi assim e nunca será, mesmo depois de você quebrar o coração dela de mil formas diferentes. Ela ainda tem valor e sabe usar. Ela ainda tem princípios, sonhos e caráter incrível. Uma das únicas coisas que ela aprendeu com você foi que o homem perfeito não existe, mas vale lembrar que o motivo que levou ela para longe de ti não foi a sua não-perfeição, foram seus inúmeros erros que insistiam em acontecer. Sexta à noite ela estará em casa, estudando para o vestibular do fim do ano, pois ela ainda sonha com uma graduação, com independência e uma família comprida. Só que, por favor, não tente ligar para ela pedindo para voltar, ela já aceitou sua ida, e, melhor que isso, ela aceitou que foi o melhor. Agora ela se põe em primeiro plano. Não pense que ela é mais uma de suas ex’s que após o término passaram a ir em festas todos os finais de semanas, com a roupa menor que o cérebro, buscando te impressionar demonstrando uma falsa superação, bebendo mares de álcool, falando palavrões e beijando várias bocas. Ela é diferente. Ela não irá sair com o primeiro que a chamar de linda e não transará no primeiro encontro para que você fique sabendo e corra arrependido aos pés dela. Ela é mulher, ela tem maturidade suficiente. Ela não precisa ter o melhor boquete, porque ela tem o melhor abraço. Enquanto você contava quantas garotinhas fáceis pegava na noite, deixou escapar a única que poderia te fazer feliz todos os dias, pelo resto da sua vida. Algumas perdas são insuperáveis, você trocou uma felicidade concreta por alguns dias de prazeres fúteis. Eu tenho pena da pessoa que você é, e tenho orgulho do que ela se tornou: seu passado favorito.
—  Jadson Lemos. 
Eu Sou Feliz E Ainda Não Sei

Sempre tive um amor incondicional pela adolescência. Não só pela minha.Primeiro, por que, de fato, não podemos “catalogar” quando, realmente, deixamos de ser crianças e passamos a ser adolescentes. Muitos dizem que é lá pelos doze anos. Outros, que é quando você menstrua. No judaísmo, aos treze anos, um garoto (que nem tem pelo na cara) já é considerado um homem. A transição máxima. O apogeu para um ser. Virar homem aos treze anos de idade.

  Deve ser por isso que eu gostei tanto de não ter nenhuma religião durante a minha adolescência (Agnóstico). Fazia coisas sem pensar, não tinha nenhum Deus para me julgar, não tinha que visitar a igreja todo domingo, não pensava no inferno e nem no céu, não tinha com o que me preocupar e, muito menos, pensava no amanhã.

  Para o adolescente, só existe um dia no ano. E esse dia é hoje. O ontem já foi. Não tem motivo para chorar. Águas passadas não movem moinhos. O amanhã é o amanhã, bicho. Deixa chegar o amanhã que, aí sim, a gente começa a pensar no que fazer. Enquanto o “ontem” já passou e o “amanhã” ainda vai chegar, vamos viver o “hoje”. Afinal, o “hoje” é hoje. Essa parada de se preocupar com o que já aconteceu e com o que vai acontecer não tá com nada. Adolescente que tem alma adolescente faz merda pensando no hoje.

  Adolescente que tem alma de adolescente comete os maiores crimes da humanidade sem ter noção. Afinal, não existe fase mais mal compreendida do que essa. Uma vez, um amigo meu disse: “Rico será aquele que entender e escrever um livro sobre a cabeça da mulher e do adolescente!”. Sim. E, de fato, é verdade. O ser humano que entender essas duas “cabeças” (formas de pensar e agir) viverá numa fortuna infinita. Nunca cessará. Mas, pra quê querer ficar rico à custa de uma fase da vida? Escrevo na esperança de que alguém leia e diga: “Caralho, pela primeira vez alguém que me entende.”. Afinal, nem os próprios adolescentes se entendem. Eles fazem aquilo que muitos deixam de fazer todos os dias. Eles vivem. Eles aproveitam cada dia como o último. Afinal, um dia vai ser.

  A verdade é que eu invejo profundamente quem tem dezesseis anos. Nossa. Como eu sou louco para ter dezesseis anos de novo. E eu nem queria ter dezesseis anos com cabeça de vinte e cinco. Não. Eu queria ter é corpo (magro) de dezesseis e cabeça de dezesseis. Eu queria é poder sonhar sem me preocupar em como realizar, queria é poder dormir sem me preocupar em como ganhar dinheiro, poder sair de casa às nove horas da noite e só voltar às cinco da manhã (e ainda levar esporro dos pais por voltar muito tarde), viajar escondido para qualquer lugar, ser virgem, penetrar nas festas de quinze anos, tentar ficar bêbado só com Smirnoff Ice, querer pegar a garota mais linda da turma, matar aula, querer comer a “piranha” da classe, enfim, coisas fúteis, mas importantíssimas na vida de um ser humano. Coisas que, se você não fizer, não terá o que contar aos seus netos.

  E saiba que nós vivemos somente para um propósito: ter histórias para contar aos nossos netos. Engana-se quem acha que a vida é ganhar dinheiro e morar em New York. De nada adiantará isso se você não tiver vivido o suficiente. Nem todo o dinheiro do mundo é capaz de substituir uma adolescência rica em histórias.

  O que mais me deixa triste é olhar para o passado e dizer: -“Ah, meus dezesseis anos que não voltam mais! Eu era feliz e não sabia!”. É verdade. O pior de tudo é que é verdade, mesmo. Eu não tinha a mínima noção do “poder” que eu tinha em mãos. Era uma coisa fantástica que, hoje em dia, não volta mais.

  Mas, o pior de tudo mesmo, vai ser se, daqui há dez anos, eu disser: -“Ah, meus vinte anos que não voltam mais! Eu era feliz e não sabia!”. Se eu disser isso daqui há dez anos, vai ser uma prova de que eu falo, falo, falo, falo e não faço nada. Para isso não acontecer, se você me permite, eu preciso ir às “ruas” (bares, festas, viagens, encontros) para aproveitar o meus vinte anos de boy. Se não, that’s over, baby.

  Mas que fique bem claro que o que eu faço (farei) é apenas em prol das histórias que eu contarei para os meus netos. É para eles que eu estou aprontando aqui. Sim, claro! Não é pela minha felicidade. Minha felicidade concreta vai ser contar para eles como eu aproveitei e dizer: -“Ah, eu faria tudo outra vez! Sem pôr e nem tirar!”. Tenho certeza de que meus netos irão se orgulhar de mim. Até os bisnetos. Se eu tiver vivo até lá, é claro. Afinal, eu sou feliz e ainda não sei. Resta a mim descobrir. 

Muitas vezes pensamos que encontrar a devida alegria está em comprar, ou viajar. Obviamente, pra uns pode estar. Mas, a felicidade concreta está em você abraçar o seu destino e fazer o que está realmente dizendo dentro do seu coração. E aprendi isso com os meus escritores favoritos. Dizem que quando algo diz e condiz com uma chance ou “momento único”, é o melhor a se fazer, abraça-lo. Mas, onde está a felicidade? Aonde você acha que não está. Nos momentos únicos, que acontecem e deixam você se sentir assim, leve e feliz, sem motivos. Vai da sua comida favorita ao esbarrão com um estranho na rua que torna seu alicerce. Está presente nas coisas simples, no sorriso de uma criança, num gesto solidário, no dia-a-dia. Hoje a maldade está tão presente na sociedade que deixamos passar despercebidos. Tentamos enxergar maldade até onde não tem. Que mundo é esse que vivemos onde nem podemos usufruir da felicidade? Não podemos nos sentir livres, ser livre. A verdade é que deveríamos ouvir bem mais o coração e menos a razão, deveríamos perceber bem mais a beleza de um parque natural do que na imperfeição do asfalto da avenida mais movimentada. E sim, a maldade está aí, e complica a nossa vida, pois nos atemos demais nela, e pensamos que ela é totalmente o oposto da nossa felicidade, mas ela é apenas um obstáculo, deveríamos pensar assim, ela está no caminho, atrasa, tudo bem, mas não devemos desviar do nosso caminho. Deveríamos viver sem esperar tanto dos outros, nem de nós mesmos. Deveríamos usufruir mais daquela neurose de dizer que quem sabe esse seja nosso último dia, de viver como se não houvesse amanhã; mas devemos ter consciência do amanhã ao mesmo tempo, dos sonhos, dos ideais. Precisamos enxergar a vida com olhos mais amplos em cada detalhe, em detalhes mais simples e mais amplos, em diferenciar sonhos que devemos realizar, e em caprichos que simplesmente nos trariam satisfação momentânea. A verdade é que deveríamos nos conhecer para saber o que realmente queremos. O que realmente nos faz bem, não o que causa uma felicidade momentânea. Eu descobri tudo isso em meus 21 anos, e descobri porque abracei todas as minhas oportunidades, erradas ou certas eu segui e continuo seguindo meu coração. E você encontrou a sua felicidade?
—  By: Ana Luiza, Ana Beatriz, Paula and Larissa B. written in imperfeita-s
Esperamos por um conto de fadas. Um príncipe montado em um cavalo branco que - repentinamente - aparece na nossa frente, é amor à primeira vista, ele nos leva para o castelo, muda as nossas vidas e somos felizes para sempre. Isso é o que vemos nos contos de fadas, isso é o que nos é transmitido desde crianças. Ninguém nos conta que príncipes encantados não existem, castelos também não, e felizes para sempre é utopia. Ninguém nos conta que a vida é um pouco diferente dos contos de fadas. Tudo tem que ser batalhado, merecido, conquistado. Que haverá dias ruins, dias de cansaço, dias de tristeza, dias de tempestades. É certo que haverá também dias de sol, dias de paz, de felicidade, dias de calmaria. Mas nada disso será possível sem o nosso próprio esforço, sem as batalhas e as conquistas diárias. Cruzaremos com muitas pessoas nessa caminhada, algumas modificarão as nossas vidas, outras passarão despercebido. Vamos chorar, irão partir nosso coração, teremos decepções e desapontamentos. Tudo se tornará aprendizado, nos tornaremos mais fortes e menos inquebráveis. No momento mais inoportuno e quando estivermos mais despreparados, conheceremos alguém que balançará o nosso coração, o amor será construído aos poucos, dia a dia. E depois de muito tempo descobriremos que o famoso conto de fadas nunca existiu, que o que vale mais é saber que traçamos o nosso caminho, que construímos a nossa própria história, e que os pequenos momentos felizes fazem a nossa verdadeira felicidade. Diga-se de passagem, uma felicidade real e concreta, não utópica.
—   Founder of the words
Yo no sé
bueno mejor dicho
no tengo una idea concreta de felicidad
hay cosas que lo hacen feliz a uno
detalles que lo hacen feliz a uno
días donde uno es feliz
pero no es un estado
sino un ir y venir de momentos
yo no sé qué sea en si la felicidad
pero si está construida de momentos
debe parecerse a despertar
en la misma almohada por donde
se quedó el aroma de tu cabello
al calor de la sábana
que grabó tus movimientos
debe parecerse a tu sonrisa tupida
de mármol y escarcha de astros
debe parecerse a cuando tomo tu mano
y me siento el hombre
un verdadero hijo de los dioses
debe ser ese fábula cotidiana
parecida a dos pájaros cantando en primavera
dos ancianos que se sientan a hablar
esperando ya nada sino viviendo día a día
no sé pero cuando tú me buscas y me hablas
es una de mis maneras de felicidad
—  Guacamole para Adriana by Quetzal Noah
Você só será feliz mesmo (não to falando desse teu fingimento ai não… É da felicidade concreta que vem de dentro) Quando você parar de esnobar as pessoas, parar de se achar melhor que todo mundo e… O principal, ser verdadeiro com os que estão ao seu lado! É… É uma indireta ou… Direta mesmo, garota você é pó… Cabô… morreu… Se foi…
—  Jonas sincero