Fazer

E eu teria feito tudo de novo. Eu me submeteria a viver aquela velha rotina contigo, mais um vez. E se mais uma vez não fosse o bastante, eu reviveria mais duas, três… quinze vezes. Até enjoar, se é que isso é possível. Mesmo sabendo das consequências. Mesmo sabendo que ambos saíram machucados. Mesmo sabendo que no fim de tudo, você não estaria mais aqui. Mas nada disso importa. O importante é ter você. É que depois de você, ninguém mais me faz sentir vivo, como você fez. Ninguém mais me faz tão bem. Pode ser exagero e talvez seja mesmo. Eu e você sabemos que assim como eu, você não merece que alguém insista em você. Mas se eu não tentasse, se eu não deixasse o orgulho de lado, se eu não te pedisse pra voltar. A dúvida me atormentaria. Eu não deixaria de pensar um dia se quer em como teria sido. E não importa o que os outros falem ou o mal que você tenha me causado. Desistir de você, é desistir de mim. E as vezes, somos capazes de suportar as coisas ruins mais uma vez, só pra ter as coisas boas de volta.
—  Querido John.
Nós sempre dizemos que o tempo cura tudo. Coitado do tempo… Ele não pode fazer nada por você. Isso mesmo, nada. O tempo nunca foi a salvação de nada, e creio que nunca será. A salvação é você mesmo. O tempo é apenas um figurante na história. Quantas vezes você ficou mal, chorou, gritou e tudo mais, mais no fundo, só queria que o tempo não passasse rápido e que tudo voltasse ao normal? Pois é, coitado do tempo. Muitas vezes amado e odiado. Se ele pudesse falar, diria para você acordar e ver que ele não pode ajudar em nada. Não é de tempo que você precisa; Você precisa de você mesmo. Você precisa olhar para trás e ver que as coisas mudaram e que você precisa ser forte, independentemente de qualquer coisa. Seja forte, porque o tempo não irá te curar e nem lhe ajudar. A única coisa que o tempo faz, é tentar cicatrizar um pouco os machucados que você carrega em si. Cicatrizes que mostram quem você foi. Cicatrizes que mostram que você sofreu, errou, mais também pode ter magoado muita gente, mesmo que tenha sido sem intenção. Temos que entender que o tempo não irá curar nossas dores e que nós é que temos que aprender a curá-las.
—  Tati Bernardi.