Estudar

Pic from my studygram: 👉 @rotina_de_estudo 👈 check it out and comment on my last photo, i want to check out new studygrams! ❤
Long time no see but im back with my favourite orange pens and highlighters swatch that i made yesterday! 🍑🍑🍑

Sobre o vestibular de Medicina:

— Eu quero ser médica.

Mas ela assiste a televisão, às vezes horas em um só dia.
E vê uns vídeos no youtube.
Ela para o assunto na metade. E dorme. Às 22h. Para acordar às 10h! 12 horas de sono. 12 horas a menos. Assunto atrasado.
De vez em quando, ela falta a aula.
De Química.
A pior matéria dela.
Para escrever besteira no caderno. Para jogar no celular. Para chorar no banheiro. Para estudar outra matéria. Para visitar a amiga. Para comprar comida do gato.
Ela vai ao cinema.
Ela sai com as amigas. Uma vez por semana! Uma noite sem estudar! Uma noite sem genética elétrica hematopoiética ética dialética (…)
Duas vezes. Ela saiu duas vezes.
Ela saiu três vezes. Três turnos a menos. Perdidos.
Ela foi para a academia.
Duas vezes. Em uma semana. Uma hora lá. Uma pra ir. Uma pra voltar. Seis horas a menos.
Ligou para a mãe. Trocou o horário da aula para tomar um café com ela.
Mas aquele horário é o horário em que é melhor para se aprender Biologia.
O professor disse que era.
Ela faltou a prova.
Ela não sabe que era o simulado do ano?
O professor disse que era.
Foi o MEC que fez.
Mas ela foi para a praia. Com a família. Estava a seis meses sem ir.
Ela disse que precisava de ar fresco (de ar fresco preciso eu que o-r-g-u-l-h-o-s-a-m-e-n-t-e estou desde segunda sem ler o jornal sem ver a novela sem conversar com minha amiga sem ver meu namorado sem ver a cor do céu sem saber o que é descansar)
Perdeu a segunda metade da aula.
Perdeu o dia de entregar a redação.
Ih, logo a de poluição e meio ambiente.
Segundo semestre. Disse que estava cansada:
Isso porque foi para a praia semana passada.
Porque perdeu a prova semana passada.
Porque perdeu a aula mês retrasado.
Porque viu o jogo um ano atrás.
Porque viu as amigas na tarde de quarta.
Porque viu o filme do ator preferido no cinema.
Porque dorme oito horas por dia, quando quer.
Porque viajou esse ano.

Porque parece que nem faz vestibular para Medicina
Porque parece que tem uma vida
Porque parece que manteve a saúde mental.
Porque parece que se cuida
Que suporta
Que é feliz.

Ela nunca vai ser médica.

Ela passou.
Como assim?
Foi sorte.
Só pode ter sido.
Ela nem estudava.
Ela ia para a praia.
Ela ia para o cinema.

Ela ia pro cursinho?
Até ia.
E estudava?
Menos que sicrana.
Sicrana morava no curso.
Beltrana estudava 12 horas por dia.
Fulana leu o Amabis 13x, e uma das vezes foi de trás para frente.

Ela, não.
Ela parecia até gente.
Gente normal, que quer outra coisa.
Ou que já passou.
Ou que nunca vai passar em Medicina.

Mas ela ia para o restaurante.
Em dia de semana, às vezes.
Dez vezes. Em um semestre.

Mas ela faltou aula e viajou.
Na prova do ano, até.

Mas ela não vinha tanto quanto eu
Não estudava 12 horas por dia todos os dias
Não parou de fazer tudo que gostava
Não parou de ver todo mundo que amava
Não fez o que o primeiro lugar do ano passado fez

Mas ela continuou vivendo a vida dela.
Que loucura!!

(…)
Porque para conseguir ser médico a gente não precisa deixar de ser gente.
E nunca vai ser uma loucura sair com os amigos uma vez por semana.
Duas vezes, quando se fizer necessário
Viajar com a família.
Manter a nossa saúde emocional elevada e fazer o melhor de um ano de muito (sim, muito!) estudo.
No ano do meu vestibular, eu…
Fui para jogos da Copa do Mundo.
Escrevi um livro de 100 páginas.
Faltei algumas (rs) aulas.
Passei três meses sem curso de Física.
Passei por momentos impossíveis, que não desejo a ninguém.
Feito a humana que sou, perdi uma avó.

Mas eu prometo que estudei.
Bastante. Desde pequena.
E que abri mão, também. De muito. De mais do que podia, até.

E eu vou ser médica.
Faltam 4 anos e meio.
Não fui pelo processo com toda a saúde emocional que eu gostaria, mas com certeza trilhei meu caminho mais saudavelmente que muita gente [e indo parar no mesmo lugar].

E tantos outros também vão ser médicos.
Que, com saúde, fizeram tudo de um jeito tão diferente do meu!
Cada um passa do seu jeito. Escreve sua história. Conhece seus limites.
Não existe modelo, esquema, horário de estudos ideal.
Nem sempre o mais cansado é, no final, aquele que merece mais.
Nosso equilíbrio só a gente conhece.

Às vezes tentar seguir o exemplo de alguém, o esquema do cursinho, a ideia do que é um aluno dedicado é apenas mais um empecilho em um caminho que já é tão difícil.

Então qual é o sentido de se martirizar para ser alguém que não somos quando já somos bons o suficiente, à nossa maneira?

O negócio é ser feliz
Ter saúde
E querer. Querer muito
Querer mais do que imagina que quer.

O resto se resolve.
❤️

—  Letícia Telles Sales - texto retirado do facebook