21.05.11

Yesterday/ last night was fairly good. I seen quite a few people I hadn’t seen in ages and I met heaps of cool people. It was sweet as, I’m really keen for IKTPQ though. Like 753957 times more keen. The entire night I sounded like a 12 year old boy going through puberty, it was absolutely terrible.

I planked for the first time yesterday during Confessions’ set which was pretty decent. I crowd surfed during Miss May I, ha it was so good. Except they fucking ripped my Violence shirt. Not happy about that. I couldn’t really say much about Lewis’ singlet, it was destroyed and I could see his man-boobs. Tyce broke his thumb, it’s swollen as fuck. I felt so bad for laughing at him but ah well.

I felt so nice because I helped people up, ha. This girl was getting trampled on the barrier during Parkway so I decided to be nice and help her up because no one else seemed to care. Feel so bad for that dude in the shark suit getting absolutely pwned by all the massive guys, fuck that.

youtube

DJ Toy - It’s Just a Dream

There were idle, isolated, sunny afternoon of which I’d listen to this, repeatedly at the age of fourteen. It still sounds sweet, dream-like and nostalgic for that. ’…I could tell you ‘bout all my dreams right from the start.’

"Dream until your dream comes true."

Bem, eu só quero dividir com vocês o momento mais feliz que eu tive até então. E sei que vocês (fãs que lerem) vão me entender como ninguém, pois todos nós somos “unidos” pelo mesmo propósito, temos incomum esse amor por esses quatro meninos muito especiais.

Eu não imaginei que seria tão rápido, eu não pensei que eu logo estaria do jeito que estou agora, contando isso, eu pensei que fosse viver aquele momento para sempre. Que os minutos que passei ao lado daqueles meninos passariam tão devagar que eu seria capaz de ficar até enjoada deles.
Mas, como sempre acontece, as coisas boas passam muito rápido.
Lá estávamos nós na fila do Meet & Greet a espera do grande momento.
Eu estava com a minha prima/melhor amiga e mais as meninas que estavam com a gente. Aquele tempo ali parada esperando foram bem conflitantes, parecia que a qualquer momento eu sairia correndo dali e deixaria aquele monstro louco sair de dentro de mim, mas só parecia, pois eu não sou o tipo de pessoa que se deixa levar assim. Eu não gosto de expor o que eu sinto, sou um pouco reservada com isso.
Enfim, minha prima do meu lado começou a chorar e eu tinha dito antes que não queria ninguém chorando perto de mim, pois eu tenho esse probleminha de ver as pessoas chorando e chorar junto… Então eu fiquei com meu rosto virado pra ela, eu não olhei pra Camila, eu não queria chorar. Eu havia prometido a mim mesma que não choraria, eu não queria assustar os meninos, eu não queria perder o melhor momento da minha vida com a vista embaçada e o rosto vermelho.
Eu estava morrendo de vontade de abraçar a minha prima, aquele era o NOSSO momento juntas, mas eu não fiz, se não a minha promessa iria pro ralo.
Olhei pro céu, meus olhos doíam e minha garganta estava se fechando, algo dentro do meu estômago estava me deixando inquieta por dentro. Eu estava explodindo internamente, meu coração parecia uma bomba relógio. Acho que foi pior não ter chorado, era melhor ter deixado as lágrimas saírem de uma vez, o esforço que eu fiz para ficar calma acho que só me deixou mais nervosa ainda por dentro.
A fila andou. O Tommy apareceu. Eu fiquei “Tommy. Ok. O Tommy. O Tommy que tá sempre com os meninos.” Sabe, aquilo foi muito esquisito.
Eu ia realmente abraçar meus ídolos e ainda parecia mentira.
A fila andou mais um pouco e lá estávamos nós. Paramos na primeira entrada. As seguranças foram muito legais com a gente, algumas brincaram com a minha prima, foram bem simpáticas.
Fomos para a segunda entrada, a antes de entrar na salinha com eles.
Eu apertei os presentes (do Dougie e do Tom) nos meus braços e pensei “Eu vou entregar isso para eles!”. Mais duas mulheres falaram com a gente e passamos para frente, perto da porta da sala. Um homem falou com a gente. As meninas da fila atrás de mim deviam estar chorando, eu não lembro direito na verdade… Uma menina, a Becky (linda!) me pediu para entregar uma paçoca pro Harry, e entregou na minha mão. Eu não lembro o que falei pra ela na hora mas eu guardei no bolso.
Ouvimos o cara falar “Mais dez!” e entramos na salinha.
Eu olhei para frente, formamos a fila de dez dentro da sala para esperar o outro grupo sair.
A primeira pessoa que eu vi foi o Danny. Eu vi ele sorrir de lado. Foi de arrepiar. Eu amassei os presentes nos braços e pensei: “Agora fodeu de vez! Vou chorar!” mas eu não chorei, eu só comecei a me tremer toda. Olhei para o lado do Danny e estava o Dougie, tão lindo que aquilo só parecia cada vez mais surreal. Do lado dele o Harry, quem eu olhei bem rápido porque o Tommy se enfiou na frente para falar com a gente.
Vi o Tom.
Minhas pernas tremeram e eu ouvi o barulho da caixinha do presente do Dougie estalando nos meus braços por eu ter apertado com tanta força de nervoso, pensei que tinha estragado a caixa mas graças a Deus não estraguei.
O Tommy começou a falar alguma coisa, eu olhei para ele e fiz um biquinho do tipo “Tommy! Acho que vou morrer!” e ele fez um biquinho para mim também, bem fofinho. Olhei para o lado e lá estava o Dave com a câmera dele. Eu só me lembro deles. Fiquei com vontade de chamar o Dave mas fiquei com vergonha.
A mulher na hora falou que não podíamos entregar os presentes, minha prima implorou para ela, dizendo que os presentes haviam sido muito caros. Eu fiz uma cara de desespero, porque se ela não deixasse a gente entregar em mãos, não entregaríamos pra mais ninguém. A mulher ficou com pena da gente, eu acho, e “liberou” os presentes.
O grupo saiu.
Minha prima e uma garota foram na minha frente falar com o Tom, eu não lembro de nada direito das outras pessoas, só lembro que eu parei atrás de uma garota que tava chorando muito e o Tom tava abraçando ela, ouvi ele falar “Oh, don’t cry!” e quis morrer na hora, abaixei a cabeça e olhei pro meu tênis sem saber o que fazer a não ser esperar a minha vez. O rosto do Tom tava tão perto enquanto abraçava a garota que eu olhei o cabelo dele, que tava meio caidinho pro lado na testa e lá fui eu de novo me tremer toda. A garota saiu de perto.
Eu olhei pro Tom e ele falou um “Hii!” fofo, eu o abracei na hora, apertando o corpinho magro dele e sentindo ele retribuir o abraço. Depois que me afastei eu falei “Tom, you’re my favorite!!” mas de um jeito que parecia que eu tava com falta de ar, foi muito esquisito, eu queria falar normalmente mas parecia que estavam tapando minha boca com um travesseiro. Ele sorriu todo feliz e disse: “Awww, thank you!” de uma maneira tão fofa e linda que eu só consegui sorrir de volta, não sei se ele realmente entendeu eu falar que ele era meu favorito, mas se ele agradeceu, ele deve ter entendido. Eu espero.
Lembrei dos presentes. Camila e eu havíamos comprado um Vinylmation da Disney Store pra ele. Todo mundo sabe que o Tom é viciado nessas coisas e coleciona essas coisinhas então compramos pela internet isso para ele e foi bem carinho.
Levantei a caixinha mostrando para ele e a Camila tava do meu lado, provavelmente para falar com o Harry, aí eu mostrei a caixa pro Tom e ele olhou tipo “Omg, é isso que eu estou pensando?” Eu falei “It’s for you!” eu tentei dizer “We bought for you!” mas não saiu, só saiu o “We” então eu fiquei apontando de mim para Camila, eu provavelmente parecia uma idiota apontando pra gente daquela forma mas foi o jeito que eu dei na hora. Ele olhou pro presente e fez: “Woooow, THAT’S AMAZING!” de um jeito surpreso, todo feliz! Foi mágico ver o Tom sorrir pra mim, foi mágico vê-lo feliz daquela maneira e saber que de alguma forma aquela felicidade, aquele sorriso havia sido provocado por mim, eu havia feito Tom Fletcher sorrir. O Tom entendeu o que eu quis dizer com o “We”, pegou o presente da minha mão e me puxou para abraçá-lo de novo, e puxou a Camila junto comigo! ESSE FOI O MOMENTO MAIS ÉPICO DO M&G. Nós duas sendo puxadas pelo Tom para um abraço. Foi incrível. A coisa mais incrível de todas. Ele agradeceu o presente com um “Thank you!!” muito fofo, e eu fui “jogada” pro Harry.
Eu olhei ele meio que de cima para baixo, sabe? Porque o Harry é (todos eles são) bem mais alto do que eu (quem não é?) e fiquei “Caramba, é o Harry, puta merda!”
Ele falou “Hi” e eu sorri, falei hi também, ele perguntou se eu tava bem e eu respondi que sim com a cabeça e disse de uma maneira bem idiota “Harry, you’re beautiful!”. Pra me matar de vez, ele sorriu e disse todo tímido um “Thaaaank you” muito fofo, me puxando para um abraço. E caramba, preciso ressaltar esse detalhe, o Harry é bem cheiroso. Muito, por sinal. O Tom também.
E fui eu pro Dougie. Ele falou hi e me deu um abraço bem rápido, tocando nas minhas costas dando batidinhas, foi bem rápido MESMO. Ele perguntou “Are you ok?"  e eu não sabia o que dizer. Fiz um sinal esquisito com a mão (nada obsceno flw) e depois que tava quase indo pro Danny eu disse "I guess so!” mas acho que o Dougie não ouviu, porque eu falei tudo enrolado, meio rindo nervosa. E ainda falei para ele numa tentativa em ser fofa “You’re beautiful!” mas ele me ignorou, o idiota tava fazendo macacada pra câmera e nem me ouviu.
Por pouco eu não esqueço de entregar o presente dele. A Camila estava do meu lado e lembrou, eu virei a caixa (que era meio grandinha, era um boneco de Star Wars, um Chewbacca que mexia a cabeça) pro Dougie e falei “It’s for you!” e a Camila falou lá um treco enrolado em inglês, dei a caixa na mão dele e o Poynter abriu um bocão falando “Woooooooooowwww” surpreso, foi muito fofinho. Ele ficou com a caixa na mão e eu pulei pro Danny, mas não deu tempo de falar com o Jones, porque o cara falou “Foto!” e eu voei para perto do Tom, que falou “FOTO!” também, bem fofinho, passei abaixada na frente de todos e agarrei o Tom pela cintura. Lembro de ter enfiado a cara no peito dele (por isso a minha foto ficou um lixo) e ter sentido o cheiro bom dele, aquelas costelinhas magras sendo apertadas por mim. Sinceramente, eu não lembrava de ninguém ao meu redor, só me liguei ali, naquilo, eu estava abraçando ele para tirar uma foto e aquilo era mágico. Depois ao invés de ir falar com o Danny, como eu deveria ter feito, voltei na fila.
Quero dizer, voltei e falei de novo com o Harry, parei na frente dele toda agitada e sorri falando “Me again!!!!!!” feito uma imbecil. Sério, foi muito estúpido e o Harry riu, falou um “Ooooh, hi!” e eu fui “jogada” pro lado de novo, parando na frente do Dougie e eu repeti a coisa idiota do “Me again!!!!!!!!” para ele. O Dougie também riu e falou um “Hi” todo engraçadinho do tipo “Eu acho que já nos vimos antes!” e eu ri dele. Mas eu estava mesmo querendo falar com o Danny. Só que não falei do jeito que eu queria. Olhei pro lado procurando a Camila e ela já tinha saído, cheguei perto do Danny mas só tive tempo de tocar no peito dele e falei bem rápido “Nice to meet you!”, não lembro de ninguém mandando eu sair, ou me empurrando mas sei que saí andando e escutei ele gritar enquanto eu andava um “NICE TO MEET YOU TOO!” da maneira mais fofa do mundo. Foi muito fofinho da parte dele, ele podia muito bem ter me deixado no vacuo e não deixou. Eu fiquei com um peso na consciência enorme de não ter abraçado ele mas só pelo gritinho dele eu me perdoo. Depois que eu saí da sala, foi que a coisa dentro de mim ficou completamente descontrolada.
Eu comecei a chorar, como se tivessem acionado um botão dentro de mim e um mar de lágrimas lavou meu rosto. Eu vi a Camila parada chorando me esperando e cheguei perto dela, não lembro se nos abraçamos, não lembro mesmo. Sei que saímos andando e nos metemos no meio do pessoal pra ficar na frente, mas aí voltamos correndo à procura de um amigo que tava na grade da pista comum. Mas eu não consegui correr, minhas pernas estavam travadas e eu caminhei me arrastando, quando eu cheguei perto do Yuri, ele nos abraçou e nós duas choramos feito duas loucas.
Lembro de uma garota perguntando o que estava acontecendo, toda preocupada. Depois de me afastar dele, uma mulher que estava lá virou e perguntou se eu tinha conhecido eles e eu disse que sim e chorei mais ainda. Depois me afastei e saí correndo no meio do povo, pulei numa menina, a Carol, e a abracei muito forte. Nós duas choramos. Depois virei pra Camila de novo e lembro de chorarmos juntas, lembro dela falando no meu ouvido que tinha me prometido aquilo, de conhecermos eles e tudo mais e que havia cumprido a promessa dela, isso só me fez chorar mais ainda, meu peito parecia que não ia aguentar, eu sentia tanta dor por dentro que eu só pensava em sentar naquele chão e não levantar mais. Só que ainda tínhamos um show maravilhoso pela frente, eu precisava me manter bem para isso.
Ficamos um tempo ainda chorando, eu não tinha assimilado ainda tudo aquilo, não assimilei ainda, talvez eu nunca tenha noção de que aquilo aconteceu de verdade, pois parecia um sonho.
Pode não ter sido a coisa mais perfeita do mundo, eu deixei de falar muitas coisas que eu precisava, não fiz algumas coisas que queria fazer (abraçar o Danny), mas eu não reclamo disso, ao contrário, depois de tanto tempo de espera eu só tenho a agradecer.
Aqueles meninos fizeram daquele dia 21 o dia mais feliz da minha vida. E eu sei que eles não fazem ideia disso, eles não fazem ideia do quanto são importantes para mim, não fazem ideia do quão grande foi o impacto de vê-los pra mim, eles nunca vão saber disso, é uma coisa de fã.
Eu os admiro mais que antes (e isso é possível!), Tom me deixou mais encantada ainda, ele parecia ter saído de um conto de fadas, um príncipe. Todos foram maravilhosos, todos foram gentis de sua maneira.
No final do show, no final de tudo, depois que saíamos da casa de show eu virei pra alguém, acho que para Carol e falei “Eles pareciam anjos! Anjinhos!” e é assim quem eu os descrevo quando me perguntam como eles são. Anjos.
Pois naquela hora foi realmente o que me veio em mente ao olhar para eles, anjos. Lindos. Anjinhos, meus anjos.
Ainda fomos no hotel depois do show, vimos alguém dando tchau e fazendo coração com a mão da sacada mas não temos certeza se era mesmo algum deles ou só algum idiota de palhaçada com a gente, mas de qualquer forma, foi divertido.
Eu ouvi alguns comentários do tipo “Foi só isso que você recebeu depois de tanto esforço?”
Mas o que as pessoas não entendem foi que esse “só isso” significou o mundo pra mim. O “só isso” valeu todo meu esforço sim, eu faria tudo de novo, eu faria qualquer coisa pra vê-los de novo, hoje, agora! Eu faria o que estivesse ao meu alcance para tê-los aqui para sempre.
Esses meninos têm algo com a gente, algo maior do que amor de ídolo/fã, esse laço acolhedor, essa paixão louca pelas fãs doidas, eles tem suas almas presas à nós e não se dão conta, o McFly sempre deixa um pedaço do coração de cada um deles aqui, assim como nós deixamos um pedaço de nossos corações com eles.
Eu já sinto saudade. Eu já quero tudo de novo. Eu já faço planos.
Nada é fácil, eu sei, eu aprendi isso com eles, mas no final das contas, ao deitar na minha cama e fechar os olhos eu posso sentir aquela energia boa.
Depois de conhecê-los eu me senti mais forte, pois sempre me pareceu impossível, depois desse momento, eu acredito, eu acredito que sou capaz de conseguir o que eu quiser. Basta lutar. E nunca desistir.
E eu nunca desisti desses meninos, eu tenho orgulho deles, eu os admiro como pessoas e estou aqui para sempre.
Dói saber que tudo passou tão rápido, dói saber que eles vão embora e irão nos deixar com essa saudade apertando, mas toda essa saudade tem um gostinho bom. O gostinho de quero mais. Esses caras são surreais, são anjos, anjos de verdade.