1szayn

Eu escrevi pelo meu celular minúsculo então me perdoem por qualquer erro que eu não tenha visto haushaus

Me digam o que acharam!!!

—–


-Zayn? - A doce voz soou pelo quarto tirando minha atenção do violão.

Sorri ao ver a morena a minha frente, mas a olhei confuso ao ver que ela não fazia o mesmo.

- Nós precisamos conversar… - Ela disse com a voz levemente trêmula enquanto caminhava até mim com dois envelopes em mãos. Se sentou em minha frente e encarou suas mãos.

- Você está me deixando assustado. - Digo rindo ao ver ela em silêncio. Ela me encara brava, possivelmente por não ter graça alguma. - Desculpa, mas você realmente está me assustando, o que aconteceu?

Levemente seus lábios se contorcem em um sorriso e ela pega um dos envelopes.

- Olhe. - Diz ela me entregando. - Passei na faculdade. - Diz com um toque de alegria em sua voz.

Instantaneamente meu peito se enche de orgulho, saber que todas as noites de estudos e todos os esforços da minha garota valeram a pena faz com que eu fique imensamente feliz por ter participado disso.

- Eu sabia! - Grito jogando o violão para o lado e pulando em cima de Sn a enchendo de beijo por todos os lados. - Eu disse que você era capaz! - A encaro sorrindo e aproximo meus lábios aos dela dando um beijo suave. - Minha menina. - Sussurro e a beijo de novo.

Uma de suas mãos sobem em meu peito e me empurra levemente.

- Tem mais uma coisa. - Diz ela agora seriamente.

Nós dois nos sentamos novamente e sua feição de antes volta.

- Eu disse a você dias atrás que andava muito mal, e então resolvi fazer alguns exames… - Disse ela devagar e com total delicadeza. - …eu não lhe chamei pois sei que você está bastante ocupado com suas músicas e também achei que não fosse necessário. - Finjo um olhar duro a ela, como assim não seria necessário?

- Você sabe que sempre pode contar comigo, não sabe? - Pergunto levantando a sobrancelha.

- Sim, sim, eu sei, mas eu realmente achei que não era algo muito grave. - Se explica rapidamente. - Mas, o resultado chegou anteontem… - Sua voz fica trêmula novamente.

Por Deus, será que é algo tão grave assim?

Milhares e milhares de doenças passam por minha mente e sinto minha mão ficar gélida, eu não suportaria ficar sem S/n, nunca!

- Eu estou grávida. - Ela solta de uma vez e meu mundo para.

Grávida

Grávida

Grávida

Minha namorada está grávida, ela não está doente, ela está grávida. Por Deus, eu vou ser pai?

Sim, claro que eu vou ser pai!

Mas a faculdade de S/n?

Nós dois vamos ser pais!

- Zayn! - S/n grita comigo fazendo eu voltar para o mundo real.

Seus olhos me encaram apreensivos e eu a encaro assustado, eu realmente não sei o que falar.

- Eu preciso de um whisky! - Digo simplesmente e saio do quarto escutando S/n vir atrás de mim.

- Como assim um whisky? Eu acabei de lhe dizer que estou grávida, G R Á V I D A! Você tem noção? - Grita ela enquanto descemos as escadas.

Droga! Escadas não.

- Pare aí mesmo mocinha. - Digo me virando para ela que me olha como se eu fosse um alienígena.

Me aproximou sem falar nada e a pego no colo.

- Zayn, que porra que você está fazendo? - Grita novamente.

- Cuidado com essa boca. - digo dando um tapa em sua bunda. - Que educação vamos dar para nosso filho? - Pergunto descendo as malditas escadas com cuidado.

- Você perdeu o juízo, só pode. - Fala indignada.

Com total cuidado a coloco no chão e ela me encara brava, mas aos poucos um sorriso aparece, sim, eu conheço esse sorriso e estou com ele agora.

- Eu te amo! - Sem querer falamos juntos.

A vontade de agarra-la é inevitável e assim faço.

- Nós vamos nos casar, semana que vêm! - Digo assim que a idéia surge em minha mente.

- Não Zayn, nós não vamos nos casar semana que vêm. - Diz ela rindo e eu a encaro confuso. Ela não quer se casar comigo? - Vamos esperar ele ou ela nascer, não quero fazer nada as pressas! - Esclarece fazendo carinho em meu cabelo.

- Você está coberta de razão. -Concordo sem conseguir parar de sorrir.

No mesmo momento me lembro do whisky.

Ah caralho eu preciso beber, beber muito!

Louis!

- Eu vou ligar para o Louis! - S/n ri da minha afobação ao correr para pegar o telefone.

Sussurro a palavara pai várias e várias vezes enquanto o telefone chama.

Porraaaaa!

- Zayn? - A voz fina de Louis diz do outro lado.

- Eu vou ser pai bro!

Abri a porta do quarto de hóspedes, não iria dormir no quarto onde antes eu dormia com ela. Deitei-me sem camisa, apoiando minha cabeça nos braços. Entre todos os erros que eu já cometi, magoar Seu Nome foi o pior. Fechei os olhos e pude ver a expressão dela, as lágrimas,tudo por minha causa. Abri meus olhos novamente, me sentindo o maior idiota da face da terra. Eu a iludi, e agora a quero de volta. Escrevi musicas com as palavras que ela mesma disse, o que a deixou emocionada. Um suspiro brotou lentamente em meu peito, como eu posso consertar um coração desapontado?  Eu a machuquei, não fisicamente, mas machuquei o que eu mais presava, seu coração. Eu a deixei ir, depois de tudo o que fiz não poderia obriga-la a ficar.  Sentei-me novamente aos pés da cama. Não vou conseguir dormir, não sem ela aqui. Tenho de traze-la de volta. Levantei-me e vesti uma camiseta e uma jaqueta de couro preta. Não sei ao certo onde encontra-la, mas eu tenho de conseguir.  Saí de casa sem nem me preocupar com a hora, caminhei durante um bom tempo a procura dela, em cada esquina escura, praças quietas, bancos em frente á lagos. Eu já estava cansado, sentei então em um banco observando o sol amanhecer. Mais um suspiro sucedeu, tudo o que eu queria no momento era ela em meus braços, sentir seus beijos carinhosos, o gosto de seus lábios. Fechei meus olhos, a expressão dela voltou a minha mente, como eu pude ser tão incencível?

Então eu a ví, sentando ao meu lado. Sua expressão era quase a mesma, estava péssima e um sentimento de culpa me tomou.

-Não deveria estar na cama Zayn?- Sua voz estava calma, enquanto ela observava um pato que nadava no pequeno lago.

-Estava procurando você.- Disse ainda sem acreditar que ela estava ali.

-Por que?- Agora sua expressão era confusa.

-Por que eu sou um idiota, deixei você ir, e depois sofri.-Respondi sem encara-la.

-Eu fui, por que tudo foi uma ilusão, sonhei que era uma princesa, que não sairia do castelo, mas der repente ele desabou sobre mim, lembra-se?-Levantou meu rosto com os dedos, fazendo-me fitar seus olhos.

-Lembro, eu praticamente demoli o castelo sobre você.-Minha voz saiu embargada.Ela nada respondeu, apenas deixou que uma lágrima caísse, passei meu polegar sobre o pequeno rastro de água em seu rosto.

-Me desculpa?-Disse ainda na tarefa de secar a lágrima.

-Sim.-Aquilo foi quase um murmurio, mas eu pude escuta-lo, selei então meus lábios aos dela.

-Eu te amo.-Foi tudo o que pude dizer depois daquilo. Seu Nome me olhou relutante, mas um breve sorriso fez meu peito aliviar.

-Também o amo Zayn.-Acariciou meu rosto, deixando um rastro de calor por onde seu dedos passavam. Mais uma vez selei nossos lábios, não, eu não a deixarei ir novamente, ela é… perfeita.

-Por onde você esteve?-A encarei sorrindo.

-Estive aqui o tempo todo. - Colocou a mão em meu peito e me selou.

Escrito e enviado por: littlehunterfan

Quer ver o seu aqui? Nos mande via submit!

One Shot Zayn Malik - Namoro escondido

Pedido do anony

~~

Respirei fundo algumas vezes na tentativa de me acalmar. Ficamos em silêncio, apenas olhando um para o outro pensando em todas as besteiras que acabamos soltando. As brigas entre eu e Zayn estavam ficando cada vez mais frequentes, e isso estava acabando comigo. O motivo era sempre o mesmo, nossa relação. Ela vem sido escondida da mídia e das fãs já faz seis meses, e desde que eu falei que estava pronta para assumir ao público dois meses atrás ele sempre vem arranjando desculpas. E essa coisa relacionamento escondido é simplesmente uma droga! Não podemos andar juntos em público, nem segurar mãos ou até olhar muito tempo um para o outro, eu já não aguento mais.

-Eu só queria um relacionamento normal, Zayn. Só isso. - eu falei baixo e com uma voz mais calma

-Eu sei (S/n) mas você tem que isso não é tão simples assim- ele falou também mais calmo –Com toda essa fama não tem como ter toda a privacidade que você gostaria

-Só me responde uma coisa- eu respirei fundo mais uma vez –Você não quer tornar isso público… Por vergonha de mim?

-Você sabe que não é isso

-Não eu não sei! - eu olhei para ele –Na verdade eu não sei de mais nada sobre nós… Tudo é um ponto de interrogação para mim!

-Olha eu não quero que você se machuque ta bom? - ele falou aumentando um pouco a voz –Quando todo mundo souber de nós dois eles vão te bombardear, te julgar e eu sei que você não está preparada para isso! Você é muito fraca para aguentar tudo isso!

-EU NÃO SOU FRACA! - eu gritei e lágrimas se formaram em meus olhos –Eu não sou fraca… pare de me tratar como uma criança, porque eu não sou!

Eu subi as escadas correndo em direção ao nosso quarto e chorei com a cabeça enterrada em meu travesseiro. Eu não como ele pode achar que eu sou tão frágil e delicada, eu passei meses apenas pensando no que poderia vir ao assumirmos nossa relação. Pensei em mil e uma coisas que iriam falar de mim, e me preparei mentalmente para todo o peso que seria jogado em minhas costas.

Eu fiquei ali deitada por algumas horas, apenas pensando no que fazer. Isso não estava mais dando certo, eu não poderia continuar escondendo nosso namoro assim. Ir para a rua e fingir indiferença a respeito de Zayn. Eu não aguento mais tudo isso, está me machucando mais do que qualquer insulto de alguma revista de fofocas o fã possessiva.

Eu me levantei um pouco tonta e sequei algumas lágrimas que ainda caiam quentes em minhas bochechas. Arrumei as poucas coisas minhas que estavam aqui e decidi que iria embora. Desci as escadas com passos leves, a última coisa que eu queria era Zayn me implorando para ficar nessa relação ás escuras. Sai pela porta da frente e entrei em meu carro. Dirigi rapidamente ao meu apartamento, estava frio lá dentro como se eu não entrasse aqui a dias, o que era verdade. Respirei fundo e contei lentamente até dez para me acalmar. Mas deixando algumas lágrimas teimosas caírem, sabendo de tudo que eu havia deixado.

~Crisy

Coloquei o pacote de macarrão na carrinho, e saí do corredor a procura de Zayn, eu olhava corredor por corredor, e no quarto eu o vi; ele estava de costas tinha uma garota a sua frente, uma garota que eu não conhecia, ela sorria, e gesticulava enquanto falava, eu desacelerei o passo, e segui de vagar na direção deles, ela tocou o rosto dele, e tudo o que eu queria era ser invisível para correr até eles e ver a expressão no rosto de Zayn sem ele me perceber. Mas tudo o que eu fiz foi chegar ao lado dos dois que pareciam ter uma conversa empolgante, os encarar, e sorrir cinica, o que fez a garota me olhar como se eu fosse loca, e retornar o olhar à Zayn procurando uma resposta.
- Essa é a minha namorada, tchau. - Então ele começou a andar e eu o acompanhei. Eu queria rir da cara de taxo que a garota ficou, mas ainda estava com raiva de como Zayn não parecia dar importância a nada, e eu sabia que se eu perguntasse algo ele diria que em público não devemos discutir nada, então eu só fechei minha cara, e fui assim até em casa, e ele apenas se de sonso.
- O que aconteceu naquela porra de mercado, Zayn? -Ele entrou em casa logo após de mim, e fechou a porta.
- Tá se referindo a garota?
- É óbvio! Eu vi tudo.
- Ah, ela estudou comigo quando éramos crianças, aí ela estava falando de como mudei muito pouco.
- Eu sei quando você mente!
- Okay, ela estava dando em cima de mim, é isso o que você queria ouvir? -Zayn nunca parecia dar importância a nada, e isso me irritava, muito.
- Você é um babaca, sabia?!
- Cala a boca (s/n)! Sabe que não gosto que fale assim comigo.
- E você sabe que não gosto que me trate assim.
- Você me irrita pra caralho! - Então ele virou as costas e foi em direção à porta, o que me deixou com medo de perder Zayn. - PARA ZAYN - eu disse próxima a ele quando segurei seu braço com força, e no instante seguinte ele se virou, me empurrou com força me fazendo tropeçar no degrau próximo à porta e cair no chão, me deixando extremamente assustada, e magoada, e ele só travou o maxilar, e foi embora.

“Vai ser legal” elas disseram. Afinal, o que eu estava fazendo em uma festa de eu estava triste? Aquele monte de gente em um espaço apertado estava me agoniando, eu queria correr de lá, queria ficar em casa sozinha do jeito que passei os últimos dias, mas não queria desapontar minhas amigas, então ao invés de ir para a porta de saúda, fui ao bar. Eu pedi um copo de vinho, e em seguida outro, e outro, e outro, e quando comecei a ficar tonta pensei que deveria dizer às minhas amigas que queria ir embora, e quando olhei a minha volta procurando elas, vi elas dançando e se divertindo com uns garotos, então virei pro barman e pedi whisky.
- Você não parece muito legal, se quiser eu te leva pra casa, ou pra minha se preferir. - Após alguns vários drinks o barman do sorriso bonito se direcionou a mim.
- Eu estou ótima, nunca me senti tão viva! - levantei e fui tropeçando em meus próprios pés, decidida a sair daquele lugar de táxi mesmo, sem avisar as garotas.
Eu já estava próxima da saída quando alguém segurou meu braço, e quando olhei era Zayn, então me soltei rápido assustada, e ele parecia surpreso, e bêbado também.
- Finalmente (s/n)! Eu te liguei, você não atendeu; mandei mensagens,você não respondeu; fui no seu prédio, e o porteiro não deixou eu subir… Caralho, me desculpa. - então ele me abraçou desajeitado, e eu estava bêbada demais para contestar - vamos pra minha casa, eu chamei um táxi !
Ele envolveu seus braços sobre meu ombros, e eu abracei sua cintura, entramos no taxi e seguimos em silêncio todo o trajeto. Meu amor por Zayn continuava o mesmo, e eu não conseguia negar isso.
- Eu quero me desculpar (s/n)! - Ele disse após sentarmos na sua cama um de frente para o outro. - Eu fui um completo babaca, você é ciumenta pra caralho, mas é a garota mais incrível que eu conheço, e minha pessoa favorita no mundo, não quero te perder. - então eu chorei.
- Desculpa por ter sido chata, é que eu te amo muito.
Então ele me beijou, e não havia mais ressentimentos nem mágoas, só amor. Nós ainda estávamos desajeitados, pelo fato de estarmos sobre o efeito de bebida, mas tudo com Zayn era maravilhoso. Então ele colocou uma de suas mãos na minha nuca, e a outra foi deslizando do meu ombro até meu peito, onde ele massageou suave, logo eu monte em seu colo e minhas mãos passeavam por suas costas, arranhando tudo. Comecei a rebolar em seu colo quando Zayn tocou meu pescoço com sua boca e deixou vários chupões ali, e em seguida tirou minha blusa e meu sutiã, e começou espalhar chupões pelo meu colo, e a chupar meu peito. Logo ele puxou minhas mãos que outrora arranhavam suas costas, e levou até seu pau, ainda coberto, então abri o botão da sua calça, me apoiei nos joelhos desci sua calça até os joelhos e em seguida sua boxer. Sentei em suas coxa, segurei seu membro com uma das mãos e comecei a fazer movimentos que vai e vem fazendo Zayn jogar a cabeça para trás e revirar os olhos, mas logo parei, então Zayn puxou meu vestido pra cima, e não se deu ao trabalho de tirar minha calcinha, apenas a puxou para o lado dado acesso a minha intimidade, eu segurei seu pau e me encaixei nele, as mãos de Zayn foram para a minha bunda me ajudando dos movimentos de sobe e desce. Eu gemia alto, mas Zayn apenas suspirava com os olhos fechados, beijei sua boca enquanto gozava, e rebolei até chegar a vez de Zayn, que apertou meu quadril com força, e mordeu os lábios.
Nos ajeitamos na cama, eu deitada em seu peito e ele fazendo carinho no meu cabelo bagunçado, não falamos nada, não havia necessidade de palavras, pois nós dois sabíamos do amor que sentíamos um pelo outro, e que isso nos mantinha unidos, e seria assim por um longo tempo.

One Shot Zayn.

Você pov’s.

Ontem a noite tinha sido incrível, Zayn sempre era assim, maravilhoso. Mas ontem tinha sido algo mais, digamos que selvagem. Eu gemia feito uma louca e eu acho que até quebramos a cama - rs. Acordei com ele me abraçando por trás na cama e beijando meu pescoço.

- Bom dia amor. – ele disse.

- Bom dia.

- To com fome. – Zayn beijou novamente meu pescoço.

- Vem, eu faço alguma coisa. – me levantei e esfreguei meus olhos.

Fui ao banheiro seguida por ele, escovamos nossos dentes e eu prendi meu cabelo em um coque. Desci de pijama mesmo e ele colocou apenas um calção. Comecei a preparar panquecas e ele ficou me observando. Logo nosso filho de 16 anos desceu e se sentou a mesa.

- Bom dia. – ele disse.

- Bom dia. – Zayn e eu respondemos.

Continuei com as panquecas, Zayn e ele conversavam e pude sentir Zayn me abraçando por trás.

- Que demora amor.

- Calma. – fiz bico e recebi um selinho.

- Ei ei ei, não comecem com isso aqui não, já não bastou ontem à noite? – nosso filho disse.

- Como assim?

- Eu tenho 16 anos e sei o que vocês estavam fazendo. Podiam fazer menos barulho da próxima vez, tipo, sei lá.

- Hey! – Zayn e eu nos olhamos e rimos – Desculpa, a culpa não é minha se seu pai faz isso comigo. – disse e olhei maliciosamente para Zayn.

- Hey digo eu! – meu filho disse indignado mas rindo também – Vocês são meus pais, pais não fazem isso cara! – continuamos rindo e logo trocamos de assunto, quando coloquei as panquecas na mesa fui acordar nosso outro filho, o caçula, que tem 5 anos.

Enquanto comíamos nós conversávamos, como de costume.

- Mamãe? – o pequeno disse.

- O que foi meu anjo?

- Você está bem? – ele disse todo calmo, que fofura senhor.

- Claro, por que?

- É que ontem você estava gritando, você ta machucada? – recebi olhares de Zayn e do nosso filho, onde eu enfio a cara agora, produção?

- Ah, querido, é que a mamãe estava.. – pausei e olhei para Zayn.

- A mamãe estava fazendo exercício, isso, tipo academia. – nosso filho mais velho começou a rir escandalosamente, de propósito, é claro.

- É sério? Não tinha algo melhor pra inventar não? – rimos também.

 - Eu grito tanto assim, amor? – sussurrei para Zayn que estava sentado ao meu lado. Ele sorriu e assentiu com a cabeça, comecei a rir.

- Filho, deixa pra lá, ok? A mamãe está bem e é isso o que importa.

- Tabom. – dei um beijo em sua testa.

 

/Jaz

One Shot Cute- De volta da Tour (Zayn Malik)

 -Pedido do anony 

Eu esperava aflita no taxi, minhas mãos tremiam de ansiedade. O transito de Londres nunca foi algo muito caótico mas hoje em especial parecia estar mais engarrafado, talvez fosse coisa da minha cabeça mas eu só pretendia chegar ao aeroporto o mais rápido possível. O taxista olhava para mim pelo retrovisor como se eu fosse uma louca mas nada importava eu só precisava ver meu namorado o mais rápido possível.

  Eu nem acreditava que havia conseguido passar 5 meses sem Zayn, os 5 meses mais frustrantes da minha vida. Foram noites mal dormidas só pensando em ter seus braços para me abraçar forte, eu chorei por sua falta e meu coração apertava cada dia sem ter ele ao meu lado. Demorou o que pareceram anos até chegar o dia de hoje.

  O taxi finalmente parou na porta do aeroporto, eu paguei a viagem e saltei de dentro dele. Corri pelo aeroporto até chegar em frente ao grande painel brilhante que anunciava o voos. Eu procurei ofegante pelo número de seu voo e vi que ele estava atrasado 15 minutos, suspirei aliviada. Fui para o portão onde estava indicado que ele sairia, sentei ali por perto e fiquei observando as pessoas ao meu redor. O aeroporto não estava cheio devido ao horário, em pleno dia de semana grande parte das pessoas estavam indo trabalhar agora.

  Eu já estava quase dormindo na minha cadeira, devido ao cansaço de não ter dormido direito a noite, quando ouço uma voz anunciando a chegada do voo que eu tanto esperava. Eu saltei da cadeira e corri para frente da porta, foram cinco minutos tentando ver por trás dela quando notei algumas figuras lá dentro. Senti meu coração acelerar, tentei enxergar por trás da porta de vidro com fume. Eu consegui o reconhecer, meus olhos se encheram de lagrimas e eu abri um sorriso. Deixei meu coração falar mais alto e corri para dentro, quando as portas automáticas se abriram eu pude vê-lo melhor e corri mais rápido ainda. Seus cabelos estavam bagunçados embaixo de uma touca preta, ele parecia exausto mas assim que ele me viu sorriu largamente e meu coração parecia querer explodir.

  Eu pulei em seus braços e ele me abraçou forte. Pude sentir leves beijos no meu pescoço que subiram para minha bochecha logo antes de chegar aos meus lábios. Ele me deu um beijo urgente cheio de saudade, ele nos separou e me colocou no chão sem tirar as mãos da minha cintura. Eu olhei em seus olhos castanhos e senti minhas pernas bambearem, ele riu e nos celou novamente.

 -Arrumem um quarto!- eu ouvi Louis gritar o que me fez rir durante o beijo

 -Eu senti tanto sua falta babe- Ele me disse me abraçando forte de lado e plantando um beijo em meus cabelos

 -Também senti sua falta Zayn- eu disse encostando a cabeça em seu ombro –Você não sabe o quanto eu esperei pra ter você de volta.

 -Eu te amo s/n- ele beijou minha bochecha

 -Também te amo- eu falei manhosa –Zayn?

 -Que foi babe?

 -Nada- eu ri fraco –Só senti falta da sua voz

~Crisy

One Shot de Entrevista com Zayn Malik

Ellen: Bem-vindos a mais um The Ellen DeGeneres Show, hoje nós iremos falar com o belíssimo casal: o cantor Zayn Malik do One Direction e a modelo da Victoria’s Secret (S/N) (S/S). - Os dois descem as escadas e cumprimentam a apresentadora. - Bem-vindos, sentem-se.
(S/N): Honrados em estar aqui Ellen.
Ellen: Podemos começar? - Afirmam com a cabeça. Sabemos que a (S/N) mora em Los Angeles e você, Zayn, está sempre viajando por conta dos shows, como funciona esse relacionamento por conta da distância?
Zayn: Às vezes é bem difícil, porque você quer estar junto, mas o nosso trabalho exige bastante de nós.
Ellen: Mas quando se vêem sempre rola briga ou é tudo amores?
(S/N): A gente fica pouco tempo juntos que não da para brigar, nos restringimos a ficar felizes e curtir o momento.
Ellen: Mas esse pouco tempo que vocês passam juntos da para se divertir?
Zayn: Que tipo de diversão você fala, Ellen?
(S/N): Zayn!!! - A bochecha da menina cora.
Ellen: Não somos mais crianças, (S/N). Zayn, orla diversão? 
Zayn: Rola, claro. Eu e a (S/N) gostamos de nos divertir em todos os sentidos.
(S/N): Zayn!!! - A modelo fica mais vermelha.
Ellen: Já rolou em algum lugar inusitado? - Zayn afirma com a cabeça. - Pode falar aonde?
Zayn: Isso já é um pouco pessoal. - Os dois riam enquanto (S/N) ficava envergonhada.
Ellen: E brinquedos? Você gosta, (S/N)?
(S/N): O Zayn faz o serviço sozinho. - Desta vez quem corou foi Zayn. 
Ellen: Já tentaram algo diferente, por exemplo, um ménage?
Zayn: Isso não. - Os três riram, mas o casal estava desconfortável. - Podemos falar de outra coisa?
Ellen: Claro. Antes de começar a namorar a (S/N) você estava noivo, da também cantora, Perrie. Não fique mal, (S/N) - A apresentadora segura à mão da modelo. - O que houve para o término do relacionamento de vocês, Zayn?
Zayn: Éramos-nos muito jovens e fizemos decisões muito cedo.
Ellen: E a tatuagem que você tinha feito?
Zayn: Fiz um tratamento para tirar, mas como não sai perfeitamente, eu fiz uma por cima.
Ellen: E você, (S/N), você tem um filho com o seu ex-marido, Justin Timberlake, como vocês se revezam para ver o menino?
(S/N): Agradeço muito por eu e Justin termos um termino “amigável”, então o Austin, nosso filho, tem a minha presença e a do pai. Além disso ele gosta da atual namorado do Justin e do Zayn também, o que é bom para nos dois, estamos muito felizes.
Ellen: Você tem um filho de três anos e tem um corpo de dar inveja em qualquer mulher, como você faz?
(S/N): Alimentação adequada e bastante exercício físico, mas acima de tudo determinação, porque meu trabalho necessita do meu corpo.
Ellen: Falando em filhos e trabalho, vocês pretendem ter filhos mesmo com a vida corrida de vocês?
Zayn: Com certeza, mas não agora, ainda é cedo para assumirmos um filho no nosso relacionamento.
Ellen: O que a sua mãe acha sobre o Zayn, (S/N)?
(S/N): Ela fica muito feliz por nós, minha mãe sempre me apoiou em tudo que eu fiz. 
Ellen: E a sua mãe, Zayn?
Zayn: Minha mãe acha que eu sempre tomo descrições cedo, mas ela está apoiando bem o nosso relacionamento e quando a (S/N) leva o Austin, ela o considera como neto. 
Ellen: Certo. Fico muito feliz com o relacionamento de vocês, grandes pessoas, tendo certeza que vai dar tudo certo para vocês. Senhoras e Senhores, Zayn Malik e (S/N) (S/N), muito obrigada. Depois do intervalo, Miley Cyrus fala sobre polêmica de seu relacionamento conturbado com Justin Bieber. Já voltamos América.


~Viih~ Espero que gostem Xoxo~

1s Zayn - Ele é lutador e acaba indo para o hospital

Se por um lado meu coração estava preocupado com sua saúde e bem estar, por outro minha mente ainda fumegava de fúria. Como é possível ele cair no mesmo erro vezes e vezes sem conta? E aqui estava eu pela milionésima e uma vez sentada na porra de uma cadeira à espera que ele acordasse. Não de um simples sono, não de uma ressaca, não de uma sesta depois do sexo, não. Nada disso.

Ele estava deitado numa cama de hospital e eu na poltrona do lado.

Me levantei e comecei a andar em frente à sua cama, desde a janela até à porta do banheiro que era bem próxima da porta de saída do quarto onde ele estava.

Minha cabeça estava um turbilhão, só queria esmurrar uma parede, chutar algumas bolas – duas na verdade – dizer alguns palavrões, mandar algumas pessoas para sítios impróprios, ME chutar por aturar todas as merdas de meu namorado.

Às vezes me pergunto se vou conseguir aguentar isto por muito mais tempo, se vou conseguir vir mais que uma vez ao mês a este hospital, se vou conseguir assistir a mais alguma luta dele, se vou conseguir continuar o apoiando nos momentos difíceis. Por mais quanto tempo vou conseguir aguentar isto?

Por quanto tempo Zayn vai insistir na vida de lutador, se magoando fisicamente toda a luta pois, por mais treinos que ele tivesse o seu adversário sempre o conseguia colocar no chão sangrando entre o primeiro e o segundo round.

Dou um suspiro alto e por momentos minha fúria vira fumaça e se transforma em milhões de perguntas.

Será que se eu tivesse lá isto não iria acontecer? Será que eu deveria apoiá-lo mais? Será que ele vai continuar com esta vida? Será que ele nunca aprende? Será que ele não desiste?

“O segredo é cair sete vezes e se levantar oito” – ele me dizia sempre que tínhamos este tipo de conversa.

Ele não iria desistir.

-Você está gastando a sola de seus sapatos bonitos (s/n)

-Graças a você – disse o olhando e vendo seus olhos abertos e um sorriso matreiro no rosto

-Como foi sua reunião? – ele sabia que a reunião a que eu não podia faltar (e por isso não fui à luta) foi pelos ares porque me chamaram para o hospital

-Como foi sua luta? – apenas respondi com uma pergunta à qual já tinha a resposta

A sua resposta veio em forma de um encolher de ombros.

Me aproximei e peguei sua mão.

-Você sabe que eu me preocupo com você não sabe?

-Sei – respondeu depois de me olhar por alguns segundos, sabendo que desta vez estava falando sério, sem brincadeiras ou provocações

Suspirei de novo sorrindo.

-Ai Sr. Zayn Malik, sua sorte é que eu amo você

-Eu sei, acredite que eu sei. Amo você (s/n).

Parte I

Louis tentou ficar bravo comigo o resto do dia, mas ele simplesmente não conseguia. Chamei-o para ficar lá em casa e faláramos sobre a vida, ele aceitou. Nós almoçamos e fomos para meu quarto. Enquanto eu pintava minhas unhas, Louis ficava no computador jogando Bettlefield:

- Está pintando a unha para ir para a casa do seu amor platônico?

- Se você acha que eu vou transar com ele pode ficar tranqüilo, jamais perderia minha virgindade com ele. – Ele ficou me olhando meio surpreso com o fato de eu ser virgem. – Morreu. – Me referia ao assunto e ao jogo.

Louis se levantou da cadeira e veio na minha direção, tomou o esmalte que estava em minhas mãos, o fechou e colocou dentro da bolsa que segundos depois ele tirou de cima da minha cama e colocou no chão.

Ele veio em minha direção, me deitou na cama e começou a me beijar. Seu beijo era calmo e aconchegante, fazia com que eu quisesse o beijar ainda mais. Eu deitada na cama e Louis por cima, ele tirou minha blusa bem devagar e depois tirou a dele, tentando me passar confiança, mas não era o que eu estava sentindo. Estava extremamente nervosa e não sabia se aquilo era certo, a qualquer momento minha mãe poderia chegar e pegar nós dois ali, o que me deixava mais desconfortável:

- Não é um bom momento, Louis. – disse o fazendo parar de me beijar e partir para meu pescoço. – É sério. – Louis começou a descer seus lábios para meus seios e os acariciava. – Por favor, não é o meu momento. – Ele então parou.

- Não precisa ficar com medo.

- Não quero minha primeira vez com você. – Louis caiu para o meu lado na cama.

- E com quem você quer? Com Zayn? – Claramente alterado, Louis pegou sua blusa que estava no chão e jogou a minha para cima da cama. – Vou embora.

- Você é meu amigo. – Eu coloco a blusa e tento acompanhá-lo antes de sair da minha casa. – Lou, você é meu melhor amigo.

- Vai se fuder. – Louis saiu pela porta e em seguia bateu a mesma. E sem muitos movimentos eu fiquei parada ali por uns cinco minutos tentando entender o que houve.

Subi para meu quarto e peguei meu celular. Tentei ligar para Louis, mas ele não atendia minhas ligações e não respondia minhas mensagens. Passando algumas horas desde a primeira ligação, eu acabei pegando no sono e tendo um sonho com ele; com ele transando comigo.

Acordei no dia seguinte por volta de meio dia, já que era sábado eu poderia dormir até tarde. A primeira coisa que fiz, foi pegar meu celular, mas não tinham mensagens de Louis, e isso fazia querer tacar meu celular longe.

Eu liguei para a casa dele, mas ninguém atendia, o que me deixava mais preocupada. Eu pensei em ir até lá, mas já era 17hrs e eu não teria tempo de me arrumar.

Tomei banho, fiz uma leve maquiagem e coloquei um vestido florido rosa bebê e um salto nude. Tirei o salto para dirigir o carro que peguei emprestado da minha mãe, e tudo aquilo que aconteceu ontem batucava na minha cabeça e eu só conseguia pensar na merda que eu podia ter feito. Eu não sabia o que fazer: ir para casa do meu amigo ou ir para a casa do meu amor platônico. E em meio aquela confusão só me relembrei de uma frase que Louis tinha falado à uns três anos atrás: “Amigos são anjos que nos ajudam a ficar de pé quando as nossas asas se esquecem como voar.”. Mudei todo meu trajeto, iria para casa do meu melhor amigo.

Continua…

~Viih~Espero que gostem da segunda parte que eu prometi para vocês, eu acabei me empolgando e escrevendo um pouco mais que eu devia :P Então tem mais parte (s) vindo…~

Lá estava eu, novamente, me pego olhando para ele sem nem mesmo disfarçar. Ao meu lado, meu melhor amigo me olhava:

- Não adianta você olhar para o Zayn, ele nunca te dará atenção. – Ele bateu no meu queixo para fechar minha boca, que quase babava quando ele passou por mim.

- Louis, ele é tão bonito.

- E popular, nunca te dará atenção. Esquece ele. – Louis brincava com o isqueiro que ele segurava. – Vem, vamos fumar.

Eu e Louis saímos do pátio do colégio e fomos para o lugar, vulgarmente chamado do canto do fumo, escondido de toda a escola. Ele pegou um cigarro e acendeu depois me passou o maço e eu fiz o mesmo:

- Não entendo por que você gosta tanto daquele idiota, o que ele tem de bom? Popularidade não conta.

- Ele é bonito Louis, para de implicar. – Eu dei um soquinho no braço dele enquanto o menino deu um trago no cigarro. – Por que se importa tanto com isso?

- Só não entendo o que ele tem de tão especial. Ele vive zombando da sua cara e você ai caindo de amores por ele.

Louis estava vidrado na barata que passava na nossa frente. Ele deu mais um trago comprido no cigarro e jogou o resto no chão e me apressou, pois teríamos aula de matemática II agora.

Entrei na sala e algumas pessoas já estavam lá, inclusive Zayn. Sentei-me na minha cadeira e poucos minutos depois um pedaço de folha chegou na minha mesa.

“Encontro-te amanhã às 19hrs na minha casa, gatinha.

                               Rua Margerth Ruth, 509”

Eu já sabia quem era Zayn. Eu sabia que ele morava ali, mas não sabia o que ele queria comigo. Passei o cartão para o meu melhor amigo, que estava sentado do meu lado, ele apenas olhou para trás e revirou o olho, então eu também olhei e ele estava fazendo movimentos sexuais e como se tivesse batendo na bunda da mulher invisível. Louis tacou a folha em cima da minha mesa, mas não tinha só a letra do Zayn, tinha a letra do Louis.

“Se você for, nunca mais olhe na minha cara, esquece que eu existo.”

Eu li e re-li aquela folha umas 30 vezes enquanto o professor falava. Eu não podia deixar de falar com Louis, ele era meu único amigo e a única pessoa na qual eu confiava. Mas eu queria tanto ir, agora eu sabia perfeitamente o que Zayn queria sexo.

Continua…

 

~Viih~Espero que vocês gostem, Xoxo

One Shot com Zayn Malik: O divorcio

Eu era casada com Zayn Malik há vinte anos, e tinhas dois filhos o Lorenzo de dezoito anos e a Steffanie de dezesseis e nosso casamento sempre foi as mil maravilhas, bom pelo menos ate dois anos atrás quando tudo começou a desandar eu e Zayn não eramos mais aquele casal apaixonado e nossos filhos estavam tristes porque eles queriam muito que tudo terminasse bem, mas infelizmente não era esse o nosso final.

O Lorenzo e a Steffanie saíram e eu e Zayn aproveitamos para conversar sobre nós, e lá estávamos nos dois no quarto sentando no chão um em frente do outro se perguntando o que deu errado, mas não obtínhamos respostas.

- Não esta mais dando certo – ele disse me encarando e eu sorri

- Talvez nunca tenha dado, só estávamos cegos de paixão – eu disse abraçando meus joelhos

- É o fim? – ele chegou perto de mim e me fez largar minhas pernas e me trouxe para o seu peito – E se fomos só amigos e nada de nós aconteceu?

- É bem provável, para as duas respostas – larguei seu peito e voltei a sentar – Zayn nós somos grandes e merecemos ser felizes, seja um com o outro ou não, foi tudo tão perfeito agora acabou, vamos ser livres, nós dois merecemos isso.

- Vo..vo..voce – ele gaguejou – Você esta pensando em um divorcio?

Apenas afirmei com a cabeça e depois tudo foi muito rápido, ele se levantou e começou a pegar coisas quebráveis e tacar na parede uma após a outra a assim foi, eu ouvia os estilhaços chegando no chão, ouvia o quebrar das coisas, o choro de Zayn, o seu coração quebrado, o meu medo.

Depois de algum tempo, talvez minutos ou segundos ate horas quem sabe, o barulho dos estilhaços parou o quebrar das coisas também, o meu medo se foi a única que restava era o choro do Zayn e seu coração quebrado

- Desculpa eu precisava retirar isso de mim – ele disse voltando a sentar – Eu vou te dar o divorcio, mas eu quero mudar por nós, vai la aproveita e se diverte muito por nos ta? Mas quando parecer que tudo ta errado vem aqui, eu vou estar te esperando.

Ele se levantou e saiu do quarto

Será aquele o nosso fim?

XxXxXx

Karol

Parte I / Parte II / Parte III

Zayn me jogou na cama, muito mais agressivo do que Louis tinha feito na noite passada, ele tirou a blusa e ficou se esfregando em mim e foi ai que eu percebi que eu não o queria, queria Louis. Enquanto Zayn se esfregava em mim vi que escrivaninha ao lado na cama tinha um quadro de vidro, troquei de posição com o menino, fazendo-o acreditar que eu queria. Errado. Peguei o quadro de vidro e quebrei na cabeça de Zayn, o fazendo ficar desnorteado. O quarto era no térreo, então pulei a janela e entrei no meu carro e acelerei, sem ver quem vinha atrás, se tivesse alguém claro.

Dirigi até a casa do Louis e toquei desesperada a campainha, quando ele me atendeu, pulei em seu colo:

- Louis, eu sou uma burra. Zayn é um escroto e eu te amo. – Beijei-o,  mas não fui correspondida. – Louis?

- Não. Você foi até a casa do Zayn…

- Fui e eu me culpo, sou idiota, ele é grosso e nunca pude perceber o quanto você foi cuidadoso comigo quando você descobriu que eu era virgem. Eu fiquei com raiva, hoje mais cedo. Raiava porque você bateu a porta na minha cara, mas você estava certo, eu sou escrota, devia ter te amado.

- Tarde de mais, (s/n).

- Não não não, eu te amo de verdade. – Eu o beijei de novo. – Por favor, me perdoa. – Louis me olhou e relutando contra si mesmo me puxou para um beijo.

Fez-me pular em torno do seu corpo e me levou para seu quarto. Louis me jogou em sua cama, tirou meu salto e sua blusa. Tirou meu vestido e sua calça. Era a primeira vez que nos víamos de uma maneira tão intima como aquela, ele me olhou e sorriu, fiz o mesmo. Meu Deus, que físico, como eu nunca tinha visto isso?

Ele começou a me beijar, novamente. Colocou a mão atrás de minhas costas, sem nenhum problema soltou meu sutiã e começou a acariciar meus seios recém livres do sutiã. Louis explorava cada parte do meu corpo com seus beijos, reservando apenas minha intimidade e aquilo me excitava. Ele atingia lugares nos quais eu nem fazia ideia que eu podia sentir um arrepio, mas ele conseguia.

Ele começou a beijar a parte interna da minha coxa até chegar à minha intimidade, ainda por cima da calcinha passava a mão e dava leves beijos. Louis puxou minha calcinha para o lado e começou a passar a mão no meu clitóris e de vem enquanto deixava alguns beijos. Depois de girar algumas vezes me deixando cada vez mais exitada e fazia soltar leves gemidos. Ele pegou lambeu a entrada da minha vagina e colocou dois dedos dentro dela e continuou lambendo a mesma. Eu alternava em segurar no acolchoado e no cabelo de Louis e de repente, ele parou e os meus gemidos também foram cessados.

Louis subiu até minha boca e a beijou novamente e então eu senti que ele estava exitado também, o que me deixava menos mal. Ele inverteu a posição, fiquei por cima.

- Minha vez? – Louis concordou com a cabeça.

Eu não sabia o que fazer, tentei seguir passos que eu já tinha visto em alguns filmes. Deixei um beijo na boca do menino e desci. Abaixei e tirei sua cueca vendo seu membro pular para fora e meu deus que membro. Comecei a lamber a e beijar a glande por enquanto parando no prepúcio. Depois de enrolar um pouco comecei a fazer movimentos de sobe e desce com a boca sendo acompanhada pelas minhas mãos e de vez em quando elas paravam nas bolas, massageando-as. Louis tinha pequenos orgasmos e segurava firme no meu cabelo às vezes empurrando minha cabeça. Louis me puxou para cima terminando o meu boquete, pegou uma camisinha dentro da gaveta da escrivaninha e colocou em si mesmo:

- Pronta? – afirmei.

Louis me colocou na cama e ficou por cima.  Ele foi penetrando aos poucos, no começo doía quando ele fazia as estocadas, mas com o tempo foi de dor a desejo, Louis viu que eu me acostumara e aumentou as estocadas me fazendo gemer cada vez mais alto.

Louis troca de posição, desta vez ele estava na cama e eu por cima.

- Só precisa ir para frente e para trás. – Comecei a fazer o que Louis tinha falado. – Meu Deus que cavalgada. – Louis gemia junto comigo e a nossa respiração estava compassada.

Louis então segurou a minha bunda e deu uma leve levantada no meu corpo fazendo meus seios ficarem amassados no peito dele. Ele começou a estocar mais rápido:

- Quer ver? – Ele se referia ao gozo.

- Ainda não estou pronta para ver, quem sabe na próxima.

Louis se levantou e foi até o banheiro. Louis chegara ao seu ápice e eu não, então resolvi terminar. Deitei na cama e comecei a movimentar meu clitóris, Louis saiu do banheiro e foi quando eu cheguei ao meu máximo, ele correu para lamber o meu gozo.

Louis deitou cansado ao meu lado da cama, nós dois com a respiração descompassada:

- Tem certeza que nunca tinha feito sexo antes?

Nós rimos e finalizamos tudo aquilo com um beijo.

~Viih~Esperam que tenham gostado, Xox

Você e Zayn já são casados a vinte e três anos e bom vocês tem três filhos, Charlie o mais velho o nome em homenagem ao seu pai tinha dezoito anos, Tricia a do meio o nome dela era em homenagem o mãe do zayn, bom ela tinha dezessete anos e o mais novo Yaser em homenagem ao pai zayn ele tinha quinze, como nos não tínhamos ideias para nome colocávamos o nome dos nossos pais.

Eu e Zayn estávamos no sofá assistindo Bob esponja com Yaser e nos três riamos muito, sim eramos eternas crianças estávamos la quando Charlie chegou e bem ele parecia muito nervoso

- Oi gente preciso conversar com vocês – ele disse sentando no outro sofá  e eu e zayn nos ajeitamos no sofá

- Bom eu vou assistir la encima, já percebia que a coisa é seria – Yaser disse desligando a tv e subindo

- O que você quer filho – Zayn disse calmo e colocando a mão em meu ombro porem fazendo carinho no meu cabelo

- Bom eu vou ser bem claro e rápido minha namorada (nome de uma menina aqui) esta gravida e eu descobri isso ontem eu estou muito feliz porque eu amo ela e espero que vocês estendam – ele disse cuspindo as palavras na gente

Zayn que estava passando a mão no meu cabelo, puxou o mesmo com tudo me fazendo gritar de dor e virar a cara para o sofá, meu deus eu com dor mas eu estava feliz pelo meu filho eu sei que ele era novo mais ele e a ( nome de uma menina aqui) já namoravam a cinco anos e eu gostava muito dela a dor ia passando e eu ouvi zayn me dizendo desculpa baixinho na minha frente, virei meu rosto para ele e vi Charlie atrás dele rindo.

Me levantei e Zayn também me dirigi a Charlie e abraçei ele, como ele era alto como o pai ele me levantou e fazendo ficar na ponta de seus pes e comecei a chorar, meu bebe agora era um homem soltei ele e vi zayn nos olhando

- Serio não vou brigar com você ate porque sua mãe engravidou de você e nos não eramos casados so que eramos um pouco mais velhos, mas você conseguiu sua maturidade rápido demais meu filho – e então vi zayn chorando e abraçando o filho eles ficaram assim por um tempo.

- Pai posso perguntar uma coisa? – ele disse sentando no sofá agora do nosso lado

- Sim – zayn disse me puxando pela cintura para mais perto dele

- Porque o senhor puxou o cabelo da mamãe – Charlie perguntou e começou a rir e então passei a mão na minha cabeça e quando vi os dois riram

- Foi instinto - ele disse rindo e bom eu ri e me levantei, eles me olharam e zayn meio que perguntou com os olhos se eu estava com raiva e eu silabei um “não”, subi as escadas e chamei Yaser e Tricia, que estavam nos seus respectivos quartos para descer que eu tinha algo para falar eles desceram e eu fui para o quarto e peguei uma caixinha que estava ali e coloquei a surpresa.

Desci e entreguei a caixa para Zayn e comecei a disser

- Bom hoje eu descobri que Charlie vai ter um filho no futuro – Yaser e Tricia olharam maliciosos para ele -  e bom eu acho que daqui a um tempo teremos dois novos membros  da família Malik zayn pode abrir a caixa?

Ele ficou sem entender mas desfez o lacinho da caixa e abriu e viu de novo o famoso sapatinho de bebe que eu sempre mostrava quando estava gravida

- Me diz que sim? – ele perguntou e os meninos não entenderam

- Sim eu estou gravida – Zayn saiu ao meu encontro e me encheu de beijos e quando realmente a ficha caiu os meninos foram falar comigo e me abraçando ate que Charlie se pronunciou

- Mãe ta de quantos meses? – ele disse com uma certa duvida amais no olhar

- Dois porque? – disse naturalmente

- Mas que dia? – ele disse agora sendo um pouco indiscreto

- CHARLIE – zayn o repreendeu

- Dia 14 – quando ia continuar ele disse

- O mesmo dia que a  ( nome da menina) meu deus sera que eles vão nascer no mesmo dia?

Todos ali tinham brilho nos olhos

- So o tempo dirá meu filho – eu disse e me sentei no sofá e la estávamos nos na sala todos reunidos e discutindo quem iriamos homenagear agora

Gostou do pedido Anony? Gostaram amores?

Karol

One Shot-Zayn

One Shot-Zayn

-Bom dia- falou Zayn com uma rouca, típica de quem acabou de acordar.

-Bom dia, amor- respondi selando nossos lábios.

Eu havia acordado há alguns minutos, e estava fazendo o café da manhã. Foi ai que o Malik chegou.

-Que cheiro bom- disse ele. Nunca me dei muito bem com a cozinha, mas como estava noiva de Zayn, estava me empenhando mais.

-Tá legal… Prova para ver como ficou.

Ele pegou uma das coisinhas que eu havia preparado e deu uma mordida, depois fez uma careta, e por fim disse:

-Ficou bom!- eu sorri.

-Me deixa ver- mas quando eu ia levar um dos pãezinhos à boca Zayn o tirou da minha mão- Ei!

-Ficou bom, já disse.

-Zayn- falei o repreendendo.

Então provei e… Estava horrível!

-Isso tá horroroso, Zayn!Porque disse que estava bom?!

-Porque você está se esforçando, e não queria te deixar chateada.

-Own… Essa passa. Mas me diga quando a comida não ficar boa, assim não ficarei com esse gosto terrível- eu disse e gargalhamos.

/Bia

(ficou uma merda)

One Shot -Zayn

(s/a)=>seu apelido.

One Shot-Zayn

Eu andava com dificuldades em matemática, e precisava aprender a matéria para poder fazer a prova final. Sendo assim meu pai ligou para um amigo que tinha um filho era professor particular nas horas vagas.

Ele viria hoje, na verdade ele já deveria estar chegando. Vesti minha roupa, e organizei meu material escolar em cima da mesa do meu quarto.

A campainha tocou,e fui atender,antes de abrir a porta respirei fundo.

-Oi- disse um menino de olhos castanhos,segurando uma mochila azul marinho no ombro esquerdo.

-Olá- respondi ainda hipnotizada.Ele era meu professor particular?Eu espera outra pessoa…Na verdade,não sabia o que esperar,nunca o tinha visto.

O garoto pigarreou.Percebi que tinha ficado tempo de mais em meus devaneios, então dei passagem para que ele entrasse. 

Subimos em silêncio até meu quarto,e nos acomodamos.

-Ah…-suspirei passando a mão em meu cabelo-Qual seu nome?

-Zayn- respondeu sorrindo-E o seu?

-(s/n/),mas pode me chamar de (s/a) gosto mais.

-Ok,(s/a).Então você esta com dificuldades em matemática?Admito,não é a matéria mais legal- disse ele para mim como se fosse um segredo,e eu ri.

                                                         (…)

Começamos a estudar,as contas eram complicadas e faziam uma enorme confusão na minha cabeça,mas Zayn era ótimo como professor,e fazia com que as contas parecessem mais fáceis.

-Pronto- falei lhe entregando a folha com o calculo.

-Está correto- disse me olhando e sorrindo-Acho que você já está pronta para sua prova.

Sorri abertamente.

-Sério?!Ah que bom.

-Bom…Acho que terminei meu trabalho,mas se ainda tiver duvida em algo é só me ligar novamente e eu venho correndo- eu ri.

-De novo,obrigada.

                                                    (…)

/Bia (se quiserem continuação vão na ask)

One Shot Zayn.

Fazia mais ou menos uns 4 meses que eu e Zayn namorávamos encondidos, somente os garotos e a nossa família sabiam do namoro. Ele sempre quis contar mas eu, com medo das fãs, nunca o deixei. As fãs já me conheciam por eu ser a “amiga” dele e também já desconfiavam da gente.

Estávamos com os meninos no ônibus da turnê e eles decidiram parar em um local fechado para se arrumar antes de chegar no local onde iriam dar entrevista. Como o local estava vazio e não tinha ninguém por lá, Zayn e eu fomos para um canto e ficamos namorando, beijos, abraços, rindo e se divertindo. Até Harry apareceu pra “atrapalhar” a gente, como ele mesmo disse. Enfim, os meninos terminaram de fazer o que deviam fazer e voltamos para o ônibus e fomos até o local da entrevista. Enquanto os garoto estavam lá, fiquei esperando eles no ônibus junto com a namorada do Louis, minha amiga.

- Olha isso aqui, acabamos de sair de lá e já tem fotos nossas aqui. – ela disse sobre algo em seu computador.

- O que?

- Nossas fotos, quando paramos ali antes.. Alguém tirou fotos da gente enquanto estávamos lá e já saiu na net. – paralisei, merda, merda, merda, e se tivesse uma foto uma e de Zayn juntos?

- Tem alguma minha e do Zayn? – sentei mais perto dela, podendo assim ver as fotos no computador.

- Alguma não, algumas. – ela foi rolando a tela para baixo e tinha milhares de fotos, pra que tanta foto assim? Agora eu estava ferrada mesmo, iriam me matar.

Fiquei conversando sobre o que fazer com ela e quando os meninos voltaram eu não contei nada para Zayn, e pedi para que ela também não falasse nada.

Voltamos para o hotel, fiquei no mesmo quarto que Zayn, é claro. Joguei minhas coisas em um canto, liguei a televisão e me joguei na cama. Tudo isso sem falar uma palavra com Zayn.

- O que foi amor? Alguma coisa de errado? – ele perguntou se deitando ao meu lado.

- Não amor, nada.

- Fala, pode falar.

- Amor, eu já disse que não foi nada. – olhei para ele.

- Olha aqui [S/N], eu sou seu namorado e tudo o que estiver de errado, você pode falar para mim, ok? Confia em mim.

- Ai Zayn, lembra de hoje quando paramos pros meninos se arrumarem? – ele assentiu com a cabeça – alguém fotografou a gente e as fotos já foram parar na internet.

- Você ta assim por isso, meu amor?

- Claro, vão me odiar agora, eu sei como as coisas são, sei como as coisas vão ser.

- Presta atenção no que eu vou falar, ok? – assenti – Não importa o que os outros irão dizer, eles não sabem sobre o que nós fazemos de melhor, é apenas eu e você, eles não sabem sobre nós, não sabem o quanto eu te amo e o quanto você me ama, se eles criticarem, ignore. Eu amo você e é apenas isso que importa, entendeu?

- Mas e se me matarem, Zayn? – ri fraco e ele fez o mesmo.

- Eu protejo você.

- Ah, é mesmo?

- Espera ai. – ele deu um pulo da cama, pegou algo em sua mala e foi para o banheiro, eu ria dele. Logo ele voltou com uma cueca com cima de sua calça jeans, uma toalha de rosto amarrada em sua cabeça (tipo uma bandana) e uma toalha de banha amarrada em seu pescoço, tipo uma capa. Eu gargalhava e ele fazia pose de super herói.

- O que é isso, Zayn? – eu ria ainda mais quando ele subiu na cama e pulou.

- Eu sei voar! – ele subiu novamente e repetiu aquilo.

- O que é isso, Zayn? – acho que ele não me ouviu da primeira vez.

- Sou um super herói, agora eu protejo você e a mais ninguém.

- Ah, ta certo. – ele veio correndo e pulou na cama, havia se drogado, só pode. – Meu super herói favorito.

- Eu amo você, meu amor. Prometo te proteger de tudo e de todos, ao infinito e além.

- Eu amo você também, ao infinito e além. – ele me deu um selinho e eu pude ver que nada me atingiria desde que eu ficasse com ele, ele era um anjo para mim, o meu porto seguro. Na verdade, eu sempre soube disso.

 

/Jaz

One Shot Zayn.

Você e Zayn haviam brigado novamente por bobeira, mas desta vez foi um pouco longe a briga. Ele gritava contigo e você fazia o mesmo com ele.

- VOCÊ NÃO PRESTA, MULHER! – ele deu um soco na parede, fazendo sua mão sangrar.

- SAI DAQUI, ZAYN! – ele saiu do quarto e você começou a chorar, sentada na cama.

Seu filho de 7 anos que estava na sala, tinha ouvido os gritos mas ele pensou que era melhor não interferir em nada. Zayn foi até a varanda e começou a fumar, mas fumar mesmo, foram-se 2 caixas de cigarro em menos de 30 minutos, ele tinha prometido que não iria mais fumar. Seu filho não sabia que Zayn fumava.

Você ouviu alguém entrar no quarto e viu que era seu filho. Ele te viu chorando e foi correndo te abraçar.

- O que foi mãe?

- Nada meu anjo, nada.

- O papai brigou com você?

- Sim filho, mas não tem problema.

- Tem sim, ele não pode fazer isso. Por que ele fuma, mãe?

- Oi?

- Ele ta lá fora fumando cigarros.

- Deixa ele meu amor, não da bola.

- Espera. – ele saiu do quarto, você quase foi atrás mas acabou não indo.

Ele voltou de mãos dadas com Zayn. Zayn havia chorado, ele estava com os olhos inchados e vermelhos.

- Pede desculpas para ela. – seu filho disse e fez você e Zayn rirem, porém nenhum dos dois se mexeu. – Vamos, vamos. Ou eu vou ter que forçar? – ele ficou batendo o pé.

Nenhum dos dois se mexeu novamente, seu filho foi atrás de Zayn e o empurrou até chegar perto da cama, depois ele pegou na sua mão e te puxou, fazendo você se levantar, depois foi de novo atrás de Zayn e o empurrou até colar em você, que sorriu e ele também.

- Agora quero um abraço. – Zayn te abraçou bem forte e você começou a rir e chorar ao mesmo tempo. – Agora é com vocês. – que menino de atitude, em?

- Me desculpa, eu sempre grito com você e você nem tem culpa de nada por eu ser quem eu sou.

- Não tem problema meu amor, eu que sou uma chata. – você riu e o beijou. – Mas amor, não fuma mais.

- Como..?

- Nosso filho viu e eu quero que você vá falar com ele sobre isso.

- Ok. Eu amo você. – ele te deu um selinho e foi a procura do filho dele.

Seu filho tinha voltado a sala, ele assistia televisão.

- Filhão? – Zayn se sentou ao seu lado.

- O que?

- Sobre aquilo que você viu antes, eu fumando, então, esquece aquilo, ok? Eu não vou mais fazer aquilo, aquilo é ruim e prejudica a mim e a vocês também de algum modo. E você nunca faça aquilo porque é algo muito ruim, entendeu?

- Claro. – ele deu de ombros e voltou a assistir.

- Você entendeu? – Zayn insistiu.

- Sim pai, eu sei que aquilo faz mal e não gostei que você tenha feito aquilo.

- Ok, me desculpe. Agora me da um abraço. – seu filho abraçou Zayn.

 

/Jaz

Era mais uma noite chuvosa em Londres, eu e zayn estavavamos deitados, eu estava de calcinha e com uma camisa dele, e ele apenas com um calça de moletom bem larga, eu passava o dedo nas tatuagens de seu abdome.

Eu vagava em pensamentos distantes que não vem ao caso, mas em meio aos meus devaneios fui surpreendida pela sua voz no meu ouvido.

- Você esta pensando demais, minha princesa – ele disse beijando minha testa

- Minha mente estava livre, mas ela sabe que a verdadeira liberdade dela esta aqui com você – disse imitando a frase de um livro que eu tinha lido, porem não recordava o nome

- Sabe no que eu estava pensando? – ele me perguntou agora fazendo um leve carinho no meu cabelo enquanto eu me alinhava no seu peito

- Em que? – perguntei olhando para seus olhos castanhos

- Como vai ser bom daqui pra frente, nos dois juntos, casados, com nossos filhos, vendo eles crescerem, eu trabalhando muito e você também – ele me olhou e me puxou de forma que ficamos deitados rosto a rosto então ele envolveu minha cintura

- Juntos lembra? Ate que a morte nos separe – disse e ele fez uma careta

- Como eu ia esquecer, não faz nem 12 horas que a gente se casou – nos dois rimos – Ate que a morte nos separe

Ficamos ali rindo feitos bobos e esperando o futuro que nos aguarda

Karol  

One Shot Zayn.

Zayn chegou em casa bufando depois de um show, achei estranho.

- O que houve, amor? – perguntei e ele apenas me abraçou forte.

- Eu não sou um terrorista, caramba!

- O que? – ele se desfez do abraço.

- Tinha uma menina com um cartaz no show dizendo “Morra, terrorista”.

- O que? – repeti a pergunta, eu não estava acreditando.

- Que merda, [s/n], por que fazem isso comigo? – ele se sentou no sofá da sala, me sentei ao seu lado.

- Calma amor, ela só queria chamar atenção.

- E chamou!

- Amor, não de bola pro que os outros dizem sobre você.

- Mas eu dou! Eu me importo com isso! Eles dizem isso só por eu ser muçulmano.

- Eles tem inveja de você meu amor, ele queriam estar onde você está! – ele me olhou.

- Mas eles precisam fazer isso?

- Eles não sabem como agir direito, então agem desta forma estúpida.

- Mas.. – eu o interrompi.

- Mas nada Zayn, você é incrível e não é um terrorista. Eu te amo e tem milhões de pessoas por aí que também te amam. Então deixe isso de lado, ninguém quer te ver assim, muito menos eu.

Zayn sempre ficava pirado com essas histórias, e NÃO, ele NÃO é um terrorista.

/Jaz

One Shot Zayn.

Eu e meu namorado Zayn havíamos combinado de passar a tarde com Liam e sua namorada, até ai tudo bem, mas recebi uma ligação de Liam pedindo se eu iria mesmo assim, ele disse que Zayn não iria. Liguei para Zayn.

- Oi amor. – ele disse com uma voz meio fraca, já pude perceber que tinha algo de estranho com ele.

- Oi meu amor, o que houve que não vai mais no Liam?

- Eu to mal, muito ruim.

- E não me avisou? O que você tem amor?

- Ah, eu nem sei. Não queria te incomodar, eu to com muita dor de cabeça e com um pouco de febre.

- Quer que eu vá ai?

- Seria bom.

- Ok, daqui a pouco eu chego. Eu amo você. Beijo.

- Obrigada amor, eu amo você também. – eu desliguei o telefone e fui pegar minha bolsa que estava no meu quarto, peguei também as chaves do meu carro e fui até a casa de Zayn. Como eu tinha a cópia da chave, fui logo entrando.

- Zayn? Cadê você? – falei um pouco alto, pra ele poder me ouvir.

- Aqui! – ouvi sua voz vindo da cozinha.

- Oi amor. – dei um selinho nele.

- Oi meu anjo.

- O que você ta fazendo aqui na cozinha? – coloquei minha bolsa e as chaves na mesa.

- Procurando um remédio.

- Não, não. Vá pra cama que eu do um jeito nisso.

- Mas eu..

-Não teima comigo, garoto. – levei ele até o quarto e fiz ele se deitar, o cobri também. Liguei a televisão e mandei ele esperar.

- Vou te trazer remédios pra febre e dores, quer alguma coisa pra comer também?

- Não.

- Quer que eu te faça uma vitamina? Um suco? Sopa?

- Não amor, não precisa.

- Mas você tem que comer.

- Eu to só com dor de cabeça amor, não to desnutrido. – ele riu fraco e eu fiz o mesmo.

- Ok, seu chato. – voltei para a cozinha.

Procurei por remédios e logo encontrei, Zayn era prevenido e sempre tinha uma caixinha de primeiros socorros em sua casa. Peguei os dois comprimidos e levei até ele, junto com um copo d’água.

- Pronto, engula isso sem mastigar. – entreguei os dois comprimidos e o copo, ele fez uma cara ruim, de nojo.

- Mas é ruim.

- Mas tem que tomar isso pra não ficar dodói. – fiz voz de neném, ele riu.

- Que isso amor? Tá drogada?

- Não, só quero animar as coisas e você fica ai reclamando, ai ai, que namorado chato que eu tenho. – deitei ao seu lado e me cobri, me apoiei nele, alinhando-se em seu peito.

- Obrigada por cuidar de mim.

- De nada, mas espera um pouco.. – olhei para os comprimidos que ainda estavam em sua mão – Você ainda não tomou os remédios? Vamos, vamos Zayn! – ele olhou novamente para os remédios com cara de nojo. – Vai, 1, 2, 3, e.. – ele logo os colocou na boca e engoliu. – Viu só, não foi tão ruim assim.

- Foi sim. É ruim, nojento. Odeio remédios!

- Pronto, agora você vai melhorar.

- Mas sabe de uma coisa? Eu não vou melhorar por causa dos remédios, vou melhorar porque você está aqui comigo. – ele riu e me abraçou.

- Que carente que esse meu namorado é. – beijei ele, eu o amava.

- Muito. Falando nisso, quero carinho.

- Ai meu Deus. – ri e comecei a fazer carinho e seus cabelos, braços e peito. Ficamos assim até ele dormir, depois de um tempo eu também adormeci.

/Jaz