00´s

Não quero ter alguém simplesmente para dividir uma cama, para aproveitar uma noitada, nem para dividir uma bebida. Quero alguém para dividir meus problemas, para acalmar minhas crises, para dividir um pacote de pipoca de manteiga enquanto assistimos um filme repetido, em uma tarde chuvosa e tediosa demais. Não quero alguém que me faça correr para o ombro da minha amiga, me debulhando em lágrimas e soluços, quero alguém que me faça chorar de rir, que faça com que eu perca o ar com um beijo. Quero alguém com quem dividir as coisas mais insignificantes do dia, e para viver momentos que ficarão gravados permanentemente em mim. Alguém que faça com que me sinta especial, que não se canse de me elogiar, que não se canse de dizer o quanto me ama. Quero alguém que sinta minha falta, que me ligue dizendo que está com saudades dos meus beijos, dos meus carinhos, até das brigas, que me quer ao seu lado de qualquer maneira, com qualquer humor. Quero alguém que entenda que hora sou barulhenta e escandalosa e outra sou calma e silenciosa, que sou constante e as vezes irregular. Que as montanhas do meu eu são tortas, mas que por trás de toda ‘imperfeição’ existe alguém que se importa. É isso que necessito em você. Não espero todos os dias por um homem que apareça, me leve até o céu, e depois corte as minhas asas me fazendo cair no chão. Não espero por alguém que me faça sorrir, mas depois me faça chorar. Não quero, de forma alguma, alguém que me peça tempo. E desapareça. E ai, quando eu tiver perdido as esperanças, você aparece, meio sem graça, me pedindo pra voltar. Não. Eu não quero. Eu não preciso. Já basta todas as minhas complicações. Já basta as minhas irritações. Quero alguém que acalme todas as minhas crises de nervo. Alguém que me traga um pote de sorvete, em um dia qualquer, apenas por querer me surpreender. Quero estar completa, me amando, para estar pronta, quando esse alguém vier. E eu estarei pronta para oferecer todo meu amor, mesmo que desajeitado, mas o meu amor. E olha, quando esse dia chegar. Eu vou sorrir tanto. Que as pessoas na rua vão notar e perceber de alguma forma, que eu encontrei você.
—  Escrito por Paula, Ana Letícia, Amanda T. e Anelise em Julietário.