*tcd

quando a gente termina um relacionamento, a gente sente falta de como a pessoa nos fazia sentir
mas
não é necessariamente dela.

explico: a gente sente sim saudade daquele ser humano com quem um dia fomos capazes de prometer uma eternidade utópica.
mas às vezes essa pessoa já não existe faz tempo, às vezes ela nunca existiu (era só projeção)

a gente sente falta do que ela fazia. seu corpo sente falta da sensação da presença dela
sabe, o amor é isso.
quer você queira aceitar ou não. no seu íntimo, o amor é a sensação boa que alguém te causa
sei que soa meio insensível isso

mas términos são crises de abstinência
e é importante que se dê conta disso.
teu cérebro tá confuso tentando entender porque perdeu a fonte de tanto prazer emocional
e ele vai fazer de tudo pra te-la de volta, mesmo que aquela relação já não estivesse te fazendo bem em tantos outros aspectos

a graça? vai passar
porque todo seu corpo vai se acostumar àquela ausência
seu cérebro vai entender que vocês precisarão encontrar outro ponto de satisfação

minha dica?
faça de si mesmo esse ponto.
come um brigadeiro, faça uma bebida quente, se dê algo de presente

o amor é lindo, mas é químico
reações se findam para darem início a novas

vai passar

desistir é tão heróico. dizer a verdade crua. fugir, pra não machucar. poupar a dor da insistência. desejar a liberdade acima do amor. se isso te torna covarde, que bom. antes um covarde assumido do que alguém que insiste em relações tóxicas/unilaterais. caio f abreu já dizia: “tem coisa mais autodestrutiva do que insistir sem fé nenhuma?”. não se trata de romantizar o “ir embora”, mas sim de saber que nem tudo é sobre permanência.

tcd.