*ness

Philip Francis Rizzuto was born on September 25, 1917 in Brooklyn, New York. “Scooter” played for the Yankees for 13 years, was a 5X All Star and was named 1950 Player of the Year and AL MVP. Ted Williams once said, “if the Red Sox would have had Phil we would have won all those pennants.”

Check out the Phil Rizzuto jerseys available on our website.

A Monster Calls

Alternative poster for A Monster Calls (Un Monstruo Viene a Verme), a film by J.A. Bayona.

Digitally painted, assembled and textured in Photoshop, using promo pictures as reference and photos for textures and background.

More info: http://lauraracero.com/portfolio/a-monster-calls-un-monstruo-viene-a-verme/

whatwouldcaptainamericado  asked:

Hi my name is Ebony Dark'ness Dementia Raven Way and I have long ebony black hair (that's how I got my name) with purple streaks and red tips that reaches my mid-back and icy blue eyes like limpid tears and a lot of people tell me I look like Amy Lee (AN: if u don't know who she is get da hell out of here!). I'm not related to Gerard Way but I wish I was because he's a major fucking hottie. I'm a vampire but my teeth are straight and white. I have pale white skin. I'm also a witch, and I go to a

STEF

talvez eu chore. não um choro de tristeza, nem de desespero. um choro calmo, repleto de melancolia, com sinais de quase felicidade, pré-felicidade. um choro calmo, por estar nesse estado de não aflição, não transtorno. apenas uma paz pálida, com cheiro de serrapilheira, chuva no final de tarde, café na varanda, a paz do aconchego do colo da pessoa amada, a paz do autoconhecimento, autoconfiança. 

na verdade eu tenho um pouco de medo ainda. nesses dias sem grandes tristezas, sem os dias que me eram tão comuns. devo acreditar nessa suposta felicidade? meu medo é que eu descubra que é uma ilusão, e de repente me deparar com um buraco escuro tentando me engolir. 

despetala-se

tristes são os caminhos dos homens,
nunca chegaremos a um acordo.
há muito coração nesse abandono,
flores enfeitam o peito do homem morto.

as praças parecem mentira
e são: santo urbano mistério.
as calçadas futuram os limites
aos jovens, que calçam pretéritos.

o tédio nos olhos dos jovens
é a morte que o adulto não vê.
a culpa que assusta um adulto
é o pecado que o jovem não crê.

cínico é o destino da humanidade,
tem um vento encanado na sala.
fantasmas vandalizam tempestades,
e a flor, alada, se cala.

É engraçado como dói, dói e ninguém sente, ninguém vê. Dói no meio da festa, do show, da conversa com os amigos. A vontade de chorar é triplicada a todo o vapor e as vezes olhar pra cima não é mais o suficiente. Queria que essa dor desacelerace, porque tenho tanto medo dessa agonia toda aqui dentro, nesse ritmo que só faz me sentir enjoada e mal o tempo inteiro. É assim que me sinto todos os dias e ninguém vê, ninguém sente.
—  Estrebias

one time in one of my philosophy classes my professor was referring to an object as “object b” and described it as having a property he called “b-ness” but all i could think was “benis” and it was so so hard not to just burst out laughing

Tudo bem, desta vez estou certa. É isso o que eu quero, é por esse caminho que eu vou. Bem, é o que eu penso até um sentir como se fosse um desvaneio que me faz mudar todo o meu conceito e me pergunto, porque todas essas duvidas? Estava tudo certo hoje mais cedo, eu estava convicta, estou.. estava, não sei. É impossível estar dividido em partes desiguais, nesse jogo quem sai perdendo?