*mine:may

Londres, 1992.
Desculpe-me por mandar essa carta, mas eu estou com saudades. Eu sei, eu vim porque eu quis, mas eu não poderia deixar uma oportunidade dessas escapar. Você sabe como eu sou apaixonada pela Inglaterra e o quanto desejava vir para cá. As semanas viraram meses e eu soube que você está com outra pessoa. Eu não consegui acreditar. Você prometeu tantas coisas, meu anjo, e acabou ficando com a primeira que apareceu. Eu estive olhando a única carta que você me mandou, lembra? Você dizia que ia me esperar e que casaríamos assim que eu voltasse, mas você não cumpriu sua promessa. Sabe eu já visitei toda Inglaterra e aqui é maravilhoso, mas a cada esquina que eu dobro eu penso em você. Penso em como segurava minhas mãos, como me fazia sorrir mesmo que não quisesse, como eu não conseguia tirar os olhos de você… Como a gente ria deitados no gramado da sua casa. Meu coração ficou com você quando entrei naquele avião, deixei todo meu amor no aeroporto. Desde que soube que você seguiu em frente eu tento te esquecer, mas eu preciso de você. Iríamos viver um “felizes para sempre”. Digo isso, pois acreditei que teríamos o nosso “pra sempre”. Você não imagina como foi difícil pra mim quando descobri que tinha me tornado só mais uma página virada em sua vida, eu fui com toda a certeza de que você iria me esperar, como eu te espero até hoje. Não acredito que você me esqueceu tão fácil assim, se jogou nos braços de outra enquanto me enchia de esperanças. Conheci cada cantinho daqui, cada lugar; e cada momento que passo imagino você ao meu lado, me fazendo cafuné, cuidando de mim como sempre fazíamos, cuidávamos um do outro, meu bem . Você era minha ancora, meu porto seguro, e na primeira oportunidade fez com que suas promessas fossem embora aos ventos, ou melhor, com as águas. E devem ter sido águas calmas e profundas, pois me afoguei no teu desinteresse, me afoguei na esperança de ter-te comigo como jamais quis deixar-te, mas vejo que foram esperanças vãs, fajutas. As promessas que fizemos agora já não valem mais. E essa minha viajem de volta parece ter sido um completo erro, uma lástima, e parece não fazer sentido algum. Eu imaginava este momento como em um filme antigo, onde eu saía da multidão no aeroporto e corria para teus braços, esse braços que tanto conheço, que tanto me aqueceram. Mas nada disso irá acontecer não é?! Não, nada disso. Mas, enfim, não irei carregar rancor, apenas a vontade de no final acabar ficando com alguém melhor que você, com alguém que cumpra promessas e que me espere, como um dia eu te esperei.
—  Escrito por MayaraJasmyne e Paula em Julieta-s.

I stayed up all night in April
reading every single conversation
we had
wondering when did you stop
loving me?

I cried all night in May
wondering
why did you leave?
when you always
promised to
stay?

I spent all of June kissing
boys whose lips
tasted like whiskey
and stale cigarettes
because you left
me
empty

—  Three months