*a vontade

Seu corpo colado ao meu. Nosso suor escorrendo no corpo um do outro. Nosso cheiro, nosso amor. Nossas respirações ofegantes, a vontade e o prazer exalando em nós. Sussurros, gemidos e arranhões. Tesão, amor, prazer, vontade, desejo, você, eu. Nós.
—  Meu pequeno infinito.
Eu percebi que as lições espirituais mais profundas não são aprendidas quando [Deus] nos deixa ter tudo o que queremos no final, mas quando Ele nos faz esperar, suportando-nos em amor e paciência até que sejamos capazes de honestamente orar o que [Jesus] ensinou Seus discípulos a orar: Seja feita a Tua vontade.
—  Elisabeth Elliot, citada por Francine Veríssimo em “21 dias com minha amiga Elisabeth”
Se eu te dissesse que meu coração dói tanto, às vezes, que tenho vontade de arrancá-lo com minhas próprias mãos, eu despencaria. E não tenho tempo para despencar.
—  Grey’s Anatomy.
Olha, eu sei que o barco está furado e sei que você também sabe, mas queria te dizer pra não parar de remar, porque te ver remando me dá vontade de não querer parar de remar também.
—  Caio Fernando Abreu.
Não quero que esse mês seja vermelho como o sangue de quem não consegue mais gritar silenciosamente por ajuda. Não quero que seja preto como o luto por uma vida que teve seu fim antes mesmo de começar. É um sentimento que consome o corpo, a mente e a alma. É mais forte do que qualquer coisa, e por isso precisamos estar atentos em detalhes que muitas vezes deixamos passar por acreditar ser mais um drama adolescente, ou como a maioria diz “ é só frescura”; “Só quer chamar atenção”. NÃO! CHEGA! Chega de dizer adeus a quem nem teve sequer tempo de se despedir, a quem teria talvez um futuro brilhante e por falta de ajuda, deixou o desespero e a angustia de viver tomar conta. Está na hora de pararmos de justificar os motivos, está na hora de fazer a diferença, mudar, ajudar e salvar. Está na hora de deixarmos nosso egocentrismo de lado, parar de olhar nossos próprios umbigos e cuidarmos do próximo. Resgatar, cuidar e amar o próximo. Não precisa de muito para ajudar alguém nessa situação. Lembre-se sempre: não é frescura, converse com a pessoa. Pergunte como foi o dia dela, insista em saber se está realmente bem. Não espere o inesperado para mudar a vida de alguém. Seja humano, de corpo, alma e coração. Seja para o outro um porto seguro…estenda a sua mão. Distribua sorrisos e flores em vida, pois o amanhã pode ser tarde, e acredite, elas enfeitam muito mais a alma do que uma triste despedida de um irmão. Você pode mudar o dia de alguém com palavras, ou um abraço sequer. Essa moda atual de esnobar é a pior coisa que criaram para sociedade. Não esnoba não. Se importa sim. Pergunta se tá bem, insiste, diga que ama, arranque sorrisos, faça pequenos gestos que em conjunto fazem um bem maior. Não largue as pessoas de lado, como se só você importasse. Amar o próximo não é uma demonstração de fraqueza, ajudar não é uma vergonha. Mude o dia de alguém!
—  SETEMBRO AMARELO - Escrito por Lucas, Kellyn, Anelise, Kíssila, Lidiane e Isadora M. em Julietário.