'47

3

SKS-D with Albanian spike bayonet. This was imported without a bayonet and a pin in the lug hole. No threads. So I cut the pin out and put this bolt in. Replaced the bolt carrier with a black Russian one that I had sitting around and put an extender on the back. It looks better with a bayonet.

Capítulo 47 - Seguindo seus passos (NRA)

A primeira noite no apartamento foi bem cansativa. Por mais que tenham recebido ajuda de toda a família, a maioria do que tinha que ser guardado dependia do aval deles. Mas toda a canseira valeu a pena ao olharem como tudo estava lindo.

- Me lembra de nunca mais falar em mudança. – Rodrigo dizia ao sair do banheiro depois de um banho demorado. – Ju? – ela não estava no quarto.

Rodrigo achou que talvez ela estivesse atacando a geladeira à procura das comidas que Ana e Cris haviam trazido, mas assim como o quarto, a cozinha estava vazia. Depois de olhar na sacada, Rodrigo já começou a acreditar que ela devia ter saído sem lhe avisar. Só restava o quarto que seria um escritório e o de Ana Júlia. Preferiu ir primeiro no quarto da filha, já que o outro estava temporariamente impossibilitado de ser habitado, devido a bagunça guardada lá.

Assim que abriu a porta branca que dava acesso ao quarto em tons brancos e amarelos, Rodrigo pode ver Juliana sentada no chão, cercada por pequenos sapatinhos, roupinhas minúsculas e nas mãos uma caixa cor de rosa que havia sido dada por sua mãe.

Ao se aproximar, Rodrigo pôde perceber que lágrimas ainda tímidas tomavam conta dos traços delicados do rosto de sua namorada. Dor? Tristeza? Ele não soube identificar o que aquelas lágrimas queriam expressar. Se agachou lentamente para não assustá-la. Então, pegou em seu ombro querendo avisar que estava ali pronto para dividir com ela qualquer coisa que estivesse sentindo.

- Me procurando? – falou após um leve fungado.

- Estava. – sorriu fraco – Posso ficar aqui com você?

- Uhum… Aqui tem um cheirinho tão bom…

- Que caixa é essa? – perguntou colocando a mão sobre a caixa que Juliana tinha no colo. – Que tem nela?

- Lembra que quando eu perdi o bebê minha mãe me deu um presente? – Juliana se virou ficando de frente para Rodrigo.

- Lembro. Eu até estranhei nunca você ter comentado o que era comigo.

- É porque não era só meu. – falou entregando a caixa a Rodrigo.

- Então por que foi entregue somente  a você?

- Talvez por ser menos curiosa do que você. – o olhou terna

- E o que tem nessa caixa? – quis saber já tomado pela curiosidade

- Vamos descobrir juntos? – falou vendo Rodrigo sorrir como um menino prestes a descobrir um tesouro.

A tampa da caixa foi deixada ao lado das pernas de Rodrigo e dentro dela havia algo coberto por um papel fino e delicado, mas que mesmo assim impedia a descoberta.

- Será que sua mãe estava de sacanagem e a gente vai ter que abrir inúmeras caixas até achar uma minúscula? – Rodrigo estava impaciente.

- Isso seria a morte para você, né? – riu – Ô criatura curiosa!

- Ju, deixa eu ver logo o que é. – nem ligou para a provocação de Juliana.

Conforme Rodrigo desembrulhava, Juliana via o objeto em suas mãos tomar forma e já desconfiava do que se tratava. Era algo que sempre teve curiosidade de ver, mas que a mãe sempre disse que o momento certo ainda não havia chegado. Seus olhos brilhavam como uma chuva de estrelas cadentes.

- Olha isso , Ju! – Rodrigo mostrava um pequeno livro de páginas amareladas pelo tempo.

Naquelas páginas , aos poucos eles foram descobrindo que estava a história de vida de Juliana. Lá Maria Cristina contava seus medos e anseios por uma gravidez precoce e inesperada. Detalhe desconhecido até então por Juliana. Passando rapidamente a vista entre as folhas, Rodrigo percebeu que assim como eles, os pais de Juliana também haviam perdido um filho com poucos meses de gestação. Era incrível como a história de vida passava de mãe para filha. Era inevitável não acreditar que o destino era traçado desde o ventre. Isso o assustou.

- Rodrigo? – Juliana olhava encantada um pequeno saquinho com uma mecha loirinha dentro. – Meu cabelo.

- Amor, ela escreveu algo aqui – mostrou uma páginas apenas com “ Sua história continuará aqui”

- Será que serei capaz de ser a mãe que a minha é?

- Seremos os pais que fomos acostumados a ter. Erraremos muito, é verdade, mas tenho certeza que parte desses erros serão apenas ensaios para grandes acertos.

- Com vocês e por vocês – Juliana tinha uma mão na barriga e a outra no rosto de Rodrigo. – Eu sou capaz de tudo. Tudo.

 

“Viver é melhor que sonhar, 
Eu sei que o amor é uma coisa boa “

_______________________________________________________________

Beijos

10

[VILLAIN] Jadeite.

Series: Pretty Guardian Sailor Moon

Kana: ジェダイト
Romaji: Jedaito

Role: Major villain
Type: Humanoid
Alignment/Organization: Dark Kingdom, Earth Kingdom
First appearance: Act 1
Last appearance: Special Act
Status: Alive
Actor: Jun Masuo

TRIVIA

  • He is named after the mineral Jadeite.
  • Jadeite was the most loyal to Queen Beryl, who usually took him for granted.
  • While his character was defeated early on in both the manga and in the first anime, Jadeite was the last Shitennou to perish in the live-action series. All of the Shitennou returned in the Special Act, though.
  • Of all the Shitennou, he resembled his manga counterpart the most.
look at this shit

Originally posted by not-so-average-fangirl

Originally posted by just-a-little-old-fashioned-love

Originally posted by becaeffinmitchell

Originally posted by kendrick-wilde

Originally posted by chancelorqt

Originally posted by mattsgifs

Originally posted by fvckyeahannakendrick

Originally posted by jon-voight

Originally posted by just-a-little-old-fashioned-love

Originally posted by mattsgifs

Originally posted by amillionpercentdone

Originally posted by welcome2w0ndrland

Originally posted by sherralotz

Originally posted by nevermesswithmyotps

Originally posted by lifeisbechloe