원유

Às quatro e vinte da manhã, ela acorda e me vê sentado na varanda.
— Amor, o que tá fazendo aí? Nem amanheceu ainda.
— Lembra que noite passada seu pai falou que o nascer do sol daqui é diferente de qualquer outro, mais cheio de vida, mais exuberante, e tudo mais? — Sim, eu lembro. Mas por quê isso agora?
— Então, só queria saber se ele estava falando sobre o tempo e não sobre você.
— Ah, seu bobo. - ela me disse
Ela então pegou-me pela mão, o brilho do nascer nos guiara até a cama, fizemos amor, dormimos abraçados, e mais uma vez ela acorda, naquele momento pude ter certeza, de que o “nascer do sol” era ela.
—  Rennan Alves.
Oh my god, my mother is just like willa

I was watching the season finale of wynonna earp and she was asking me about the show, and she was like the crazy one is wynonna’s sister? and I said yes, and then she said and THE LESBIAN ? but she say it with such hate…like mom is the 21st century get over it.

Um desabafo sobre o feminismo.

Hoje, mais uma vez foi comprovado o quanto as pessoas perderam a noção do que é o feminismo. O feminismo não é em busca de direitos iguais para as mulheres? Então se a mulher quer ser dona de casa o problema é dela, se o marido tem condições de sustentar a mulher e é opção dela ficar em casa, ninguém tem nada a ver com isso e todo esse rebuliço porque disseram que a mulher é “bela, recatada e do lar” não tem o menor sentido. E gente, vamos ser muito sinceras, é muito raro achar mulher “recatada” hoje em dia, digo até mesmo me incluindo nisso. Enfim, só queria dizer que to de saco cheio desse feminismo barato e ridiculo que só serve pra causar barulho sem sentido e que coloca a mulher como se ela fosse obrigada a ter um emprego, a saber trocar uma roda de carro ou encher a cara! Mulher tem que ser o que ela quiser e bem entender, se ela quer ser dona de casa, que ela seja. Se ela quer ser médica que seja, se ela quer ser diplomata, que seja! Eu apenas queria que houvesse menos mimimi e mais luta digna e sensata pela mulher!

Era verão quando te conheci, o dia estava lindo, o sol brilhava, as aves voavam pelo céu, e você sorria para mim com um sorriso encantador, e confesso que foi o mais lindo que já vi. Quando te olhei nos olhos, minha alma sorriu, meu coração bateu acelerado, meu corpo inteiro tremeu, e foi aí eu soube que você era o tal “colorido” que faltava na minha vida preto e branco. Você foi o acaso mais lindo da minha vida, e eu sabia que não seria um lance de um dia só, e sim um romance pra vida toda. A partir de então, eu não me imaginava sem você, não me imaginava sem ser ao seu lado. Nosso romance nunca esfriou, sempre foi quente como um dia de verão e nem o frio do inverno conseguiu esfriar o que sentíamos.
Era outono, as folhas caiam laranjas em nossos pés enquanto andávamos juntos e suas mãos estavam sempre entrelaçadas com as minhas. Desde então eu não sabia o que era passar um dia sem tua presença e estou determinada a não saber. Mesmo quando você teve que partir ligeiramente, você ainda estava aqui, eu podia sentir, e quando voltou, era como se nada tivesse mudado e era quente como o verão de novo.
No inverno, estávamos abraçados na mesma coberta, em frente à lareira, e era seu corpo que me aquecia, mais do que o fogo que saia dela. Era noite quando eu te disse baixinho só para você ouvir, “eu te amo”, não cabia ao resto do mundo saber, você era meu mundo, você sabia e eu te amava.
Chegou a primavera, as flores começaram a florescer, as árvores começaram a dar os seus frutos, os pássaros voltaram a voar no céu, e isso significava que mais um ciclo de estações estaria por vir. E que o nosso amor resistiria ao verão, ao outono, ao inverno, e mais uma vez a primavera e seria assim durante anos, até o fim da vida. Os nossos nós ficaram cada vez mais fortes e nós derrubamos barreiras impostas por não entendedores do grande significado da palavra “amor”.
—  Diego Tavares e Thaís Augusto.