関根しおり

A vida tem desses dias em que o melhor que podemos fazer é “não fazer.” O silencio é uma potente arma que usada com cautela traz muitos benefícios, e as vezes causa alguns estragos. Hoje silencie-me, e me permitir ver o desenrolar das coisas, resolvi dá um pouco de crédito pro tal “destino” e deixei que ele fizesse a parte dele. Hoje só quero saber de descansar, pegar minha cadeira confortável e apenas observar.
—  Leandro Caetano.
Imagine Louis Tomlinson

Pedido: Faz um do Louis que ela é ex dele e tem problemas com a Danielle! Final feliz.

—————–


Eu já estava pronta, com o meu melhor sorriso enquanto muitos flashes eram direcionados para mim. Entrei no grande salão onde a cerimônia do Oscar seria realizada e fui de encontro com meus colegas de trabalho. Nós estávamos concorrendo à algumas categorias como o nosso filme, “Uma mulher de peso”, em que eu era a protagonista. 

Eu estava ansiosa para o início da cerimonia. É sempre lindo e emocionante, principalmente ver meus amigos ganharem prêmios por seus trabalhos brilhantes. 

Quando é dado o início, todos tomam seus lugares e prestam atenção em tudo que acontece. Quem apresenta esse ano é Leonardo DiCaprio, com quem já contracenei em um filme. ‘Estrelas Além do Tempo’ ganhou o prêmio de “Melhor Filme”, Chris Evans o prêmio de ‘Melhor Ator’ e agora seria a categoria que eu estava concorrendo; “Melhor Atris”. Eu estava concorrendo com vários nomes, como Emma Stone, Demo Moore, Scarlett Johansson e Danielle Campbell, a atual do meu ex. 

Eu namorei o Louis por quase dois anos. Nós terminamos há uns 8 meses e ele está com ela no momento. Desde que eles começaram a namorar, Danielle mudou completamente seu comportamento comigo. Nós nunca fomos amigas íntimas, ok. Mas ela sequer olha na minha cara hoje em dia. Ela já tentou criar discussões comigo, do tipo dizendo que ela é melhor do que eu e coisas assim. Eu apenas ignoro e finjo que nem é comigo. 

DiCaprio abre o envelope e anuncia a vencedora dessa categoria. 

- S/N S/S, “Uma mulher de peso”. - fico em choque por escutar meu nome e todos começam a aplaudir. 

Me levanto, cumprimento meus colegas de filme e subu no palco indo buscar minha estatueta dourada e brilhante. Cumprimento Leonardo, faço meus agradecimentos e volto a me sentar. Sinto os olhares raivosos de Danielle sobre mim, mas ignoro. 

Ganhamos mais alguns prêmios pelo nosso filme; e, no fim da noite, estamos com 4 prêmios em mãos. Eu não poderia estar mais feliz. 

Ao chegar na festa pós-Oscar, vejo Louis vir até mim. 

- S/N! Parabéns pelos prêmios! - ele me abraça. - Você está linda! - sinto minhas bochechas corarem. 

- Obrigada! - sorrio.

- Você merece! O seu filme é realmente maravilhoso! - ele sorri e eu faço o mesmo. 

Ficamos ali conversando sobre tudo, nossos trabalhos, nossos planos, nossas vidas pessoais. É sempre bom poder conversar com ele. Lá pelas tantas, vejo Danielle se aproximar de nós completamente furiosa e eu me arrependo mentalmente de ter ficado ali com ele. 

- Qual é a sua, garota? - a encaro sem entender. - Ele é meu namorado agora, você não tem que ficar de papinho pra cima dele. 

- Danielle, ele veio apenas me parabenizar pelo prêmio e ficamos conversando sobre nossos trabalhos. - expliquei. 

- Ah, o prêmio que você roubou de mim. - ri sem humor e sem acreditar no que ela acabara de falar. 

- Eu não roubei nada. Foi uma votação, eu eu fui a que recebi mais votos. Apenas isso. 

- Olha aqui, garota. - ela apontou o dedo para mim. - Fica longe do Louis, ouviu bem? Não adianta você querer se jogar pra cima dele, ficar de conversinha. É um último aviso. - solto uma risada. 

- Eu não vou ficar aqui ouvindo isso. Tchau, Louis. Boa festa pra você. - sorrio para ele e vou para o lado oposto do que eles estão.

***

Se não bastasse o que ela havia feito no Oscar, ela começou a jogar indiretinhas para mim nas redes sociais. Eu já estava me irritando com essa atitude dela. Quantos anos ela tem? Cinco?

Toco a campainha da porta na minha frente e espero ser aberta.

- S/N? - pergunta confuso e surpreso.

- Oi Louis…

- Entra… - ele da espaço e eu entro. - O que foi?

- Será que eu posso falar com a Danielle?

- Ela não está aqui… 

- Ela demora pra voltar? Eu realmente preciso falar com ela. 

- Ela não volta pra cá, S/N. Nós não estamos mais juntos. - agora quem está confusa e surpresa aqui sou eu. 

- Não? - ele nega.

- Eu me cansei desse jeito dela, sabe? - nos sentamos no sofá. - Ela é completamente louca, possessiva. E aquilo que ela começou a fazer no Oscar e depois foi a gota d’água. 

- Então é por isso que ela ficou falando aquele monte de coisas sem sentido… 

- É… - ele concordou. 

- Ok… Então acho que eu já vou indo… - digo indo em direção da porta, mas ele segura meu braço.

Me vira pra ele e me encara por alguns segundos e, sem que eu pudesse fazer alguma coisa, ele me beija com vontade. Num primeiro momento eu me assusto e não correspondo. Mas, quando ele segura minha cintura com força e mordeu meu lábio inferior, eu correspondo com a mesma intensidade. 

- No fundo, ela sabe que nunca deixei de gostar de você. - disse sopra em meus lábios. 

Eu encaro seus olhos azuis brilhantes e prendo seu lábio inferior no meio dos meus dentes. 

- Eu acho que posso dizer o mesmo. - ele sorri grandemente.

- Era o que eu precisa ouvir! - me beija com mais intensidade que antes, me prensando na parece. 


[…]

Não é sobre ter todas as pessoas do mundo pra si, é sobre saber que em algum lugar alguém zela por ti. É sobre cantar e poder escutar mais do que a própria voz, é sobre dançar na chuva de vida que caí sobre nós. É saber se sentir infinito num universo tão vasto e bonito, é saber sonhar e então fazer valer a pena daquele verso daquele poema sobre acreditar. Não é sobre chegar no topo do mundo e saber que venceu, é sobre escalar e sentir que o caminho te fortaleceu. É sobre ser amigo e também ter morada em outros corações e assim ter amigos contigo em todas as situações. A gente não poder ter tudo. Qual seria a graça do mundo se fosse assim? Por isso eu prefiro sorrisos e os presentes que a vida trouxe pra perto de mim. Não é sobre tudo que o seu dinheiro é capaz de comprar e assim sobre cada momento sorrindo a compartilhar, também não é sobre correr contra o tempo pra ter sempre mais. Porque quando menos se espera a vida já ficou pra trás. Segura teu filho no colo. Sorria e abrace teus pais enquanto estão aqui. Que a vida é trem-bala, parceiro e a gente é só passageiro prestes a partir.
—  Ana Vilela.
O seu problema sempre foi esse. Não importava quem estivesse ao seu lado, você só queria manter o status de “eu tenho uma mina/namorada”, mas você nunca levou isso a sério como ela. Tudo o que você queria era um prato de comida na mesa feito por sua mãe e uma noite de sexo com a tua “namorada”, que você mal fazia papel de homem dentro de casa. Era aqueles caras mimados que corria para a mãe quando precisava de dinheiro para comprar roupas e relógios caros. O seu status era esse, manter a pose.
Você fez exatamente como os ex’s dela, agiu como um bobão que se achava o Don Juan e que só estando com você a mulherada já ficaria satisfeita. Até que você com essa vidinha de merda, só se preocupando consigo mesmo fez a tua “namorada” cansar. É meu, caro. Você conseguiu. Enquanto você pagava de bonzão para os teus amigos, ela só queria atenção.
Hoje você vê que perdeu alguém que se importou demais, que lhe deu assistência demais, até que no final ela se cansou demais dessas suas atitudes.
Até hoje você ainda se lamenta e sabe que os conselhos daqueles que você chamava de “amigos” estavam de olho nela há tempo e como te conheciam tão bem, fizeram do seu ego o teu pior castigo.
Perdeu.