連雀

Eu nunca amei ninguém como​ eu amei você

Em todo tempo que me dispus a estar com você eu fui completamente seu. e Deus como eu amei cada segundo da nossa história. deitar na cama e te ouvir falar por horas e horas e sentir que estava aproveitando ao máximo a minha vida porque cada segundo passado com você era inexplicavelmente extraordinário. digno de ser a melhor coisa da minha vida. e foi. e é. é a minha história a ser contada. todas as vezes em que tive a chance de te sentir pegar no sono, eu nunca disse, mas me fazia ter vontade de dormir junto e não mais acordar. sempre imaginei minha morte como uma dor incalculável, mas morrer com você nós braços parecia surreal demais. ainda lembro da sua voz. das músicas que me cantava e que me pedia pra cantar. elas ainda são minhas preferidas. ainda lembro dos teus bichos e de como era engraçado você chamando a atenção deles. ainda lembro dos teus medos e de como você os esquecia quando eu te abraçava forte. minha alma não cabe mais em mim depois de ter se encaixado em você. tudo bem se você hoje me odeia. tudo bem se tudo que sente for raiva. eu não entendo como mereci tudo isso sendo a pessoa que mais te quer o bem. mas sei que nunca vou ter respostas, é só o que é e fim. sei que você está focada em outro amor, em outras coisas que me parecem divertidas de longe, e me faz ter saudade de quando nos divertiamos com as nossas. tá tudo bem. eu quero muito que você tenha isso e muito mais. ao contrário de mim, você ainda tem tanta coisa boa pra sentir, tanto motivo pra se entregar. invejo sua sorte. eu não tenho mais rancor, não sinto mais tanta necessidade da sua presença. ainda tenho resquícios do nosso amor partilhado a intensidades absurdas. e isso me basta. não vou mais te procurar nas pessoas. nem nas poesias. não vou mais atrás de informações. eu finalmente aceito o fim.

Entendi que dar amor, carinho, afeto e atenção não é errado. Não é pecado dar ao outro aquilo que você gostaria de receber. No fim, é só o seu jeito. É só você sendo você mesmo. Se o outro lado, se a outra parte, não sabe receber afago, que ela lide com suas próprias frustrações. Não adianta mudar nossa essência por algo que não deu certo, por alguém que não vale a pena.
—  No Meio do Caminho Tinha Um Amor.

eu queria que você me dissesse que sabe como é estar nesse transe de longos dias, e que tudo bem. mas não diz
não diz nada
e eu também não digo. porque dizem que a gente acostuma à morder constantemente sem assoprar
hoje eu observei outra amizade se esvair e é cansativo, não é?
você só não foi porque a rotina ocupa 90% do seu tempo
mas eu fui e sem bilhete sem lembretes sem rodar a chave nos dedos e sem até logo.

Imagine Harry Styles

Pedido: “Poderia fazer um do Harry em que eles são casados e tem filhos só que ela acha que os filhos não gostam dela porque sempre pedem ajuda ao pai e ela começa a ficar com depressão e no final tudo se resolve pode fazer bem dramático”. - Anônimo.

  • Ok, já aviso que talvez não tenha ficado tão dramático quanto você esperava… Desculpe; mas espero do fundo do coração que você goste!

******


Hoje era o dia mais esperado da semana, tanto pelas crianças quanto por mim. É o dia que passamos juntos em família. Desde a hora que acordamos até quando vamos dormir. 

Tanto o trabalho do Harry, quanto o meu, são muito puxados. A diferença é que eu consigo concentrar a maior parte dele em casa. Já ele não. Ele viaja muito  a trabalho, o que diminui um pouco nossa convivência. 

Então, estipulamos que sempre, sempre, o domingo é o nosso dia; é o dia de ficarmos todos juntos. E procuramos sempre fazer o que as crianças gostam. 

Estávamos no parque, elas estavam brincando e eu e Harry estávamos sentados, os observando de longe. 

- Meu tênis desamarrou. - Henry, de 7 anos, falou chegando perto de nós.

- Vem aqui que eu amarro! - falei sorrindo, mas ele negou com a cabeça. 

- Eu quero que o papai amarre. - Harry sorriu e amarrou o cadarço do tênis dele.

- Papai, papai! Olha o que eu achei! - Crystal, de 5 anos, veio correndo e se jogou no colo do pai; o mostrando uma joaninha em sua mão. 

- Que lindo, meu amor! - a pegou em seu colo. - E o que você vai fazer com ela? - ela levantou os ombrinhos, mostrando que não sabia. 

- Que tal devolver ela pra família dela?! - disse sorrindo e ela fez cara de manha e deitou a cabeça do peito dele. 

- Mas, papai, eu quero ficar com ela! - fez bico e Harry riu. 

- Mas, filha, ela tem que ficar com a família dela! Você ia gostar que te tirassem da sua família? - ela negou. - Então… - ele sugeriu e ela se levantou e colocou a joaninha na grama. - Isso mesmo! Essa é a minha menina! - beijou a bochecha dela e ela deu uma gargalhada gostosa. 

**

E assim foi o resto do dia. Tudo que as crianças iam fazer, recorriam ao Harry. Tudo. Ficaram no encalço dele o dia inteiro, sem desgrudar nem sequer para tomar banho. 

Era sempre dessa forma. Sempre que ficávamos todos juntos, eles ficavam mais grudados no Harry. Só queriam ficar com ele. Eu ficava sim triste com isso. Poxa, era o nosso dia juntos, nós 4. Mas parece que eles só queriam o pai…

Eu sou a que mais passa tempo com eles. Desde que acordam para ir à escola, até o ballet e o futebol da tarde, ajuda com a lição de casa… Tudo. As vezes parece que eles não me ama… 

Pode ser besteira e ridículo da minha parte. Mas é exatamente assim que eu me sinto com isso tudo. 

Harry conseguiu adiar algumas viagens e, naquela semana, ele ficou o tempo todo por perto. E Henry e Crystal grudaram nele novamente.  E eu comecei a me distanciar um pouco… 

Involuntariamente. Mas aconteceu. Não teve muita coisa que eu fizesse para evitar. Harry percebia meu distanciamento e sempre me perguntava se estava tudo bem. Mas eu sempre respondia que estava meio indisposta. 

**

- Agora nós vamos conversar, e muito sério. - ele disse entrando no quarto e fechando a porta. - O que está acontecendo com você?

- Nada, Harry… Só não estou me sentindo muito bem nos últimos dias… 

- Então vamos ao médico. 

- Não. Médico nenhum resolve o que eu tenho…. - disse baixo; não não o suficiente para que ele não escutasse. 

- Então me conta! - disse pertinho de mim, fazendo um carinho na minha bochecha. Automaticamente lágrimas começaram a escorrer pelo meu rosto. Ele apenas me abraçou forte. - Você está distante da gente, não brinca mais com as crianças como antigamente, e mal conversa comigo… O que há com você, meu amor? Me fala, eu quero te ajudar. 

- É que… eu.. eu.. - respirei fundo. - Eu sinto que nosso filhos não me amam, não gostam de mim. 

- E por que você acha isso? – me encarou e eu dei de ombros.

- Ah, Harry, elas são bem mais ligadas a você do que a mim. Quando estamos juntos, eles preferem ficar grudados em você, pedem tudo para você… Eu me sinto excluída, e sinto que ele não gostam de mim como gostam de você. – ele sorriu e secou algumas lágrimas que escorriam pelo meu rosto.

- Não é nada disso, pelo amor de Deus. Nunca mais pense uma coisa dessas. – segurou meu rosto com suas mãos. – É claro que eles te amam. Amam tanto quanto amam a mim.

- Não se é bem assim…

- Amor, eles só ficam mais comigo quando estamos juntos porque quase nunca estou com eles. Você passa o dia inteiro, a semana toda com eles o tempo todo. Você faz tudo por eles. Já eu… eu estou sempre viajando, quando chego em casa eles já estão dormindo… A questão é que eles sentem falta da minha presença.

- Eu não tinha pensado nisso… – ele sorriu doce. – Você deve me achar uma boba. – ele riu e me abraçou.

- Talvez um pouco. – ri. – Mas eu já senti isso… – o encarei. – Mas dai eu comecei a pensar melhor e vi que era uma viagem da minha cabeça. – sorri. – Eu não quero mais te ver assim por isso, entendido? – assenti e ele beijou minha testa.

- Obrigada!

- Mamãe? – olhei para a porta e vi Henry e Crystal ali. – Você tá chorado, mamãe?

- Não é nada, já passou! – sorri e eles sentaram no meu colo.

- Não chora mamãe, a gente te ama. A gente tá aqui. – Crystal falou passando sua mãozinha gordinha no meu rosto. Harry me olhou com a sobrancelha arqueada e eu sorri. Parecia que eles sabiam o que eu estava sentindo.

- Eu também amo vocês!


**

Educada, grossa, gentil, doce, amarga. Apaixonada, desapegada, encantada com doses de amor injetada na veia. Frágil, forte, sensível, indestrutível. Confusa? Talvez, bagunça, cansada. Naufraga sobre as desilusões da vida. Se apega ao pouco, sonhando com o muito, querendo o impossível. Ela é do jeito que é, e é na confusão que ela se encontra.
—  Géssica Ferreira
Eu detesto a ideia de que Deus precisa fazer algo para mim, com a ideia de que assim, eu farei algo para Ele, que Ele fazendo algo, eu o amarei. Eu o agradeci ontem e uma pessoa me perguntou “ O que Ele fez agora?” Nós precisamos de motivos para adorar a Deus? A resposta é não. Deus é digno de toda nossa adoração, literalmente o tempo todo e todos os dias. Eu poderia estar me afogando em tristeza e ainda sim estaria dando a Ele louvores. Eu já fiz isso antes e continuarei fazendo. Deus não deve nada para nós,porque Ele já nos deu tudo.
A saudade é tão forte que é um sentimento quase físico. Não é só uma memória. Não são apenas pensamentos. São mãos que apertam o peito, a garganta, que cutucam os olhos só pelo prazer de ver as lágrimas jorrarem feito cachoeira.
—  No Meio do Caminho Tinha Um Amor.

quando vedo i liceali dai finestrini del tram mi parte una fitta di invidia perché per me son tutti diciassettenni, quando possono pure avere quindici o diciotto anni ma per me han tutti la stessa età, quella beata età in cui non devi decidere nulla e puoi fare un po’ quello che vuoi, perché ormai non sei più minorenne ma allo stesso tempo lo sei ancora ed esserlo ti copre, detta brutalmente ti para il culo. se sei parte di una famiglia abbastanza normale, intendo. comunque mi nasce questo sentimento marcio quando vedo i ragazzini che tornano da scuola e stanno nei gruppetti e parlano delle interrogazioni e di quello che ha preso un voto migliore ma non se lo meritava etc. che poi pure all'università é cosí, certe cose proprio da film dell'orrore ma il problema qual é? é che ormai si é adulti, si hanno responsabilità, doveri e tutto quello che fai, ora, esattamente in ogni istante che costituisce questo periodo, é per un ipotetico futuro. se a diciassette anni ti sembra di avere ancora tempo, con le persone che ti ripetono a intermittenza “capirai cosa vorrai fare” e tutte quelle cose, a vent'anni non puoi mica fare spallucce e dire “massì domani ci penso su”, ti sembra tutto dietro l'angolo. come quando mi fermo a pensare a come farò a pagare le bollette o a come farò a crescere dei figli. individio i liceali che stanno seduti al banco ad ascoltare le lezioni di un'ora, con gli stessi compagni di classe ogni giorno, le pause sigarette nei posti strategici, le interrogazioni sui capitoli, le verifiche, le vacanze piene di compiti. e soprattutto : qualcuno che decide per te lo trovi sempre a diciassette anni, ora no, ti devi arrangiare e non sarebbe poi cosí male, no, ma ho passato gli anni ad adattarmi, non a scegliere. non vorrei dire una cosa troppa grande ma probabilmente so adattarmi a tutte le situazioni, questo mi porta a cercare di stare bene un po’ ovunque ma a non stare mai bene, sono come un cactus che dove lo metti, lì sta e fiorisce pure, però poi muore. non so decidere per me, non capisco cosa devo fare, mia madre mi dice che la decisione che prendo é quella definitiva e non si torna indietro, io cerco di trovare i lati positivi e quelli negativi ma poi mi arrendo. invidio chi per un annetto pensa che non crescerà, è stato l'errore che ha fregato me.

A melhor parte do meu dia, sem dúvidas, era o finalzinho da tarde. Nós nos sentávamos na calçada em frente a minha casa, e eu a escutava falar com empolgação sobre os acontecimentos do seu dia. Ela sempre contava as melhores histórias, desconfio que exagerava
um pouquinho, só para me fazer rir. Confesso que de vez em quando me distraía enquanto ela falava, mas que culpa eu tenho se tudo nela
é tão interessante? É difícil me concentrar em outra coisa que não seja aqueles olhos cor de chocolate amargo, que são tão doces aos mesmo tempo. Ou naquela risada que faz meu estômago se contorcer de tanta felicidade. Mas essa é só a melhor parte do meu dia, a melhor parte da minha vida eu conto depois. E já adianto, começou no momento em que eu a conheci.
—  Jardim de Açucenas.
“Joana, com 17
namorando a mais de um mês
Já pagou até boquete
Mas sexo ela não fez
"Não quero putaria”
Falava o papai
Mas o namoradinho ria
Haha
“Não quero nem saber
Você vai fazer, se me ama
Só quero saber de papai
Com mamãe
Na minha cama”
No outro dia
O pai tava por baixo
A Joana também! Por baixo do namorado
Ela sendo despida
Ele pelado
E apesar de tudo que diziam
Ela sabia que não era um pecado
“Coloca a camisinha”
“Sem é mais gostoso,
É só reza pra Deus:
Ele benze o meu gozo”
Joana não queria, mas acabaram fazendo
Fizeram na fé
“Deus, eu fico te devendo”
Mas Deus não perdoou…
A pílula falhou!
Chazinho não funcionou!
Joana enjoou!
Será que engravidou ????
(Será, amor? Amor ?)
Namorado fugiu
Puta que pariu!
“ O que eu vou fazer?
Pra quem eu vou contar ?
Não quero esse filho, eu vou me matar!
Não…vou falar pra Maria, do salão
Ela vai entender a minha situação”
Joana contou os lances
“Não conta pra ninguém”
“Não conta pra ninguém”
“Não conta pra ninguém”
“Não conta pra ninguém”
“Não conta pra ninguém!”
Joana…
Todo mundo já sabe do seu neném!
“Vagabunda, engravidou na adolescência!
Na hora tava bom ?
Vadia sem consciência!
Olha lá? ela falou em abortar!
Abortar?
Será que ela pensou em se matar?
Assume (assume!)
Assume (assume!)
Assume (assume!)
Assume (assume!)
E lava esse teu perfume de vagabunda
Esconde essa buceta
Cobre essa tua bunda!
Cala essa boca e ANDA DE BURCA!”
Joana chorava,
Não tem mais ninguém
Tá pior que prostituta
Sem família, e com neném
E agora? E agora?
Papai vai me espancar
Mas ah, tem jeito
….
Mamãe me ensinou a tricotar.
Sangue e choro… No chão do banheiro morreu mais uma vagabunda
Aos olhos do Brasil inteiro
Aborto sem sucesso
País sem progresso
….
Me trás mais um chá de canela
Que a próxima vai ser a Gabriela.“
—  Karina Rangel

“E não nos cansemos de fazer o bem, pois no tempo próprio colheremos, se não desanimarmos”. (Gálatas 6.9)

Não importam quão ruins sejam as condições ou circunstâncias de sua vida, não desista! Apoie-se sempre na graça de Deus e não na sua própria capacidade de obter os resultados desejados. Em Gálatas 6.9 o apóstolo Paulo nos encoraja a simplesmente ir em frente!Não seja um desistente! Não tenha aquele velho espírito desanimado. Deus procura pessoas que irão até o fim por Ele. “Quando você atravessar as águas, Eu estarei com você; e, quando você atravessar os rios, eles não o encobrirão. Quando você andar através de fogo, você não se queimará; as chamas não o deixarão em brasas” (Isaías 43.2). Não importa o que você esteja enfrentando ou passando neste momento em sua vida, eu o encorajo a ir até o fim e não desistir! É fácil desistir, mas é preciso fé para chegar do outro lado.
-
Que está mensagem venha tocar seu coração, compartilhem!
Abençoe alguém hoje!
Jesus te ama…
-
📝Fala Deus @Roy.gregorio

Previsão

Você não entendia quando eu dizia que eu só sabia ser fim e nós dois já sabíamos como aquilo terminaria. Você não é vidente. Você falava e ria um pouco, acho que no fundo você também sabia como terminaria. Isso não é uma comédia romântica, não vai ter um final clichê e feliz. Seria um sonho, não é? Mas, querido, isso é a vida é real, e aqui raramente temos finais felizes.

Mera mudança não é crescimento. Crescimento é a síntese de mudança e continuidade, e onde não há continuidade não há crescimento.
—  C. S. Lewis

anonymous asked:

Nao sei oque pensar sobre o amor, entre um homem e uma mulher. Mesmo que esteja apaixonada por um homem temente a Deus, que tem mais do que tudo que eu peço em oração, eu tenho medo da dor, do sofrimento, de demostrar o quanto eu gosto dele. Medo do desprezo, de ouvir um "não" ou de ele já gostar de outra mulher. Eu não sei o que fazer. Estamos juntos no mesmo ministério e cada dia que passa eu gosto mais dele pelo caráter que ele tem, ele é diferente de tudo que ja vi, tem essência. E eu, medo.

1 Coríntios 13 - 4. O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. 5. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. 6. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. 7. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. 8. O amor nunca perece; mas as profecias desaparecerão, as línguas cessarão, o conhecimento passará. 9. Pois em parte conhecemos e em parte profetizamos; 10. quando, porém, vier o que é perfeito, o que é imperfeito desaparecerá.

Primeiramente ore, ore para Deus sobre esse sentimento, conte a Deus, se o Senhor confirma espera ele vir fala contigo, tenha paciência e confiança no que o Senhor te disse. E sobre ter medo, mano, quando é do Senhor sim você sabe que é totalmente diferente do que você já viu, e você vai sabe que Ele não é como as outras pessoas pq Ele é diferente, às vezes é normal em um relacionamento pq muitas pessoas vão falar do relacionamento e etc etc e se você não estiver bem o suficiente vai te afetar. Mas primeiramente confia em Deus, seja a mulher que um homem temente a Deus procura, seja por você, e não por um guri. Se transforme seja alguém que você sabe que não está com medo do amor, porque sabe que ele provém de Deus.

Compulsão é pior que qualquer término de namoro, nota ruim ou briga familiar. Compulsão te faz sentir-se fraca, fracassada, inútil, horrível, gorda e qualquer outra coisa que nenhum desses eventos lhe causam. A dor é maior, a decepção é maior, o ERRO é maior e a punição… Bom, só quem é ANA entende.
—  Tia Toddy