調達難

4

“Who’s ‘Madre’? You have, like, six voicemails from them.”
“Don’t go through my phone.”
“Jeez, don’t get so touchy. I just wanted to play Pokémon Go. My friend told me there was a Blastoise down at the shipyard.”
“Seriously? And you didn’t tell me until now?

de gustavo para kris

“Foi ontem que você leu aquela poesia para mim sobre eu ser a melhor bagunça que você conhece e aquilo mexeu comigo de um jeito que talvez nem tenha sido sua intenção. Mas eu estou encantado por você. Você surgiu pra mim como uma poesia que eu sempre procurei e nunca encontrei. Eu sei que eu falo isso o tempo todo. Tenho até medo de você enjoar de mim e das coisas que eu falo mas eu sou tão bobo por você. Tão maravilhado. De alguma forma, você ligou alguma coisa dentro de mim que finalmente me fez sentir vivo e me fez sentir dentro do universo. Às vezes eu tenho até que me controlar porque eu sei que eu estou sendo muito intenso. É que é coisa demais pra você. Mas é que eu gosto tanto de você e eu quero que você saiba disso com todas as letras. Afinal é a primeira vez que eu falo isso pra alguém dessa forma e que eu consigo me expressar tão bem sobre um sentimento por alguém. Eu estou apaixonado”

Eu adoro aranhas, especialmente as pretas. Eu coleciono várias e várias delas, tenho algumas empalhadas, outras em potes cheio de furinhos. Elas precisam respirar! Mas hoje resolvi procurar por algumas diferentes, maiores dos a que as que estou acostumado. Você não teria visto nenhuma por aí, teria? Eu gostaria de ficar sabendo.

The beast is loose || Sunny and ?

Era quase de manhã, Sunny havia tido pesadelos durante a noite toda e seus olhos já insistiam em ficar abertos, devido ao medo e adrenalina que sentia ao fechá-los. Por mais que não quisesse aceitar, ela sabia que tudo aquilo era o modo como a fera dentro de si, pedia para ser liberta. Fazia cerca de uma semana que a pequena menina conseguia manter o controle e não seria agora que iria ceder ao bicho, pelo menos faria de tudo para evitar aquilo. Ela ergueu-se do travesseiro e notou-o encharcado de suor, foi então que passou as mãos pelo rosto, pescoço e depois encarou o pijama que vestia - uma camiseta cinza de seu pai, que cobria até metade de suas coxas - , tudo estava molhado com seu suor. Sentiu uma forte dor na cabeça, a qual levou as mãos na intenção de amortecer aquele tormento, e apertou os olhos seguidas vezes, tentando livrar-se daquilo. Tudo falhadamente. Por mais que esforçava-se, a loira conseguia sentir a fera gritando para sair, sentia cada músculo de seu corpo desfazendo-se lentamente e seu coração quase saltando de seu peito. Ela podia sentir a transformação. A pequena menina levantou-se da cama rapidamente e aprontou-se em sair do dormitório. Precisava ir para um lugar afastado do campus e que suportaria tamanha ferocidade. Ela podia sentir o silêncio que vagava por todos os corredores, sendo desfeito com todo seu desespero e passos ligeiros que a levava para fora dali. Correu o mais distante que conseguiu, acreditando que ali não teria ninguém e que seria seguro o suficiente para a fera não estragar tudo. Mas a garotinha de fios tão claros, estava enganada. Com os sentidos já aguçados, por conta da transformação, ela escutou a respiração de algum outro ser presente. Com isso, a menina entrou em pânico e não conseguiu conter as lágrimas de desespero “V-VOCÊ TEM QUE… Q-QUE SAIR DAQUI!” gritou o mais alto que sua garganta permitia “P-por favor, v-volte pra lá!” pedia em prantos, abraçando o próprio corpo, enquanto era tomada pela dor e caçoada pela fera que a cada segundo estava mais próxima de ser liberta.

Não é sobre ter todas as pessoas do mundo pra si, é sobre saber que em algum lugar alguém zela por ti. É sobre cantar e poder escutar mais do que a própria voz, é sobre dançar na chuva de vida que caí sobre nós. É saber se sentir infinito num universo tão vasto e bonito, é saber sonhar e então fazer valer a pena daquele verso daquele poema sobre acreditar. Não é sobre chegar no topo do mundo e saber que venceu, é sobre escalar e sentir que o caminho te fortaleceu. É sobre ser amigo e também ter morada em outros corações e assim ter amigos contigo em todas as situações. A gente não poder ter tudo. Qual seria a graça do mundo se fosse assim? Por isso eu prefiro sorrisos e os presentes que a vida trouxe pra perto de mim. Não é sobre tudo que o seu dinheiro é capaz de comprar e assim sobre cada momento sorrindo a compartilhar, também não é sobre correr contra o tempo pra ter sempre mais. Porque quando menos se espera a vida já ficou pra trás. Segura teu filho no colo. Sorria e abrace teus pais enquanto estão aqui. Que a vida é trem-bala, parceiro e a gente é só passageiro prestes a partir.
—  Ana Vilela.