师傅越来越幽默

Sentada em um dos bancos do saguão, Zara olhou para as próprias mãos ensanguentadas e inevitavelmente trêmulas. Tinham perdido mais uma pessoa, dessa vez não por causa da mordida, mas pela perda de sangue que a amputação tinha lhe causado. Zara não tinha obrigação nenhuma em se envolver, mas ela sabia que não poderia deixar ninguém sozinho depois de um trauma tão grande. Com tudo acontecendo rápido demais, cada morte que presenciava era como um novo peso nas suas costas, mesmo que nada fosse sua culpa. Uma lágrima escapou e Zara limpou-a com as costas de sua mão, esperando que não se sujasse mais antes de voltar. No entanto, um vulto ao seu lado a chamou a atenção, quase assustando-a antes de virar-se para dar de cara com uma pessoa.   — Desculpe.  — Ela disse.  — Eu… Achei que estivesse sozinha.

4

“It would be my pleasure.”