中島飛行機

Ti ho cercato un sacco prima di trovarti.
La prima volta ti ho cercato in altri occhi, poi ti ho trovato mentre vagavano distratti.
La seconda volta ti ho cercato in altri posti, e ti ho trovato sulla solita panchina.
La terza volta ti ho cercato in altre braccia, ma non sapevano di te. Così ti ho trovato poggiato al muro, ma non ti ho trovato più. Mi sono allontanata, e ho fatto finta di non sapere che ti avevo già trovato. Ho continuato a cercare qualcosa che ti somigliasse, in altre mani, in altri giochi.

Cercavo le tue domande nelle risposte degli altri, ma nessuno era mai te. E allora mi facevo andare bene cose che mi facevano male perché non mi ricordavano te. Ed io volevo ricordarmi del tuo viso ma sotto altre luci era diverso. Io volevo ricordarmi del tuo odore, ma sugli altri lo stesso profumo non faceva lo stesso effetto.

Così io ti ho cercato, e nuovamente non ti ho trovato. Sempre un passo avanti e l'altro indietro, io e te.
Non ci capiamo più, io e te.
O forse ci capiamo ancora, il punto è che non vogliamo più la stessa cosa. Allora facciamo finta.
Io rido e ti passo accanto, ti guardo indifferente come se non m'avessi scosso l'anima.
Tu mi guardi e mi sorridi, ma lo so che non ti ho trovato, quando te ne vai e non mi guardi, mi fai male ma non ti interessa.
Fingo di stare bene ma ti spio in ogni dove, per sapere se tu hai trovato qualcuno di diverso che ti fa star bene uguale, per sapere se lei ha i miei stessi occhi, o magari li ha più simili ai tuoi. Se guardate dalla stessa parte. Se magari la capisci, se volete la stessa cosa. Se guardi lei come guardavi me, se non le fai male, se quando se ne va la guardi fino a quando non puoi più, se la aspetti a braccia aperte, se le hai dato tutto quello su cui pensavo di avere l'esclusiva.

Permettimi di essere egoista, una volta nella vita, perché lo sono solo quando ti riguarda. Perché tu non sai quante notti mi sveglio pensando che meriti di essere felice, però non essere innamorato di qualcun altro. Ti prego, aspetta me, cerca me, troviamoci.

A vida tem desses dias em que o melhor que podemos fazer é “não fazer.” O silencio é uma potente arma que usada com cautela traz muitos benefícios, e as vezes causa alguns estragos. Hoje silencie-me, e me permitir ver o desenrolar das coisas, resolvi dá um pouco de crédito pro tal “destino” e deixei que ele fizesse a parte dele. Hoje só quero saber de descansar, pegar minha cadeira confortável e apenas observar.
—  Leandro Caetano.
Imagine Louis Tomlinson

Pedido: Faz um do Louis que ela é ex dele e tem problemas com a Danielle! Final feliz.

—————–


Eu já estava pronta, com o meu melhor sorriso enquanto muitos flashes eram direcionados para mim. Entrei no grande salão onde a cerimônia do Oscar seria realizada e fui de encontro com meus colegas de trabalho. Nós estávamos concorrendo à algumas categorias como o nosso filme, “Uma mulher de peso”, em que eu era a protagonista. 

Eu estava ansiosa para o início da cerimonia. É sempre lindo e emocionante, principalmente ver meus amigos ganharem prêmios por seus trabalhos brilhantes. 

Quando é dado o início, todos tomam seus lugares e prestam atenção em tudo que acontece. Quem apresenta esse ano é Leonardo DiCaprio, com quem já contracenei em um filme. ‘Estrelas Além do Tempo’ ganhou o prêmio de “Melhor Filme”, Chris Evans o prêmio de ‘Melhor Ator’ e agora seria a categoria que eu estava concorrendo; “Melhor Atris”. Eu estava concorrendo com vários nomes, como Emma Stone, Demo Moore, Scarlett Johansson e Danielle Campbell, a atual do meu ex. 

Eu namorei o Louis por quase dois anos. Nós terminamos há uns 8 meses e ele está com ela no momento. Desde que eles começaram a namorar, Danielle mudou completamente seu comportamento comigo. Nós nunca fomos amigas íntimas, ok. Mas ela sequer olha na minha cara hoje em dia. Ela já tentou criar discussões comigo, do tipo dizendo que ela é melhor do que eu e coisas assim. Eu apenas ignoro e finjo que nem é comigo. 

DiCaprio abre o envelope e anuncia a vencedora dessa categoria. 

- S/N S/S, “Uma mulher de peso”. - fico em choque por escutar meu nome e todos começam a aplaudir. 

Me levanto, cumprimento meus colegas de filme e subu no palco indo buscar minha estatueta dourada e brilhante. Cumprimento Leonardo, faço meus agradecimentos e volto a me sentar. Sinto os olhares raivosos de Danielle sobre mim, mas ignoro. 

Ganhamos mais alguns prêmios pelo nosso filme; e, no fim da noite, estamos com 4 prêmios em mãos. Eu não poderia estar mais feliz. 

Ao chegar na festa pós-Oscar, vejo Louis vir até mim. 

- S/N! Parabéns pelos prêmios! - ele me abraça. - Você está linda! - sinto minhas bochechas corarem. 

- Obrigada! - sorrio.

- Você merece! O seu filme é realmente maravilhoso! - ele sorri e eu faço o mesmo. 

Ficamos ali conversando sobre tudo, nossos trabalhos, nossos planos, nossas vidas pessoais. É sempre bom poder conversar com ele. Lá pelas tantas, vejo Danielle se aproximar de nós completamente furiosa e eu me arrependo mentalmente de ter ficado ali com ele. 

- Qual é a sua, garota? - a encaro sem entender. - Ele é meu namorado agora, você não tem que ficar de papinho pra cima dele. 

- Danielle, ele veio apenas me parabenizar pelo prêmio e ficamos conversando sobre nossos trabalhos. - expliquei. 

- Ah, o prêmio que você roubou de mim. - ri sem humor e sem acreditar no que ela acabara de falar. 

- Eu não roubei nada. Foi uma votação, eu eu fui a que recebi mais votos. Apenas isso. 

- Olha aqui, garota. - ela apontou o dedo para mim. - Fica longe do Louis, ouviu bem? Não adianta você querer se jogar pra cima dele, ficar de conversinha. É um último aviso. - solto uma risada. 

- Eu não vou ficar aqui ouvindo isso. Tchau, Louis. Boa festa pra você. - sorrio para ele e vou para o lado oposto do que eles estão.

***

Se não bastasse o que ela havia feito no Oscar, ela começou a jogar indiretinhas para mim nas redes sociais. Eu já estava me irritando com essa atitude dela. Quantos anos ela tem? Cinco?

Toco a campainha da porta na minha frente e espero ser aberta.

- S/N? - pergunta confuso e surpreso.

- Oi Louis…

- Entra… - ele da espaço e eu entro. - O que foi?

- Será que eu posso falar com a Danielle?

- Ela não está aqui… 

- Ela demora pra voltar? Eu realmente preciso falar com ela. 

- Ela não volta pra cá, S/N. Nós não estamos mais juntos. - agora quem está confusa e surpresa aqui sou eu. 

- Não? - ele nega.

- Eu me cansei desse jeito dela, sabe? - nos sentamos no sofá. - Ela é completamente louca, possessiva. E aquilo que ela começou a fazer no Oscar e depois foi a gota d’água. 

- Então é por isso que ela ficou falando aquele monte de coisas sem sentido… 

- É… - ele concordou. 

- Ok… Então acho que eu já vou indo… - digo indo em direção da porta, mas ele segura meu braço.

Me vira pra ele e me encara por alguns segundos e, sem que eu pudesse fazer alguma coisa, ele me beija com vontade. Num primeiro momento eu me assusto e não correspondo. Mas, quando ele segura minha cintura com força e mordeu meu lábio inferior, eu correspondo com a mesma intensidade. 

- No fundo, ela sabe que nunca deixei de gostar de você. - disse sopra em meus lábios. 

Eu encaro seus olhos azuis brilhantes e prendo seu lábio inferior no meio dos meus dentes. 

- Eu acho que posso dizer o mesmo. - ele sorri grandemente.

- Era o que eu precisa ouvir! - me beija com mais intensidade que antes, me prensando na parece. 


[…]

Oggi è una bellissima giornata perché dopo anni di disoccupazione, il papà di Andrè torna a lavorare.
Non stavamo da tanto insieme io e Andrè, quando l'azienda per cui lavorava da una vita, ha cominciato ad andare male fino a fallire e lasciarlo a casa disoccupato. Il papà di Andrè è una persona forte, ha reagito da subito dedicandosi ai lavoretti di casa, e poi facendo volontariato con l'autoambulanza. Ma siamo tutti sicuri che comunque ne abbia sofferto tanto e non si sia mai abituato a non lavorare. (In più rischiava di vedersi dimezzata la pensione).
Insomma siamo tanto tanto contenti, questa mattina ho voluto inviargli io un messaggio di auguri da parte di entrambi.
Mi ha risposto poco fa ringraziandomi e dicendomi che era emozionato. E mi sono emozionata pure io per lui, gli ho risposto che se lo merita.

Forza A.!

Ha detto che si è messa a cercarmi. Nessuno viene mai a cercarmi né ci ha mai tenuto tanto da preoccuparsi per me. Quando lo dice, ho la certezza che il mio inutile cuore vada in frantumi dentro al petto e lei ne rubi un pezzo. Se non fosse già appartenuto a qualcun altro, probabilmente le avrei dato tutti i pezzi su due piedi.
—  Jessica Sorensen
«Si dice che il tempo guarisca tutte le ferite e forse è anche vero. E se, invece, le ferite non guariscono come dovrebbero, come quando un taglio lascia una brutta cicatrice o come quando un osso rotto si risalda ma non è più liscio come una volta? Significa che sono guarite veramente? Oppure che il corpo ha fatto tutto il possibile per aggiustare ciò che si era rotto ma…»
—  Jessica Sorensen
Penso di averlo amato con ogni fibra del mio corpo, o almeno, ci ho provato. Forse non sono capace di amare. La nostra, però, non è stata di  certo la solita storia in cui lui tradisce lei e lui rimane delusa.
Il fatto è che mi ero legata troppo a lui, era diventato parte di tutto ciò che facevo, pensavo, vedevo, volevo. E non riuscivo più a gestirlo. Forse eravamo troppo simili. Io ho bisogno di qualcuno con cui scontrarmi, che mi faccia sentire viva, non di una persona pronta a sostenermi anche quando faccio la più grande merdata.
Così, nella sofferenza più totale, ci siamo separati. È stato un inferno tornare alla vita senza di lui. Ormai era diventata un'abitudine averlo al mio fianco. E anche se so che è stato meglio così, da quando non stiamo più insieme le cose si sono complicate più di quanto credessi.
Mi sento vuota.
Comunque sia, mi sto sforzando di sistemare i pezzi restanti della mia vita.
—  xharryslaugh