その通りだ!

Ele resolveu que não dávamos mais certo e arrumou as malas. Sim, levou meus melhores sorrisos, minhas melhores memórias e meu coração junto. Sim, sem motivos, simplesmente achou melhor partir. Apenas me descartou, como se eu fosse um objeto que enfeitava a vida dele. Não ousei pedir para que ficasse, afinal, amor não se mendiga. Sentei na cama e observei a cena da minha vida indo embora. Meu coração ficou em pedaços, jogado ao chão, e creio que cada pedacinho daquele ainda o amava. Eu esperava pelo arrependimento dele, confesso, mas os meses passaram-se e o telefone sequer tocou. Restava-me superar ou aceitar, não sei qual a palavra mais adequada ao caso. Foram 6 meses de angústia profunda, mas resolvi me reconstruir, pois somos como castelo de areia. Comecei a sair com as minhas amigas e a viver mais pra mim. O acompanhei em algumas fotos nas redes sociais, é, ele estava bem. Mas ele me mandou mensagem, 6 meses depois. Aquela boca linda e aquele olhinhos sorrindo, ele ainda era o mesmo. Ele resolveu dizer que sentiu minha falta, e embora antes eu quisesse ouvir isso mais que tudo, essa frase já não trazia paz ao meu coração. Propus que ele seguisse em frente pois eu ainda não estava pronta para tê-lo de volta a minha vida, e confesso ter sido difícil. Apesar da distância pude sentir sorrir e ele logo se desculpou e disse estar arrependido, e queria a minha amizade. No passado eu esperei tanto por essa frase, e acho que ele nunca esperou isso de mim: que eu o superasse. É ele me conhecia, e tinha certeza que eu não o superaria. A amizade ainda existe. Da parte dele uma amizade em paz, da minha parte só uma forma de tê-lo presente em minha vida.
—     I Will Forgive.