ɳ

Me magoaram muito já. E disso eu me lembro bem. Mas sim, passou, se é o que você quer saber. E passou até bem demais. Eu cultivava algumas mágoas de estimação, mas decidi deixa-las ir. Esperei o passado voltar, ele não voltou. Não tem volta. Tentei voltar no tempo, não tem volta! Aprendi. E aprendendo, deixei ir embora sem esperar voltar. E lá se foi muito peso morto, muitas mágoas chatas, muitas saudades desnecessárias, culpas que não eram minha. É, aprendi. A gente apanha, mas a gente aprende. E sim, a gente demora muito, mas a gente realmente aprende. E não vale a pena guardar tanto ruim dentro do peito. Coisas boas ocupam espaço demais pra entulhar um passado mal curado.
—  A culpa é mesmo das estrelas?