#iemanja

Procuro minha casa, busco saber de onde vim..
Ogunhê, me leve para tuas lutas.
Oxossi meu pai, me leve pra sentir as árvores e os fortes ventos de Oyá.
Mamãe Yemanjá, que o sal das tuas aguas limpem as minhas impurezas e que os rios de Baruquê me lavem.
Que as forças e calor de Xangô sequem a minha alma, onde o poder de mamãe Oxum me resguarde, para que no berço de meu pai Oxalá eu descanse…
Junto com a natureza dos meus orixas e obedecendo meus guias, eu vou assim de encontro com o lar de Aruanda.

Sarava.

—  Filha das matas (sunflower)

7Trigo

eu não conheço rajada de vento mais poderosa que a minha #paixão
Quando o #amor relampeia aqui dentro, vira um corisco esse meu #coração
Eu sou a casa do raio e do vento
Por onde eu passo é zunido, é clarão
Porque #Iansã desde o meu nascimento tornou-se a dona do meu coração…“ -
Maria Bethania

Saravá Iansã
Eparrey!!!!

Sou de Ogum, sou da sereia
Fui criado na beira do mar
Em noite de lua cheia
Aprendi a guerrear.
Bebi água no rochedo, sou de Ogum, não tenho medo
Corri campos venci batalha
Fui criado por Iemanja.
Sou do rei e da rainha
Guerreiro de oxalá
Sou de Ogum, sou da sereia
Eu sou filho de Iemanja.
Agradeço a minha mãe
Por me criar
Ela e a rainha das águas, odoya.
Já cai já levantei
Com meu pai aprendi a lutar
Sou de Ogum, sou da sereia
Sou do rei dos orixás.
Sou de Ogum, sou da sereia
Fui criado na beira do mar
Em noite de lua cheia
Aprendi a guerrear.
—  Patacori Ogum! Odociaba Iemanjá!
Hoje, hoje eu vou cantar.
Hoje eu vou cantar.
Vou louvar na areia,
Em lua cheia
Minha mãe Iemanjá, iê, iê.
Rosa do mar,
Minha estrela do céu azul,
Na história de um pescador
Que meu amor, eu vou lhe entregar, iê, iê.
Deixa, deixa as ondas do mar passar
Ouça ao canto da bela odoya
Oxalá quem mandou
Um grande amor
Pro fundo do mar, iê, iê.
Hm, hm, hm, hm.
Ôôôôôô, ôôôôôô.
Minha mãe Iemanjá, iê, iê.
Hm, hm, hm, hm.
Ôôôôôô, ôôôôôô.
Do fundo do mar, iê iê.
—  Odociaba Iemanjá!