Esse texto é para as pessoas que vão para as ruas.
Os vinte centavos foram revogados, então por que estar nas ruas? Não vou explicar para você o motivo de você sair de casa e ir enfrentar força policial, gás lacrimogênio e etc. Eu quero que você responda para você mesmo: Agora que os 20 centavos foram revogados, por que você está indo para a rua? Só não venha me dizer que é para tirar a Dilma do poder e nem que é para acabar com a corrupção. Gritar o fim da corrupção é um grito vazio. Cadê a proposta? Você sabe o que fazer para acabar a corrupção? Deixa eu te dar uma dica: Não é queimando bandeira de partido que isso vai acontecer. Não é tirando a Dilma do poder que isso vai acontecer. Claro que Dilma é culpada, mas não é só ela. Existe uma interminável lista de corruptos e não é tirando a presidenta que vamos solucionar a questão. Ainda mais se a gente pensar na linha de sucessão. Vocês que vão para as ruas, pensem no que estão gritando. Que frases de efeito estão proferindo? É um discurso vazio? Por que, se for, o que você está apoiando? É lindo ver o povo na rua, todos sabemos, mas isso não é futebol. Isso é sério. Não adianta ir sem saber o que você está fazendo e pelo o que você está gritando. Então lembre-se: 01. Não queime bandeira de partidos: Todos temos o direito de nos arrumar partidariamente. Lembre-se que a ditadura era contra a formação de partidos políticos, é desse lado que você quer estar? 02. Não use máscaras, mostre que é uma revolta digna. Máscara fica linda no facebook e extremamente superficial no protesto. 03. Não é uma micareta, vamos levar o protesto a sério. Não é lugar de agarrar as pessoas e nem ficar bebendo como se fosse comemoração de copa do mundo. 04. Preocupe-se mais com o que está fazendo do que como irá parecer no facebook. De nada adianta arrumar a franja se a frase do cartaz for só para conseguir compartilhamentos.
Somos muitos nas ruas, mas poucos sabem o sentido de tudo. Não deixemos que a nossa luta se torne uma arma da direita. E lembre-se: Não diga que o Brasil acordou agora só por que você estava dormindo.
—  Lazaroni
Dossiê: As Jornadas de Junho

image


"Do rio que tudo arrasta, diz-se que é violento. Mas ninguém chama violentas às margens que o comprimem". Junho, o rio avançou as suas margens para mostrar à cidade quais são os marginais que a amarram!

Cidades Rebeldes: passe livre e as manifestações que tomaram o Brasil: http://ujceara.files.wordpress.com/2014/01/cidadesrebeldes-passelivreeasmanifestac3a7c3b5esquetomaramasruasdobrasil.pdf

Documentário A partir de agora: as jornadas de junho no Brasil:   http://www.youtube.com/watch?v=3dlPZ3rarO0

MPL - Por que estamos nas ruas:  http://www1.folha.uol.com.br/opiniao/2013/06/1294177-nina-cappello-erica-de-oliveira-daniel-guimaraes-rafael-siqueira-por-que-estamos-nas-ruas.shtml

MPL - Por que não vamos depor no DEIC:      https://www.diplomatique.org.br/acervo.php?id=3053&tipo=acervo

David Harvey - O direito à cidade: http://revistapiaui.estadao.com.br/edicao-82/tribuna-livre-da-luta-de-classes/o-direito-a-cidade

Erminia Maricato - É questão urbana, estúpido!    https://www.diplomatique.org.br/artigo.php?id=1465

Silvia Viana - Técnicas para fabricação de um novo engodo:   http://diplomatique.org.br/acervo.php?id=3027&tipo=acervo

André Singer - Esquerda ou Direita?  http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/115142-esquerda-ou-direita.shtm

Silvia Viana - A guerra dos panos:  http://blogdaboitempo.com.br/category/colunas/silvia-viana-colunas/

Paulo Eduardo Arantes - O futuro que passou:   http://www.estadao.com.br/noticias/suplementos,o-futuro-que-passou,1045705,0.htm

Vladimir Safatle - Politica não se dará mais dentro dos partidos, mas nas ruas:  http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2013/06/1299578-opiniao-politica-nao-se-dara-mais-dentro-dos-partidos-mas-nas-ruas.shtml

Rodrigo Nunes: A organização dos sem organização: oito conceitos:   https://www.diplomatique.org.br/acervo.php?id=3036&tipo=acervo

Fernando Henrique Cardoso - Nenhum partido vai ganhar com protestos:  http://www1.folha.uol.com.br/poder/2013/06/1299535-nenhum-partido-vai-ganhar-com-protestos-afirma-fhc.shtml

Pablo Ortellado - Os protestos de junho entre o processo e o resultado:  http://www.cartacapital.com.br/sociedade/os-protestos-de-junho-entre-o-processo-e-o-resultado-7745.html

Lucas Legume - Protestos ensinaram que mobilização traz mudanças:  https://www.diplomatique.org.br/artigo.php?id=1598

Quando esses protestos começaram e eu percebi que não iria conseguir participar deles, fiquei extremamente triste e pensei “Quando for dar aula pros meus aluninhos, sentirei uma ponta de remorso por não poder falar pra eles que eu participei desse momento histórico”. Agora, vendo a repercussão que as manifestações estão tendo e o rumo que elas estão tomando, penso que sentirei um orgulho por não ter participado. 

Ok, povo na rua é lindo. Só que povo na rua sem saber pq está na rua é tão prestativo quanto copa do mundo. Agora a mídia, os “apartidários” e esses novos revolucionários que estão cantando loucamente o hino nacional querem proibir bandeiras partidárias. A manifestação é grande? Sim. Eu só queria entender onde está o significado dela. 

O povo acordou mesmo ou isso tudo é só um sonambulismo coletivo? Quer dizer, agora que revogaram o aumento da tarifa do ônibus, as pessoas estão gritando pelo o que? O que esse bando de gente andando pelas ruas das cidades querem dizer? Estão mais preocupadas em expulsar os partidos do protesto do que focar no sentido do protesto. Estão mais preocupados em calar os anarquistas do que criar verdadeiros projetos. Estão mais preocupados em dar flores para os policiais e culpar os vândalos do que entender que isso é sim um ato político. 

A política não é delimitada pelo o que a televisão passa. Vou confessar que ainda não assisti nenhuma reportagem inteira sobre as manifestações. Minha fonte de informação é a internet, pois parei de assistir televisão há alguns anos e não é agora, com uma movimentação popular dessas, que eu irei voltar. 

A mídia percebeu que não dá pra colocar pequenos panos quentes em cima de um milhão de pessoas que estão ocupando as ruas. A mídia percebeu que tinha que mudar de atitude. E mudou! Ao invés de falar sobre o protesto, seu valor e seus objetivos, está dando ênfase somente para o vandalismo. “Olha o vandalismo acontecendo, mas vale frisas que está sendo cometido por um pequeno grupo isolado. Talvez militantes”. 

Desculpa mídia, mas militância não é vandalismo. 

O papel da mídia é se aproveitar da movimentação popular e criar um senso comum. Afinal, o mundo é feito de senso comum. Então, criou-se a ideia (errônea, muito errônea) de que o inimigo comum é o militante partidário esquerdista. 

Eu só queria lembrar uma coisa pra vocês: 

Vocês estavam hibernando. Dormir era pouco para o que vocês estavam fazendo. Vocês estavam com os olhos colados, não queriam abrir por n a d a. Falavam que a luta feminista era vazia, desnecessária. Falavam que o negro não era mais menosprezado, afinal racismo é crime. Falavam que o Feliciano ali nos direitos humanos não iria fazer mal a ninguém. Vocês estavam hibernando!!!! E enquanto vocês tiravam anos de sono de beleza, existia uma galerinha que estava acordada na base do café, evitando fechar os olhos mesmo que fosse só por um breve cochilo. Milhares de pessoas estavam acordadas tentando garantir que vocês pudessem dormir bem. Milhares de pessoas estavam reunidas partidariamente lutando pelos seus direitos. Esse movimento que está tomando as ruas surgiu com movimentos estudantis e partidos políticos e, agora que tomou um tamanho inesperado, estão querendo expulsar seus organizadores e chamá-los de “oportunistas”. Não. A esquerda brasileira é um direito adquirido. Sabe quem era contra partidos políticos? Sim, meus queridos, a ditadura! Uma pequena aula de história gratuita: Patriotismo momentâneo e exagerado + autoritarismo + proibição de representação partidária = fascismo! 

Não diga que o povo acordou agora! Eu já tava acordada enquanto você hibernava. 

Text
Photo
Quote
Link
Chat
Audio
Video