video:myimmortal

Que sinta minha falta. Do fundo do meu coração, quero que sinta muito minha falta. Quero que pense em mim todos os dias, em todas as coisas que te fizerem lembrar de mim. Que sinta falta de ouvir minha voz, de sentir meu abraço e do gosto do meu beijo. E que às vezes, no meio da noite, você pegue o telefone desesperado, apenas para ter a certeza que ainda sabe meu número de cor, que eu ainda estou em você e que mesmo que entre nós exista a maior de todas as barreiras, de alguma forma você precisará saber que eu também me importo. Porque eu me importo. Não me deixe morrer em você, enquanto você será sempre imortal pra mim.
—  My Immortal, Diego Castro. 
Os caminhos da vida são estranhos, às vezes tortuosos, mas com certeza, toda escolha, de alguma forma gera uma consequência. A amizade sempre acaba quando um deixa de ouvir e se importar. Mesmo que briguem, a amizade dura, mas quando não há mais importância, ela não existe mais. As pessoas cansam de mim, não vou mentir, mas seria pedir demais receber o mesmo suporte que eu dei? Seria muito pedir que me olhasse com os olhos que te olhei sempre que você chorou? Limpei tuas lágrimas mais de uma vez, menina. Mas é quando menos se espera que as coisas acontecem, as pessoas tendem a me abandonar no inverno, por medo de não aguentarem o frio que as espera do meu lado. E essa garota não foi diferente. Morria de medo de ser abandonada, de ser magoada, que abandonou e magoou; traiu a confiança de quem a amava. Um amor puro de amigos, onde a dor de um, costumava ser motivo de consolos e abraços. Mas algumas verdades foram ditas, sem necessidade, então algumas também foram ouvidas, contra a vontade. A menina ergueu a voz e perdeu a paciência, enquanto quem estava ferido, se defendia com o pouco de esperança que lhe restava. E quando enfim a menina partiu, me perguntei “por que ninguém fica? Por que justo ela foi embora?”. Não que eu reclame, apenas conclui que as coisas realmente não poderiam continuar. Chorei noites por um amigo distante, e outro me abandonou em meio aos prantos, dizendo não passar de infantilidade. Mas garanto que não é. A infância é uma coisa pura, se fosse nela, essas brigas não significariam nada além de gargalhadas alguns minutos depois. Mas foi por crescer que estou aqui sozinho. Foi por crescer que as palavras doeram, que as amizades acabaram. Foi por sermos tão maduros, que a imaturidade faz com que coisas eternas tenham fim. E foi por egoísmo, que cada um seguiu seu caminho sem olhar para trás.
—  Sobre amizades que acabam. 
Eu sou o poço das lágrimas que morreram na bochecha, o peso da alma, a essência da esperança. Sou o amor desperdiçado, coração partido, beijo desejado. Sou o que julgam “a Dor”, sou quem sofre apenas por existir. Sou quem não diferencia ninguém, sou quem morre na alegria, mas nasce novamente quando ela se vai. Sou.
—  Sou dor, Diego Castro.
vimeo

Here is season 1 episode 1 for those who are new to the series. Its not on youtube–but the rest of the series is. Something about permissions for one of the songs I think being granted on vimeo only.