Frederic Aranda, via Rizzoli/Skira

A Real-Life Closet (and Now, Book) Filled With Couture

Shot over the past five years by the fashion and portrait photographer Frederic Aranda, the 287-page labor of love, titled “Electric Fashion”, features the San Francisco art patron and online fashion editor Christine Suppes and her personal collection of YSL, Chanel, Rodarte, Geoffrey Beene, Christian Lacroix, Vivienne Westwood, Alexander McQueen and more.

See more here

Eu estou bem, sério. De verdade. É que a madrugada parece que foi feita pra pensar, né? Aí você pensa na vida. Pensa no quanto já fez merda dentro dela. Pensa nas decepções. Nas perdas. Na saudade. Ah, cara… A saudade. Aí você começa a pensar naquela pessoa. No quanto a vida seria bem melhor se estivesse ao lado dela nesse momento. Deitadinho ao lado dela. Acariciando o rosto. Sentindo o cheiro. Observar ela dormir. Há quem diga que às vezes a saudade faz bem. Mas eu acho que na madrugada não faz.
—  Viabilizou-se.
Sim, eu quero o seu caos. Eu não quero excluir ele. Não mesmo. Eu só quero arrumar. Colocar todos os seus sentimentos arrumadinhos. Por ordem alfabética, por intensidade, por vontade. Tanto faz. Eu só quero arrumar. Fazer a limpa completa, sabe? E o principal: eu quero tirar todas as suas dores enquanto estiver cuidando e limpando o seu caos. Porque quando a gente cai na real, a gente percebe que não são pelos acertos que nos apaixonamos por alguém. São pelos erros. Pelo caos. Pela vontade de ir embora e perceber que a vontade de ficar é ainda maior.
—  Viabilizou-se.

Deli dolu bir ben yok artık, seni her saniye sevmek isteyip doyamayan bir ben kalmadı. Tükettim bir bir ne varsa elimde avucumda. Yitirmişliği izlediğim aslında kendimmişim o garip, üzülmesi ne kötü insanın kendisine. Öylece iç çekişler çaresizliğe. Bu ben gitmiş çoktan yerine başkası gelmiş gibi tanıyamadığım hislerle doluyum. Öyle dolu ama öyle duygusuz.

Eu te amo pra caralho. Eu te amo porque ontem fui dormir ouvindo sua respiração e acordei com você na cabeça. Eu te amo por todas essas nossas conversas durante a manhã, a tarde e a madrugada. Eu te amo por você sempre me dar “beijo de boa noite” antes de dormir. Eu te amo por suas caras e bocas e por esse seu jeitinho de arrumar o cabelo a cada 10 min. Eu te amo por essa loucura toda que a gente tem de sermos nós mesmos e nos amarmos por sermos nós. Atados. Eu te amo por essa sua carinha de sono e quando o vento bagunça seu cabelo e você fica mais linda ainda. Eu te amo por sempre querer dormir ao seu lado e nunca hesitar quando me pede um beijo. Eu te amo por esse lado durona que você tem, por esse pessimismo metido e por essa sua vontade de me fazer sorrir. Eu te amo quando você pega no sono e eu fico do lado de cá ouvindo você dormir porque sua respiração já basta. Eu te amo por essa nossa sintonia ser tão forte, que eu tenho vontade de largar tudo para te abraçar. Eu te amo por você ser quem você é e ainda me fazer ser uma pessoa melhor. Eu te amo porque eu nunca vou saber explicar o quanto te amo. Só porque te amo. Eu te amo quando me perguntam sobre nós e eu digo: estamos felizes. Está dando tudo certo. Eu te amo por tudo isso. E não quero nunca saber o quanto. Só quero mais. Ainda mais.
—  Viabilizou-se.