Eu não tenho medo de voar. Eu tenho medo de estar fechada num lugar e de ter escolhido estar fechada nesse lugar. Tenho medo porque meus pés sentem o chão mas ele é falso. Meus pés sempre me obrigam a sentir a verdade e eu sou obrigada a dizer a eles que aquele chão não dura e nem é de terra.
—  Tati Bernardi.   
Se você soubesse o estado que estou agora, zumbi, pegando detalhes seus por aqui, e doendo tanto que nem sei mais por onde começar. Eu não aguento mais começar. Queria tanto continuar. Não sei, não aguento, ainda não posso, mas queria continuar.
—  Tati Bernardi
Sei lá, eu também não entendi nada. Ele é bem o tipo que gosto. Eu tive vontade de dormir no peito dele, em cima da camisa ridícula dele.
—  Tati Bernardi
Eu não faço a menor idéia de como esperar você me querer. Porque se eu esperar, talvez eu não te queira mais.
—  Tati Bernardi.
Quando vou ver, já contei minha vida pra primeira pessoa que me deu um pouco de atenção. Já tô rindo alto no restaurante porque não me controlei e fiquei feliz demais. Já escrevi um texto sobre o fulaninho da terça passada… E quando vou ver, lá se foi a mulher misteriosa que eu gostaria tanto de ser. Porque eu jamais poderia ser uma.
—  Tati Bernardi. 
Você causa em mim o que um homem bonito e desconhecido me causaria ao entrar em um restaurante. “Olha, um homem bonito”. Você foi a pessoa que mais amei na vida e agora me causa o susto de uma beleza desimportante que atravessou a rua em segundos.
—  Tati Bernardi.