spurgeon

Seguindo uma ilustração proporcionada pelas Sagradas Escrituras, permitam-me recordar a todos vocês, os que são fiéis crentes em Cristo, que são comparados com árvores, com árvores plantadas pela destra do Senhor. Procurem crescer como a árvore cresce. Orem pedindo que este ano possam crescer para baixo: que possam conhecer mais acerca de sua própria torpeza, mais sobre seu próprio nada, e que assim estejam enraizados na humildade. Peçam que suas raízes possam penetrar por debaixo da camada vegetal superior da verdade e chegar até as grandes rochas que estão debaixo do estrato superior; que possam se fixar muito bem às doutrinas do amor eterno, da fidelidade imutável, da completa satisfação, da união com Cristo, do eterno propósito de Deus que Ele determinou em Cristo Jesus antes do mundo existir. Estas coisas profundas de Deus produzirão uma rica e abundante seiva, e suas raízes haverão de beber das fontes ocultas do “abismo que está abaixo”. Este será um crescimento que não adicionará nada a sua fama e que não ministrará a sua vaidade, mas que será inestimável na hora da tormenta; será um crescimento cujo valor nenhum coração pode conceber quando o furacão está demolindo o hipócrita, e arremessando no mar da destruição as “árvores de outono, sem fruto, duas vezes mortas e desarraigadas”.

Enquanto fixarem raízes até embaixo, busquem crescer para cima. Lancem o primeiro fruto do seu amor em direção ao céu. Assim como as árvores lançam seus brotos de primavera e seus renovos em meados do verão, e assim como se vê no cume do abeto esse novo ramo verde de primavera, esse novo êxtase que levanta sua mão até o Sol, assim, anseiem ter mais amor e maiores desejos de Deus, uma aproximação mais íntima com Ele em oração, um espírito de adoção mais fervoroso, uma comunhão mais intensa e íntima com o Pai e com Seu Filho Jesus Cristo. Esta ascensão ao alto complementará sua beleza e seu deleite.

Logo, orem pedindo para crescer em ambas as direções. Estendam seus ramos; que a sombra de sua santa influência se propague tão longe como as oportunidades que Deus lhes der. Ocupem-se também em crescer em fecundidade, pois se o ramo cresce sem dar fruto, a beleza da árvore é afetada. Trabalhem arduamente este ano, pela graça de Deus, para produzir para Ele mais fruto do que jamais produziram. Senhor, te rogo que dês a esta congregação uma maior quantidade de frutos da penitência pelo pecado, da fé no grandioso sacrifício, do amor por Jesus e do zelo pela conversão de almas. Não seríamos, então, como a sobra da colheita da safra, quando só fica por aqui e por ali algum cacho no galho mais alto, mas seríamos como o vale de Escol, cujas prensas transbordavam com o novo vinho. Crescer na graça consiste nisso: em fincar raízes até embaixo, em brotar até acima, em estender suas influências como ramos amplamente espalhados e em produzir fruto para a glória do Senhor.

—  Trecho retirado do livro “Um Salmo Para o Ano Novo”, Charles Spurgeon.
Peçam para crescer em humildade, até poder dizer: “Sou menos que o menor de todos os santos”; peçam para crescer em consagração, até poderem exclamar: “Para mim o viver é Cristo e o morrer é ganho”; peçam para crescer em contentamento até poder sentir: “aprendi a me contentar qualquer que seja a minha situação”. Progridam em ser feitos semelhantes ao Senhor Jesus, para que seus próprios inimigos sejam informados de que vocês estiveram com Jesus e aprenderam com Ele. Em suma, se há alguma virtude, se algo é digno de louvor, se há algo que é amável e de bom nome, se há algo que possa acrescentar sua utilidade, algo que possa contribuir a sua felicidade, algo que possa fazê-los de maior utilidade para o homem e levá-los a dar maior glória a Deus, cresçam nisso, pois ainda têm que crescer. Vocês ainda não são perfeitos.
—  Trecho retirado do livro “Um Salmo Para o Ano Novo”, Charles Spurgeon.
2

If none of God’s saints were poor and tried, we should not know half so well the consolations of divine grace. When we find the wanderer who has not where to lay his head, who yet can say, Still will I trust in the Lord; when we see the pauper starving on bread and water, who still glories in Jesus; when we see the bereaved widow overwhelmed in affliction, and yet having faith in Christ, oh! what honour it reflects on the gospel. God’s grace is illustrated and magnified in the poverty and trials of believers. Saints bear up under every discouragement, believing that all things work together for their good, and that out of apparent evils a real blessing shall ultimately spring–that their God will either work a deliverance for them speedily, or most assuredly support them in the trouble, as long as he is pleased to keep them in it. This patience of the saints proves the power of divine grace. There is a lighthouse out at sea: it is a calm night–I cannot tell whether the edifice is firm; the tempest must rage about it, and then I shall know whether it will stand. So with the Spirit’s work: if it were not on many occasions surrounded with tempestuous waters, we should not know that it was true and strong; if the winds did not blow upon it, we should not know how firm and secure it was. The master-works of God are those men who stand in the midst of difficulties, stedfast, unmoveable.

C H Spurgeon

instagram: @athenagracee / fujix100 / vsco film 05

The more you know about Christ, the less you’ll be satisfied with superficial views. The more deeply you study His life in the fullness of His grace, the more you will see the King in His beauty. You will long more and more to see Jesus.
—  Charles Spurgeon
Avoid a sugared gospel as you would shun sugar of lead. Seek the gospel which rips up and tears and cuts and wounds and hacks and even kills, for that is the gospel that makes alive again. And when you have found it, give good heed to it. Let it enter into your inmost being. As the rain soaks into the ground, so pray The Lord to soak his gospel into your soul.
—  Charles Spurgeon
Vocês que estão vivos para Deus devem ocupar-se em crescer em todas as graças. Cresçam nessa graça básica que é a fé. Procurem crer nas promessas mais do que creram até agora. Escalem desde essa fé que, trêmula, diz: “Creio; ajuda minha incredulidade”, até a fé que não vacila ante a promessa, mas que, como Abraão, crê que quem prometeu é também capaz de cumprir. A fé de vocês terá que crescer em alcance, crendo em mais verdades; terá que crescer em firmeza e alcançar um maior domínio de cada verdade; terá de crescer em constância, não sendo débil ou vacilante, nem sendo levada por toda parte, ao sabor do vento; sua fé tem de crescer diariamente em simplicidade, descansando de maneira mais plena, íntegra e completa na obra consumada do seu Senhor Jesus Cristo.
—  Trecho retirado do livro “Um Salmo Para o Ano Novo”, Charles Spurgeon.
Some people like to read so many bible chapters every day. I would not dissuade them from the practice, but I would rather lay my soul asoak in half a dozen verses all day than rinse my hand in several chapters. Oh, to be bathed in a text of scripture, and to let it be sucked up in your very soul, till it saturates your heart.
—  C.H. Spurgeon
God’s mercy is an uplifting blessing to your sagging spirit, a golden salve to your bleeding wounds, a heavenly cast to your broken bones, a royal chariot for your weary feet, and a sweet embrace of love for your trembling heart.
—  C. H. Spurgeon