sjcouples

Only for you…


-Eunhyuk eu já vou. - ele disse colocando cachecol no pescoço

-Ahm? - levantei uma sobrancelha sem entender a repentina fuga dele.

-Mas porquê? - perguntei levantando, enquanto ele colocava o casaco.

-Eu não quero atrapalhar você, já fiquei tempo demais aqui. - ele falou ainda de costas pra mim, apanhando a bolsa de cima do armário, o volume de sua voz abaixando cada vez mais.

-Quem disse que você atrapalha? - indaguei segurando seu pulso, tentado virá-lo de frente para mim.

Porquê aquilo agora? Eu não conseguia pensar em nenhuma possibilidade lógica para aquilo.

Ele não se virou, também não falou nada. Só desvencilhou-se da minha mão e fugiu novamente em direção à porta.

Segurei-o pelo pulso de novo, puxando-o para trás e prendendo-o contra a parede de frente pra mim e juntei seus lábios aos meus, desesperadamente, prendendo a sua mão contra a parede.

Desesperado… Desesperado, sim! Eu sabia que se eu deixasse que ele fosse embora ele jamais voltaria para mim. Nem eu mesmo sabia o que estava fazendo. Desde quando eu beijava homens? E ainda por cima o meu melhor amigo? E mesmo sabendo que com aquilo eu poderia perdê-lo para sempre, eu não exitei.

 Ele continuou imóvel, surpreso, e eu mantive meus lábios somente encostados nos dele por mais alguns instantes, sentindo as batidas ritmadas do meu coração ficarem cada vez mais aceleradas. Afrouxei o aperto em seu pulso com minhas mãos trêmulas, afastando-me devagar, deixando alguns centímetros entre nossos rostos, para dar de encontro com aquele par de olhos que eu jamais pensei que eu pudesse amar.

A sua expressão era mais de confusão do que de surpresa, seus  olhos nem piscavam.                  E mesmo assim ele parecia docemente apaixonado daquele jeito.

O quê eu devia fazer? Era tão perfeito. O toque dos seus lábios nos meus, e a sensação que eles haviam deixado na minha boca…

Eu não sabia se devia me aproximar novamente, então mantive-me ali, apenas sentindo como se cada minuto ali com ele fosse único, olhando pra ele me perdendo na imensidão dos seus olhos castanhos.

Ele então tomou a minha mão na sua e entrelaçou os seus dedos nos meus, dando um sorriso invisível e enchendo aquelas bolas castanhas de contentamento.

Medi cada milímetro vagarosamente, e cerrando os olhos  como se fosse a minha primeira vez deixei meus lábios se encaixarem nos seus mais uma vez. Desta vez com calma, explorando aquela maravilhosa sensação que era tê-lo por perto. Enquanto ele enlaçou  meu pescoço entre seus braços, trazendo-me pra mais perto dele.

Me aproximei cuidadosamente, colando meu corpo no dele, sentindo um arrepio correr-me a espinha de cima à baixo e trouxe minha mão até a sua cintura sentindo um torpor indescritível tomar conta de mim. Ele movia os lábios vagarosamente contra os meus,  despertando todo sentimento que eu alimentei por ele todo aquele tempo de uma só vez.

Movimentei-me contra ele novamente, sentindo todo meu corpo tremer contra o seu, movendo meus lábios nos dele com cada vez mais paixão. Ele gemeu baixinho, sob o meu corpo enquanto acariciava meu pescoço com uma das mãos me deixando cada vez mais fora de mim mesmo.

Estava tão perto dele que conseguia sentir as batidas fortes do seu coração contra o meu corpo. Envolvi-o em meus braços pela cintura, sentindo aquele estalo quando nossos  quadris se encontraram, roçando suas pernas nas minhas lentamente…

Only For You...

-Eunhyuk eu já vou. - ele disse colocando cachecol no pescoço

-Ahm? - levantei uma sobrancelha sem entender a repentina fuga dele.

-Mas porquê? - perguntei levantando, enquanto ele colocava o casaco.

-Eu não quero atrapalhar você, já fiquei tempo demais aqui. - ele falou ainda de costas pra mim, apanhando a bolsa de cima do armário, o volume de sua voz abaixando cada vez mais.

-Quem disse que você atrapalha? - indaguei segurando seu pulso, tentado virá-lo de frente para mim.

Porquê aquilo agora? Eu não conseguia pensar em nenhuma possibilidade lógica para aquilo.

Ele não se virou, também não falou nada. Só desvencilhou-se da minha mão e fugiu novamente em direção à porta.

Segurei-o pelo pulso de novo, puxando-o para trás e prendendo-o contra a parede de frente pra mim e juntei seus lábios aos meus, desesperadamente, prendendo a sua mão contra a parede.

Desesperado… Desesperado, sim! Eu sabia que se eu deixasse que ele fosse embora ele jamais voltaria para mim. Nem eu mesmo sabia o que estava fazendo. Desde quando eu beijava homens? E ainda por cima o meu melhor amigo? E mesmo sabendo que com aquilo eu poderia perdê-lo para sempre, eu não exitei.

 Ele continuou imóvel, surpreso, e eu mantive meus lábios somente encostados nos dele por mais alguns instantes, sentindo as batidas ritmadas do meu coração ficarem cada vez mais aceleradas. Afrouxei o aperto em seu pulso com minhas mãos trêmulas, afastando-me devagar, deixando alguns centímetros entre nossos rostos, para dar de encontro com aquele par de olhos que eu jamais pensei que eu pudesse amar.

A sua expressão era mais de confusão do que de surpresa, seus  olhos nem piscavam.                  E mesmo assim ele parecia docemente apaixonado daquele jeito.

O quê eu devia fazer? Era tão perfeito. O toque dos seus lábios nos meus, e a sensação que eles haviam deixado na minha boca…

Eu não sabia se devia me aproximar novamente, então mantive-me ali, apenas sentindo como se cada minuto ali com ele fosse único, olhando pra ele me perdendo na imensidão dos seus olhos castanhos.

Ele então tomou a minha mão na sua e entrelaçou os seus dedos nos meus, dando um sorriso invisível e enchendo aquelas bolas castanhas de contentamento.

Medi cada milímetro vagarosamente, e cerrando os olhos  como se fosse a minha primeira vez deixei meus lábios se encaixarem nos seus mais uma vez. Desta vez com calma, explorando aquela maravilhosa sensação que era tê-lo por perto. Enquanto ele enlaçou  meu pescoço entre seus braços, trazendo-me pra mais perto dele.

Me aproximei cuidadosamente, colando meu corpo no dele, sentindo um arrepio correr-me a espinha de cima à baixo e trouxe minha mão até a sua cintura sentindo um torpor indescritível tomar conta de mim. Ele movia os lábios vagarosamente contra os meus,  despertando todo sentimento que eu alimentei por ele todo aquele tempo de uma só vez.

Movimentei-me contra ele novamente, sentindo todo meu corpo tremer contra o seu, movendo meus lábios nos dele com cada vez mais paixão. Ele gemeu baixinho, sob o meu corpo enquanto acariciava meu pescoço com uma das mãos me deixando cada vez mais fora de mim mesmo.

Estava tão perto dele que conseguia sentir as batidas fortes do seu coração contra o meu corpo. Envolvi-o em meus braços pela cintura, sentindo aquele estalo quando nossos  quadris se encontraram, roçando suas pernas nas minhas lentamente…