" Estou usando um “tanto faz” pra tudo. Se alguém perguntar se estou bem, digo que sim por costume, mas na verdade, não estou. Eu não estou feliz, não estou sorrindo, e nem mostrando felicidade. Mas também não estou triste, não estou chorando pelos cantos, e nem me magoando por tudo. Eu acho que nem eu mesma sei definir o que sinto. Sofro em silêncio pelas coisas que me falam. Digo que nada me machuca, mas tem certas coisas que me machucam, e muito.  Escondo tanto dor, angústia, e medo no meu sorriso. Mas quem olha fundo nos meus olhos, vê o quanto eu sou frágil. Só quero esquecer tudo. Eu só quero viver, só quero ser feliz um pouquinho, poder sorrir verdadeiramente apenas uma vez.. “ -Luana(re-ssurgir)

" Eu sou escandalosa. Sou mesmo muito irritante. Sou chata e insuportável. Chego a irritar a mim mesma as vezes. Não sei ser calma e paciente, só sei falar alto, e pular feito uma louca. Odeio que me peçam para calar a boca. Eu reconheço quando estou fazendo a coisa errada, no momento e hora errada. Mas de vez em quando faço por vontade própria, muitas vezes para irritar alguém. Não sei ser fofa e delicada. A verdade é que sou uma tremenda desastrada, uma grossa. Realmente sou muito orgulhosa. Falo muito nas horas erradas. Tropeço em uma simples formiga que passa. Tão imperfeita, tão complicada. Uma menina com nem ao menos uma boa qualidade, uma garota diferente… “ -Luana (re-ssurgir)

Ela era do tipo de garota que faz todos rirem. A palhaça da turma. Ás vezes parece ter 5 anos, uma menina que ri de tudo, e ri alto. Ela é escandalosa, extravagante. Não tem quem não a note. Lê livros infantis, assiste desenhos, joga vídeo game. Ela se sente bem assim, vive feliz, esbanjando felicidade por onde passa. Tem seus dias de adolescente problemático, e vira tudo e todos pelo avesso. Coloca seu som no máximo e não tem quem a acalme. A muito tempo ela deixou a opinião dos outros de lado, e foi viver do seu próprio jeito. Com suas próprias regras, passou a viver num mundo onde ela é a rainha de tudo. Ela passou por muitos caminhos tortuosos para chegar aqui, sofreu muito. Mas agora ela aprendeu a lição. Aprendeu que para ser feliz, não deve alimentar da opinião dos outros. E que o segredo para ser feliz, é viver do seu próprio jeito, ignorando a normalidade. -Luana (re-ssurgir)

" A culpa é minha, por acreditar em romances. Por acreditar que contos de fadas são pra vida real. A culpa é minha por pensar que o amor, aquela magia, dos contos fosse verdade. Ao contrario disso o amor causa dor, destruição, ódio. Talvez eu amei demais. Ou de menos. Possa ser que eu exigi demais dele. Ele… Lembranças de você vem a minha mente. Tento esquecer mais você insiste em invadir meus pensamentos. Me lembro o quanto você era teimoso. Brigava comigo por uma simples gota que caia do céu. Lembro dos nossos momentos juntos, lembro do seu primeiro “eu te amo” , mas também lembro que você jurou ser para sempre. Você estava errado mais uma vez. Talvez você me largou porque eu era chata, sempre do contra. Eu errei… Devia ter acreditado em você, devia ter ficado, devia ter tentado… -Luana(re-ssurgir)

" Cheia de sonhos, de medos, de magoas, cheia de expectativas, assim era ela. Uma menina diferente, sempre se isolando de tudo e de todos, sempre tentando esconder a tristeza. Ela tinha olhos radiantes, que brilhavam a cada palavra que pronunciavam diretamente a ela. Passava algumas noites acordada dentro do seu quarto. Em uma escrivaninha, deixava vários e vários papéis amassados. Sua lixeira encontrava-se coberta de rabiscos escritos de papel coberto por lágrimas dela mesma. Apenas uma garota, com sonhos em sua mente. Seus olhos estavam gritando, chamando por alguém. Uma garota que passa maior parte do tempo tentando colocar sua vida em ordem, tentando fazer um novo começo.. " -Luana (re-ssurgir)

A alguns dias atrás eu me definia como uma nada. Uma menina sem alma sem amigos. Mas agora mudou, eu só estava perdida num mundo fantasmagórico, em que todos ao meu redor não se importavam comigo. Agora que me encontrei novamente, eu sei que não era verdade. Só agora vi que não era nada disso, apenas não tinha percebido quem realmente era meus amigos, quem realmente se importa comigo. Eu estava no caminho errado, me envolvendo com falsas pessoas, falsos amores […] Os dias se passaram e finalmente pude me reconhecer, pude encontrar meus verdadeiros amigos, pessoas que enfim posso confiar, pessoas que sei, e tenho certeza, que não vão me deixar nas horas mais difíceis. Perdi meu tempo com pessoas erradas, pessoas que se viraram e foram embora sem ao menos me dizer o por quê. Sofri muito para tirar essa conclusão, mas como sempre um dia a máscara cai e nós descobrimos os verdadeiros. -Luana (re-ssurgir)

" […] Descansar, relaxar, … É disso que eu preciso nesse instante, preciso parar, ver um bom filme, rir um pouco, quem sabe ler um livro, preciso deitar um pouco e relaxar. Preciso parar e contar nos dedos aqueles que realmente estão comigo, preciso listar todos aqueles que merecem um pouco de mim. Dos falsos e idiotas, estou completamente cheia. " (d-i-l-a-c-e-r-a-d-a)

Nada a acalmava…[…] Nada a enganava, nada seria capaz de deixá-la feliz. Mesmo após tanto tempo, as lembranças ainda a consumiam. Ao seu lado uma garrafa de vodka vazia, um livro de romance, uma caixa de remédios… Na cama, só ela, jogada em meio aos lençóes molhados de lágrimas, e recheados de péssimas lembranças e momentos. No canto do quarto havia uma lixeira, repleta de papéis amaçados, com esboços escritos á lápis. Ela sabia pra quem seriam aquelas palavras, aqueles sentimentos escritos no papel molhado e sujo, ela sabia. Porém faltava-lhe a corajem para entregar…. - Luana (d-i-l-a-c-e-r-a-d-a)

Amigos. Palavra pequena imenso significado. Os dicionários traduzem amigos como ” aquele que é companheiro. ” O que significaria esse tal companheirismo? Acredito que alguns não sabem. Principalmente as pessoas ao meu redor, elas não tem o mínimo de afeto, fidelidade. Eles simplesmente prometem, e tempos depois viram as costas e te deixam. Encontrar amigos de verdade está muito difícil ultimamente. Poder contar com alguém, de verdade. Saber que ele vai estar sempre ali do seu lado. Vai te dar apoio nas horas difíceis, te acolher, rir junto contigo. Verdadeiros, fiéis, para sempre. Esses sim são os companheiros. Não basta  dizer um simples “oi” apenas todos os dias. Amizade é mais que isso. Meus amigos, esses sim são meus. Com eles eu posso contar, posso me abrir. Não só nos momentos tristes, mas também nos melhores momentos. Brigas, tristezas? Sim nós vamos algum dia passar por isso. Mas no final, a amizade fala mais alto e vamos fazer as pazes, e rir horas mais tarde. Com eles eu falo alto, bato, reclamo, choro, brinco. Perto deles pareço ter 5 anos. E assim vou vivendo ao lado dos meus mais perfeitos melhores amigos, esses aí, conto na ponta dos dedos, para sempre.  -Luana (re-ssurgir)

" Ela costumava se iludir com tudo e com o mundo. Consigo carregava a angustia de uma história mal resolvida. Noites em claro ela ficava, no seu quarto sozinha deitada no chão, ao seu redor vários e vários papéis amaçados. Alguns até repletos de lágrimas. Lágrimas que ela própria derramara. Sonhos ela carregava. E quão bonitos eram. Sentimentos corroíam por dentro do seu corpo doce e amável. Não possuía nem um tipo de diário, mas ela guardava na velha estante cadernos, cadernos que em suas páginas continham rabiscos que ela mesmo escrevera. Livros de romance espalhados em meio a bagunça do quarto. Dentro dela, escondia-se a felicidade, pronta para sair. Só esperava a hora e momentos certos. Todos a olhavam e mal imaginavam que por trás daquele sorriso, existe tanta dor. Nem imaginam que dentro dela à sentimentos embaralhados. E que lá no fundo existe uma menina conturbada que passa noites em claro, tentando re-organizar sua vida e seus sentimentos, mal sabem o quão esta menina sofre… “ -Luana (d-i-l-a-c-e-r-a-d-a)

" Não consigo […] por mais que eu tente, não consigo sorrir verdadeiramente, é sempre aquele velho sorriso falso, onde no fundo está uma pessoa morta, sem vida, sem cor… Muitos perguntam se eu estou bem, e sempre respondo que sim. Eles acreditam… É duro mentir, mas é preciso, se eu não me auto-ajudar quem me ajudará? Por isso não expresso meus sentimentos, e se expresso as pessoas vão embora, me largam, como se nada estivesse acontecendo… Por isso que sempre estou com esse sorriso, esse drama de tentar sorrir verdadeiramente" (d-i-l-a-c-e-r-a-d-a)

Ela era um tanto perturbada.No bom sentido, claro. Não ligava se alguém estava olhando ou não. Tanto importava a opinião dos outros. Era única. Uma pessoa que sabia viver, sabia como aproveitar os melhores momentos. Desligada. Não sabia que horas, que dia, mês ou ano estava. Sabia controlar seus amores, suas dores seus medos. Todos os dias se atrasava para o trabalho. Não ligava, se isso a faria perder o emprego. Vivia num mundo diferente, em que ela era a rainha, ela comandava tudo. Suas noites eram agitadas, saia para dançar, festejar mais um dia vivido do seu modo, seu jeito de ser. Ela sabia sorrir. Ah, seu sorriso…. Era verdadeiro, um sorriso que esbanjava alegria a quem o via. Espalhava o amor, de uma garota que sabia aproveitar, sabia se sentir feliz, sabia viver em harmônia consigo mesma durante cada dia que passava… “ -Luana(re-ssurgir)

E bateu uma nostalgia. Saudades do que eu era, lembranças. Surge em mim de repente um arrependimento terrível. Pessoas boas e ruins, todas elas se foram. Escorregões dados num caminho cruzado por mim mesma no passado. Tombos, decepções, ilusões. Tudo isso me fez perceber o quão burra era. Me fez aprender uma nova lição. Amores, amizades verdadeiras, esses serão levados em minha memória por toda vida. Lembro-me de tudo que vivi. Pisões em falso. Medo. Me arrependo de não ter feito algumas coisas por medo. Deixei passar aqueles momentos que talvez, pudessem ser lembrados até hoje. Deslises dados à toa. Tento me livrar de tudo isso até hoje. Só tento tirar todas essas lembranças da cabeça, mas parece impossível. Fujo de todas elas, não as deixo dominar a minha mente. Mas até quando vou fugir? Eu sei que em algum momento eu vou ter que relembrar tudo isso novamente. E sabe, vou sentir falta. Eu sei que vou. Toda essa nostalgia não é em vão. -Luana (re-ssurgir)

" Complicada. Sabe como deixar as pessoas confusas. Ninguém nunca a entendeu. Cheia de complicações. Faz birra, grita, chora. Teimosa ao ponto de se jogar no chão. Ninguém a suporta por muito tempo. Não abaixa a cabeça pra ninguém, ela é muito orgulhosa. Sofre quando as pessoas se vão, mas não pede pra que fiquem. Não sabe manter uma relação amigável com ninguém. Quer sempre manter a pose de fria, grossa, sem sentimentos. Ela não se importa se aquilo que fala vai magoar alguém, ela só diz. Não se preocupa com o próximo. Prefere viver isolada de todos. Mas o que ninguém sabe, é o quanto ela se esforça para ser alguém melhor. Mas não consegue, por mais que tente ela sempre precisa estragar tudo com algo grosseiro. Ela chora, sofre muito com esse seu " defeito " . Não encontrava uma maneira em si de mudar. Sempre era a mesma garota insuportável que todos viam como a " esquisitinha ". Mesmo se matando por dentro, mesmo ferindo seu próprio coração ela não mudava, não conseguia deixar de lado aquela coisa que já havia virado mania. Ela não pensava se aquilo a faria mal ou não, ela machucava a si mesma se dó, nem piedade. -Luana (re-ssurgir)

" Nossas loucuras… Tão apegados, um amor só. Passávamos horas discutindo o nome dos nossos filhos, discutindo sobre o futuro. Tardes rindo alto, abraçados em frente a TV, comendo a pipoca que você próprio deixara queimar. Nos lambuzávamos de leite condensado. Era um momento só nosso. Ríamos das mesmas idiotices, de besteiras que saiam da sua boca. Ao final da tarde lá estávamos nós dormindo juntinhos no sofá. Se lembra? Eu era sempre a primeira a acordar, eu sussurrava baixinho em seu ouvido, você acordava assustado. Vinha me fazer cócegas até eu cair do sofá. Eu fingia estar com raiva, você brincava com o bico que eu fazia. Sempre desfazia minha raiva fazendo-me rir. Eu falava a mim mesma que não ia rir, mas era inevitável. Suas caretas idiotas…  Eu te chamava de idiota, e eu era a sua boba. A boba mais linda da sua vida. Bom, deixei de ser… Seguimos caminhos diferentes você me disse “adeus”. Fiquei vendo você ir embora, como iria viver sem você? Sem os seus carinhos, seus beijos… Nunca ia encontrar alguém melhor. E para falar a verdade até hoje você perturba minha mente com nossas melhores lembranças…  lembranças do nosso amor, tão clichê, tão irreal… (re-ssurgir)

" Doce garota. Maluca. Sua vida era uma verdadeira diversão. Ela não se importava com opiniões alheias. Não se alimentava do que os outros falavam. Vivia como queria, na mais perfeita felicidade. Era feliz. E como era. Seu sorriso, diferente de muitos outros era verdadeiro, um sorriso doce de uma menina que sabia como viver. Saia com os amigos, sabia se divertir, dançava a noite toda, bebia, amava. Ela sabia como amar alguém. Sabia exatamente o que fazer. Escolhia muito bem seus amigos. Seus verdadeiros amigos. Ela os reconhecia de longe e os contava nos dedos. Segredos? Não era com ela, medos, angustias? Ela os arrancava de seu pequeno coração e voltava a se erguer novamente. Enfrentava muito bem seus obstáculos. Por fim, era uma menina forte. Ela realmente sabia viver. E não tinha medo, não tinha medo de esbanjar aquele seu sorriso, espalhar por ai sua felicidade. ” -Luana (re-ssurgir)

" Felizmente ela estava acordando. Cansou de ser a segunda opção, ser o plano b. Ela cansou de ser o brinquedinho das pessoas. Se deixava enganar por um simples “oi”. Só servia para ser usada pelos outros como consolo de suas decepções. Ao encontrar alguém novo ela era jogada fora. Estava cansada, seu coração já estava pedindo socorro, muito antes, mas ela não o ouvia. Não pensava em si mesma. Sempre se machucando com falsas pessoas. Falsos amores. Já estava morta, desgastada. Todos a usavam, e iam embora sem ao menos dizer um mero “adeus”. Finalmente ela abriu os olhos e novamente se ergueu, percebeu que estava sendo usada. Dispensou qualquer convite para servir de consolo, nos momentos melancólicos dos que diziam ser amigos. Ela foi até o fundo do seu peito, recuperar seu coração quebrado, seu pequeno e destroçado coração. Está se adaptando as mudanças, que ela mesma propôs a si. Mas lá no fundo ela nunca vai deixar de ser a garotinha tola, que esconde suas próprias mágoas com seu sorriso falso, sua máscara.. -Luana (re-ssurgir)

Sabe, ela quer voltar aos tempos de criança. Quer voltar a sentir aquela alegria, sorrir um pouco talvez. Relembra seus tempos da infância, vê suas antigas fotos. Lembra de como era feliz. Isso mesmo era. Não é mais. Falsos amores, despedidas, obstáculos, medos, entre outros caminhos tortuosos em que ela tende a seguir. Lembra que vivia num reino onde ela era a princesa e tinha um castelo enorme onde seus sonhos viravam realidade. Tem saudade do seu velho quarto, onde hoje é um lugar escuro, livre de fantasias e alegrias. Um lugar que ela reservou apenas para escrever, e escrever rabiscos inúteis. Nostalgia daquele tempo, daquela época em que o céu e as estrelas era o limite. Saudade dos verdadeiros amigos. Hoje, não se orgulha nem um pouco do que é. Do que virou. uma menina fria, sem sentimentos confusa. Se atormenta todos os dias com essas lembranças nostálgicas. Se põe a chorar só de ouvir a palavra infância. -Luana (re-ssurgir)

Text
Photo
Quote
Link
Chat
Audio
Video