raulSilva

E se eu fosse embora? E se eu desistisse de tudo que construí até aqui e seguisse um novo rumo? E se eu mudasse de vez todos os meus planos de uma vida perfeita e decidisse viver apenas do meu jeito? E se eu jogasse fora todas as roupas do meu guarda roupas e refizesse-o todo de novo? Ultimamente eu tô precisando disso, sabe? De mudar de vez a minha vida, de encarar novas experiências, de dar um rumo certo, caminhar uma estrada retilínea cuja parada principal é a minha felicidade, mas sabe, por outro lado acho que essas desgastadas vestes e um imensurável mundo vazio aqui dentro não faria muita falta, vejo-me imperceptível, substituível de mais. A vida como uma história a ser escrita em longas linhas sinuosas, cheia de defeitos, uma história narrada e cheia de controversas Quem nunca pensou em desistir? Quem nunca pensou em fazer diferente? Quem nunca pensou em mudar? Alguém, por mais perfeccionista que seja, sempre acaba errando, tropeçando nos seus próprios erros. Eu cansei de viver somente de lembranças, eu cansei de sentir, eu cansei de sentir sozinha, na verdade eu cansei de ser sempre sozinha. Eu quero uma coisa nova, algo que desperte uma chama em mim, que me faça sentir viva novamente, que me mostre o caminho certo e qual trilha seguir para ter uma vida verdadeiramente feliz. Está, "ter uma vida verdadeiramente feliz" são poucas pessoas que conseguem não é? E eu quero ser uma dessas poucas pessoas, se é que é possível. Eu quero viver uma aventura diferente a cada dia, quero abrir os olhos ao acordar com um sorriso no rosto, eu quero que tudo seja uma completa montanha russa, que enfrente todos os problemas, mas sabendo que eu vou chegar no fim. Eu quero caminha por estrada da vida que eu sei que terá buracos, mas não vou amedrontar-me, vou ser forte, eu sei que irei cair muitas vezes mais vou me levantar e continuar andando. Por que a vida é feita de erros e acertos, e quero provar desses sentimentos ao máximo possível. Quero esquecer o passado que me amedronta, vou me libertar de todas as angustias e me arriscar, quero ser a pessoa que se destaca e será lembrada por tudo oque fez. Quero chegar ao final da estrada feliz. Quero me arrepender pelo oque eu fiz, não pelo que não tive coragem de fazer.  - Lai, Iana, Raul (palavre-ar)

Boa noite

Talvez a melhor escapatória seja a  morte,  
Mas não sou tão corajoso. 
O que me resta é morrer por alguns minutos.
Por isso que gosto de dormir!

Raul Silva

Em uma noite qualquer, um casal encontra-se abraçado em um quarto escuro…

Faz frio lá fora e aqui dentro o ar que repousa entre nossos corpos é gelado, mas quase não se faz notar. Seu corpo, em movimentos involuntários para se proteger do frio encolhe-se como quem procura calor em si mesma. A madrugada chegava devagar e o frio foi se intensificando, mas eu não percebi nada acontecendo ao meu redor porque eu distraí-me com seu roto lindo e tão branco quanto a neve. Não vi que aos poucos o céu escureceu e algumas estrelas apareceram na nossa janela de cortinas abertas. Deitei em seus seios como criança que pede carinho, abracei sua cintura mais uma vez sem muito me importar se seria novamente esquecido. Durante muito tempo eu fiquei ali decifrando seus sonhos pelos batimentos cardíacos e sua respiração, me afastei de mim para me aproximar daquele corpo que descançava, ignorei minhas vontades de fechar os olhos e dormir para saciar minha vontade de acariciar aquela linda mulher que eu chamava de amor. Derrepende escuto um sussurro de uma voz doce, e macia que não pode ser comparada a nada perto do que eu pude ouvir. Interrompi-a com um beijo…

Ah, aquele beijo de amor. Pude sentir em seus lábios o calor da paixão. Através daquele contato descobri que eu realmente era amada por aquele homem. Seu corpo envolvia o meu. Naquele momento éramos dois corpos imóveis unidos pelo amor; mas nossa alma era apenas uma. Eu realmente lhe amava; você era o único garoto que amei verdadeiramente. Você era o primeiro homem de verdade em mim vida. Seu cheiro pairava sobre o ar, seus braços estavam em minha cintura e sua face repousava sobre meus seios. Penso que ele sentia minha respiração ofegante, as batidas aceleradas de meu coração. Independente de quanto tempo passasse, eu sempre ficava um pouco nervosa ao seu lado. De repente, suas pernas se movimentaram e ele passou-as por entre as minhas. Um gesto tão simples mas que, para mim, representava mais que um contato corporal, significava uma certa intimidade; e para mim, isso era bom… Significava que estávamos ficando cada vez mais próximos e cada vez mais inseparáveis. Seus lábios tocaram meu pescoço e eu arrepiei-me. Não queria deixá-lo saber que ao lado dele eu ficava nervosa, mas as batidas de meu coração confessavam o meu estado emocional. Mas eu também podia sentir as batidas aceleradas de seu coração. Sim, ele era especial para mim. Muito mais que um amor qualquer. Eu sabia que também era especial para ele. Éramos duas almas apaixonadas, movidas pelo calor da paixão. Raul + Ana Laura (palavre-ar)

Eu achei que estivesse quase lá, mas não estava. Eu achei que estava pertinho de esquecer da sua existência, mas só achei mesmo. Me enganei novamente. E essa não é a primeira vez que me engano, nem é a primeira vez que me pergunto o por quê de isso acontecer tanto. O trato era que iriamos seguir nossas vidas, pois não tinha mais condição alguma, e você cumpriu o trato tão rápido, que isso até ainda dói. Dói cair no esquecimento continuo, ainda mais por alguém que você achou que jamais iria te esquecer. Que ia se lembrar, nem que fosse por 5 minutos ao dia. E eu, ainda estou aqui com esse vazio em aberto, esse vazio cheio de você. Como sempre, sem surpresas, eu sempre faço essas coisas erradas, quando se trata de amor. […] Vivo pensando que isso parece tanto com amor, parece muito mesmo. E a cada vez que penso isso, fica mais assustada ainda, pois confesso que tenho medo do amor. Medo de acontecer tudo o que houve com nós dois. Medo de ficar perdida novamente, com esse vazio aqui dentro. Com esse buraco que há aqui. Tenho medo do amor, medo de tudo o que pode acontecer de novo. Medo de encontrar uma pessoa, e me apegar. E quando mais precisar, ela ir embora. Decidi não sofrer mais por amor, estou tentando ser forte para superar a dor que ainda sinto em meu peito. Sei que sera difícil, mais não posso desistir. Não quero mais me perder em pensamentos de um passado que eu tento esquecer. Preciso achar a saída desse passado que parece não ter fim.

Eduarda, Raul. (Palavrear) 

Você já teve meu coração e tudo o que eu um dia considerei meu, você teve meu amor, você me teve ao seu lado, você teve meu sorriso. E agora você se vai e me deixa em passos errantes, olhando por vidros embaçados causados pela forte chuva que agora cai, me deixa sem saber direito se tudo não passa de um sonho distante. Disse que é para eu não me preocupar que, embora esteja indo, nunca vai me deixar. Mas, eu tenho que ser forte o bastante e encarar a verdade, que é mais provável que você me deixe mesmo do que volte. Espero que não me deixes, não sei se conseguirei viver sem teu amor, sem você ao meu lado. Vou sentir falta das nossas noites mau dormidas, vou sentir falta da sua risada irritante. Vou sentir falta das suas palavras, do seu beijo, e de como você finge ficar brava quando eu digo que você é obesa. Vou sentir falta de sua ironia em todas as tuas palavras, ou de como você achava graça em tudo e me fazia rir junto contigo. Quando escondo seu celular, ou então quando te assusto. Vou sentir falta das nossas brigas, das suas crises de ciúmes, ou quando diz que tudo o que eu faço é errado. Vou sentir falta também, de cuidar de você e de te amar bem de pertinho. Eu vou sentir falta de acordar e te encontrar na cozinha sentada na mesa a minha espera, com o bolo todo despedaçado que só você sabe fazer, e é como esse bolo que tanto amo que meu coração está nesse momento. Mas já não importa mais. Vou tentar me recompor, recolher os pedaços de meu coração e tentar consertá-lo, vou encontrar alguém que me ame como você me amou, como eu te amei um dia. Porque como me lembro, uma vez você me disse “se algum dia alguém te magoa, você tem que se mostrar forte o suficiente e seguir em frente”, e agora me encontro perdido tentando fazer isso.
—  Raul, Bia e Giovanna. (palavre-ar)

Como pude amá-lo com tamanha intensidade? Faço-me essa pergunta todos os dias, e sofro todos os dias por você. Eu errei em provar-te, você é um vicio frenético, nostálgico, uma doce droga do amor. Mas tenho que admitir que não me arrependo de provar desse vicio. Provando desse mal pude aprender coisas novas, seu amor foi como uma aula pra mim e você foi um bom professor. Ensino-me a ser forte, a ser corajosa, você me ensinou tudo oque eu sei sobre o amor. Tudo oque eu sou hoje devo totalmente a você. Eu te amei intensamente o tempo que ficamos juntos, foi um longo tempo até, até mais do que deveria ter sido. Foi um erro esperar tanto tempo para acabar com oque deveria nem ter começado. E agora aqui estou eu, precisando dessa droga. Estou eu, sofrendo desejando por um pouco de sabedoria que tu me deste um dia. Pois quando você está perto, tudo se torna embaçado, nada faz sentido, apenas você e eu. Ignorar? Jamais, pois antes de te ver posso dizer mil vezes que vou te ignorar, ser fria e indiferente. Mas sabe a minha frieza? Ela derrete com o calor da sua presença, e eu não tenho o escudo que preciso pra me proteger desse calor, se é que existe algo que possa me proteger. […] Você me ensinou que não tenho que ceder fácil assim no amor, mas quando você vagando pelos corredores da escola, com aquele sorriso… Ah, o mundo para totalmente, poderia ficar vendo essa cena pelo resto do dia todo, e consequentemente acabo sorrindo também, com aquela cara de bobinha feliz. Feliz, nervosa, chorona, você realmente me faz de uma pessoa bipolar de vez em quando, nas horas vagas. Mas nada, nenhum sentimento ruim, que seu sorriso não faça sumir aqui dentro. Seu sorriso é o paraíso, é a pureza do meu amor que acaba destruindo toda lágrima e colocando um sorriso no lugar. Você é a droga, a minha droga. Droga que faz bem, droga que faz mal. Eu preciso, realmente, te dizer isso? Que tal perceber por si mesmo? Olhe a sua volta, eu sempre vou estar ao seu lado porque eu sempre não só quis, como precisei. - Raul, Eduarda. (palavre-ar)

Compreendi que não me faz falta um corpo, mas apenas um toque, que não me fazem falta as carícias, mas a intimidade. Percebi que não me faz falta as pessoas, mas apenas você. Você que não sei quem és. Maior vazio que o de perdermos alguém é, possivelmente, o de não termos quem perder. Assim estou. Agora como nunca. Sem desejar quem partiu, sem saber por quem esperar. Estou vazio. Não quero o que não é meu. Apenas queria ter algo que pudesse, ao fim do dia, guardar como seguro. Vejo-me a reviver nada que tive. Vejo-me apenas mais uma vez só rodeado de uma multidão que não me vê nem sabe quem sou. Espero. Porque sempre esperei que tudo fosse como sonho. Mas desta vez não sonho. Já não. Já não resta nada em mim senão este saber que nada será como quis que fosse. Espero um dia no meio dessa multidão que nem nota a minha presença, encontrar você. Alguém que me perceba, que me note no meio de tantos outros. Que me escolha para viver uma historia com apenas o começo e o meio, sem o fim. Por que na maioria das historias de amor acabam tristes. E com você não pode haver nem se quer um final. Dizem que algumas coisas a gente leva pro resto da vida, não é? Há algo intenso aqui dentro, algo que por mais que eu tente, não me deixa desistir, a minha vontade de você me motiva a seguir em frente, lembro que algumas vezes eu ouvi falar que a gente dá valor aquilo que não temos nas mãos. Eu vou esperar, eu prometi esperar, e pela nossa felicidade a gente tem que tá disposto a esperar o tempo que for, por que você sabe que no fundo vai valer a pena. É isso, tem que valer a pena, tem que superar as expectativas, tem que ser único, não precisa ser perfeito, tem que ter essência, tem que ter eu e você, tem que ter nós dois, e o resto? Bom o resto… Enquanto houver você, vai ser sempre o resto. E que o que importe mesmo seja nós dóis, juntos, agarrados, colocados, grudados e inseparáveis. Não importa se agora, ou daqui a meses ou anos, por você, posso esperar. Raul, Lai e Larissa. (palavre-ar)

Depois de dinamitar todas as pontes que me levavam a lugares incertos, atravessar paisagens mortas onde a água deixara há muito de existir, parei junto ao precipício e, naquele instante, tomei a decisão de iniciar a descida, só para ter a possibilidade de experimentar o prazer da subida, devagar, com passos firmes, mas tranquilos e chegar à outra margem. Quem sabe se não terei uns braços à minha espera e um regaço para descansar. O cesto de lixo está lotado. Papéis, ideias, cartas não enviadas, letras reviradas, misturadas. São só rascunhos. Aquilo que tentou ser dito, que foi sentido. Poeiras, vento, marcas da mão e a tinta borrada. Buscar esperanças naquilo é tolice. São só rascunhos, que doeram os punhos para escrever uma história mal contada. Alguns trechos de longos poemas, sem sentido. Talvez o que importe esteja guardado na gaveta. Se um dia precisar novamente de todo este descarte estará, com um coração, na gaveta. Marcado, rasgado ou até apagado. Um coração de rascunhos.

Possessiva. Maldosa. Sedutora. Maquiavélica. Manipuladora. Egoísta. Ninfomaníaca. Irônica. Sarcástica. Fria, às vezes. Carinhosa, em outras. Despojada. Liberal. Extremamente romântica quando amo. Independente. Sincera. Calculista. Sou desse jeito ninguém pode me mudar. Sou meiga quando quero ser, e também sou chata quando devo. Cheia de defeitos, porém unica. Prefiro observar mais e falar menos. Observar cada passo minucioso de quem me cerca. Aprendi isso com o tempo. Aprendi com meus machucados que não são mais machucados e sim cicatrizes. Essas cicatrizes fazem parte da minha história. Me relembram sempre que aquilo que não me mata me fortalece. Já tive que aprender a conviver com todo tipo de gente na vida, das melhores às piores… Algumas pessoas não me intendem, não querem estar perto de min, acham que eu não sou um exemplo de boa garota. E quem disse que eu quero ser exemplo para alguém? Sou daquele tipo de menina que prefere se diverte na noite, a ficar em casa. Sou uma menina difícil de lidar, com vários defeitos e muitas qualidades. Não é fácil me magoar, sou feita de ferro e pronta para a batalha. Às vezes pareço ser intimidadora, talvez esse seja um motivo para as pessoas se afastarem de min. Não me quererem como companhia, mas se convivessem comigo veriam que por baixo dessa mascara insensata e durona a uma garota que precisa de carinho e de ser compreendida, que precisa de um colo às vezes, que precisa de um ombro amigo para chorar o namorado perdido. Por baixo de toda essa armadura a uma garota sensível. Queria eu poder dar outra impressão de mim mesma. Talvez um dia eu aprenda a ser melhor aos olhos dos outros, isso ira demorar e eu precisarei ser forte e muito auto-suficiente mais isso é oque não me falta. Sou assim bipolar e mandona. Goste você ou não é assim que sou.  Raul e Beatriz (palavre-ar)

Eu fui uma tola, um completa idiota nessa história toda, como pude cair nessa, como eu pude ser tão ingênua. Não sei se vocês estão entendendo então vou começar desde de o inicio.

Sim, eu me apaixonei em 2009, não é como se tivesse sido o ano mais lindo da minha vida. Não foi, nem de longe. Foi, de perto, um dos mais difíceis, mas teve a doçura de uma paixão. Paixão mesmo, daquela que faz a gente ir dormir pensando na pessoa. Aquela que faz as pernas tremerem e o coração acelerar, que mexe mesmo com a gente, literalmente. Aquela que faz a gente reconstruir uma cena um milhão de vezes na cabeça como se não tivesse nada de mais importante para fazer na vida e acha que todas as músicas têm tudo a ver com o momento! Aquela paixão que deixa a gente assim, meio idiota. Fiz poesia pra enxergar azul onde era cinza e sentir vermelho quando as coisas estavam rosinhas demais, quase desbotadas, quase brancas. Consegui manter a ternura, apesar de tudo, apesar de mim, apesar de você. E a leveza, apesar do peso quase insustentável que foi me consumindo aos poucos. Fui insensata nas circunstâncias mais sóbrias. Fechei os olhos ao ver o amor e confiei no mesmo. Fiquei estupidamente apaixonada por horas, talvez até dias, semanas, meses. Esse amor foi tudo pra min, foi como se sentir nas nuvens estar ao seu lado, ele prometeu nunca me deixar, sempre estar ao meu lado nos momentos ruins ou bons. Mas como todos sabem, só eu não sabia, que as promessas nem sempre são cumpridas. Não sei como pude acreditar em suas palavras em suas juras de amor, na época pareciam tão verdadeiras, mas agora só se passam de mentiras macabras. Fiz das tripas coração para te ver feliz, para sempre te ter ao meu lado me amando, pelo menos eu acreditava que ele me amava. Mas nada disso era verdadeiro, nunca foi. Você me deixou no momento em que eu mais precisei de você, quando eu mais precisa de um ombro amigo para chorar, para conversar, ou simplesmente para encostar. Eu devia saber que você não era a escolha perfeita pra mim, eu já devia saber que nem tudo sempre é um mar de rosa, que nada que é perfeito, muito menos ele. Meus amigos já haviam me dito que você era uma mentira, mas eu quis seguir minha própria opinião, eles tinham razão! Ah, como tinham! Desde que nos conhecemos, desde então do primeiro olhar eu já sabia que existia algo dentro de mim que levava para ele. Algo magnético sabe? Eu arrastada para seus braços sem ter qualquer consciência. Só que ele se tornou uma parte de mim sabe? Talvez clichê demais dizer isso, mas sabe quando você acha, acredita que encontrou a pessoa certa? Aquela pessoa que tem tudo para ser um príncipe, daqueles mesmo de contos de fadas que chegam em um cavalo branco, aqueles que te iludem achando que vai lhe proporcionar uma vida melhor, que é o motivo do seu sorriso ao acordar. Ele era aquela pessoa que me completava com um simples olhar, sabe? Mas era também a pessoa que então, eu vivi muitas desventuras só para lhe fazer sorrir; que me fez chorar pelos cantos por acreditar que então eu não era boa o suficiente para ele. E foi ele também, que pela primeira, fez com que eu acabasse jogada no chão juntando os pequenos pedaços que quebraram do meu coração. Ele o quebrou, partiu em milagres de pedaços, me jogou fora sem quaisquer sinais de piedade, sem nenhuma explicação. Ele na verdade, me usou como se fosse uma simples folha de papel, que depois toda rabiscada não há mais utilidade. E o pior ele me abandonou, soltou minha mão num dos piores momentos de minha vida, aqueles momentos que você se encontra sem chão sabe? E só o que te prendia flutuando no ar, era sua mão presa na minha. Ele me soltou. Me soltou e eu caí num completo abismo. E eu continuava caindo, é como se ele não tivesse fim. E tudo escuro, e não havia ninguém caindo comigo. Era só eu e minha eterna solidão. Mas, ele me ensinou uma coisa, que eu não devo acreditar em todos que passam pela minha vida e muito menos entregar o meu coração a qualquer um. Foi amor, foi um tipo de amor platônico, amei sozinha, amei por dois, amei demais. Mas o amor foi só da minha parte, teve falta de amor de sua parte e até da minha parte, da minha parte foi falta de amor por mim mesma. Só que no final, acabou sendo amor, amor platônico. Raul, Iana e Giovanna. (palavre-ar)

Que mundo é esse, onde o sexo é mais importante do que o amor?
Onde o amor, o companheirismo, a confiança, perderam o significado.
Que mundo é esse onde pessoas apontam-lhe é acusa sem ao menos saberem dos fatos ?
Onde um simples pedaço de papel causa guerras, brigas e até mesmo separa famílias.

Sim! Esse é o mundo que vivemos.
Talvez seja por isso que os ditos, loucos, não queiram aceitar essa realidade podre e medíocre.

Raul Silva

Lamentos de um minerador

 

Agora estou aqui no vazio do meu quarto e tudo o vejo e você.
Como faço para tira-la de mim ?
Sinto uma enorme culpa por fazer o mundo girar de outra forma.
O que mais suplico dentro desta escuridão
e senti apenas um abraço que me confortaria .

E ver novamente a luz, que são seu olhos.
Porém  tenho que aprender.

Aprender a esquecer, a superar.
As vezes tudo que tenho que fazer
e levantar mais uma vez e olhar para o horizonte 
procurando uma razão para ser feliz.

Talvez o que mais quero e procurar algo que não exista
No final, o mundo me tornara mais um minerador de sonhos.

Raul Silva

Desapego
 

Não se prive, arrisque! 
Pule do penhasco!
Apenas não deixe o que é belo esvair-se
como água por entre os dedos.


Hoje não mais lhe tenho,
não posso sentir mais o teu toque. 
Apensar de estar ao meu lado 
seu coração não mais meu.

O que me resta ?
Aceitar cabisbaixo 
E esperar que o tempo
Mais uma vez, faça com que lhe esqueça.

Raul Silva