Ultimamente está difícil se arriscar por algo ou até mesmo lutar por alguém, é tanta insegurança com um pouco de medo por correr atrás do que você ainda custa acreditar que já perdeu e que não se pode ter mais, entendo. Já ouvi milhões de vezes a frase “Não desista.” mas você tem que ser racionalmente capaz de perceber no que se deve ou não desistir e da mesma forma saber pelo que lutar ou não lutar. Por isso digo, tenha absoluta certeza do que você estará batalhando pois batalhar por alguém que jamais se importou por ti é burrice se arriscar por algo que você acha que não terá futuro é um tiro no próprio pé ou melhor um tiro no seu próprio ser.
—  Olha lá no que você vai buscar. Escrevinhar
Nunca pensei que desejaria tanto o beijo de alguém. Os dias passam e minha maior vontade deles é ter meus lábios nos teus, e não faço ideia no que fez, quero dizer, não me entendo do por que me interessei por ti. Foi um desejo automático, que não quer ser desligado, enquanto não ter você por um instante comigo, satisfazendo meus sentimentos instintivos que criei. Sim, criei, com consciência de que poderia não ter o que tanto idealizei claro, isso não é culpa sua, simplesmente não posso te forçar, obrigar a fazer algo que não queira, mas estou bem, pois pelo menos tentei. A questão agora é seguir e deixar está ânsia por ti agora passar, mas se algum dia trocar de ideia sabe onde me encontrar.
—  Eu sinto um desejo por ter seu beijo. Escrevinhar
Recebi uma pergunta certa vez que me indagava da seguinte maneira: “O que uma pessoa deve fazer para que lhe faça feliz?” – atrasado sempre no raciocínio dessas perguntas – demorei certos segundos para responder uma pergunta tão simples que naquele momento pareceu anos se passando na minha cabeça para que algo saísse como uma resposta decente de minha boca. Nesses pequenos segundos obtive certa resposta para aquela indagação, mas no fim tive que dizer alguma coisa essa coisa foi a seguinte: “um livro” até agora estou tentando entender o porquê de ter dito aquilo que não era a resposta mais digna que gostaria de ter pronunciado, mas estava sendo tão pressionado que não tive muita escolha. Minutos depois fazendo uma reflexão sobre aquela interrogação acabei formando a verdadeira resposta que deveria ter respondido, mas pensando bem foi certo em ter “escondido” a resposta correta. Quando me perguntaram: “O que uma pessoa deve fazer para que lhe faça feliz?” a resposta tinha de ser e é: “Quando me fazem rir”. Algo tão simples tão normal que às vezes me sinto um idiota por não ter falado isso antes, porém tais palavras foram bem ocultadas naquele momento. Amo quando me fazem rir, me sinto bem, feliz, me coloca num ambiente completamente distraído, longe dos problemas pessoais e é melhor ainda quando tudo se torna natural quando me fazem rir de maneira espontânea mesmo que seja por coisas bobas, tudo isso se torna verdadeira sem nada estar planejado. Só não disse isso tudo antes, pois quero que todos sejam espontâneos comigo pelo modo que elas são e não pelo que fingirem ser só para tentar me agradar.
—  Me façam rir. Escrevinhar
Medo. Palavra simples e de um sentimento gigantesco. Não tem explicação do que sentimos, mas simplesmente é algo que nos faz pensar em tudo que fizemos na vida. Às vezes sentimos medo de morrer outras vezes medo do escuro, medo de arriscar em algo que possamos nos arrepender, entre outros, mas o que irei falar hoje é sobre o medo de perder alguém que ama. É complicado falar, pois é uma dor imensa imaginar ficar longe daquela pessoa que te fez viver os melhores momentos de sua vida aquela que te encorajou a lutar por seus sonhos ou ainda a enfrentar seus medos, pois ela simplesmente foi incrível que te fez uma pessoa melhor um alguém feliz te fez viver cada momento como se fosse o ultimo. E digo. Sentir medo não é algo bom ainda mais se é para perder esse alguém, por isso, sempre esteja em constante luta para ter sempre essa pessoa amada ao seu lado, mesmo que escolhas futuras diga que tenha que desistir dela, porém não desista, pois se você cair quem estará lá para te levantar? Ela? Pois é você a abandonou. Então lute até o fim por seu amor e sempre a mantenha do seu lado.
—  Desabafo de um amigo meu. 
Sinto um ar de desconfiança me rodando a todo o momento, é uma questão de está desconfiado para qualquer coisa que dizem. É como se fosse uma autodefesa, porém é uma barreira que crio em torno de mim que é capaz de não acreditar inteiramente no que as pessoas falam para mim, de mim. Exemplo, alguém chega à minha frente e diz: “Eu te amo”. É um dos casos que não consigo acreditar cem por cento na veracidade dessa frase que possam falar para mim. Mesmo que a verdade seja pura do emissor da mensagem, mas a mensagem em si já me coloca em desconfiança, pois nunca imagino alguém me amando verdadeiramente. Tais pensamentos assim me levam até mesmo a insegurança, de achar que qualquer coisa que eu faça não seja o suficiente, para que algum individuo goste de mim. O medo de ser decepcionado por mim (por não me satisfazer daquilo que esperava) me impõe desacreditar muito mais em mim do que nos outros. Essa crença de nunca acreditar em mim, me bloqueia de crer plenamente que alguém, mais do que eu, acredite na minha pessoa. Devido a isso confio muito mais em provas concretas, demonstrações ao vivo e a cores, sem modismo ou clichês, mas algo que consiga me surpreender, deixando-me envergonhado até, para que eu possa sair deste bloqueio que eu mesmo bloqueie e que agora sozinho não consigo quebrar.
—  Escrevinhar
Cresci e aprendi a não esperar elogios e o reconhecimento de outros quando avanço mais um degrau na escada da vida. Foi nessa mesma escada em que subi vários degraus importantes e que ninguém esteve ao meu lado para comemorar tais vitórias, mas todos estavam ao meu redor criticando e dizendo que não conseguiria alcançar meus desejos e dentro de outras coisas. Vivo todo esse tempo sem conselhos sem orientações de como viver e de que fazer para viver, no começo me tornei acomodando por coisas pequenas que quando fui buscar algo maior ninguém me deu o apoio de que precisava e que agora estou tendo de me virar nesse mundo sem uma dica se quer. E foi assim que aprendi a fazer de mim mesmo o maior julgador das minhas ações o maior conselheiro, orientador e apoiador dos meus sonhos e objetivos tendo ninguém melhor do que eu para comemorar meus grandes feitos e aprender com meus próprios erros fazendo com que o meu ser seja o mais coerente para mim. E dessa maneira compreendi andar na vida, sozinho, praticamente sem a ajuda da boa vontade de ninguém para seguir em frente e nesse ponto me isolei, tornei-me frio, pois fiz das minhas vitórias que deveriam ser compartilhadas com todos, se tornarem emoções reprimidas deixando a minha razão e meu coração se satisfizer daquilo que eu realmente mereça ser reconhecido por mim mesmo.
—  Quando digo que não sei reagir a elogios falo sério. Escrevinhar
Chega uma hora em que se precisa sair do berço no qual foi criado. Em ter nas mãos o poder de construir seu próprio destino. Sair debaixo do teto da dependência, para seguir caminho sobre a independência. De fazer as escolhas que realmente deseja fazer, tendo total segurança das consequências das mesmas. De se afastar da proteção materna e criar uma nova barreira protetora para mim mesmo. Em vez de seguir regras, agora ordena-las. Ter um controle de um espaço que posso encher a boca e dizer “é meu”, sem me importar se está bom ou ruim, o que interessa é se está da minha maneira na qual, sem aviso prévio, impôs. Assim como sair e voltar para casa na hora em que der na telha. Quando criança não se tem a liberdade de que se precisa quando se tem mais idade. Os tempos de criança ficam nas lembranças, os momentos se fazem com a vivência e viver é sinônimo de liberdade. Caminho, destino, infelizmente a construção desses se começa sozinho. Está na hora de me afastar de vocês, para me preparar e cuidar de mim mesmo.
—  Fui mimado demais. Agora estou atrasado comigo mesmo. 
Revelação 11. Aquilo que não poderia revelar. Escrevinhar
Faltavam alguns dias para declarar oficialmente que envelheci mais um ano neste mundo. Escrevo este texto, pois não sei se comemoro ou me entristeço com mais este dia. Me desânimo, pois desde criança meu desejo era me tornar grande ser um adulto e mesmo sem ter soprado as velas em nenhuma data do meu nascimento acredito que fiz o desejo errado. Naquela época nunca imaginei que ser adulto seria tão complicado tão entediante ou até mesmo o fim do mundo, é um domínio de responsabilidade que se soubesse que seria assim não desejaria tanto e ilusoriamente poderia ter evitado um pouco mais está fase majoritária. Comemorar o seu próprio envelhecimento se torna até irônico, quem gosta de envelhecer? Mas quando se trata de aniversário, o que se está em questão é comemorar numa distração mais um ano de vida que se faz e o que estão por vim. E cada um tem seu modo de ser sentir bem neste dia, alguns tratam como se fosse o último dia de sua vida e aproveitam como quiserem outros querem refletir e se sentir isolados, apenas sentindo o tempo passar. No meu caso não sei no que farei, mas está mais provável que passarei o dia pensando no que vivi até agora e no que eu poderia futuramente viver. Não sei se no dia do meu aniversário ganharei presentes ou mensagens de carinho, o que sei é que tentarei acordar e sobreviver como em todos os outros dias em que já vivi.
— 

Para mim acho que viveria mais um dia normal. Revelação 9
Escrevinhar. Aquilo que não poderia revelar.