possiveistentativas

Se eu demorar, me espera, se eu te enrolar, me empurra
Se eu te entregar, aceita, se eu recusar, me surra
Se eu sussurrar, escuta, se eu balançar, segura
Se eu gaguejar, me entende, se eu duvidar, me jura
Se eu for só teu, me tenha, se eu num for, me larga
Se eu te enganar, descobre, se eu te trair, me flagra
Se eu merecer, me bate, se eu me mostrar, me veja
Se eu te zuar, me odeia, mas se eu for bom, me beija
Se tu ta bem, eu to, se tu num ta, tambem…
Não to legal, não to, pergunto o quê que tem
Tu diz que ta tranquila, mas eu sei que tu num ta
Tu ta bolada filha, vamos desembolar
Se eu te amar, me sente, se eu te tocar, se assanha
Se eu te olhar, sorria, se eu te perder, me ganha
Se eu te pedi, me da, se for brigar, pra que?
Se eu chorar, me anima, mas se eu sorri é por você
—  Projota, Mulher.
Eu tenho esse problema mesmo. Esse de ver coisa onde não tem, esse de ficar louca por qualquer besteirinha. Eu to tentando evitar que tudo aconteça de novo, sabe. Evitar que você se distancie e que acabe. Não é isso que eu quero. Quero que seja tudo que não foi na ultima vez. Eu quero que a gente fique feliz, de uma vez por todas. Eu sou chata, pego no pé e sou ciumenta, mas é inevitável. Esse medo de te perder outra vez é tão grande, mas tão grande que só de pensar que você pode estar me esquecendo, ou me deixando de lado eu enlouqueço. Porque eu quero você. Só pra mim.
—  Yasmin Guimarães

Sabe oque é se sentir culpada por tudo? Sabe oque é chorar na calada da noite, sozinha em seu quarto? Sabe oque é ver suas amigas chorando por uma coisa que começou por você e não poder fazer nada? Sabe oque é ver as pessoas se afastando? Sabe oque é errar em tudo quer faz? Sabe oque é tentar consertar algo e só piorar? Sabe oque é botar um sorriso no rosto, que não é seu? Sabe oque é segurar o choro de cinco em cinco segundos? Sabe oque é se fazer de durona quando tudo oque você quer é chorar? Não, então você não sabe como estou me sentindo. Yasmin Guimarães (possiveistentativas)

Eu realmente espero que você não leia isso.
Nos últimos dias andei pensando em nós, quer dizer, em mim e em você (ainda não sei se o “nós” chegou a existir). Pensei em nossos meses lutando por algo que provavelmente nunca teria um futuro certo e no nosso mês juntos, um mês de pura ilusão (ou não). Não me importo se essa será a pior coisa que você vai ler, até porque nem espero que você realmente leia isso, mas aí vai. Você, como muitos dos homens por quem eu já fui afim, não prestava. Na verdade, se fosse parar para pensar, de todos eles, você foi o pior. O mais errado, canalha e cachorro que eu já me apaixonei. De todos eles, você foi o que mais me fez sorrir. Aí então você se pergunta “se eu já te fiz sorrir tanto, porque diabos eu sou o pior?”. Exatamente por isso. Por tirar milhões de sorrisos e conseguir tirar chorros em dobro. Por fazer eu me iludir quando achei que dessa única vez seria diferente por ser recíproco. Eu achei, realmente pensei que, por algum momento, eu fui amada. E provavelmente não fui, mas me senti. E, vou te contar, não existe nada melhor do que se sentir amada. Simplesmente assim, do dia para a noite, eu não me sentia mais. Um ato seu que acabou com o pouco de auto-estima e amor próprio que eu ainda tinha. Você, queridinho, conseguiu quebrar meu coração em muitos e pequenos pedaços, me deixando sem chão. Tu foste minha vida e, quando se foi, me deixou sem nada. Virou as costas na primeira oportunidade que teve, me deixando com lágrimas no rosto. Houve um tempo em que sentia orgulho de ter meu dedo anelar ocupado por um anel de prata idêntico ao seu. Hoje, nem tanto. Olho para ele e lembro de momentos que preferia esquecer, sendo eles bons ou ruins. Será que você ainda lembra de algum deles? Não será surpresa se não. Sempre disse a mim mesma que você era uma pessoa boa, só precisava de um bom caminho para se ajeitar. É como dizem por aí, eu estava cega de amor. Um amor que me fez crescer e amadurecer, vendo agora como a confiança é importante. Confiança é a base de um relacionamento, não é assim que dizem? Acho então acho que nunca tivemos uma base. Você sempre foi minha primeira opção, e com o tempo acabei virando a sua segunda. Mais uma frase clichê para um primeiro amor clichê: melhor sozinha do que mal acompanhada. Depois de meses negando o que sempre esteve a minha frente, agora posso ver que sou e sempre fui melhor sem você.
—  Mais algumas palavras pra mostrar o tanto que você fudeu minha vida. - Yasmin Guimarães
E mais uma vez, obrigada. Por se preocupar e correr atrás de mim quando a maioria não corria mais. Não tenho palavras pra explicar o quanto eu senti falta da sua amizade, de poder conversar com você abertamente. Saudade. Isso que eu senti, e isso que eu sentirei ano que vem. Mesmo sabendo que não será a mesma coisa, espero que não mude muito. Sua casa ainda é minha, certo? Independente de ser nova ou não. Irmãs hoje, irmãs sempre.
—  Eu te amo, serve? - Yasmin Guimarães
Eu poderia passar uma tarde inteira sentada em um banco ao seu lado lhe pedindo desculpas, e mesmo assim ainda seria diferente. Eu poderia te ver todos os dias e ainda sentiria saudade do mês passado. Iria te ver online e sentir saudade de quando passava a tarde desabafando para e com você. Conversaríamos: você diria que está tudo bem e eu talvez acreditaria, mas concordaria. Me contaria piadas e fatos do dia-a-dias, mas eu te garanto que não seria como antes. Quando eu tinha cem por cento e mais um pouco da sua confiança, quando eu ainda não tinha te decepcionado. Haverá um dia em que será como antes, sim, sei disso. Mas não será amanhã nem mês que vem. Como você mesmo disse: “espera que o tempo cura”.
—  Acontece que o tempo passa mais devagar que o normal quando se quer muito alguma coisa. - Yasmin Guimarães
Veja só, meu bem, como o céu está azul. Azul da cor do mar, cor dos olhos da vó. Está limpo, sem nenhuma nuvem para sujá-lo. Mas não me diga que nuvens são feias. Em pouca quantidade faz com que o céu fique mais bonito. Suponha então que eu sou o céu: lindo quando estou só. Você seria então as nuvens, deixando mais bonito o azul do céu. Um pouco de você em mim faz com que eu fique mais bonita.
—  Mas tu sabes: nada é bom em excesso. - Yasmin Gimarrães
Estar apaixonada é tão bom. Tudo fica diferente, como se a vida preto e branco que estou acostumada passasse a ser colorida. É clichê, mas não há outra forma de mostrar. Parece que você está voando nas nuvens, que você é leve, que voa. Mas é, dizem que o amor dói. Querido, amor não dói. Distância, família e falta de amor dói. Mas o amor em si, o sentimento de estar apaixonada, “louca de amor” por alguém, é mais do que bom. Sabe como é, ouvir a voz da pessoa e se acalmar? Ouvir a risada, e sorrir imediatamente? Sabe como é o desejo de estar a cada segundo da sua vida ao lado da pessoa, a vontade que dá de largar o mundo e fugir com a pessoa amada? Isso é amor. Amor de verdade, meu bem, a gente sente por um só.
—  E acredite, esse alguém é você. - Yasmin Guimarães

Nostalgia. Esse é o tipo de sentimento que me vem atacando nos últimos meses. Lembra quando eu tentava fingir que estava com raiva de ti, e não conseguia? Lembra também, de quantos abraços você me dava por dia, das coisas que você me contava? Ei, você lembra da nossa amizade? Lembra que por mais inútil que fosse nossa conversa ela sempre era prazerosa? Dava vontade de conversar mais, mais, mais e mais, até acabar a saliva. Sinto falta, sabe. Disso, dessa coisa que eu chamo de amizade, de ter você por perto, nem que seja para falar coisas imbecis. Mais que provável que você não me considere tudo que eu te considero, mas quer saber, eu não ligo. Não mesmo, porque eu nunca precisei que você me chamasse de amiga nem que falasse que me ama. Eu só precisei de você ali, sentando do meu lado, conversando comigo, me tirando do tédio, não me tratando diferente do resto do mundo. No final de tudo, eu só precisei (e ainda preciso) de vocêYasmin Guimarães (possiveistentativas)

Me explica, porque você faz isso? Some, me faz te esquecer, parar de pensar em ti, em nós. Daí aparece do nada, voltando a ser como antes, dizendo que “sente falta da minha risada”. Volta a ser o “ele” dos meus textos, volta a me fazer pensar em algo antes de dormir, ou até no meio do dia. Eu consigo passar um dia sem pensar em você se você ficar dois meses sem falar comigo. Mas quando fala, fico dois meses tentando não pensar em você. Isso é estranho, é anormal. Como alguém pode fazer tão bem a outro e ao mesmo tempo tão mal? Tirar risadas ou lagrimas em uma palavra? Você consegue tirar meu sono anoite, me lembrando de tudo que já passamos, desde a ultima até a primeira fez em que eu te vi. As vezes sinto vontade de voltar ao tempo, não pra mudar algo, só pra poder dizer adeus. Um verdadeiro adeus, porque quando te dei o ultimo tchau, foi com a intensão de te ver nos próximos dias, meses. Nunca passou pela minha cabeça que aquela seria a ultima vez que eu poderia te chamar de meu, olhar nos teus olhos, ver teu sorriso. Já te disse o quão especial você é na minha vida? O jeito que você a mudou, tanto pro bem quanto pro mal, me fez crescer. Me fez ver o mundo de uma forma diferente. Me fez acreditar no amor.
—  Yasmin Guimarães